Software Livre

Software Livre

ALUNOS: Filipe Nogueira, Frederico Cruz, Rafael Caribé, Wendel Araújo

UFBA - Universidade Federal Da Bahia

MATA39 - Seminários De Introdução Ao Curso

Professora: Rita Suzana Pitangueira Maciel Ciência da Computação 2010.2

“Software Livre” é uma questão de liberdade, não de preço.

“Software Livre” se refere à liberdade dos usuários executarem, copiarem, distribuírem, estudarem, modificarem e aperfeiçoarem o software.

O que é Software Livre?

Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Fundation, que tem como fundador Richard Stallman, é qualquer Programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído sem restrições. O conceito de livre se opõe ao conceito de software restritivo (software proprietário), mas não ao software que é vendido (software comercial). A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do programa disponível.

● liberdade Nº 1: A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito.

● liberdade Nº 2: A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

● liberdade Nº 3: A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo.

● liberdade Nº 4: A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie.

Software Livre: As quatro liberdades

Investimento de empresas

Diversas empresas como IBM, Sun e HP investem no Software Livre; Esses investimentos não são “favores”, eles visam retorno; IBM Consulting teve mais de U$ 1 Bilhão de faturamento com Linux em 2002; Empresas privadas investem em iniciativas com licenças de código mais “brandas” para poder utilizar o código desenvolvido pela comunidade em seus produtos.

● Todo software possui uma licença associada, que diz o que os usuários podem ou não fazer com o mesmo.

● Licenças são um contrato entre o fornecedor e o usuário do software.

● Você obtém a licença para usar o software desde que concorde com as condições.

● Conceitualmente podemos dividir as licenças em Livres e Proprietárias.

“Licenças”

Alguns tipos de licenças de Software Livre

* Com Copyleft (Ex: GPL, LGPL,

Affero) * Permissivas (Ex: BSD, Apache)

* Complexas (Ex: MPL, dual-licensing)

* Pseudo-livres (Ex: SCSL, SUN, MSSI)

● Com softwares (e outras tecnologias) que usam esse tipo de licença você não pode:

– executar o programa, para qualquer propósito;

– estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades;

– redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo;

– aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie.

Licenças proprietárias

Efeito Copyleft

Qualquer obra derivada deve ser redistribuída sob a mesma licença da obra original; A licença GPL foi a primeira a ter cláusulas “copyleft”, depois que Richard Stallman teve um trabalho seu, distribuído como domínio público, privatizado por uma empresa; O copyleft não é pré-requisito para uma licença ser considerada livre.

Sistema GNU/linux

Linux: é um kernel desenvolvido a partir de 1991 por Linus Torvalds, unido a centenas de interessados (voluntários e empresas como a IBM, a HP e outras), capaz de rodar em múltiplas arquiteturas (do palm ao mainframe) e que, aliado a ferramentas providas por terceiros (e.g. GNU, KDE, Apache, PHP) forma um sistema operacional robusto e flexível. O sistema operacional resultante da união entre o kernel do Linux e as ferramentas de terceiros pode ser chamado de GNU/Linux ou apenas de Linux . a variação ocorre por razões ideológicas; As ferramentas que fazem uso do Kernel foram desenvolvidas pelo projeto GNU. Um dos Softwares Livres mais populares - tem apresentado a robustez e a aceitação necessárias para sua utilização em vários contextos de processamento Aceitação crescente nas empresas, ONG's, governo e home users Viabiliza custos com software em vários projetos; Distribuições : conjuntos do kernel Linux e aplicativos, juntamente com programas de instalação e customização criados e mantidos por determinado grupo.

Estrutura (simplificada) de um sistema GNU/linux

Nos permite interagir com os programas usando janelas, ícones e mouse.

Intermedia o acesso ao hardware e gerencia os programas em execução.

Aquela coisa física que você chuta quando dá problema.

Ferramentas necessárias para construir e utilizar o sistema.

Algumas distros GNU/linux Algumas distros GNU/linux

Uma breve apresentação de um SO linux!(Ubuntu)

Exemplo de uso atual do software livre:

Filmes de ficção – Era do Gelo, Star Trek – Nemesis e “Star Wars - Episode I – Attack of the Clones”

Objetivos normalmente buscados com a alternativa Software Livre

* Flexibilidade e autonomia em TI; * Independência e multiplicidade de fornecedores;

* Livre customização e integração de sistemas;

* Redução de custos com licenças;

* Maior estabilidade e segurança nos serviços;

* Aderências a padrões;

* Licenciamento adequado;

* Desenvolvimento de conhecimento interno;

* Auditabilidade de sistemas.

Dificuldades no processo de migração para Software Livre

* Desinformação – necessidade de esclarecimento melhor no assunto por parte dos planejadores; * Aspecto cultural – resistência, comodismo, legado;

* Operacionalização - engessada por anos de imposição de especializações em ferramentas proprietárias; * Especificação – editais – Como escrever o que se quer adquirir? * Como especificar os serviços e os profissionais para projetos com SL? Certificações? Capacitações? Opções de trabalhos em consultorias.

Convencendo uma pessoa a usar software livre

* Fale na linguagem deles – não foque na tecnologia somente; * Não malhe a Microsoft, não use Idéias como: “Windows é ruim”, ao invés disso diga “O Linux é melhor”; * Mostre casos de estudo (evite os dos fabricantes – prefira artigos ou revistas); * Esclareça o ROI (Return of Investment) real ao invés do TCO (Total Cost of Ownership), para deixar claro o benefício sendo obtido; * Seja profissional e positivo.

Implicações e aspectos legais no Brasil

A lei brasileira define a função da informática e prevê o sentido social do seu uso; O estado pode definir pelo software livre como alternativa que viabilize melhor os ideais de propagação do bem estar social.

Algumas leis relacionadas no Brasil:

* Lei de licitações; * Lei do software – 9.609/98 - dispõe sobre a natureza jurídica do software e a sua comercialização no País; * Direitos Autorais – 9.610/98 - bem restritiva!

Software livre no Brasil

A comunidade é grande, porém pouco integrada O governo tem tido um papel fundamental O Brasil foi o primeiro país a regulamentar a licença GPL (02/12/2003).

Informações em http://www.iti.br e http://www.softwarelivre.gov.br

Software livre no Brasil

Tópicos discutidos por orgãos governamentais não se restringem à utilização de Software Livre, mas ao desenvolvimento de sistemas usando esse modelo Já existem projetos complexos usando esse modelo: Árvores Hiperbólicas (EMBRAPA); Geoprocessamento (Ministério da Justiça, INPE e UFMG); Sistemas de gerenciamento de produção e transmissão de energia (ELETRONORTE); Implantação do SL no Exército Brasileiro; Foco no fato de que apenas com o código aberto a segurança dos sistemas pode ser efetivamente atestada.

Software livre para o administrador de sistemas

* Essencial para que possa desenvolver ferramentas que resolvam problemas; * É essencial que o administrador de sistemas domine programação para: - Desenvolver suas próprias ferramentas;

- Adequar ferramentas ao seu trabalho;

- Possa auxiliar o desenvolvimento na depuração de problemas e na definição de ambiente.

Referências Bliográficas http://www.br-linux.org/ http://creativecommons.org/ http://www.softwarelivre.gov.br http://www.ciencialivre.pro.br http://www.fsf.org http://pt.wikipedia.org

Comentários