(Parte 1 de 7)

Curso de

Voleibol: Iniciação e Formação de Equipes

Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para este Programa de Educação Continuada, é proibida qualquer forma de comercialização do mesmo. Os créditos do conteúdo aqui contido são dados aos seus respectivos autores descritos na Referência Consultada.

112 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores

6. Voleibol na educação física escolar

O ensino tradicional da educação física é pautado na prática, sistematizada ou fracionada, das principais modalidades desportivas. As atividades contempladas variam de acordo com a região, obedecendo às questões estruturais, culturais, logísticas e de interesse da escola e dos escolares.

O voleibol é atualmente uma das atividades mais requisitadas no desenvolvimento das aulas de educação física nas escolas. A grande popularidade atingida pela modalidade fez com que a sua prática fosse intensificada, atraindo uma maior atenção dos alunos.

(BARROSO e DARIDO, 2006)

Uma boa parte das crianças e adolescentes só tem acesso à prática de alguma modalidade desportiva nas aulas de educação física escolar. Assim, entendemos que o voleibol no contexto escolar deve ser explorado não só no quesito procedimental, mas também nos aspectos conceituais e atitudinais. O aluno deve aprender além dos movimentos específicos. È interessante que o aluno tenha acesso às informações históricas da modalidade, suas alterações e a forma como isso ocorreu em nosso País, principalmente se levarmos em conta o papel que o voleibol hoje desempenha na sociedade brasileira, devido aos resultados alcançados nas mais diferentes competições

De acordo com Krug (2005), a fase de desenvolvimento de movimentos relacionados com o esporte tem seu início por volta dos oito anos de idade. Estes movimentos devem servir como uma ferramenta para combinar e refinar as habilidades fundamentais, que já foram trabalhadas em um período anterior e precisam ser estimuladas.

O mesmo autor propõe uma divisão, demonstrando como pode ocorrer a interação entre as os diferentes tipos de habilidade promovida pela prática do voleibol (QUADRO 1).

113 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores

Quadro 1: Movimentos fundamentais relacionados com os movimentos especializados no voleibol.

Rebater sem implemento Saque por cima, Cortada, Saque por baixo, Manchete Volear Toque, Levantamento Lançar Saque por cima, Cortada LOCOMOTORES Deslocamentos Movimentos laterais na posição Corrida Para frente / Para trás / Diagonal Salto Vertical Cortada Bloqueio ESTABILIZANTES

Movimentos Axiais Encontrados no jogo em geral, como Flexão, torcer, virar, estender, deslizar;

Equilíbrio Dinâmico Mudanças rápidas em velocidade, níveis e direção.

Quadro 1. Retirado de Krug, 2005.

O desenvolvimento dessas habilidades deve acontecer de uma forma lúdica, através de atividades que façam com que a criança tenha prazer na prática da modalidade e se sinta atraída para conhecer mais a fundo as questões inerentes ao desporto.

Desta forma, o voleibol escolar pode ser um elemento massificador da prática do esporte, à medida que oferece oportunidades a um número de alunos que não consegue ser atingido em nenhum outro programa de iniciação. Embora não seja o objetivo

114 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores principal, o surgimento de valores que possam se tornar futuros jogadores de voleibol pode vir a reboque, sendo o voleibol escolar uma via em dois sentidos.

6.1 O voleibol e a interdisciplinaridade

Como pode o voleibol auxiliar na formação escolar global do aluno?

Há possibilidade de transferência dos valores conquistados no voleibol para o conteúdo das outras disciplinas?

Um planejamento adequado, partindo do conhecimento e do bom senso dos profissionais envolvidos pode fazer com que respondamos positivamente as duas perguntas acima. O conjunto de valores proporcionados pela prática do voleibol pode enriquecer o conhecimento geral do aluno. Essa prática a qual nos referimos não precisa ser, necessariamente, competitiva.

O voleibol é um desporto onde os aspectos cognitivos são extremamente importantes. Como visto durante toda essa obra, o entendimento do que se faz é tão ou mais importante do que puramente saber fazer. Assim, o voleibol pode auxiliar o aluno na resolução de problemas do cotidiano escolar, através de exemplos e situações vividas no desporto que são similares aquelas encontradas na sala de aula.

O espírito coletivo indispensável para quem pratica voleibol é outro elemento que pode ser usado positivamente no contexto da sala de aula. Quem joga voleibol aprende que para obter sucesso nas ações esportivas é preciso a colaboração direta e indireta dos companheiros de equipe, não sendo possível na modalidade ganhar sozinho.

Este tópico julgamos ser primordial para o aqui exposto. É comum que cada aluno tenha suas facilidades e dificuldades próprias, em relação ao entendimento das disciplinas. Assim, o aluno A é melhor em matemática, o aluno B tem maior facilidade em português; enquanto o aluno C se sai melhor em ciências. Analogamente, no jogo de

115 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores voleibol determinado jogador tem um melhor desempenho na recepção; outro no levantamento; o seguinte no ataque.

Quando conseguimos aproveitar o máximo dessas características individuais em prol da equipe, teremos certamente um time melhor. Da mesma forma, se conseguirmos que o aluno que tenha maior facilidade em determinada disciplina consiga agregar valores de seu colega que é mais proficiente em outra; e a este facilitar na aprendizagem do conteúdo que mais domina, acreditamos que estaremos ajudando a proporcionar um melhor aprendizado.

Sendo assim, entendemos que a prática do voleibol escolar auxiliará no desempenho escolar, pois ajudará no desenvolvimento de aspectos básicos de sua formação, como o cognitivo, psicomotor e afetivo, proporcionando condições de se tornar uma criança mais independente, crítica e consciente.

Neste sentido, o esporte pode atuar como importante ferramenta de inclusão social, além de ajudar na formação de valores, como a sociabilidade, auto-estima, autocontrole, respeito e companheirismo, entre outros.

6.2. Planejamento do voleibol escolar

De acordo com a realidade da educação física escolar, sabemos o quanto é difícil estabelecermos um planejamento, e mais ainda conseguir cumpri-lo e obter resultados satisfatórios. Porém é nosso dever enquanto profissionais buscarmos meios de reverter esse quadro e tornar a educação física escolar prazerosa, não só para nossos alunos, como também para a nossa atuação.

O voleibol pode ser trabalhado na educação física escolar de duas formas: nas aulas curriculares ou como treinamento específico, fora do horário das aulas.

Para fins didáticos, a abordagem que aqui será feita vai ser dividida em duas situações: Um planejamento voltado para toda a passagem do aluno no 2º. Segmento do ensino fundamental e um planejamento específico para um bimestre.

116 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores

6.2.1 Planejamento para o 2º. Segmento do ensino fundamental

Ao falarmos em 2º. Segmento do ensino fundamental estamos nos referindo ao período compreendido entre o 6º. e o 9º. Ano de ensino, conforme é estabelecido pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases).

Estamos admitindo aqui uma situação em que o aluno teve acesso no 1º.

Segmento as condições necessárias para o desenvolvimento das suas capacidades motoras básicas, pré-requisito fundamental para obtenção de êxito esta etapa.

A proposta apresentada está baseada em nossa experiência profissional e nas condições encontradas na região que trabalhamos. Portanto, pode servir como referencial, não devendo, entretanto, ser copiado sem os devidos ajuste a realidade de cada um.

6º. Ano 1º. Bimestre:

• Aplicação dos deslocamentos ao voleibol • Aprendizado das posições de expectativa

• Aprendizado do toque e suas variações

• Aprendizado da manchete e suas variações

• Exercícios simples conjugado de toque com manchete

• Aprendizado do saque por baixo

2º. Bimestre:

• Educativos de deslocamento e posição de expectativa • Educativos de toque e manchete

117 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores

• Aprendizado das regras elementares do jogo • Aprendizado da recepção do saque

(Parte 1 de 7)

Comentários