Roteiro prático de desenho técnico

Roteiro prático de desenho técnico

(Parte 1 de 2)

1. OBJETIVO

Este roteiro, baseado nas normas de desenho técnico em vigor, destina-se a orientar as empresas, interessadas em realizar ensaios para avaliações técnicas de seus produtos, na execução de desenhos técnicos simples, para cumprimento do prescrito na letra C, dos itens 5.1 e 5.2, da NEB/T Pr-19.

2. REFERÊNCIAS

– NBR 8196 - Emprego de Escalas em Desenho Técnico;

– NBR 8402 - Execução de Caracteres para Escrita em Desenho Técnico;

– NBR 10068 - Folha de Desenho - Leiaute e Dimensões;

– NBR 10126 - Cotagem em Desenho Técnico;

– NBR 10582 - Conteúdo da Folha para Desenho Técnico;

– NBR 10647 - Desenho Técnico - Norma Geral.

3. DESENVOLVIMENTO a. Formatos de Papel: (Ref.: NBR 10068)

1) O original deve ser executado em menor formato possível, desde que não prejudique a sua clareza.

2) As folhas de desenhos podem ser utilizadas na posição horizontal (formatos A0, A1, A2 e

A3) ou vertical (formato A4). Esses formatos poderão ser adquiridos em papelarias, em blocos ou avulsos, já com as margens impressas.

3) As dimensões (em milímetros) dos formatos de papel e das margens são as seguintes:

DESIGNAÇÃO DIMENSÕES (m) MARGEM (m) ESPESSURA

(Largura x Altura)

Esquerda Direita Superior Inferior DA LINHA (m)

b. Legenda: (Ref.: NBR 10068)

1) Toda folha desenhada deve levar, dentro do quadro e no canto inferior direito, uma legenda, que deve ter 178 m de comprimento nos formatos A4, A3 e A2 e 175 m nos formatos A1 e A0.

2) Da legenda devem constar as seguintes indicações, além de outras julgadas indispensáveis para um determinado tipo de desenho:

– Número do Desenho;

– Título do Desenho;

– Proprietário do Desenho;

– Escala Principal;

– Unidade em que são expressas as dimensões;

– Valores das Tolerâncias gerais e, se necessário, outras indicações para classificação e arquivamento;

– Datas e assinaturas dos responsáveis pela execução e aprovação;

– Indicação de “substituir a” ou “substituído por”, quando for o caso. 3) Como exemplo de legenda, sugere-se:

P RESP. Nome: M TÍTULO TEC CREA: L

APROV.: J K/ / B
P DES.: H I/ /

A – Número do Desenho. B – Título do Desenho. C – Proprietário do Desenho (designação da firma). 1o Quadrante

D – Método de Projeção: 3o Quadrante

E – Escala Principal. F – Unidade de Dimensão Linear.

G – Formato da Folha de Desenho (A0, A1, A2, A3 ou A4). H – Rubrica do desenhista ou projetista. I – Data de Elaboração do Desenho. J – Rubrica do Responsável Técnico da Empresa. K – Data da Liberação do Desenho. L – No Registro no CREA, do Responsável Técnico da Empresa. M – Nome do Responsável Técnico da Empresa. N – Informações Administrativas. O – Valores das Tolerâncias Gerais (dimensionais e/ou geométricas). P – Informações Técnicas Complementares.

c. Escalas: (Ref.: NBR 8196)

1) Escala: é a relação entre a dimensão linear de um objeto (ou elemento) representado no desenho e a dimensão real deste objeto (ou elemento), devendo ser indicada, obrigatoriamente, na legenda.

2) Quando for necessário o uso de mais uma escala na folha para desenho, estas devem estar indicadas junto à identificação do detalhe ou vista a que se referem. E, na legenda, deve constar a palavra indicada.

3) Escala natural: é a escala onde a representação do objeto (ou elemento) é feita em sua verdadeira grandeza.

4) Escala de ampliação: é a escala onde a representação do objeto (ou elemento) é maior que sua verdadeira grandeza.

5) Escala de redução: é a escala onde a representação do objeto (ou elemento) é menor que sua verdadeira grandeza.

6) Escalas recomendadas para uso em desenho técnico:

de Redução Natural de Ampliação Observação

1:1 2:1

5:1 10:1

Estas escalas podem ser reduzidas ou ampliadas à razão de 10.

d. Linhas: (Ref.: NBR 8403)

1) Nos desenhos técnicos é recomendada a utilização de duas espessuras de linhas: larga e estreita.

2) Qualquer que seja o meio de execução, a lápis ou a tinta, ao desenhista é facultada a fixação da relação entre as larguras de linha larga e estreita, a qual deverá ser igual ou superior a 2.

3) São normalizadas as seguintes espessuras de linhas no desenho: 0,13; 0,18; 0,25; 0,35; 0,50; 0,70; 1,0; 1,40; e 2,0mm.

4) As penas das canetas à tinta nanquim são identificadas com cores, de acordo com a largura das linhas que traçam:

0,13mm - lilás 0,18mm - vermelha 0,25mm - branca 0,35mm - amarela 0,50mm - marrom 0,70mm - azul 1,0m - laranja 1,40mm - verde 2,0m - cinza

(Parte 1 de 2)

Comentários