Fundamentos de metodologia científica

Fundamentos de metodologia científica

Etimologia:

  • Etimologia:

  • Ciência vem da palavra latina scientia, que significa conhecimento.

  • É a atividade que propõe a aquisição

  • sistemática de conhecimentos sobre a

  • natureza biológica, social e tecnológica

  • com a finalidade de melhoria da qualidade

  • de vida, intelectual e material

Forma especial de conhecimento [...] conhecimento racional, metódico e sistemático, capaz de ser submetido à verificação.” (BARROS; LEHFELD, 2000, p. 3)

  • Forma especial de conhecimento [...] conhecimento racional, metódico e sistemático, capaz de ser submetido à verificação.” (BARROS; LEHFELD, 2000, p. 3)

  • Ciências são pensamentos exatos que procuram por meio dos conhecimentos específicos explicarem, provar e compreender a realidade através dos fatos. Sendo assim suas descobertas perecíveis ao tempo em que se relata, o que a faz ser atualizada a cada nova pesquisa.

  • Melhoria da qualidade de vida material

  • Melhoria da qualidade de vida intelectual

  • Novas descobertas

  • Novos produtos

  • Melhoria da qualidade de vida

O conhecimento científico nunca é absoluto ou final, pode ser sempre modificado ou substituído;

  • O conhecimento científico nunca é absoluto ou final, pode ser sempre modificado ou substituído;

  • A exatidão sobre um conhecimento nunca é obtida integralmente, mas sim, através de modelos sucessivamente mais próximos;

  • Um conhecimento é válido até que novas observações e experimentações o substituam.

Pura ou Formais: O desenvolvimento de Teorias

  • Pura ou Formais: O desenvolvimento de Teorias

    • Aplicada: A aplicação das teorias às necessidades humanas
  • São divididos em: Matemática e Lógica

  • Ex. O teorema de Pitágoras é uma Teoria pura, que é aplicada na Matemática, onde o utilizamos em vários cálculos.

  • Factuais: Fatos acontecidos, História...

  • São dividos em:

  • Naturais e Sociais

Natural: O estudo da natureza ou mundo natural

  • Natural: O estudo da natureza ou mundo natural

  • Ex. Biologia, Química, Física, Geologia...

    • Biológicas: Estudo do ser humano e dos fenômenos da natureza
    • Ex. Medicina, Enfermagem, Odontologia...
  • Social: O estudo do comportamento humano e da sociedade

  • Ex. História, Sociologia, Ciências Políticas...

    • Humanas: Estudo social e comportamental do ser humano
    • Ex. Direito, Filosofia, Letras...

  • PARE ENTENDER O QUE É CIÊNCIA, FAZ-SE NESCESSÁRIO SABER O QUE CONHECIMENTO...

A grosso modo é a BUSCA PELA VERDADE

  • A grosso modo é a BUSCA PELA VERDADE

  • É tudo que adquirimos e absorvemos pelas maneiras de aprendizagem, estes podem ser adquiridos ao decorrer da vida ou através de estudos específicos.

Conhecimento Vulgar ou Senso Comum,

  • Conhecimento Vulgar ou Senso Comum,

  • Conhecimento Filosófico,

  • Conhecimento Teológico,

  • Conhecimento Cientifico.

  • Estes levam o homem a estar defronte com sua realidade através de mitos, fé, pensamentos filosóficos e científicos.

  • Esse tipo de conhecimento é também chamado de popular e caracteriza-se pela sua centralidade na prática e nas experiências vivenciadas em grupo, na comunidade e em outras instâncias sociais. Não necessita de comprovação de origem, acerca de vivências, estados de ânimo e emoções da vida diária, por isso é sensitivo e subjetivo, parte do próprio sujeito que organiza suas experiências e conhecimentos.

Saber Imediato - nível mais elementar do conhecimento baseado em observações ingênuas da realidade. Está freqüentemente ligado à resolução de problemas práticos do quotidiano.

  • Saber Imediato - nível mais elementar do conhecimento baseado em observações ingênuas da realidade. Está freqüentemente ligado à resolução de problemas práticos do quotidiano.

  • Saber Subjetivo - construído com base em experiências subjetivas. É o próprio sujeito que organiza as experiências e conhecimentos. Por vivência própria ou "por ouvir dizer"; o sujeito exprime sentimentos e opiniões individuais e de grupos, variando de uma pessoa para outra, ou de um grupo para outro, dependendo das condições em que vivemos.

Saber heterogêneo - resulta de sucessivas acumulações de dados provenientes da experiência, sem qualquer seletividade, coerência ou método. Trata-se de uma forma de saber ligado ao processo de socialização dos indivíduos, sendo muito evidente a influência das tradições e idéias feitas transmitidas de geração em geração.  Refere-se a fatos que julgamos diferentes, porque os percebemos como diversos entre si.

  • Saber heterogêneo - resulta de sucessivas acumulações de dados provenientes da experiência, sem qualquer seletividade, coerência ou método. Trata-se de uma forma de saber ligado ao processo de socialização dos indivíduos, sendo muito evidente a influência das tradições e idéias feitas transmitidas de geração em geração.  Refere-se a fatos que julgamos diferentes, porque os percebemos como diversos entre si.

  • Saber Não Crítico - conhecimento que não permite generalização. 

É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos.

  • É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos.

  • Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.

É a forma de conhecimento caracterizada pela reflexão racional e pelo foco na lógica. O estudo filosófico tem a intenção de ampliar a compreensão da realidade, no sentido de apreendê-la na sua amplitude, buscando conceitos, definições e classificações.

  • É a forma de conhecimento caracterizada pela reflexão racional e pelo foco na lógica. O estudo filosófico tem a intenção de ampliar a compreensão da realidade, no sentido de apreendê-la na sua amplitude, buscando conceitos, definições e classificações.

  • O filósofo está sempre pensando e avaliando a justiça, a correção e todos os valores considerados universais. Ele não tem um objeto de estudo único. Ele investiga e questiona profundamente o ser, a sua natureza, sua essência e seu fim.

Como a ciência não sacia todos os anseios do homem em relação ao universo já que todos os fatos e perguntas tem que ser provados, o homem busca respostas na filosofia que o leva a fazer meditações sobre os fatos gerais do principio de sua existência.

  • Como a ciência não sacia todos os anseios do homem em relação ao universo já que todos os fatos e perguntas tem que ser provados, o homem busca respostas na filosofia que o leva a fazer meditações sobre os fatos gerais do principio de sua existência.

  • o objeto de análise da filosofia são idéias

É o conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa.

  • É o conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa.

  • Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo.

  • Apoia-se em doutrinas que contêm proposições sagradas, valorativas, por terem sido reveladas pelo sobrenatural e, por esse motivo, tais verdades são consideradas infalíveis, indiscutíveis e exatas.

É um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado, finalidade e destino) como obra de um criador divino. Suas evidências não são verificadas. Está sempre implícita uma atitude de fé perante um conhecimento revelado.

  • É um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado, finalidade e destino) como obra de um criador divino. Suas evidências não são verificadas. Está sempre implícita uma atitude de fé perante um conhecimento revelado.

É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica.

  • É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica.

  • É real e factual, pois lida com ocorrências e fatos, isto é, toda forma de existência que se manifesta de algum modo.

Suas proposições ou hipóteses têm a sua veracidade ou falsidade conhecida através da experimentação e não pela razão, como ocorre no conhecimento filosófico.

  • Suas proposições ou hipóteses têm a sua veracidade ou falsidade conhecida através da experimentação e não pela razão, como ocorre no conhecimento filosófico.

  • É sistemático e verificável, formando um sistema de idéias (teoria) e não de conhecimentos dispersos e desconexos, as hipóteses que não podem ser comprovadas não pertencem ao âmbito da ciência. Contudo é considerado falível, em virtude de não ser definitivo, absoluto ou final.

  • Os conhecimentos científicos são produzidos a partir de PESQUISA.

  • A pesquisa, por sua vez, tem que ser embasada. Não se pode defender uma tese a partir do “eu acho”.

  • Existe um rigor na produção desse conhecimento que deve ser baseado em dados e informações, as quais muitas vezes não estão à disposição do público ou que nunca antes foram coletados.

Os fatos ou objetos científicos não são dados empíricos (senso comum) espontâneos de nossa experiência cotidiana, mas são construídos pelo trabalho da investigação científica. Esta é um conjunto de atividades intelectuais, experimentais e técnicas, realizadas com base em métodos que permitem e garantem:

  • Os fatos ou objetos científicos não são dados empíricos (senso comum) espontâneos de nossa experiência cotidiana, mas são construídos pelo trabalho da investigação científica. Esta é um conjunto de atividades intelectuais, experimentais e técnicas, realizadas com base em métodos que permitem e garantem:

separar os elementos subjetivos e objetivos de um fenômeno;

  • separar os elementos subjetivos e objetivos de um fenômeno;

  • construir o fenômeno como um objeto do conhecimento, controlável, verificável, interpretável e capaz de ser retificado e corrigido

  • demonstrar e provar os resultados obtidos durante a investigação, a demonstração é feita para verificar a validade dos resultados e para prever racionalmente novos fatos como efeitos dos já estudados;

  • relacionar um fato isolado com outros fatos, integrando-o numa explicação racional unificada (fato explicado por uma teoria)

  • formular uma teoria geral sobre o conjunto dos fenômenos observados e dos fatos investigados, isto é, formular um conjunto sistemático de conceitos que expliquem e interpretem as causas e os efeitos, as relações de dependência, identidade e diferença entre todos os objetos que constituem o campo investigado.

A ciência é conhecimento que resulta de um trabalho racional construído com base no estudo dos fenômenos através de métodos. São eles:

  • A ciência é conhecimento que resulta de um trabalho racional construído com base no estudo dos fenômenos através de métodos. São eles:

  • A observação racional e controlada dos fenômenos;

  • A interpretação e explicação ou hipótese adequada dos fenômenos;

  • A verificação dos fenômenos ou experimento, positivados pela experimentação e observação;

  • A fundamentação dos princípios de generalização ou o estabelecimento dos princípios  e das leis;

A observação e a formulação de hipóteses ocorrem de maneira unificada e acompanham todo o processo científico.

  • A observação e a formulação de hipóteses ocorrem de maneira unificada e acompanham todo o processo científico.

  • No início dos trabalhos de pesquisa você possui apenas a observação e a hipótese.

  • Não existem explicações precisas sobre como surge a idéia de se pesquisar algo.

Geralmente, o cientista inicia uma pesquisa tentando articular o conhecimento teórico que aprendeu em sala de aula ou estudando por conta própria a um problema prático do cotidiano e/ou a objetos que ainda não foram estudados em sua área de conhecimento.

  • Geralmente, o cientista inicia uma pesquisa tentando articular o conhecimento teórico que aprendeu em sala de aula ou estudando por conta própria a um problema prático do cotidiano e/ou a objetos que ainda não foram estudados em sua área de conhecimento.

  • Ao mesmo tempo em que se cruzam essa observação do campo teórico e a realidade que se vive e que pode estudar, surgem as hipóteses.

A experimentação seria a parte “prática” da pesquisa.

  • A experimentação seria a parte “prática” da pesquisa.

  • O experimento permite ao cientista:

    • Verificar os fenômenos dentro de situações por ele criadas.
    • Repetição, ou seja, verificar o mesmo fenômeno várias vezes.
    • Isolar partes e simplificar fenômenos do objeto observado.
    • Por isso permite que exista uma investigação mais rigorosa.

Se os experimentos não confirmam as hipóteses levantadas é necessário ao cientista abandoná-las ou então formular outras hipóteses passíveis de verificação.

  • Se os experimentos não confirmam as hipóteses levantadas é necessário ao cientista abandoná-las ou então formular outras hipóteses passíveis de verificação.

  • Se os experimentos confirmarem as hipóteses teremos então a GENERALIZAÇÃO dos resultados

A generalização é, portanto, o resultado de uma pesquisa.

  • A generalização é, portanto, o resultado de uma pesquisa.

  • Ao final de uma investigação científica, uma vez confirmada uma hipótese, o cientista a transforma em uma nova teoria ou lei.

  • Por que isso acontece?

    • Porque o caráter impreciso da hipótese foi superado por meio do experimento.
    • O experimento, nesse caso, forneceu o embasamento necessário a uma formulação científica.
    • Superou-se o “eu acho” pelo “isto é ou pode ser assim”.

Isto significa que os resultados de uma pesquisa são inquestionáveis?

  • Isto significa que os resultados de uma pesquisa são inquestionáveis?

    • NÃO.
  • O conhecimento científico é embasado e rigoroso, porém, não é A VERDADE ABSOLUTA DOS FATOS.

  • Novas pesquisas podem “jogar por terra” os resultados alcançados.

  • Outros métodos de experimentação, aparelhos e novos conhecimentos podem demonstrar limites ou até mesmo “erros” e “falhas” na pesquisa realizada e na teoria dela elaborada.

Muitas “falhas” ou mesmo “limites” de uma pesquisa podem ser percebidos durante seu processo de feitura e assim ser superados antes de sua conclusão.

  • Muitas “falhas” ou mesmo “limites” de uma pesquisa podem ser percebidos durante seu processo de feitura e assim ser superados antes de sua conclusão.

  • Porém, é preciso lembrar que não existe conhecimento perfeito.

  • É por isso que se diz que a ciência possui um caráter PROVISÓRIO.

  • Mesmo possuindo limites, toda pesquisa auxilia no desenvolvimento científico e de novas pesquisas.

  • FIM

Comentários