Crescimento e Desenvolvimento

Crescimento e Desenvolvimento

(Parte 1 de 2)

DESENV OLVI MENT O O crescimento e o desenvolvimento são processos dinâmicos que têm início na concepção.

Crescer significa aumentar a superfície.

Desenvolvimento é diferenciação, é aquisição de funções, e se consegue através do tempo.

Fatores que normalmente determinam o crescimento físico:

a) herança; b) influências neuroendócrinas;b) influências neuroendócrinas; c) alimentação equilibrada; d) exercícios físicos; e) estímulos emocionais positivos; f) ausência de enfermidades crônicas debilitadas.

O crescimento está determinado determinado inicialmente pelo potencial genético herdado.

Em condições normais, não são modificáveis, pois estão também determinadas geneticamente. determinadas geneticamente.

Quando existe doença das glândulas endócrinas a situação se modifica, surgem outros sinais e sintomas denunciadores de problemas médicos.

Uma alimentação correta é básica para conseguir-se um cresci mento correto.

Crescimento é o aumento de tamanho dos tecidos funcionalmente ativos, como esqueleto, músculos, sangue, tecido nervoso.

O acúmulo de gordura leva a aumento de peso, leva a aumento de peso, mas não significa cresci mento.

Medir o desenvolvimento físico ou funcional é importante em saúde pública e na prática pediátrica, pública e na prática pediátrica, porque a desaceleração ou detenção desses processos constituem fenômenos básicos, aceitos como manifestações universais na desnutrição da criança.

Os estudos sobre desnutrição intra-uterina têm mostrado que as crianças, oriundas de mães desnutridas, apresentam um menor desnutridas, apresentam um menor

células cerebrais, menor número

peso cerebral, menor número de de neurônios, em suma, uma diminuição quantitativa perfeita mente docu mentada.

Uma maneira indireta de avaliar o desenvolvimento cerebral é através do perímetro cerebral é através do perímetro cefálico; dessa maneira essa medida serve como indicador do estado nutritivo prévio.

O tecido nervoso cresce rapidamente nos primeiros dois anos, depois um pouco mais anos, depois um pouco mais lentamente, para atingir, aos 8 anos, 90% da quantidade que terá na vida adulta.

A importância clínica deste fato é a gravidade das lesões fato é a gravidade das lesões neurológicas, quanto mais baixa a idade da criança.

O tecido genital praticamente não cresce até o início da puberdade, independente do puberdade, independente do cumprimento ou da estrutura da criança.

Somente na puberdade, os testículos crescem após testículos crescem após receberem o estímulo hipofisário, o mesmo acontecendo com os ovários, nas meninas.

P U B E R D A D E Os testículos e ovários produzirão os hormônios que estimularão o aparecimento dos caracteres sexuais secundários, como: pêlos pubianos, aumento do pênis, pêlos axilares, aumento do pênis, pêlos axilares, voz bitonal e acne, no menino;

Aumento dos grandes lábios e das mamas, pêlos pubianos e axilares, acne e menarca (1ª menstruação), na menina.

Uma das primeiras manifestações de puberdade, na menina, é o broto mamário que costuma ser mais desenvolvido de um lado do que de outro. Em média a 1ª menstruação, aparece após 3 anos do início do broto ma mário.

Em alguns casos, o menino poderá apresentar aumento mamário (ginecomastia), mas é mamário (ginecomastia), mas é por pouco tempo, no máximo 1 ano, não necessitando de trata mento.

A menarca é mais precoce entre as meninas de melhor padrão sócio- econômico do que naquelas de baixo poder sócio-econômico; ela baixo poder sócio-econômico; ela ainda é mais precoce nas meninas de mesma condições nutricionais, quando vivem em centros urbanos e não em centros rurais.

A atividade física tem importância fundamental importância fundamental no crescimento e na boa nutrição.

A atividade física provoca uma melhor ventilação pulmonar, ativa a circulação, permitindo um maior aporte de sangue por minuto aos aporte de sangue por minuto aos tecidos. O exercício leva ainda um estímulo aos órgão dos sentidos e estimula emocionalmente o indivíduo, melhorando o aproveita mento ali mentar.

A angústia e a falta de estímulos emocionais positivos estímulos emocionais positivos acarretam uma diminuição na secreção de hormônios de cresci mento.

-Anemia-Asma

- Desnutrição - Ver minose- Desnutrição - Ver minose -Infecção urinária -Outras

Algumas medidas são Algumas medidas são indispensáveis para podermos aquilatar o crescimento de uma criança:

1ª. Medida da altura de pé 1ª. Medida da altura de pé ou comprimento deitado e peso;

2ª. Perímetro cefálico;

3ª. Avaliação do 3ª. Avaliação do desenvolvi mento dentário;

4ª. Avaliação do desenvolvi mento mental.

É fundamental que, ao É fundamental que, ao medirmos uma criança deitada, a mesma esteja contra um plano duro e que seus pés e cabeça sejam mantidos imobilizados.

Ao nascer, a criança apresenta em torno de 50 cm de comprimento. Daí torno de 50 cm de comprimento. Daí em diante aumenta, em média 9 cm no 1º trimestre, 7 no segundo, e 5 no terceiro e 2 no quarto. Nos 12 meses que seguem após completar 1 ano, costuma crescer 10 cm.

4 SEMANAS a) Balança a cabeça, punhos cerrados.

b) Olha a seu redor e acompanha incompletamente um objeto que lhe é incompletamente um objeto que lhe é apresentado.

c) Esboça sons e reage ao som de

uma campainha.

d) Fita o rosto das pessoas que a cerca m.

16 SEMANAS a)Firma a cabeça, mãos abertas.

b)Acompanha com os olhos os objetos e mira o chocalho, quando em sua mão.mira o chocalho, quando em sua mão.

c)Murmura, ri e emite sons, quando provoc ad a.

d)Brinca com as mãos e com a roupa, identifica a mamadeira e abre a boca quando sente que vão alimentá-la.

28 SEMANAS

se para frente, apoiando

a)Senta e inclina- -se nas mãos. Segura firmemente um cubo.

b)Troca de mão um cubo.

c)Balbucia e se distrai com as próprias vocalizações.

brinquedos. Mostra expectativa na hora

d)Distrai-se com os pés, brinca com de se alimentar.

40 SEMANAS

Fica de pé com apoio. Começa a perder

a) Fica sentada sem auxílio. Engatinha. o reflexo de preensão.o reflexo de preensão.

(Parte 1 de 2)

Comentários