PCN - Geografia e Histórial. ivro05

PCN - Geografia e Histórial. ivro05

(Parte 1 de 7)

Secretaria de Educação Fundamental Iara Glória Areias Prado

Departamento de Política da Educação Fundamental Virgínia Zélia de Azevedo Rebeis Farha

Coordenação-Geral de Estudos e Pesquisas da Educação Fundamental Maria Inês Laranjeira

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS (1ª A 4ª SÉRIE)

Volume 1 - Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais Volume 2 - Língua Portuguesa Volume 3 - Matemática Volume 4 - Ciências Naturais Volume 5 - História e Geografia Volume 6 - Arte Volume 7 - Educação Física Volume 8 - Apresentação dos Temas Transversais e Ética Volume 9 - Meio Ambiente e Saúde Volume 10 - Pluralidade Cultural e Orientação Sexual

B823pBrasil. Secretaria de Educação Fundamental.

Parâmetros curriculares nacionais : história, geografia

/ Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1997. 166p.

1. Parâmetros curriculares nacionais. 2. História :

Ensino de primeira à quarta série. I. 3. Geografia : Ensino de primeira à quarta série. I. Título.

CDU: 371.214

Brasília 1997

É com alegria que colocamos em suas mãos os Parâmetros Curriculares Nacionais referentes às quatro primeiras séries da Educação Fundamental.

Nosso objetivo é auxiliá-lo na execução de seu trabalho, compartilhando seu esforço diário de fazer com que as crianças dominem os conhecimentos de que necessitam para crescerem como cidadãos plenamente reconhecidos e conscientes de seu papel em nossa sociedade.

Sabemos que isto só será alcançado se oferecermos à criança brasileira pleno acesso aos recursos culturais relevantes para a conquista de sua cidadania. Tais recursos incluem tanto os domínios do saber tradicionalmente presentes no trabalho escolar quanto as preocupações contemporâneas com o meio am- biente, com a saúde, com a sexualidade e com as questões éticas relativas à igualdade de direitos, à dignidade do ser humano e à solidariedade.

Nesse sentido, o propósito do Ministério da Educação e do Desporto, ao consolidar os Parâmetros, é apontar metas de qualidade que ajudem o aluno a enfrentar o mundo atual como cidadão participativo, reflexivo e autônomo, conhecedor de seus direitos e deveres.

Para fazer chegar os Parâmetros à sua casa um longo caminho foi percorrido. Muitos participaram dessa jornada, orgulhosos e honrados de poder contribuir para a melhoria da qualidade do Ensino Fundamental. Esta soma de esforços permitiu que eles fossem produzidos no contexto das discussões peda- gógicas mais atuais. Foram elaborados de modo a servir de referencial para o seu trabalho, respeitando a sua concepção pedagógica própria e a pluralidade cultural brasileira. Note que eles são abertos e flexíveis, podendo ser adaptados à realidade de cada região. Estamos certos de que os Parâmetros serão instrumento útil no apoio às discussões pedagógicas em sua escola, na elaboração de projetos educativos, no planejamento das aulas, na reflexão sobre a prática educativa e na análise do material didático. E esperamos, por meio deles, estar contribuindo para a sua atualização profissional — um direito seu e, afinal, um dever do Estado.

Paulo Renato Souza Ministro da Educação e do Desporto

Os Parâmetros Curriculares Nacionais indicam como objetivos do ensino fundamental que os alunos sejam capazes de:

•compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito;

•posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas;

•conhecer características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao País;

•conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais;

•perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente, identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamente para a melhoria do meio ambiente;

•desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança na busca de conhecimento e no exercício da cidadania;

•conhecer e cuidar do próprio corpo, valorizando e adotando hábitos saudáveis como um dos aspectos básicos da qualidade de vida e agindo com responsabilidade em relação à sua saúde e à saúde coletiva;

•utilizar as diferentes linguagens — verbal, matemática, gráfica, plástica e corporal — como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias, interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação;

•saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos;

•questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolvê- los, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação.

Os quadrinhos não-sombreados correspondem aos itens que serão trabalhados nos Parâmetros Curriculares Nacionais de quinta a oitava série.

Apresentação15

HISTÓRIA 1ª PARTE

Caracterização da área de História19
A História no ensino fundamental19
Entre a História Sagrada e a História Profana19
Civilização e nacionalismo21
Da História aos Estudos Sociais24
O retorno da História e da Geografia27
O conhecimento histórico: características e importância social30
Aprender e ensinar História no ensino fundamental35
Objetivos gerais de História para o ensino fundamental41
Conteúdos de História: critérios de seleção e organização43
Primeiro ciclo49
Ensino e aprendizagem de História no primeiro ciclo49
Objetivos de História para o primeiro ciclo50
Conteúdos de História para o primeiro ciclo51
Eixo temático: História local e do cotidiano51
A localidade53
Comunidade indígena5
Conteúdos comuns às temáticas históricas57
Critérios de avaliação de História para o primeiro ciclo58
Segundo ciclo61
Ensino e aprendizagem de História no segundo ciclo61
Objetivos de História para o segundo ciclo62
Conteúdos de História para o segundo ciclo63
Eixo temático: História das organizações populacionais63
Deslocamentos populacionais67
Organizações e lutas de grupos sociais e étnicos69
Organizações políticas e administrações urbanas69
Organização histórica e temporal71
Conteúdos comuns às temáticas históricas72
Critérios de avaliação de História para o segundo ciclo73
Orientações didáticas75
Orientações didáticas gerais75
Problematizações7
Trabalho com documentos78
Trabalho com leitura e interpretação de fontes bibliográficas81
O tempo no estudo da História83
O tempo cronológico84
O tempo da duração85
Ritmos de tempo86
Recursos didáticos87
Atividades com o tempo87
Estudos do meio89

2ª PARTE

Apresentação9
Caracterização da área de Geografia103
Geografia no ensino fundamental103
Conhecimento geográfico: características e importância social109

1ª PARTE Aprender e ensinar Geografia no ensino fundamental................................115

Critérios de seleção e organização dos conteúdos de Geografia123
Primeiro ciclo127
Ensino e aprendizagem de Geografia no primeiro ciclo127
Objetivos de Geografia para o primeiro ciclo130
Blocos temáticos e conteúdos: o estudo da paisagem local131
Tudo é natureza132
Conservando o ambiente133
Transformando a natureza: diferentes paisagens133
O lugar e a paisagem134
Critérios de avaliação de Geografia para o primeiro ciclo136

2ª PARTE Segundo ciclo

Ensino e aprendizagem de Geografia no segundo ciclo139
Objetivos de Geografia para o segundo ciclo143
suas características e relações145
O papel das tecnologias na construção de paisagens urbanas e rurais145
Informação, comunicação e interação146
Distâncias e velocidades no mundo urbano e no mundo rural147
Urbano e rural: modos de vida147
Critérios de avaliação de Geografia para o segundo ciclo150
Orientações didáticas153
Leitura da paisagem153
Descrição e observação155
Explicação e interação155
Territorialidade e extensão156
Analogia157
A representação do espaço no estudo da Geografia157

Blocos temáticos e conteúdos: as paisagens urbanas e rurais,

Bibliografia História ..................................................................................................................161

A proposta de História, para o ensino fundamental, foi concebida para proporcionar refle- xões e debates sobre a importância dessa área curricular na formação dos estudantes, como referências aos educadores, na busca de práticas que estimulem e incentivem o desejo pelo conhecimento. O texto apresenta princípios, conceitos e orientações para atividades que possibilitem aos alunos a realização de leituras críticas dos espaços, das culturas e das histórias do seu cotidiano.

O documento está organizado em duas partes. Cada uma delas pode ser consultada de acordo com o interesse mais imediato: aprofundamento teórico, definição de objetivos amplos, discernimento das particularidades da área, sugestões de práticas, possibilidades de recursos didáticos, entre outros. Mas recomenda-se a leitura na íntegra para uma visão abrangente da área.

Na primeira parte, analisam-se algumas concepções curriculares elaboradas para o ensino de História no Brasil e apontam-se as características, a importância, os princípios e os conceitos pertinentes ao saber histórico escolar. Também estão explicitados os objetivos gerais da área para o ensino fundamental. São eles que sintetizam as intencionalidades das escolhas conceituais, metodológicas e de conteúdos, delineados na proposta.

Na segunda parte, são apresentados os eixos temáticos para as primeiras quatro séries e os critérios que fundamentam as suas escolhas. São discutidas, ainda, as articulações dos conteúdos de História com os Temas Transversais. A seguir, encontram-se os princípios de ensino, os objetivos, os eixos temáticos e os critérios de avaliação propostos. Os conteúdos são apresentados de modo a tornar possível recriá-los, considerando a realidade local e/ou questões sociais contemporâneas.

As orientações didáticas destacam pontos importantes da prática de ensino e da relação dos alunos com o conhecimento histórico, que ajudam o professor na criação e avaliação de atividades no dia-a-dia.

Secretaria de Educação Fundamental

HISTÓRIAHISTÓRIA 1ª PARTE

A História no ensino fundamental

A partir da constituição do Estado brasileiro a História tem sido um conteúdo constante do currículo da escola elementar. O Decreto das Escolas de Primeiras Letras, de 1827, a primeira lei sobre a instrução nacional do Império do Brasil, estabelecia que “os professores ensinariam a ler, a escrever, as quatro operações de aritmética (...), a gramática da língua nacional, os princípios de moral cristã e de doutrina da religião católica e apostólica romana, proporcionadas à compreensão dos meninos; preferindo, para o ensino da leitura, a Constituição do Império e História do Brasil”.

O texto do decreto revelava que a escola elementar destinava-se a fornecer conhecimentos políticos rudimentares e uma formação moral cristã à população. A História a ser ensinada compreendia História Civil articulada à História Sagrada; enquanto esta utilizava-se do conhecimento histórico como catequese, um instrumento de aprender a moral cristã, aquela o utilizava para pretextos cívicos.

As propostas vigentes no ensino não distinguiam as idéias morais e religiosas das histórias políticas dos

Estados, nem dos costumes dos povos. No período do Império prevaleceu a presença do ensino religioso no currículo escolar das escolas de primeiras letras e no nível secundário, visando dar legitimidade à aliança estabelecida entre o Estado e a Igreja.

Apesar das intenções legislativas, a História aparecia como disciplina optativa do currículo nos programas das escolas elementares. Os planos de estudos das escolas elementares das províncias que as criaram, na maioria das vezes, instituíam “noções de geografia e de história, principalmente, a nacional” como disciplinas “permitidas” pelas autoridades e consideradas facultativas ao ensino elementar.

A constituição da História como disciplina escolar autônoma ocorreu apenas em 1837, com a criação do Colégio Pedro I, o primeiro colégio secundário do País, que apesar de público era pago e destinado às elites. Como a regulamentação da disciplina seguiu o modelo francês, a História Universal acabou predominando no currículo, mas se manteve a História Sagrada.

(Parte 1 de 7)

Comentários