Atenção Farmacêutica II - Nicotina

Atenção Farmacêutica II - Nicotina

(Parte 1 de 6)

Professor titular de Tuberculose e Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Presidente do Comitê Coordenador do Controle do Tabagismo no Brasil Presidente da Comissão de Tabagismo da Associação Médica Brasileira

Membro da Comissão de Tabagismo do Conselho Federal de Medicina e da Câmara Técnica de Tabagismo do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (CONPREV) – Instituto Nacional de Câncer

Com a colaboração de:

Ex-coordenadora do Programa de Prevenção do Tabagismo da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará e do Programa Saber Saúde da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo

MARCO ANTÔNIO DE MORAES Mestre e douturando em Saúde Pública

AO LEITOR9

INTRODUÇÃO 1

3 – NICOTINA, NATUREZA E ABSORÇÃO ORGÂNICA19

3.1 – ESTRUTURA DA NICOTINA19 3.2 – MARCADORES BIOLÓGICOS19 3.3 – ABSORÇÃO ORGÂNICA DA NICOTINA20 3.4 – LIBERAÇÃO DA NICOTINA22 3.5 – TEORES DE NICOTINA DOS CIGARROS23

3.6 – A ILUSÃO DOS CHAMADOS CIGARROS COM BAIXOS TEORES DE NICOTINA E ALCATRÃO25

3.7 – SOBRE OS CIGARROS COM TOXIDEZ REDUZIDA (ADENDO)28

4 – NICOTINA. TOXIDEZ. FARMACODINÂMICA32 4.1 – NEUROFARMACOLOGIA DA NICOTINA33

6 – GENÉTICA E DIVERSIDADE DE COMPORTAMENTO EM RELAÇÃO À NICOTINA E AO TABAGISMO51

6.1 – GENES MAIS CONHECIDOS IMPLICADOS NO COMPORTAMENTO EM RELAÇÃO À NICOTINA52

6.2 – OS INSENSÍVEIS À NICOTINA54 6.3 – OS MAIORES CONSUMIDORES DE TABACO55 6.4 – SENSIBILIDADE, TOLERÂNCIA E DEPENDÊNCIA À NICOTINA56

7 – NICOTINO-DEPENDÊNCIA. COMPORTAMENTO DA INDÚSTRIA TABAQUEIRA59

7.1 – O CONHECIMENTO DA INDÚSTRIA TABAQUEIRA SOBRE A NICOTINODEPENDÊNCIA FOI ANTERIOR AO DA CIÊNCIA OFICIAL59

7.2 – PESQUISAS DA INDÚSTRIA TABAQUEIRA SOBRE A NICOTINA. OS DOCUMENTOS SECRETOS60

7.3 – DECLARAÇÕES INTERNAS, SOBRE A NICOTINA, DE DIRIGENTES E TÉCNICOS DA INDÚSTRIA TABAQUEIRA63

8 – POSIÇÃO SOBRE A NICOTINO-DEPENDÊNCIA, DOS ÓRGÃOS DE SAÚDE PÚBLICA E MÉDICO-CIENTÍFICOS67

10 – NICOTINA E SISTEMA CARDIOCIRCULATÓRIO72 10.1 – ALTERAÇÕES NAS ARTÉRIAS. ANGIOGÊNESE72 10.2 – ATEROSCLEROSE. ANGINA PECTORIS.74 10.3 – TROMBOANGEITE OBLITERANTE. DOENÇA DE BUERGER76 10.4 – IMPOTÊNCIA76

14 – NICOTINA E AFTA BUCAL87

21 – NICOTINA. POLUIÇÃO TABÁGICA AMBIENTAL112

21.3 – NICOTINA E MORBI-LETALIDADE CARDIOCIRCULATÓRIA NOS FUMANTES PASSIVOS114

21.5 – NICOTINA E POLUIÇÃO TABÁGICA. INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS. CAPACIDADE FUNCIONAL PULMONAR116

21.6 – POLUIÇÃO TABÁGICA AMBIENTAL. PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA MUNDIAL117

21.7 – POLUIÇÃO TABÁGICA AMBIENTAL E INDÚSTRIA TABAQUEIRA120

23.2.2 – TRATAMENTO MEDICAMENTOSO INTEGRADO NA ABORDAGEM COGNITIVO-COMPORTAMENTAL 132

23.4 – AVALIAÇÃO GERAL DO TRATAMENTO PARA CESSAÇÃO DE FUMAR (TRATAMENTO DA NICOTINO-DEPENDÊNCIA)149

23.5 – AÇÕES ANTITABÁGICAS PREVENTIVAS, VISANDO COMBATER O CONSUMO DO TABACO152

24 – DIMENSÃO DA EPIDEMIA TABÁGICA E SUA MORBI-LETALIDADE.160

Pelo lançamento deste livro, edição atualizada e ampliada, Nicotina Droga Universal, agradeço muito penhorado ao Instituto Nacional de Câncer (INCA) e aos seus órgãos CONPREV e “Programa Nacional de Controle do Tabagismo e outros Fatores de Risco de Câncer” pelo seu alto patrocínio. Esta monografia fica muito valorizada ao ser integrada nas ações do “Programa Nacional de Controle do Tabagismo” devido ao destacado prestigio que desfruta com o seu trabalho na capacitação de unidades de saúde de milhares de municípios, treinamento de outros milhares de profissionais, redução da exposição à fumaça do tabaco, implantação de rede de serviços de abordagem de fumantes com o tratamento da nicotinodependência, visando a cessação de fumar, mobilização e articulação legislativas e econômicas, favorecendo o controle do tabagismo e criando uma sociedade conscientizada dos malefícios de fumar.

O objetivo desta monografia é expor os conhecimentos sobre a nicotina como droga psico-ativa causadora de dependência químico-fisica, escravizando o fumante.

São ventilados dados sobre sua toxidez, estrutura química, neurofarmacologia, dependência orgânica e as diversidades genéticas de respostas dos fumantes. Mencionam-se as ações sobre os centros cerebrais, provocando verdadeira desordem mental de uso de substancia psico-ativa. Discutem-se os efeitos lesivos sobre o sistema nervoso, cardio-circulatório e diversos aparelhos e órgãos, e sua ação bioquímica sobre as nitrosaminas, participando de processos cancerígenos. São abordadas as linhas gerais do tratamento da nicotino-dependência, inclusive nas situações de co-morbidades e informações sobre perspectivas de novos tratamentos e possibilidade de obtenção de vacinas para impedir o desejo de fumar.

O fumante não consome a nicotina pura, usando seu invólucro, que é o tabaco no qual está embutida. O tabaco por sua vez contém mais de 6000 substancias tóxicas. Por isso abordam-se alguns aspectos da problemática do tabagismo, de sua epidemiologia e medidas para o seu controle.

Agradeço à Ana Margarida Arruda Rosemberg e ao Marco Antonio de Moraes a valiosa cooperação, respectivamente no capítulo “Nicotina e a mulher” e “Tratamento da nicotino-dependência”.

Complementando as informações sobre a nicotina são expostos procedimentos da industria tabaqueira, para lançar duvidas sobre sua ação como droga psicoativa gerando dependência e sobre a nocividade da poluição tabágica ambiental, entretanto trabalhando para aumentar sua ação sobre os centros nervosos, produzindo tabaco com maiores teores de nicotina e sua mais fácil liberação, tornando mais intensa a dependência, para escravizar o fumante. Isso consta de cinco milhões de documentos chamados secretos com quarenta milhões de páginas, que se tornaram públicos nos últimos anos.

A intenção, ao elaborar este livro, foi de fornecer o maior número possível de informações e dados científicos ao nosso alcance, compulsando mais de 1130 artigos científicos, relatórios e documentos oficiais de órgãos de saúde. Entretanto, deficiências existem devido às nossas limitações as quais podem ter explicação nas palavras de Balzac proferidas no século 19: “É mais fácil sonhar um livro quanto é difícil escreve-lo”.

De qualquer forma, espera-se que esta monografia seja de utilidade aos que se ocupam com o tabagismo e sua epidemia que tantas e tão preciosas vidas vem ceifando no mundo e no Brasil.

1) “O cigarro é o mais perfeito dos prazeres. É requintado e deixa insatisfeito. Que mais se poderia desejar?”. Oscar Wilde, 1891

“Com o tabaco ocorreu um dos maiores fenômenos de transculturação no mundo”. Fernando Ortiz

2) Alguns pronunciamentos internos da indústria do tabaco, tornados públicos nos processos dos Estados Unidos, a partir de 1994:

“Mais que o negócio de vender cigarros, a indústria tabaqueira tem por objetivo a venda atrativa de nicotina”.

Brown and Williamson, subsidiária norte-americana da British American Tobacco,1963

“Estamos num negócio de vender nicotina, droga causadora de dependência”.

Addison Yeman. Vice-Presidente da Brown and Williamson (documento secreto nº 1802.05)

“O cigarro não deveria ser considerado como um produto, mas sim como um invólucro. O produto é a nicotina. Considere o maço de cigarros como um recipiente para o fornecimento diário de nicotina”. Phillip Morris, 1972

“Temos que nos conscientizar de que nossa organização é antes uma indústria de droga, que uma indústria de tabaco”.

Rullin A Crellin – Chefe do Grupo de Pesquisas da British American Tobacco. 1.04.1980

(Parte 1 de 6)

Comentários