Planilha eletrônica no balanceamento de rações para animais

Planilha eletrônica no balanceamento de rações para animais

Sergio Esper Saliba

Fundação Parque Zoológico de São Paulo

Estrada do Jundiaquara, 3 – caixa postal 130 – CEP 18.190-990 – Araçoiaba da Serra-SP

O balanceamento de rações para animais silvestres é uma tarefa complicada para técnicos em

Zoologia, seja pela falta de informações sobre as exigências nutricionais de cada espécie, seja pela ausência no mercado, de programas específicos para este fim. Além disso, o número de zoológicos e outros criatórios é infinitamente menor que o de fazendas de criação de animais domésticos. O presente trabalho, realizado na Fazenda da Fundação Parque Zoológico de São Paulo, em Araçoiaba da Serra, SP, tem como objetivo formular uma ração que atenda às necessidades nutricionais de quatro espécies de animais silvestres por meio da planilha eletrônica Excel 97. Busca-se um melhor aproveitamento dos alimentos disponíveis na propriedade. Por meio desta planilha, com a introdução do número da ficha patrimonial do animal e da alimentação anteriormente oferecida, torna-se possível estabelecer, com o auxílio de tabelas de consulta interligadas, uma nova alimentação diferenciada para cada espécime, de acordo com sua categoria, sexo e peso, bem como determinar, de maneira direta, o custo final de sua alimentação diária e mensal. A planilha revela um grande número de informações resultantes, facilmente interpretadas pelo usuário.

Palavras-chave: Planilha eletrônica, nutrição, animais silvestres.

The balance of wild animal ration has been a complicated task for Zoo technologists, both for the lack of information about the nutritional demands of each species, and the lack of specific programs available in the market, since the number of zoos and other breeding areas are far smaller in relation to the number of raising farms of domestic animals. This work, accomplished at the Fundação Parque Zoológico de São Paulo Farm, in Araçoiaba da Serra, SP, aims at making a ration which will supply the nutritional needs of four wild animal species through the Excel 97 electronic flowchart, optimizing the foods available at the Zoo. Through this flowchart, with the introduction of the patrimonial file of the animal and of the food previously offered, with the help of interrelated consulting tables, it is possible to establish a new food differentiated for each specimen, according to its category, sex and weight, as well as to determine, in a direct way, the daily and monthly food final cost. The flowchart shows a high number of resulting information, easily interpreted by the user.

Key Words: Electronic flowchart, nutrition, wild animals.

A alimentação animal constitui-se em um dos fatores mais importantes em qualquer tipo de criação. A reprodução de animais silvestres, muitos deles em extinção, ou simplesmente ameaçados de extinção, é altamente influenciada por fatores sanitários e, principalmente, nutricionais. O grande número de espécies existentes em zoológicos faz com que o balanceamento de rações seja uma tarefa complicada para técnicos ligados à área de Zoologia (biólogos, agrônomos, zootecnistas e veterinários), pois cada uma delas necessita de uma alimentação diferenciada das demais, em função das suas exigências nutricionais.

Pesquisas relacionadas com exigências nutricionais de animais silvestres ainda são restritas a somente algumas espécies. Normalmente, no balanceamento de rações para espécies não pesquisadas, adaptações são feitas a partir de tabelas de animais domésticos já conhecidas. No mercado não há registros de programas específicos para nutrição de animais silvestres, uma vez o número de zoológicos e outros criatórios ser infinitamente menor em relação ao número de fazendas de criação de animais domésticos, consideradas as consumidoras em potencial dos mesmos.

Quando os zoológicos recebem animais, muitas vezes do exterior, acostumados com uma alimentação baseada nos alimentos existentes em seu local de origem, torna-se necessária uma readaptação procurando estabelecer um sistema de alimentação adequado às condições bioeconômicas locais. Buscando um melhor aproveitamento dos alimentos disponíveis na fazenda da Fundação Parque Zoológico de São Paulo, em Araçoiaba da Serra, SP, foi desenvolvida uma planilha com o objetivo de formular uma ração que atenda as necessidades nutricionais de quatro espécies de animais silvestres alojados na propriedade: Zebra Damara (Equus burchelli antiquorum), Grande Kudu (Tragelaphus stepsiceros), Oryx (Oryx gazella) e Waterbuck (Kobus e.ellipsiprymnus). Através deste trabalho será analisada a funcionalidade da planilha em estabelecer uma nova alimentação diferenciada para cada espécime da fazenda, de acordo com sua categoria, sexo e peso, bem como seu custo diário e mensal.

Para a elaboração deste trabalho foi utilizada a planilha eletrônica Microsoft Excel 97, formada por uma planilha principal, constituída por 64 linhas e 12 colunas. Nesta planilha há 6 tabelas que mostram informações gerais sobre o animal escolhido, informações sobre suas exigências nutricionais diárias, distribuição dos alimentos disponíveis, composição nutricional dos alimentos, verificação nutricional da alimentação oferecida e o custo final da alimentação, além de dois gráficos revelando a composição final da ração e a composição dos custos da alimentação.

Anexo à planilha principal se encontram as tabelas de consulta, responsáveis pelo fornecimento de todos os dados necessários para os cálculos automáticos realizados na planilha principal. Entre elas estão a ficha técnica dos animais, exigências nutricionais dos animais divididos por espécie, categoria, sexo e peso, composição média de alimentos volumosos e concentrados, composição da ração peletizada para herbívoros e valor unitário dos alimentos.

Para teste da planilha, será analisada a alimentação, e o seu custo, de um exemplar adulto de

Grande Kudu, sexo masculino, por ser considerado um dos animais mais importantes do Programa de Reprodução Animal existente na fazenda da Fundação.

Ao se digitar a ficha patrimonial do animal na parte superior da planilha, informações como nome vulgar, nome científico, ordem, família, categoria, sexo, peso, período de vida, gestação e o recinto em que se encontra alojado, já apareceram automaticamente na tela, facilitando ao usuário os trabalhos de classificação do espécime e localização do mesmo dentro do criatório.

nome vulgar:GRANDE KUDU Ordem: ARTIODACTYLA

nome científico: Tragelaphus strepsiceros família: BOVIDAE

Categoria sexo peso (kg) período de vida: 19 anos ficha: 2.547 animal adulto m 200 gestação: 9 meses recinto: B-1

FIGURA 1: Tabela da planilha: informações gerais sobre o animal.

A partir de adaptações feitas em tabelas de exigências nutricionais de cavalos e bovinos de corte, aliadas com resultados de alguns trabalhos, foram elaboradas novas tabelas para equídeos e bovídeos silvestres, respectivamente. A partir destas, informações sobre as necessidades do animal pesquisado, como quantidade de volumosos necessária, matéria seca (M.S.), proteína total (P.T.), nitrogênio digestíveis totais (N.D.T.), energia digestível (E.D.), energia metabolizável para ruminantes (E.M.r.), cálcio, fósforo e caroteno, são mostradas com clareza.

Cálculos automáticos, feitos a partir da introdução da alimentação anteriormente oferecida, possibilitaram verificar facilmente se a mesma supria as exigências nutricionais do animal em questão. Através de tentativas simuladas com a adição ou remoção de um determinado alimento, ou alteração nas quantidades oferecidas, chegou-se a um balanceamento de ração que satisfez suas necessidades.

O custo final da alimentação foi feito de maneira rápida e automática, garantindo uma visualização instantânea dos totais diário e mensal, a medida em que foram inserindo ou retirando alimentos da ração até se obter o balanceamento final.

Com a introdução de produtos de baixo custo e boa qualidade nutricional, como silagem de milho, e, ao mesmo tempo, a retirada de outros de valor maior, como ração para herbívoros, obteve-se um barateamento da ração sem alterar as propriedades nutricionais da alimentação.

vol. M.S. P.T. N.D.T. E.D. E.M.r. cálcio fósforo caroteno kg kg g kg kcal kcal g g mg alimentação 2,0 5,173 592,2 5,987 4776,05240,8 31,6 19,8 72,0 Exigências 16,0 5,200 586,0 3,190 1406,01186,0 20,0 13,0 51,0

FIGURA 2: Tabela da planilha: verificação da alimentação oferecida.

O uso de planilhas eletrônicas no balanceamento de rações para animais silvestres pode satisfazer a grande maioria das necessidades básicas de informação dos técnicos em Zoologia ligados à área de nutrição animal. Desde que sejam feitos alguns ajustes e adaptações, a planilha em estudo terá condições de atender a um grande número de espécies.

Apesar da limitação nos tamanhos preestabelecidos de linhas e colunas, a planilha principal foi bem postada, aglutinando e revelando importantes e fundamentais informações resultantes, facilmente interpretadas pelo usuário.

ANDRIGUETTO, J.A. (1982) Nutrição animal. As bases e fundamentos da nutrição animal. Os alimentos. Nobel, São Paulo.

ASSIS, A.G. (1986) Alimentação de vacas leiteiras. EMBRAPA-CNPGL, Coronel Pacheco. CAMPOS, J. (1981) Tabelas para cálculo de rações. UFV - Departamento de Zootecnia, Viçosa.

KLEINMAN,D., ALLEN,M., THOMPSON,K., LUMPKIN,S.(1996) Wild mammals in captivity, principles and techniques.The University of Chicago Press, Chicago.

Sergio Esper Saliba é Engenheiro Agrônomo e Chefe da Divisão de Anexo Rural da Fundação Parque Zoológico de São Paulo.

Comentários