Finanças Corporativas - Marcus Quintella

Finanças Corporativas - Marcus Quintella

(Parte 1 de 10)

FGV Management MBA em Gestão Empresarial

Marcus Vinicius Quintella Cury, D.Sc. mvqc@fgvmail.br

Realização Fundação Getulio Vargas FGV Management

Todos os direitos reservados à Fundação Getulio Vargas

Cury, Marcus Vinicius Quintella

Finanças Corporativas 1ª Rio de Janeiro: FGV

Management – Cursos de Educação Continuada. 72p.

1. Finanças 2. Matemática FinanceiraI. Título

Bibliografia

Coordenação Executiva do FGV Management: Prof. Ricardo Spinelli de Carvalho Coordenador Geral da Central de Qualidade: Prof. Carlos Longo Coordenadores de Área:

1PROGRAMA DA DISCIPLINA 1
1.1EMENTA 1
1.2CARGA HORÁRIA TOTAL 1
1.3OBJETIVOS 1
1.4CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1
1.5METODOLOGIA 2
1.6CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2
1.7BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA 2
CURRICULUM RESUMIDO DO PROFESSOR3
2FINANÇAS CORPORATIVAS 3

Sumário

INTRODUÇÃO3
2.2CONCEITOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA 4
2.2.1DEFINIÇÃO DAS TAXAS DE JUROS
2.3FLUXO DE CAIXA DE PROJETOS 23
2.3.1 CARACTERÍSTICAS RELEVANTES
2.3.2 EXERCÍCIOS DE PROJEÇÃO

2.1 2.2.2 O VALOR DO DINHEIRO NO TEMPO 2.2.3 DIAGRAMA DOS FLUXOS DE CAIXA 2.2.4 TIPOS DE FORMAÇÃO DE JUROS 2.2.5 RELAÇÕES DE EQUIVALÊNCIA DE CAPITAIS 2.2.6 TAXAS DE JUROS NOMINAIS E EFETIVAS 2.2.7 TAXAS DE JUROS EQUIVALENTES 2.2.8 INFLAÇÃO E CORREÇÃO MONETÁRIA 2.2.9 TAXAS DE JUROS REAIS E APARENTES 2.2.10 TAXAS DE JUROS PRÉ-FIXADAS E PÓS-FIXADAS 2.2.1 SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO

MÉTODOS PARA ANÁLISE DE FLUXOS DE CAIXA27
2.4.1 TAXA MINIMA DE ATRATIVIDADE - TMA
2.4.2 VALOR PRESENTE LÍQUIDO - VPL
2.4.3TAXA INTERNA DE RETORNO - TIR
2.5COMPARAÇÃO ENTRE ALTERNATIVAS DE PROJETOS 3
ALTERNATIVAS DE MESMA DURAÇÃO
2.5.2 ANÁLISE INCREMENTAL
2.6INFLUÊNCIA DO IMPOSTO DE RENDA 37
2.6.1 CONTABILIDADE DA DEPRECIAÇÃO
2.6.2 APURAÇÃO DO LUCRO TRIBUTÁVEL

2.5.1 2.5.3 ALTERNATIVAS DE DURAÇÕES DIFERENTES

2.5.3 FLUXO DE CAIXA APÓS O IMPOSTO DE RENDA

2.7ANÁLISE DE RISCO E INCERTEZA 42
2.7.1 NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICAS
ANÁLISE DE SENSIBILIDADE

2.7.2 2.7.3 SIMULAÇÃO DE RISCO

2.8RISCO, RETORNO E MERCADO 64
2.8.1 MERCADO EFICIENTE
2.8.2 SELEÇÃO DE CARTEIRAS E TEORIA DE MARKOWITZ
2.9MODELO DE PRECIFICAÇÃO DE ATIVOS - CAPM 69
2.9.1 DIVERSIFICAÇÃO
2.9.2 COEFICIENTE BETA
2.9.3 RETORNO EXIGIDO
2.10CUSTO DO CAPITAL 72
2.10.1 CUSTO DO CAPITAL DE TERCEIROS
2.10.2 CUSTO DO CAPITAL PRÓPRIO
2.10.3 CUSTO DO CAPITAL DO PROJETO
2.1ESTRUTURA DE CAPITAL: CONCEITOS BÁSICOS 7
2.1.1 ESTRUTURA ÓTIMA DE CAPITAL
2.1.2 MODIGLIANI E MILLER: PROPOSIÇÃO I
2.1.3MODIGLIANI E MILLER: PROPOSIÇÃO I I
2.1.4INTERPRETAÇÃO DAS PROPOSIÇÕES DE MODIGLIANI E MILLER
2.1.3IMPOSTOS
AVALIAÇÃO DE AÇÕES80
2.12.1 ÍNDICE PREÇO-LUCRO (P/L)
2.12.2 VALOR DAS AÇÕES
2.12.3PERPETUIDADES

2,13 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 86

Finanças Corporativas

1. Programa da disciplina

1.1 Ementa

Visão Panorâmica de Finanças Corporativas. O Papel e as Funções do Administrador Financeiro. Introdução à Análise de Risco. Mercado Eficiente e Mercado Perfeito. Fontes de Financiamento. Custo de Capital. Risco e Retorno. O Beta e o Modelo CAPM. Custo Médio Ponderado do Capital – CMPC. Ações e Dividendos. Critérios para Classificação de Projetos. Capital de Giro: Dimensionamento e Financiamento. Administração de Estoques. Financiamento da Necessidade de Capital de Giro.

1.2 Carga horária total 24 horas/aula

1.3 Objetivos

1.3.1 Proporcionar aos participantes uma visão abrangente e sistêmica das finanças corporativas, para servir de ponto de partida para estudos mais avançados sobre o assunto.

1.3.2 Transmitir aos participantes os fundamentos de finanças para auxiliar as tomadas de decisão empresariais.

1.3.3 Oferecer um quadro referencial que permita a imediata aplicação dos conceitos apresentados.

de estudos de casos práticos

1.3.4 Promover a troca de experiência entre o professor e os participantes, por meio

1.4 Conteúdo programático

Introdução. Lucro e Riqueza. Risco e Retorno. Fluxo de Caixa. Critérios para Classsificação de Investimentos e de Projetos: VPL, TIR e Payback Period. Análise Incremental. Análise de Risco e Incerteza. Modelo CAPM. Coeficiente Beta. Custo Médio Ponderado do Capital. Valor Econômico Agregado. Exercícios Propostos.

Finanças Corporativas

1.5 Metodologia Aulas expositivas, estudos de caso, trabalhos em grupo e debates.

1.6 Critérios de avaliação

O grau final da disciplina será composto por uma avaliação individual, sob a forma de prova, a ser aplicada após o término da disciplina, no valor de 10 (dez) pontos. A prova terá 4 (quatro) questões numéricas (1,5 pontos cada uma) e 4 (quatro) questões conceituais (1 ponto cada uma).

1.7 Bibliografia recomendada

ROSS, S. A., WESTERFIELD, R. W. e JAFFE, J. F., Administração Financeira: Corporate Finance, Editora Atlas, São Paulo, 1995.

BREALEY, R. A. e MYERS, S. C., Princípios de Finanças Empresariais, McGraw- Hill de Portugal, Lisboa, 1992.

ASSAF NETO, A., Mercado Financeiro, São Paulo, Editora Atlas, 1999.

ASSAF NETO, A., Matemática Financeira e suas Aplicações, Editora Atlas, São Paulo, 1994.

BRIGHAM, E. F., GAPENSKY, L. C. e EHRHARDT, M. C., Administração Financeira: Teoria e Prática, Editora Atlas, São Paulo, 2001.

DAMODARAN A., Avaliação de Investimentos: Ferramentas e Técnicas para a

Determinação do Valor de Qualquer Ativo, Qualitymark Editora, Rio de Janeiro, 1997.

YOUNG S. e O’BYRNE S., EVA e Gestão Baseada em Valor – Guia Prático para Implementação, Bookman Editora, Porto Alegre, 2003.

EHRBAR, A., EVA - Valor Econômico Agregado: A Verdadeira Chave para a Criação de Riqueza, Qualitymark Editora, Rio de Janeiro, 1999.

ABREU FILHO, J. C., GONÇALVES, D. A., PEREIRA, C. e CURY, M. V. Q., Finanças Corporativas, Editora FGV, Rio de Janeiro, 2003.

Finanças Corporativas

Curriculum resumido do professor

Marcus Vinicius Quintella Cury é Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPE/UFRJ, Mestre em Transportes pelo Instituto Militar de Engenharia - IME, Pós-Graduado em Administração Financeira pela Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas - EPGE/FGV e Engenheiro Civil pela Universidade Veiga de Almeida. Sua experiência profissional tem como referência a atuação como engenheiro na Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), de 1985 a 1993, nas áreas de via permanente, material rodante e custos ferroviários, e, de 1993 a 2000, e como chefe do Departamento de Controle Financeiro de Contratos desta empresa, na área de avaliação econômica de projetos, administração dos financiamentos do BIRD e no controle dos contratos comerciais. Anteriormente, atuou em consultoras privadas, tendo participado dos projetos das Ferrovias Carajás e do Aço e na construção do Metrô de Recife. Sua experiência acadêmica tem como destaque as atuações como professor dos cursos de pós-graduação da COPPE/UFRJ, IBMEC e IAG/PUC. Atualmente é professor de Avaliação de Projetos de Transportes do Mestrado em Transportes do IME e professor de Finanças Corporativas e Análise de Projetos da FGV Management, nos cursos de Pós-Graduação MBA, em todo o país. É diretor da MARVIN Consultoria e Treinamento Ltda, atuando como instrutor e consultor em avaliações econômica de projetos rodoviários e ferroviários e modelagens financeiras e operacionais, para as seguintes empresas e entidades: Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT / Universidade Federal Fluminense – UFF; Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos do Estado do Rio de Janeiro – ASEP-RJ / Fundação Ricardo Franco / IME; Petrobras; Thyssen Krupp – CSA; Transpetro; Belgo-Arcelor, ABIFER/SIMEFRE, entre outros. Autor de artigos e trabalhos em congressos, revistas e jornais no Brasil e no exterior e co-autor do livro Finanças Corporativas, editado pela FGV. Articulista do Jornal do Brasil – JB, do Rio de Janeiro.

Finanças Corporativas

2. Finanças Corporativas

2.1 Introdução

No desenvolvimento dos negócios de qualquer empresa, os seus administradores financeiros precisam obter respostas para três espécies de perguntas importantes: (a) Decisão de orçamento de capital: quais investimentos de longo prazo devem ser feitos pela empresa? (b) Decisão de financiamento: como devem ser levantados os recursos para financiar os investimentos exigidos? (c) Decisões de finanças de curto prazo: quais investimentos de curto prazo a empresa deve fazer e como devem ser financiados? (Ross et al, 1995)

A tarefa mais importante de um administrador financeiro é criar valor a partir das atividades de orçamento de capital, financiamento e liquidez da empresa, com base nos seguintes pontos: a empresa deve procurar comprar ativos que gerem mais dinheiro do que custam; e a empresa deve vender obrigações, ações e outros instrumentos financeiros que gerem mais dinheiro do que custam. Desta forma, a empresa deve gerar um fluxo de caixa maior do que o volume de recursos utilizados.

(Parte 1 de 10)

Comentários