Trauma Torácico

Trauma Torácico

Primeros Auxílios Traumatismo Torácico

Ariane Ziglio Ribeiro

Eva Adriana do Nascimento

Josiane Karina de Souza

Mayara Kawashima

ANATOMIA

Classificação:

Quanto ao Tipo de Lesão:

  • Aberto: São, grosso modo, os ferimentos causados por arma branca (FAB) e os por arma de fogo (FAF).

  • Fechado: São as contusões. O tipo mais comum dessa categoria de trauma é representado pelos acidentes automobilísticos.

Mecanismos de lesão

  • Trauma direto: a caixa torácica é golpeada por um objeto em movimento ou ela vai de encontro a uma estrutura fixa. Ex: acidentes automobilisticos

  • A parede torácica absorve o impacto e o transmite à víscera

ocorrem lesões bem delimitadas de costelas e mais raramente de esterno, coração e vasos.

  • Trauma por compressão: Muito comum em desmoronamentos, construção civil, escavações. Apresenta lesões mais difusas da caixa toracica.

  • No momento do choque, a energia de compressão faz com que aumente ainda mais essa pressão, provocando o rompimento do parênquima pulmonar e até de brônquios.

Traumas penetrantes :

Traumas penetrantes :

É o mecanismo mais comum de traumas abertos. Pode ser causado criminalmente ou acidentalmente por armas brancas, objetos pontiagudos, estilhaços de explosões, projéteis de arma de fogo.

As armas brancas provocam lesões mais retilíneas e previsíveis, pela baixa energia cinética. Já as armas de fogo causam lesões mais tortuosas, irregulares, sendo por isso mais graves e de mais difícil tratamento.

Avaliação Inicial das Lesões Traumáticas Torácicas

  • Vias aéreas – certificar a permeabilidade das vias aéreas e a orofaringe quanto a sua obstrução por corpos estranhos.

  • Respiração – Fazer uma rápida avaliação do tórax, verificando o padrão respiratório, através da amplitude dos movimentos torácicos, presença de movimentos paradoxais (afundamento torácico).

  • Circulação – pressão arterial do pulso, estase jugular e perfusão tecidual. Estes parâmetros são muito úteis para uma avaliação geral do sistema cárdiocirculatório.

Fraturas

  • São as mais comuns do tórax e a dor causada por elas dificulta a respiração, podendo levar ao acúmulo de secreção;

  • suas etiologias são o trauma direto e a compressão do tórax.

  • As fraturas da caixa torácica dividem-se:

-fraturas simples de costelas;

- fraturas de esterno.

Fraturas de costelas

  • É a mais comum das lesões, pode ser associada a pneumotórax ou hemotórax.

  • As fraturas dos últimos arcos costais podem se associar à lesão de fígado ou baço e, a lesão dos primeiros arcos se associam a traumas graves com possíveis lesões vasculares.

  • Particularidade do trauma pediátrico é que as crianças apresentam muito menos fraturas costais pela maior elasticidade dos ossos, e lesões internas por compressão podem ocorrer sem aparecimento de fraturas.

Diagnóstico

Diagnóstico

Dor e possível crepitação à palpação de ponto localizado(fraturado).

Conduta

*obs: enfaixamento torácico deve ser evitado, por ser pouco eficiente e por restringir a mobilização torácica, dificultando a fisioterapia e predispondo a infecções pulmonares.

Fraturas do Esterno

  • São lesões raras, mas de alta mortalidade, devido à ocorrência de lesões associadas, como: contusão cardíaca, ruptura traqueobrônquica, ferimentos musculares.

Principales complicaciones mediatas

-Pneumotorax :

- Aberto x Fechado

- Simples x Hipertensivo

-Hemotorax;

-Tamponamento cardiaco;

-Contusão Pulmonar;

-Lesão dos Grandes Vasos;

-Ruptura do Diafragma;

-Lesão das estruturas ocas:

- Esofágo;

- Taquea;

- Bronquios;

Ruptura do diafragma

  • Com a compressão do abdomen, o aumento da pressão intra abdominal pode ser suficiente para romper o diafragma

  • o conteúdo abdominal entra na cavidade toracica.

Alterações da Cavidade Pleural

  • Pneumotórax (PTX): É a presença de ar na cavidade pleural, podendo levar à compressão do parênquima pulmonar e insuficiência respiratória.

  • Pode-se seguir duas classificações para pneumotórax:

● Aberto x Fechado;

● Simples x Hipertensivo.

Pneumotórax Aberto

  • É caracterizado pelo contato do espaço pleural com o meio ambiente (solução de continuidade entre a cavidade e o meio externo).

Primeiros auxilios

  • Tamponamento imediato da lesão.

  • A fixação do curativo em apenas três lados produz um efeito de válvula.

Pneumotórax Simples

  • O pneumotórax simples tem sua etiologia baseada, principalmente, no trauma penetrante e na contusão torácica.

  • O tratamento é a drenagem pleural feita no segundo espaço intercostal (EIC), na linha axilar média (LAM), a fim de se evitar complicações como lesão de diafragma, fígado ou outros órgãos.

Pneumotórax Hipertensivo

  • Quando há um vazamento de ar para o espaço pleural por um sistema de "válvula unidirecional" (geralmente por fratura do arco costal).

Hemotórax

  • É a presença de sangue na cavidade pleural resultante de lesões do parênquima pulmonar, de vasos da parede torácica ou de grandes vasos como aorta, artéria subclávia, artéria pulmonar ou mesmo do coração.

Traumatismo Cardíaco

  • É o acumulo de sange no espaço pericardico;

  • O taponamento cardiaco é mais frequente devido a ferimentos com arma branca e arma de fogo.

  • Síntomas: com o aumento do sangue no espaço pericardico a frequencia cardiaca aumenta;

  • A pressão do pulso diminue e pode haver um pulso paradoxal.

  • Pressão venosa elevada, choque são os sinais clássicos de taponamento cardiaco, conhecido como tríade de Bech.

Contusão Pulmonar

  • A contusão pulmonar é a lesão torácica potencialmente letal. A insuficiência respiratória pode ser sutil e, inicialmente, passar despercebida e desenvolver-se depois de algum tempo.

Lesão dos Grandes Vasos

  • Ocorre acidentes altas velocidades ou quedas de alturas, 90% vitimas das vitmas de ruptura da aorta morrem no local.

  • Diagnostico

- desaceleração súbita nos doentes em que a lesão está tamponada, o exame físico não mostra alterações significativos.

Laceração traqueobrônquica

  • Traquea Cervical:

O mecanismo mais frequente é o trauma direto com contusão traqueal e ruptura, também a hiperetensão do pescoço nos impactos frontais podem lesar esta região.

  • Diagnostico

- Sinais externos de trauma cervical;

- Voz rouca;

- Crepitação dos anéis traqueais a palpação cervical.

  • Conduta

Restabelecer a perviabilidade das vias aéreas com entubação traqueal ou traqueostomia.

Traquéia torácica ou brônquios principais:

Traquéia torácica ou brônquios principais:

Pode resultar de compressão anteroposterior violenta do tórax ou de desaceleração súbita como nos impactos frontais ou nas quedas de grandes alturas. O local mais comum de lesão é na Carina ou no brônquio principal direito.

Conduta

Emergência: Se houver insuficiência respiratória ou perda aérea intensa pelo dreno pleural, realizar entubação seletiva contralateral.

Lesão esofágica

A lesão do esôfago é silenciosa na sua fase inicial, demonstra poucos sintomas, e as vezes nenhum. Não deve-se aguardar os sintomas para o diagnostico do ferimento esôfago torácico.

Na fase tardia (após 12 a 24 horas), quando não diagnosticado precocemente inicia-se a seqüência sintomática da lesão do esôfago, com mediastinite representada por dor e febre.

Taxa de incidencias :

Comentários