MACONHA

Introdução

  • A Cannabis sativa L. é um arbusto da família das Moraceae que cresce livremente nas regiões tropicais e temperadas;

  • Possui aproximadamente 400 substâncias químicas entre as quais se destacam 60 alcalóides conhecidos como canabinóides.

Histórico

  • 4000 a.c resquícios da planta foram encontrado no norte da china;

  • O primeiro relato medicinal da planta Cannabis Sativa L. foi atribuído aos chineses, encontrado no Pen-Ts’ao Ching;

  • Os assírios faziam uso da planta e a tinham como principal medicamento de sua Farmacopéia;

  • Os romanos a valorizavam por causas das resistentes cordas e velas para navio produzidas por sua fibra;

Histórico

  • Chegou a europa no final do séc XVIII e foi difundida na África e nas Américas;

  • Até a década de 40 era descrita em compêndios oficiais de vários países;

  • Em meados do século XX os cientistas identificaram os efeitos colaterais e seu uso foi proibido por lei em vários países;

  • O consumo voltou ser disseminado nos anos 60;

Sinais e sintomas decorrentes do consumo da maconha

Déficits motores e cognitivos observados durante a intoxicação aguda da maconha

Dependência

  • Não há doses formais definidas de THC que produzam dependência;

  • O risco de dependência aumenta conforme a extensão do consumo, no entanto a maioria dos usuários não se tornam dependentes;

  • Não é possível ainda determinar a natureza dos sintomas da abstinência

Sintomas de abstinência da maconha

  • Fissura

  • Irritabilidade

  • Nervosismo

  • Inquietação

  • Sintomas depressivos

  • Insônia

  • Redução do apetite

  • Encefaléia

Aspectos terapêuticos de compostos da planta Cannabis sativa L.

  • O uso medicinal da Cannabis sativa hoje é permitido em alguns estados americanos e em países como a Holanda e Bélgica, para aliviar sintomas relacionados ao tratamento do câncer, AIDS, esclerose múltipla e síndrome de Tuorette.

  • O glaucoma é uma das indicações mais citadas para o uso da Cannabis sativa.

Química da planta

  • O termo canabinóide foi atribuído ao grupo de compostos com 21 átomos de carbono presentes na Cannabis sativa L. podem ser classificados como terpenofenóis;

  • O Δ9 tetrahidrocanabinol ou simplesmente Δ9THC, foi reportado, em 1964, por Gaoni Mechoulam.

Química da planta

  • Marinol® ( Dronabinol, (-)-Δ9-THC), desenvolvido pelo laboratório americano Roxane;

  • Cesamet®(Nabilone), é utilizado no Reino Unido.

Atividade analgésica

  • Alguns estudos laboratoriais relatam que alguns compostos canabinóides possuem eficácia e potência similar a morfina, inclusive alguns com potencia 200 vezes maior que a morfina, supostamente mediadas pela inibição da neurotransmissão das vias nociceptivas.

Mecanismo de ação

  • Durante as décadas de 80 e 90 realisou-se a identificação e clonagem dos receptores canabinóides específicos, localizados no SNC (CB1) e SNP (CB2), além da identificação dos ligantes canabinóides endógenos.

Mecanismo de ação

Canabinóides endógenos

Agonistas e antagonistas dos receptores canabinóides

Agonistas e antagonistas dos receptores canabinóides

Agonistas e antagonistas dos receptores canabinóides

O B R I G A D O !!!

Comentários