estatística

estatística

(Parte 1 de 10)

www.ResumosConcursos.hpg.com.br

Apostila: Curso de Estatística Básica – por Profº João Góes

Apostila de Estatística

Assunto:

CURSO DE

ESTATÍSTICA BÁSICA

Autor:

PROFº JOÃO GÓES

CURSO DE ESTATÍSTICA BÁSICA

CONCEITOS FUNDAMENTAIS____________________________________________________________1

    1. INTRODUÇÃO

A Estatística pode ser encarada como uma ciência ou como um método de estudo.

Duas concepção para a palavra ESTATÍSTICA:

  1. no plural (estatística), indica qualquer coleção consistente de dados numéricos, reunidos com a finalidade de fornecer informações acerca de uma atividade qualquer. Pôr exemplo, as estatística demográficas referem-se as dados numéricos sobre nascimentos, falecimentos, matrimônios, desquites, etc.

  2. no singular, indica um corpo de técnicas, ou ainda uma metodologia técnica desenvolvida para a coleta, a classificação, a apresentação, a análise e a interpretação de dados quantitativos e a utilização desses dados para a tomada de decisões.

Qualquer ciência experimental não pode prescindir das técnicas proporcionadas pela Estatística, como pôr exemplo, a Física, a Biologia, a Administração, a Economia, etc. Todos esses ramos de atividade profissional tem necessidade de um instrumental que se preocupa com o tratamento quantitativo dos fenômenos de massa ou coletivos, cuja mensuração e análise requerem um conjunto de observações de fenômeno ou particulares.

1.2. ESTATÍSTICA

CONCEITO: é a ciência que se preocupa com a coleta, a organização, descrição (apresentação), análise e interpretação de dados experimentais e tem como objetivo fundamental o estudo de uma população.

Este estudo pode ser feito de duas maneiras:

  • Investigando todos os elementos da população ou

  • Por amostragem, ou seja, selecionando alguns elementos da população

DIVISÃO DA ESTATÍSTICA

- Estatística Descritiva: é aquela que se preocupa com a coleta, organização, classificação,apresentação, interpretação e analise de dados referentes ao fenômeno através de gráficos e tabelas além de calcular medidas que permita descrever o fenômeno.

- Estatística Indutiva (Amostral ou Inferêncial): é a aquela que partindo de uma amostra, estabelece hipóteses, tira conclusões sobre a população de origem e que formula previsões fundamentando-se na teoria das probabilidades. A estatística indutiva cuida da análise e interpretação dos dados.

O processo de generalização do método indutivo está associado a uma margem de incerteza. Isto se deve ao fato de que a conclusão que se pretende obter para o conjunto de todos os indivíduos analisados quanto a determinadas características comuns baseia-se em uma parcela do total de observações.

1.3. POPULAÇÃO

CONCEITO: é o conjunto, finito ou infinito, de indivíduos ou objetos que apresentam em comum determinadas características definidas, cujo comportamento interessa analisar.

A população é estudada em termos de observações de características nos indivíduos (animados ou inanimados) que sejam relevantes para o estudo, e não em termos de pessoas ou objetos em si. O objetivo é tirar conclusões sobre o fenômeno em estudo, a partir dos dados observados.

Como em qualquer estudo estatístico temos em mente estudar uma ou mais características dos elementos de uma população, é importante definir bem essas características de interesse para que seja delimitado os elementos que pertencem à população e quais os que não pertencem.

Exemplos:

1. Estudar os filhos tidos, tipo de moradia, condições de trabalho, tipo de sanitário. Números de quartos para dormir, estado civil, uso da terra, tempo de trabalho, local de nascimento, tipo de cultivo, etc., dos agricultores do Estado do Pará.

População: Todos os agricultores (proprietários de terra ou não) plantadores das culturas existentes no Estado do Pará.

2. Estudar a precipitação pluviométrica anual (em mm) na cidade de Belém.

População: Conjunto das informações coletadas pela Estação Pluviométrica, durante o ano.

4. As alturas dos cidadãos do Pará constituem uma população ou a população dos pesos desses cidadãos.

Divisão da população

- População Finita: apresenta um número limitado de elementos. É possível enumerar todos os elementos componentes.

Exemplos:

1. Idade dos universitários do Estado do Pará.

População: Todos os universitários do Estado do Pará.

- População Infinita: apresenta um número ilimitado de elementos. Não é possível enumerar todos os elementos componentes.

Entretanto, tal definição existe apenas no campo teórico, uma vez que, na prática, nunca encontraremos populações com infinitos elementos, mas sim, populações com grande número de componentes; e nessas circunstâncias, tais populações são tratadas como se fossem infinitas.

Exemplos:

1. Tipos de bactérias no corpo humano

População: Todas as bactérias existentes no corpo humano.

2. Comportamento das formigas de certa área

População: Todas as formigas da área em estudo.

1.4. AMOSTRAGEM

É a coleta das informações de parte da população, chamada amostra (representada por pela letra “n”), mediante métodos adequados de seleção destas unidades.

1.5. AMOSTRA

É uma parte (um subconjunto finito) representativa de uma população selecionada segundo métodos adequados.

O objetivo é fazer inferências, tirar conclusões sobre populações com base nos resultados da amostra, para isso é necessário garantir que amostra seja representativa, ou seja, a amostra deve conter as mesmas características básicas da população, no que diz respeito ao fenômeno que desejamos pesquisar.

O termo indução é um processo de raciocínio em que, partindo-se do conhecimento de uma parte, procura-se tirar conclusões sobre a realidade no todo.

Ao induzir estamos sujeitos a erros. Entretanto, a Estatística Indutiva, que obtém resultados sobre populações a partir das amostras, diz qual a precisão dos resultados e com que probabilidade se pode confiar nas conclusões obtidas.

1.6. CENSO

É o exame completo de toda população.

Quanto maior a amostra mais precisas e confiáveis deverão ser as induções feitas sobre a população. Logo, os resultados mais perfeitos são obtidos pelo Censo. Na prática, esta conclusão muitas vezes não acontece, pois, o emprego de amostras, com certo rigor técnico, pode levar a resultados mais confiáveis ou até mesmo melhores do que os que seriam obtidos através de um Censo.

As razões de se recorrer a amostras são: menor custo e tempo para levantar dados; melhor investigação dos elementos observados.

1.7. PARÂMETRO: valor (usualmente desconhecido) que caracteriza uma população (por exemplo, a média populacional e o desvio-padrão populacional são parâmetros).

População

Dúvidas

x x x x x x x x

Parâmetros:

Amostra

Quantas unidades?

x x x x x x x x

Média aritmética

x x x x x

Quais as unidades?

x x x x x x x x

x x x x x x x x

Mediana

Moda

x x x x x

x x x x x

Estimadores ou Estatísticas:

x x x x x x x x

Variância absoluta

Média aritmética

x x x x x x x x

Desvio Padrão

Mediana

Variância relativa

Moda

Coeficiente de Variação

Proporção

Variância absoluta

Desvio Padrão

Total

Variância relativa

Coeficiente de Variação

Proporção

Total

1.8. FENÔMENOS ESTATÍSTICOS

Refere-se a qualquer evento que se pretende analisar cujo estudo seja possível de aplicação de técnicas da estatística.

A Estatística dedica-se ao estudo dos fenômenos de massa, que são resultantes do concurso de um grande número de causas, total ou parcialmente desconhecidas.

TIPOS DE FENÔMENOS:

Fenômenos Coletivos ou de Massa

Não podem ser definidos pôr uma simples observação.

Exemplos: a natalidade, a mortalidade, a nupcialidade, a idade média dos agricultores do Estado do Pará, o sexo dos agricultores.

Fenômenos Individuais

Compõem os fenômenos coletivos.

Exemplos: cada nascimento, cada pessoa que morre, cada agricultor investigado.

1.9. CARACTERÍSTICAS

É preciso definir qual(is) a(s) característica(s) de interesse que será(ão) analisada(s).

A característica de interesse pode ser de natureza qualitativa ou quantitativa.

(Parte 1 de 10)

Comentários