História 2 - ceesvo - ensino fundamental

História 2 - ceesvo - ensino fundamental

(Parte 1 de 5)

Para facilitar seus estudos:

Leia atentamente os módulos e se achar necessário responda NO CADERNO as atividades propostas. Elas não são obrigatórias.

Consulte o dicionário sempre que não souber o significado das palavras. Se necessário, utilize o volume da biblioteca.

Se você tiver dúvidas com a matéria, consulte uma das professoras na sala de História.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO1

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

Você já leu algo a respeito de enormes castelos com pontes movediças para protegêlos de invasores? Castelos habitados por reis, princesas, condes, marqueses, barões e muitos outros nobres?

Nas leituras você certamente ficou sabendo como se realizavam as batalhas, geralmente para defender a honra dos senhores, donos das terras (senhores feudais).

Isso tudo diz respeito a um período da história da Europa chamado Medieval, ou Idade Média.

Os castelos existem até hoje em muitos países europeus, mas o modo de vida das pessoas mudou completamente.

O Brasil não teve as características da época medieval, porque a

América passou por uma evolução sócio-econômico-cultural diferenciada da Europa.

Ao compreender a história medieval, você entenderá melhor o processo histórico desenvolvido entre o período do século V ao XV, na Europa.

Você aprendeu que no século XVI, o mundo conhecido dos europeus se limitava à Europa, Oriente Médio e África.

Nessa época, a América ainda não era conhecida dos europeus, e a Europa era por eles considerada o centro do mundo.

Mas, como era a vida na Europa medieval?

Se você morasse na Europa no período medieval, viveria num mundo povoado por reis, nobres (senhores feudais) e sacerdotes morando em castelos, e por servos morando em pequenas aldeias e em propriedades coletivas situadas em volta dos castelos.

O período medieval estendeu-se do século IV ao XV.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO2

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

Os germanos foram o principal e mais numeroso grupo a invadir o Império Romano. Dividiam-se em subgrupos: anglos, saxões, lombardos, francos, bretões entre outros. Foram tão importantes para a formação da Europa atual que muitos lugares têm até hoje, nomes originários dos grupos que os ocuparam: os bárbaros francos, por exemplo, formaram a atual França.

Os romanos chamavam de

BÁRBAROS todos os povos que viviam fora de seu território e não tinham cultura romana, ou seja, não falavam latim nem possuíam os mesmos costumes e tradições que os romanos.

Durante séculos, o Império Romano dominou grande parte da Europa. Uma poderosa estrutura administrativa, com exércitos e estradas que interligavam todo o território, possibilitou aos romanos impor às populações dessa parte do continente seu domínio, seu modo de vida e seus costumes.

A partir do século I, esse cenário começaria a se alterar, quando diversos povos de origem germânica, eslava e, posteriormente, árabe, invadiram a parte ocidental da Europa iniciando um novo modo de vida com características e particularidades próprias.

No início, essas invasões foram realizadas pacificamente, mas com o tempo tomaram-se violentas, o que gerou destruição e insegurança em várias áreas da Europa.

O que você faria se as cidades vizinhas a

Votorantim fossem invadidas e chegasse a nossa cidade a notícia de que seríamos os próximos a sofrer pilhagens, saques e todo tipo de violência e não tivéssemos como nos defender?

Veja o que aconteceu na Europa na Idade Média, durante a invasão dos bárbaros.

Algumas populações dominadas pelos romanos receberam bem os povos invasores, porque eles representavam a libertação da exploração romana.

Entretanto, alguns resistiram e outros se refugiaram nos campos procurando proteção nas grandes propriedades rurais.

Os povos invasores após pilharem as cidades, se dirigiram aos campos provocando destruição e mudanças que foram estruturando um novo tipo de vida na Europa. Esse novo tipo de vida contendo características do mundo romano e do modo de viver dos invasores, é chamado de feudalismo.

Feudalismo: sistema político, econômico, social e cultural que vigorou na Europa Ocidental durante a Idade Média.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO3

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

E quais são as características do feudalismo?

A política no feudalismo

A Europa ficou dividida em reinos, mas os reis não tinham muito poder, pois esses reinos eram divididos em grandes extensões de terras, chamados feudos. O domínio no feudo era exercido pelo senhor feudal, que possuía poder absoluto dentro dele.

Observe a representação a seguir. Ela mostra as partes de um feudo.

O feudo era o domínio do senhor feudal e era a unidade básica de produção. Nele havia:

o castelo: onde morava o senhor feudal. a vila ou aldeia: onde moravam os servos. as terras: onde os servos trabalhavam.

Observe as características políticas que predominam nos países da atualidade, incluindo o Brasil:

1. A maioria adota a forma republicana, ou seja, é governada por presidentes ou primeiros-ministros. 2. A maioria desses países é organizada sob a forma de Estados regidos por constituições que estabeleceram normas econômicas, políticas e sociais. 3. O poder na maioria desses Estados divide-se em poder executivo, poder legislativo e poder judiciário.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO4

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

A Sociedade no feudalismo

No feudalismo, a sociedade era dividida em estamentos, ou seja, as pessoas permaneciam desde o nascimento até à morte, numa mesma posição dentro da sociedade.

Observe a pirâmide da sociedade feudal:

A sociedade era dividida em: clero, nobres e servos e não permitia a mobilidade social, isto é, não havia possibilidade da pessoa mudar sua situação social; quem nascia servo, jamais poderia deixar de sê-lo.

Os vilões eram camponeses livres, geralmente descendentes de pequenos proprietários romanos que, não podendo defender suas terras, entregavam-nas a um senhor em troca de proteção.

pode ou não mudar de uma classe social para outra

Você mora num país dividido em classes sociais, onde uma pessoa

A pirâmide social do Brasil é constituída das seguintes classes sociais:

ELITE: grandes proprietários de terras, grandes empresários e banqueiros. CAMADA INTERMEDIÁRIA: profissionais liberais, pequenos empresários e pequenos proprietários rurais. CAMADAS POPULARES: assalariados, sem-terra, sem-teto e trabalhadores autônomos.

OBSERVAÇÃO: Nas camadas intermediária e popular existem atualmente milhões de desempregados.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO5

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

Como era a vida nos feudos?

Os nobres viviam caçando, participavam de torneios e guerreavam; o clero, além de possuir 2/3 das terras da Europa feudal, cuidava da vida religiosa e influenciava o poder político nos feudos.

Nessa sociedade, o senhor feudal, em sua propriedade (feudo), concentrava toda a administração e a justiça. A maior parte da sociedade era composta pelos servos.

E a vida do servo? Como era?

Os servos trabalhavam devendo obrigações aos seus senhores (nobres). Viviam em condições precárias de subsistência. Embora pudessem usar um pedaço de terra, bem pouco daquilo que produziam ficava para o sustento da família, pois grande parte da produção era entregue a seus senhores e à Igreja sob forma de tributos (impostos). (A Igreja também aumentou seus domínios graças ao dízimo, taxa de 10% sobre a produção dos fiéis).

“A sociedade feudal era um mundo predominantemente masculino. Em teoria, as mulheres eram consideradas inferiores aos homens; na prática, estavam sujeitas à autoridade masculina. Os pais promoviam os casamentos das filhas. As moças de famílias aristocráticas (ricas) eram casadas geralmente aos 16 anos, ou ainda mais jovens, com homens muito mais velhos; as jovens que não se casavam tinham de entrar para um convento. A mulher do senhor estava à mercê do marido; se o aborrecesse, podia ser espancada. Mas a senhora do castelo desempenhava funções importantes. Distribuía tarefas aos criados, preparava remédios, preservava alimentos, ensinava às jovens costurar, tecer e fiar, e, apesar de sua posição subordinada, era responsável pelo castelo na ausência do marido. Embora a Igreja ensinasse que homens e mulheres eram preciosos aos olhos de Deus e que o casamento era um rito sagrado, alguns religiosos viam as mulheres como agentes do demônio, sedutoras malignas que, como a Eva da Bíblia, levavam os homens ao pecado.” (Marvin Perry e outros. Civilização ocidental, uma história concisa, p.191)

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO6

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

Então o servo era como o escravo?

Como o servo necessitava da proteção oferecida pelo senhor feudal, ele tinha a obrigação de permanecer e trabalhar na terra desse senhor, mas apesar do servo estar ligado à terra, não podia ser vendido; o servo não era propriedade do seu senhor, diferente do escravo que era vendido porque era propriedade do dono.

Anote em seu caderno:

O feudalismo implicava em muitas injustiças e sofrimentos para os que estavam na base da pirâmide social.

Para pagar tantos impostos, quase sempre as colheitas não bastavam. Por outro lado, as comunicações e transportes eram difíceis, obrigando os camponeses a longas jornadas de trabalho para conseguirem produzir no próprio feudo tudo que precisavam, desde o pão e as vestes até as próprias ferramentas. A terra, cansada, também produzia pouco, exigindo maior dedicação. Assim, da primavera ao outono, a vida do homem do campo era um contínuo trabalhar de sol a sol. Nesses afazeres, participava toda uma grande família, que ia dos pais e filhos até parentes próximos e amigos, todos obedecendo ao mesmo senhor feudal. As casas, construídas por eles mesmos, eram simples, de madeira, barro e palha; eram pequenas e muitas vezes abrigavam também os animais de pequeno porte junto com as pessoas. As únicas paradas nessa luta cotidiana eram as festas religiosas. Além de explorados no trabalho, os camponeses eram pouco considerados pelos nobres e pelo clero, que os viam como grosseiros, de inteligência limitada, apropriados para os duros trabalhos da terra.

Extraído de: “História Dinâmica” – Bruna R. Cantele - IBEP

Responda em seu caderno:

01. Com base no texto acima, você nota muita diferença entre o camponês feudal e os bóias-frias de hoje? Explique.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO7

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série Catedral de Worms (Alemanha)

A cultura está desvinculada da religião.

A Economia feudal

No feudalismo, com a fuga da população da cidade para o campo, a principal fonte de subsistência passou a ser a agricultura. Praticamente, não havia comércio e sim troca de produtos dentro de cada feudo. Assim, os feudos eram auto-suficientes, quer dizer, produzia-se e trocava-se dentro de cada um deles tudo o que sua população precisava. Nesse período, por conseqüência, o dinheiro praticamente desapareceu.

Durante a Idade Média, produzia-se na terra quase todas as mercadorias de que se necessitava e, por isso, somente a terra era o indicativo de poder de quem a possuía.

As características econômicas do feudalismo influenciaram fortemente a política. A quase inexistência do comércio e o fato de as moedas não circularem impediram que o rei, ou qualquer outro tipo de governante, arrecadasse impostos. E se não há arrecadação de impostos, é impossível construir um exército; se não existe exército, não há poder coercitivo (que impõem limites; repressivo) que faça alguém se sentir obrigado a obedecer ao rei.

Cultura medieval

No período medieval, a insegurança, o medo, o caos econômico provocou o aparecimento de um forte espírito de religiosidade. Vivendo num mundo de incertezas, miséria e guerras, o homem medieval buscava na Igreja uma esperança.

A Igreja Católica determinava o modo de viver e de pensar das pessoas, impondo regras tidas como verdades absolutas, utilizava a ignorância da população para garantir o seu poder e dissolver a insegurança, mantendo a ordem imposta pela classe dominante.

A economia do Brasil está baseada na produção, industrialização e comercialização de produtos, que podem ser de importação ou exportação. Então, a economia do Brasil, está inserida na globalização, fazendo parte de grandes mercados internacionais, como exemplo, o Mercosul.

A maioria das pessoas vive na zona urbana, usufruindo dessa economia de consumo.

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO8

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

E por que a população dessa época era ignorante?

A vida era miserável, a exploração era intensa e a falta de escolas impedia o acesso ao saber que era restrito ao clero.

Portanto, a Igreja se apossava dos novos conhecimentos científicos, reprimindo a reformulação do que era conhecido na Antigüidade; com isso mantinha somente entre os seus membros o acesso aos conhecimentos que eram produzidos.

Impondo normas religiosas e de conduta (confissão obrigatória, dízimo, penitências, batismo, lealdade aos senhores, pagamento de impostos, etc...), a Igreja vinculava o cumprimento dessas normas como condição para o indivíduo alcançar o “reino do céu”.

Mantendo o povo na ignorância, a

Igreja dominava não só espiritualmente, pois impunha também regras de moral e conduta às pessoas, mas também materialmente já que a Igreja detinha grande parte das terras da Europa Ocidental, o que lhe dava imenso poder de dominação.

O Império Romano do Ocidente sofreu contínuas invasões dos chamados povos bárbaros. Guerras contínuas provocaram a destruição de cidades e a população buscou refúgio nos campos. Gradativamente, costumes romanos e germânicos foram se mesclando dando origem ao feudalismo. O feudalismo implicou numa descentralização do poder político nas mãos da nobreza, numa economia agrícola de subsistência, numa sociedade fechada, sem mobilidade social, inteiramente dominada pela Igreja Católica, que legitimava o sistema feudal.

Responda em seu caderno:

02. Explique o que você entendeu por mobilidade social. 03. Observe as semelhanças que existem entre os povos que viveram na Idade Medieval e os povos da atualidade, através da afirmativa: O feudalismo “implicava em muitas injustiças e sofrimentos para os que estavam na base da pirâmide social.” 04. Descreva como era o sistema econômico da época medieval.

Monge copista

CEESVOCEESVOCEESVOCEESVO9

HISTÓRIA - Ensino Fundamental - 6ª série

Durante a Idade Média, a maior parte da população da Europa ocidental vivia no campo. Como vimos, isso acabou gerando a diminuição da atividade comercial e das cidades. Apenas com as Cruzadas, a partir do século XI, é que essa realidade começou a se transformar.

Mas o que foram essas Cruzadas?

Os lugares sagrados do cristianismo, como a região do Santo Sepulcro, em Jerusalém, e outras regiões da Palestina, estavam em poder dos muçulmanos. A vontade de reconquistar esses lugares levou o papa Urbano I, em 1095, a fazer um grande apelo à cristandade ocidental, para que movesse uma guerra santa contra os povos muçulmanos.

Atendendo aos apelos do papa, os cristãos organizaram expedições militares que receberam o nome de Cruzadas.

Além da motivação religiosa, a organização das cruzadas teve outras causas, como o espírito guerreiro dos nobres feudais e a necessidade econômica de retomar importantes cidades comerciais que estavam em poder dos muçulmanos.

De 1096 a 1270, os cristãos europeus organizaram oito cruzadas. Cada uma teve suas próprias características, deixando conseqüências marcantes na política e na economia da Idade Média.

Entre as principais conseqüências do movimento das cruzadas, podemos destacar:

(Parte 1 de 5)

Comentários