thaisa universo escuro 2009

thaisa universo escuro 2009

O Lado Escuro do Universo

Thaisa Storchi Bergmann

Departamento de Astronomia, Instituto de Física, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil

Em 400 anos Telescópio de Galileu (lente 4cm)

Telescópio Espacial Hubble (2.4m)

Telescópio Gemini (8m)

O Conteúdo do Universo

O Universo que conhecemos: planetas, estrelas, galáxias

Tamanhos no Universo

Nosso endereço no Universo

O Universo que não conhecemos: A matéria escura

O Universo que não conhecemos: A energia escura O Passado e o Futuro do Universo

O que descobrimos em 400 anos?

“Conteúdo do Universo”

Não conhecemos natureza da matéria e energia escuras, ou seja, de 96%do Universo!

Elementos pesados 0,03%

Neutrinos 0,3%

Hidrogênio e Hélio livres 3.2%

Matéria escura 26%

Energia escura 70%

O Universo que conhecemos: o Sistema Solar Planetas extra-solares: já foram descobertos mais de 300

O Universo que conhecemos: as estrelas

•Existem cerca de 100 bilhões de estrelas na nossa galáxia

•Existem cerca de 100 bilhões de galáxias no Universo

•Existem 1022estrelas no Universo

O Universo que conhecemos: as nebulosas

Berçário de estrelas Nebulosa Planetária:

fim da vida de uma estrela como o Sol

Explosão de supernova: fim da vida de uma estrela massiva -> formação de estrelas de neutrons e buracos negros

O Universo que conhecemos: as galáxias

Galáxias são formadas por bilhões de estrelas e por nuvens de gás e poeira. Maioria tem buraco negro supermassivo no seu centro

Rádio-galáxia Centauro A: um buraco negro supermassivo em ação - jatos

O Universo que conhecemos: os aglomerados de galáxias

Aglomerados de galáxias contêm milhares de galáxias, mas maior quantidade de massa visível está na forma de gás quente que emite em raios-X (satélite Chandra)

O Universo que conhecemos: as galáxias mais distantes

O Campo ultra-profundo do Hubble (Telescópio Espacial): o telescópio ficou vários dias apontando para uma região “vazia” do céu –imagens de galáxias na infância do Universo quando tinha menos de 10% da sua idade.

As distâncias astronômicas

Ano-Luz(a.l. –distância que a luz viaja em um ano): 300.0 km/s x 365,25 dias/ano x 24 horas/dia x 3600s/hora = 9,5x1012km= 9,5 trilhões de km

•A Terra está a 8 minutos-luz do Sol •Plutão está a 5 horas-luz do Sol

•A estrela mais próxima está a 4 anos-luz do Sol

•Diâmetro da Via Láctea é de 100 0 anos-luz

•Andrômeda está a 3 0 0 de anos-luz

•Aglomerados de galáxias distantes: bilhões de anos-luz

•Galáxias mais distantes: 10 bilhões de anos-luz

Nosso endereço no Universo: Nosso endereço no Universo:

Viagem até o Aglomerado de Virgem

•O Aglomerado de

Virgem: 60 milhões de anos-luz: maior concentração de massa do Universo Local.

•2000 galáxias; centro do superaglomerado local que contém o Grupo Local que está sendo atraído por ele. No seu centro: galáxia ativa M87, uma gigante elíptica.

Matéria Escura: evidência observacional (1) –movimento de rotação das estrelas nas galáxias

Estrelas nas bordas externas das galáxias têm velocidades orbitais maiores do que pode ser explicado pela massa interna da galáxia: V2=GM/R (rotação Kepleriana). É preciso mais massa!

Fonte: Cosmos, SAO

Matéria Escura: onde se encontra

Halo de matéria escura, com massa 6 vezes maior do que a da matéria bariônica (a que conhecemos).

Matéria escura

Matéria bariônica

Matéria Escura: evidência observacional (2) –movimento das galáxias em aglomerados

Ex.: Aglomerado de Coma. Velocidade orbital das galáxias é maior do que a esperada se a massa fosse só devido às galáxias observadas + gás -> é necessário 6 vezes mais matéria, que não é visível

Matéria Escura: evidência observacional (3) –lentes gravitacionais

Massa do aglomerado distorce e amplifica imagens de galáxias mais distantes (arcos nas imagens). Geometria dos arcos permite calcular massa do aglomerado, que resulta 6 vezes maior do que a massa visível.

Exemplos de

Lentes gravitacionais

Fonte: The internet Encyclopedia of Science

Matéria Escura: natureza

„Bullet cluster”: colisão de dois aglomerados de galáxias

Luz vermelha:gás (que emite raios-X) Luz azul: distribuição de matéria escura obtida pelo método de lentes gravitacionais. Enquanto o gás (matéria bariônica) se retarda pela interação, a matéria escura não interage sugerindo natureza diferente da matéria bariônica (WIMPS?)

Expansão do Universo: grande revolução na física e astronomia, Universo não é estático e imutável

Lei de Hubble: Velocidade das galáxias é proporcional à sua distânciaInterpretação: Universo está em expansão -> teoria do

Big Bang

Até 1998 acreditávamos que a expansão estivesse se desacelerando..

Analogia: objeto lançado desde a superfície da Terra: se desacelera devido à atração gravitacional da Terra

Expansão deveria se desacelerar pela atração gravitacional da massa do Universo.

Destino do Universo dependeria da quantidade de massa: se muito grande -> recolapso; se muito pequena -> expansão para sempre, mas sempre desacelerada

Em 1998, uma nova revolução:supernovas distante mais débeis do que esperado pela sua distância aceleração da expansão do Universo

Expansão acelerada: é preciso uma energia que aja contra a gravidade para acelerar a expansão: a Energia Escura

Natureza da energia escura ainda não é conhecida. Proposta: energia do vácuo; à medida que o Universo expande, vai aumentando sua contribuição.

Evolução do Universo a partir dos dados do WMAP

Além das supernovas, radiação cósmica de fundo também indica a presença de energia escura

O “Cabo de Guerra” entre a matéria (escura+bariônica) e a energia escura

O Futuro do Universo depende dos seus componentes

Observações atuais :

matéria bariônica mais escura: Ωm=0.3

energia escura ΩV=0.7

expansão cada vez mais rápida

Possíveis futuros para o Universo:

Mais observações sendo propostas para mapear a evolução da contribuição da energia escura na expansão do Universo

Atividades do Ano Internacional da Astronomia

Observações noturnas no pátio da Usina do Gasômetro 28-29 de Março, 18:30 hs. Luzes de monumentos apagadas.

100 horas de astronomia: 2-5 de Abril (semana de Porto Alegre): observações na Usina Gasômetro e Planetário/UFRGS

Exposição no Museu da UFRGS: Julho 2009

Observações no Observatório Central da UFRGS: 3as. e 5as. à noite, agendar no telefone: 3308 3352

Reunião da União Astronômica Internacional no Rio de Janeiro: 3-14 de Agosto

Endereço eletrônico RS: http://www.ufpel.edu.br/aia2009/index.html

Comentários