ELEMENTOS DE MÁQUINAS - Conjuntos Mecânicos (parte 3)

ELEMENTOS DE MÁQUINAS - Conjuntos Mecânicos (parte 3)

(Parte 1 de 3)

25 AULA

Conjuntos mecânicos I

DDDDDesenho de componenteesenho de componenteesenho de componenteesenho de componenteesenho de componente Ø o desenho de uma peça isolada que compıe um conjunto mecânico.

Desenho de detalheDesenho de detalheDesenho de detalheDesenho de detalheDesenho de detalhe Ø o desenho de um elemento, de uma parte de um elemento, de uma parte de um componente ou de parte de um conjunto montado.

O desenho de componente dÆ uma descriçªo completa e exata da forma, dimensıes e modo de execuçªo da peça.

O desenho de componente deve informar, claramente sobre a forma, o tamanho, o material e o acabamento de cada parte. Deve esclarecer quais as operaçıes de oficina que serªo necessÆrias, que limites de precisªo deverªo ser observados etc.

Cada peça que compıe o conjunto mecânico deve ser representada em desenho de componente.

Apenas as peças padronizadas, que nªo precisam ser executadas pois sªo compradas de fornecedores externos, nªo sªo representadas em desenho de componente.

Essas peças aparecem representadas apenas no desenho de conjunto e devem ser requisitadas com base nas especificaçıes da lista de peças.

Os desenhos de componentes tambØm sªo representados em folha normalizada.

A folha do desenho de componente tambØm Ø dividida em duas partes: espaço para o desenho e para a legenda.

A interpretaçªo do desenho de componente depende da interpretaçªo da legenda e da interpretaçªo do desenho propriamente dito.

25 A U L A

Introduçªo

25 AULAVeja, a seguir, o desenho de componente da peça 2 do grampo fixogrampo fixogrampo fixogrampo fixogrampo fixo.

AULAA legenda do desenho de componente Ø bastante parecida com a legenda do desenho de conjunto.

Ela tambØm apresenta rótulorótulorótulorótulorótulo e lista de peças.lista de peças.lista de peças.lista de peças.lista de peças. Examine, com atençªo, a legenda do desenho de componente da peça 2.

A interpretaçªo do rótulo do desenho de componente Ø semelhante à do rótulo do desenho de conjunto.

Uma das informaçıes que varia Ø a indicaçªo do tipo de desenho: componente em vez de conjunto.

Podem variar, tambØm, o nœmero do desenho e os responsÆveis por sua execuçªo.

Os desenhos de componente e de detalhe podem ser representados em escala diferente da escala do desenho de conjunto.

A lista de peças apresenta informaçıes sobre a peça representada. Tente, vocŒ mesmo, interpretar a lista de peças, resolvendo o exercício.

a)a)a)a)a) O nome da peça representada Ø
b)b)b)b)b) A quantidade necessÆria dessa peça Ø
c)c)c)c)c)A peça deve ser feita de Aço ABNT 1010-1020, bitola, com......

Verificando o entendimento Complete as frases: m de diâmetro

VocΠdeve ter escrito as seguintes respostas:

a)a)a)a)a) encosto móvel; b)b)b)b)b) uma; c)c)c)c)c)16, 25.

Interpretaçªo do desenho de componente

VocŒ jÆ tem todos os conhecimentos necessÆrios para fazer a interpretaçªo completa do desenho de componente. Para isso vocŒ terÆ de aplicar assuntos aprendidos nas aulas anteriores do curso.

AULAAcompanhe a interpretaçªo do desenho do encosto móvelencosto móvelencosto móvelencosto móvelencosto móvel, para recordar. O encosto móvel estÆ representado com supressªo de vistas. Apenas a vistavistavistavistavista frontalfrontalfrontalfrontalfrontal estÆ representada.

A vista frontal estÆ representada em corte total. Analisando as cotas, percebemos que o encosto tem a forma de uma calota esfØrica, com um furo passante. A superfície interna do encostoencostoencostoencostoencosto tem a forma côncava.

As cotas bÆsicas do encostoencostoencostoencostoencosto sªo: diâmetro = 18 m e altura = 4 m. O diâmetro do furo passante Ø de 6 m. O raio da superfície esfØrica Ø de 12 m.

O símbolo, ao lado do nœmero 2, Ø o símbolo de rugosidade, e indica

o estado de superfície que a peça deverÆ ter.

O círculo adicionado ao símbolo bÆsico de rugosidadeindica que

a superfície da chapa para o encosto deve permanecer como foi obtida na fabricaçªo. Isto quer dizer que a remoçªo de material nªo Ø permitida.

Nªo hÆ indicaçıes de tolerâncias específicas, pois trata-se de uma peça que nªo exige grande precisªo. Apenas a tolerância dimensional geral foi indicada: – 0,1 , como indicado no desnho da pÆgina 184.

Acompanhe a interpretaçªo dos desenhos das demais peças que formam o grampo fixogrampo fixogrampo fixogrampo fixogrampo fixo.

Vamos analisar, em seguida, o desenho de componente da peça n” 1, que Ø o corpoo corpoo corpoo corpoo corpo.

Veja a representaçªo ortogrÆfica do corpo em papel normalizado e siga as explicaçıes, comparando-as sempre com o desenho.

desenho de componente: encosto móvel

25 AULA

Examinando o rótulo, vemos que o corpo estÆ representado em escala natural (1:1), no 1” diedro.

As medidas da peça sªo dadas em milímetros. A lista de peças traz as mesmas informaçıes jÆ vistas no desenho de conjunto.

O corpo estÆ representado pela vista frontal e duas vistas especiais: vista de

A e vista de B.

A vista de A e a vista de B foram observadas conforme o sentido das setas A e B B B B B, indicadas na vista frontal.

AULAA vista frontal apresenta um corte parcial e uma seçªo rebatida dentro da vista.

O corte parcial mostra o furo roscado. O furo roscado tem uma rosca triangular mØtrica normal. A rosca Ø de uma entrada.

O acabamento que o corpo receberÆ vem indicado pelo símbolo,

A vista de B mostra a saliŒncia e o furo roscado da peça. A vista de A mostra a representaçªo das estrias.

que caracteriza uma superfície a ser usada. N9N9N9N9N9 indica a classe de rugosidade de todas as superfícies da peça. O afastamento geral Ø de – 0,1.

Agora, vamos interpretar as medidas do corpo:

•Comprimento, largura e altura - 65 m, 18 m e 62 m. •Distância da base do corpo atØ o centro do furo roscado - 52 m.

•Diâmetro da rosca triangular mØtrica - 10 m.

(Parte 1 de 3)

Comentários