Balança comercial do pescado 2009

Balança comercial do pescado 2009

(Parte 1 de 2)

Coordenação-Geral de Comercialização e

Promoção Comercial Ministério da Pesca e Aquicultura

1. Introdução

O presente estudo, traz informações sobre o comércio de pescado, é uma análise comparada da balança comercial brasileira de pescado entre os anos de 2008 e 2009.

Vale ressaltar que para fins analíticos, considera-se genericamente “pescado” como o capítulo 03 do Sistema Harmonizado, ainda que haja, marginalmente, derivados de pescados posicionados em capítulos diversos, como os produtos enlatados presentes no capítulo 16.

Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)

Para a análise do mercado são utilizados, prioritariamente, dados do Ministério do

2. Balança Comercial do Pescado de 2009

equivalente a 30 mil toneladas

No acumulado de 2009 as exportações brasileiras totalizaram US$ 169 milhões, o Para as importações o total foi de US$ 688 milhões equivalendo a 230 mil toneladas.

Exportações Importações Saldo Período US$ Kg US$ Kg US$ Kg

FONTE: MDIC (formulação própria)
FONTE: MDIC (formulação própria)

Exportações Importações Superávit/Déficit

A análise da balança comercial do pescado nos último anos evidencia a tendência de déficts comerciais que se processa desde 2006, após cinco anos seguidos de superávits (2001 a 2005). Esta tendência decorre de uma conjugação de fatores:

aumento das importações de pescado no período, diminuição das exportações do pescado brasileiro, que foi afetado principalmente pela amplitude da variação do câmbio no período e produção ainda insuficiente.

Analisando a balança comercial mensalmente é notada o aumento de importações na época da semana santa e no período das festas de fim de ano. Os meses em que a a balança registra aumento das exportações é verão no hemisfério norte e época em que as feiras internacionais são realizadas.

Balança Comercial de Pescado 2009

US$ ( M i l h õe

Preço M édio ( U S $ /K

FONTE: MDIC (formulação própria)

Exportação (US$-FOB)Importação (US$-FOB)Preço Médio ExportaçãoPreço Médio Importação

secos/ salgados e moluscos

Por categoria de produtos é notado que o Brasil é exportador de peixes ornamentais, filés frescos e crustáceos. O país é importador de produtos de consumo com peixes frescos, congelados,

Acumulado de 2009/Categoria de Produtos

Exportação Importação Superávit / Déficit Categoria

Kg U$ Kg U$ Kg U$

Vivos 96.680 7.107.812,0 8.537 179.814,0 8.143 6.927.998,0

Frescos 4.707.174 21.437.607,0 3.988.315 144.143.943,0 -29.281.141 -122.706.36,0 Filés frescos 537.4 4.225.136,0 319.486 2.522.973,0 217.958 1.702.163,0

Secos 174.3533.389.507,0 38.175.240 214.318.216,0 -38.0.887 -210.928.709,0

Congelados 14.556.243 45.545.825,0 153.425.792 317.940.568,0 -138.869.549 -272.394.743,0 Crustáceos 8.798.124 82.565.917,0 1.388 710.334,0 8.686.736 81.855.583,0 Moluscos 1.210.062 5.066.311,0 4.144.933 8.768.708,0 -2.934.871 -3.702.397,0

TOTAL 30.080.080 169.338.115,0 230.173.691 688.584.556,0 FONTE: MDIC (formulação própria)

2.1. Exportações brasileiras

Em 2009, a exportação de pescado somou US$ 169.338.115, sendo que somente a exportação de crustáceos alcançou US$ 83 milhões, ou seja, 49 % do total, seguida de peixes congelados, US$ 46 milhões (27%) e peixes frescos, US$ 21 milhões (13%)

Comparado ao ano de 2008, quando as exportações totalizaram US$ 239 milhões, as exportações de 2009 registraram queda de 30%, em volume a queda foi menor 18% em comparação a 2008, que totalizou 36,8 mil toneladas.

O preço médio dos produtos em 2009 foi de US$ 5,65/Kg comparando ao mesmo período de 2008 houve uma queda de 13%, já que nesse ano o preço médio foi de US$ 6,50/Kg.

Em valor, a principal categoria exportada foi a de Crustáceos com US$ 83 milhões, ou seja, 49 % do total, seguida de peixes congelados, US$ 46 milhões (27%) e peixes frescos, US$ 21 milhões (13%)

Exportações por categorias de produtos - % do valor total US$

4% 3% 2% 2% Crustáceos Congelados

Frescos Vivos Moluscos Filés frescos Secos

FONTE: MDIC (formulação própria)

Em Volume exportado, o período totalizou 30 mil toneladas, contrariando o gráfico anterior, o destaque é a categoria de congelados com 14 mil toneladas (48%), crustáceos com 9 mil toneladas (29%) e os peixes frescos com 5 mil toneladas (16%).

Exportações por categorias de produtos - % do valor total Toneladas

Congelados Crustáceos Frescos Moluscos Filés frescos Secos Vivos

FONTE: MDIC (formulação própria) Comparando as exportações nos perídos de 2008 e 2009 nota-se a queda dos

volumes exportados das 7 categorias

Dentre estes produtos destacam-se os “Peixes Vivos” que tiveram queda de 26% do volume porém aumento em dólar de 25%. Houve aumento do preço médio da mercadoria de 69%, de US$ 4/Kg para US$ 74/Kg.

médio foi 1%, de US$1/ Kg para US$ 9 / Kg em 2009

Outra categoria que merece atenção é a dos “Crustáceos” houve uma queda de 43% nos valores exportados e o volume foi 36% inferior a 2008. A queda do preço

Esta retração do mercado internacional é justificada pela crise financeira mundial que teve fortes conseqüências em países como Estados Unidos e países membros do Bloco Comum Europeu, causando aumento da taxa de desemprego, diminuindo a confiança do consumidor e causando mudanças no perfil do consumidor mundial. Pesquisas têm demonstrado que muitos consumidores europeus e americanos relataram que continuarão a mudar para produtos mais baratos mesmo quando as condições econômicas melhorarem.

A supervalorização cambial da moeda brasileira tem causado forte impacto sobre as relações comerciais das empresas brasileiras, não só no pescado mas em toda a industria nacional com perfil exportador, causando diversas fusões, fechamentos e concentração regionais por atividade.

Exportações por Produtos 2008 2009 ∆ Produtos

Kg U$ Kg U$ Kg U$

Vivos 131.166 5.697.735,0 96.680 7.107.812,0 -26% 25%

Frescos 5.629.062 25.354.819,0 4.707.174 21.437.607,0 -16% -15% Filés frescos 1.095.910 8.077.253,0 537.4 4.225.136,0 -51% -48%

Congelados 14.637.280 45.465.731,0 14.556.243 45.545.825,0 -1% 0% Secos 185.133 3.951.425,0 174.353 3.389.507,0 -6% -14% Crustáceos 13.649.935 144.121.255,0 8.798.124 82.565.917,0 -36% -43% Moluscos 1.538.323 6.860.068,0 1.210.062 5.066.311,0 -21% -26%

FONTE: MDIC (formulação própria)

TOTAL 36.866.809 239.528.286,0 30.080.080 169.338.115,0 -18% -29%

Os preços médios dos demais produtos foram de US$ 5/Kg para “Frescos”, US$ 8/Kg para “Filés frescos”, US$ 3/Kg para “Congelados”, US$ 19/Kg para “Secos” e US$ 4/Kg para “Moluscos”.

Preço Médio - U$/KgProdutos 2008 2009 ∆

Vivos 43,4 73,52 69% Frescos 4,50 4,5 1% Filés frescos 7,37 7,86 7% Congelados 3,1 3,13 1% Secos 21,34 19,4 -9% Crustáceos 10,56 9,38 -1%

FONTE: MDIC (formulação própria)

Moluscos 4,46 4,19 -6%

Destinos das Exportações

Comparando os dados de 2008 e 2009, há um claro decréscimo das exportações para os cinco principais mercados consumidores de pescado brasileiro, quais sejam, Estados Unidos, França, Espanha, Japão e Reino Unido.

O maior recuo das exportações verificado foi na Espanha, que importou em US$ 4% menos em 2009, ou seja, US$ 10,9 milhões o equivalente a 537 toneladas, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Em volume a maior queda foi a do Japão 49% em relação ao ano anterior, representando 407 toneladas.

Principais Destinos das Exportações 2009

2009 % do total Países US$ Kg US$ Kg

Estados Unidos 71.01.160,0 7.064.308 42 23 França 28.812.323,0 6.312.693 17 21 Espanha 13.896.788,0 4.243.421 8 14 Japão 7.036.634,0 424.532 4 1 Coréia do Sul 5.514.955,0 2.014.145 3 7 Reino Unido 5.436.589,0 1.389.269 3 5 China 4.576.084,0 876.338 3 3 Portugal 4.138.348,0 1.024.447 2 3

FONTE: MDIC (formulação própria)

Itália 3.602.032,0 391.371 2 1 Principais Destinos das Exportações

Estados Unidos

França Espanha Japão Reino

Unido

Portugal China Coréia do

Sul Italia i l h õ e s)

FONTE: MDIC (formulação própria)

Principais Produtos Exportados Lagosta

As exportações de lagosta em 2009 renderam U$ 51,8 milhões para as empresas brasileiras, registrando uma queda de 40% nas receitas geradas, quando comparado com os U$ 86,5 milhões registrados em 2008. Em termos de volume de peso vivo de lagosta as exportações representaram o comércio de 6 mil toneladas, 15% abaixo do volume de 7 mil toneladas de 2008.

As caudas de lagosta foram responsáveis pela receita de U$ 50,4 milhões, 97% dos rendimentos totais das categorias de lagostas e representadas por 1,9 mil toneladas exportadas ou 5,9 mil toneladas de peso vivo.

Exportações Brasileiras de Lagosta 2008 2009 ∆ Produtos Kg U$ Kg U$ Kg U$

Caudas Congeladas 2.336.809 81.462.240,0 1.986.648 50.438.254,0 -15% -38%

Inteiras Congeladas 244.092 4.738.581,0 103.248 1.20.528,0 -58% -75% Lagostas Não congeladas 10.947 311.455,0 6.435 157.426,0 -41% -49%

FONTE: MDIC (formulação própria)

TOTAL 86.512.276,0 51.796.208,0 -40%

Com 1,8 mil toneladas de caudas de lagostas importadas, os Estados Unidos continuam a ser o principal importador da lagosta brasileira. Representando em 2009, 93% do destino do produto brasileiro. O Japão, em 2009, foi o segundo principal importador, que embora tenha apresentado uma leve queda no volume importado, registrou uma retração das receitas geradas na ordem de 40%. Em 2008 foram 57 toneladas ou U$ 2,2 milhões enquanto que em 2009 foram 51 toneladas equivalentes a U$ 1,3 milhão. O mercado francês perdeu o posto de segundo principal mercado da cauda de lagosta, apresentando retração de 68% de seu mercado, em 2008 foram exportados 153 mil toneladas, equivalentes a U$ 6,2 milhões, em 2009 foram apenas 48 toneladas, equivalentes a U$ 1,1 milhão.

A Crise financeira mundial teve forte impacto sobre o mercado internacional de lagosta, até setembro de 2008, o preço médio da cauda de lagosta brasileira no mercado americano era de U$ 37,17, a partir de outubro, a queda abrupta do consumo fora do lar dos americanos, sobretudo em Nova York, onde diversos restaurantes chegaram a fechar suas portas, tiveram como conseqüência a retração na demanda por produtos alimentícios de maior valor e a conseqüente queda nos preços deste produtos. A partir desta data, a cauda de lagosta teve queda de 25% na cotação média anual, fechando o ano de 2009 com preço médio em torno de U$ 25,39.

Peço Médio - U$/KgProdutos 2008 2009 ∆

Caudas de Lagostas Congeladas 34,86 25,39 -27% Lagostas Inteiras Congeladas 19,41 1,63 -40%

Lagostas Não congeladas 28,45 24,46 -14% FONTE: MDIC (formulação própria)

Outra conseqüência da crise financeira foi a redução no número de países importadores de lagosta, passando de 16, para 10 paises, onde países do bloco europeu como Bélgica, Grécia, Itália e Holanda reduziram a zero as exportações de lagosta brasileira.

A industria nacional exportadora de lagostas em 2008 era distribuída em 8 estados, em 2009 foram apenas 4 os estados exportadores. Com 71% do mercado exportador, o Ceará foi o único estado que apresentou crescimento no volume exportado, 43%, todavia este crescimento representou um incremento de apenas 6% em suas receitas. O Rio Grande do Norte foi o estado que apresentou a maior queda, redução de 61% do volume e 71% de sua receita, seguido por Pernambuco com queda de 56% do volume e 67% das receitas.

Camarão

menos do exportado em 2008 e queda de 38% no volume total

Os camarões congelados tiveram queda expressiva na demanda externa, 52%

Exportações Brasileiras de Camarões 2008 2009 ∆ Produtos

Kg U$ Kg U$ Kg U$

FONTE: MDIC (formulação própria)

Os estados federativos que respondem pela maior parte da produção são Rio Grande do Norte, Pará e Ceará. Juntos correspondem a 92% do total da categoria de camarões.

O país destaque nas importações de camarões brasileiros é a França, totalizando 72% das exportações da categoria, o equivalente a US$ 21 milhões e a 5 mil toneladas. Em conjunto com Japão e Espanha totaliza 96% do total de camarões.

Principais Destinos das Exportações de Camarão 2009 % Países

Kg U$ Kg U$

FONTE: MDIC (formulação própria)

O preço médio dos camarões congelados teve aumento de 1% comparado a 2008, já os camarões inteiros o preço médio caiu 18%.

Peço Médio - U$/KgProdutos 2008 2009 ∆

Camarões Inteiros Congelados 4,59 3,76 -18%

Camarões Congelados 9,53 10,62 1% FONTE: MDIC (formulação própria)

Atum

mais em dólares

O saldo de 2009 para os atuns e espadartes foi negativo (13%), separadamente nota-se aumento das exportações de 81% para os espadartes em volume e 58% a

A maior queda registrada foi de atuns congelados, nos dois indicadores Kg e US$, 72% e 74% respectivamente.

Exportações Brasileiras de Atuns 2008 2009 ∆ Produtos

Kg U$ Kg U$ Kg U$

FONTE: MDIC (formulação própria)

O preço médio foi um indicativo do aumento das exportações de espadartes já que esse teve a maior queda, 12%. Os atuns congelados tiveram queda de 8% e frescos aumento de 21%, que explica a queda das exportações desse.

Peço Médio - U$/KgProdutos 2008 2009 ∆

Atuns Frescos 5,18 6,27 21% Atuns Congelados 2,59 2,39 -8%

FONTE: MDIC (formulação própria)

Espadartes 4,10 3,59 -12% Peixes Ornamentais

A categoria de peixes vivos/ornamentais tem queda no volume exportado porém aumento de 26% do valor comparado a 2008.

Exportações Brasileiras de Peixes Vivos 2008 2009 ∆ Produtos

Kg U$ Kg U$ KgU$ Peixes

2.2. Importações brasileiras

volume totaliza 21 mil toneladas (10%) a maisO preço médio dos produtos teve

Em comparação a 2008 houve aumento de 5% equivalente a US$ 30 milhões, em queda de 5%, de US$ 3,15/Kg em 208 para US$ 3,0/Kg em 209.

Dentre os principais produtos importados estão os congelados com 47% representando US$ 318 milhões. Em seguida vem os produtos secos, salgados e ou defumados, como bacalhau, que respondem por 31% do valor importado com US$ 214 milhões, seguido dos frescos, que representa 27% o equivalente a US$ 144 milhões. A importação de peixes vivos, filés frescos e crustáceos equivale a menos de 1% cada um do valor importado pelo Brasil no ano de 2009. Totalizando US$ 179,8 mil, US$ 2,5 milhões e US$ 710,3 mil respectivamente.

Importações por categoria de produtos - % do valor total em US$

0% Congelados Secos

Frescos Moluscos Filés frescos Crustáceos Vivos

FONTE: MDIC (formulação própria)

Em volume a divisão por produto foi dada como Congelados 153 mil toneladas (6%), Secos 38 mil toneladas (17%), Frescos 3 mil toneladas (15%) e Moluscos 4,2 mil toneladas (2%). As demais categorias, quais sejam Filés Frescos, crustáceos e vivos não somam 1%.

Importações por categoria de produtos - % do valor total em Toneladas

0% Congelados

Secos Frescos Moluscos Filés frescos Crustáceos Vivos

FONTE:MDIC (formulação própria)

“Peixes Vivos” com 28%

É notado, em comparação ao ano de 2008 o crescimento das importações de “Crustáceos” com aumento de 74,8 toneladas (205%) e 94% de seu valor. Outro destaque foi a categoria dos “Moluscos” com aumento de 45% seguidos de

Importações por Produtos 2008 2009 ∆ Produtos

Kg U$ Kg U$ Kg U$

Houve grande mudança nos preços médios dos produtos, as mais significativas foram dos “Crustáceos” uma queda de 46% e dos “Frescos” que teve aumento de 19% .

Preço Médio - U$/KgProdutos 2008 2009 ∆

Vivos 24,3 21,06 -13% Frescos 3,56 4,24 19% Filés frescos 6,84 7,8 15% Congelados 2,07 2,07 0% Secos 6,36 5,61 -12% Crustáceos 1,75 6,38 -46%

FONTE: MDIC (formulação própria)

Moluscos 1,79 2,12 18%

Origens das Importações

Quanto aos principais mercados fornecedores de pescado ao Brasil, verifica-se um recuo na importação de pescado da Noruega, Portugal, China e Espanha enquanto Chile e Argentina registraram aumento no total importado neste período.

O maior exportador é o Chile sendo o salmão seu principal produto, o país exporta para o Brasil o equivalente a 28% do total de pescado importado pelo país, representando US$ 192,6 milhões, 4,5 mil toneladas. O Chile ultrapassou a

Noruega nas exportações de salmão investindo especificamente no mercado brasileiro

Principais Origens das Importações 2009 2008 2009 ∆

Países US$ Kg US$ Kg US$ Kg

O Brasil aumentou as importações originadas de 5 países dentre os principais exportadores, quais sejam, Chile, Argentina, Uruguai, Marrocos e Vietnã. Esse passou a exportar ao Brasil apenas em 2009.

(Parte 1 de 2)

Comentários