Dificuldade de aprendizado

Dificuldade de aprendizado

http://

É a Psicopedagogia do bem estar, promotora da qualidade de vida, do bem-pensar, da felicidade, oferece múltiplas oportunidades ao desenvolvimento do cognitivo, orienta o ser humano a compreender, amar o próximo e o conhecimento de si mesmo, do mundo mental real e renovação da mente que rodeia e permeia s eu ser e/ou, e tudo que exite. Desenvolver no ser humano o domínio das função de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, que promovera em aptidões individuais de significado para o futuro pedagógico na educação da humanidade.

UM SÓ PROFESSOR CAPACITADO PARA IDENTIFICAR ESSE DISTÚRBIO SERÁ UMA ESPERANÇA PARA MUITOS,

UM SÓ PROFESSOR CAPACITADO PARA IDENTIFICAR ESSE DISTÚRBIO SERÁ UMA ESPERANÇA PARA MUITOS,

QUE SE BENIFICARÃO COM:

PROFESSOR Como o Ser Humano Aprende ?

  • Para pensar novas idéias temos que desarmar nossas idéias feitas e misturar as peças, assim como tipógrafo ver-se-á obrigado a desarmar os clichês, se deseja imprimir um texto num novo idioma.

A origem do problema de aprendizagem não se encontra na estrutura individual. O sintoma se ancora em uma rede particular de vínculos familiares, que se entrecruzam com uma também particular estrutura individual. A criança suporta a dificuldade, porém, necessára e dialeticamente, os outros dão o sentidos.

A origem do problema de aprendizagem não se encontra na estrutura individual. O sintoma se ancora em uma rede particular de vínculos familiares, que se entrecruzam com uma também particular estrutura individual. A criança suporta a dificuldade, porém, necessára e dialeticamente, os outros dão o sentidos.

Fernandez,Alícia. A inteligencia aprisionada.- Tradução Iara Rodrigue

Professor – Olhar através da lente do aprender para o individuo

  • Com que recursos o indivíduo conta para aprendrer?

  • O que significa o conhecimento e o aprender no imaginário do sujeito e sua familia?

  • Que papel foi-lhes designado por seus pais em relação ao aprender?

  • Qual é a posição do indivíduo frente ao não dito, ao oculto ao secreto?

  • Que função tem o não aprender para ele e para seu grupo familiar?

  • Como aprender e como nao aprende?

  • Não aprende para manter o equilibrio familiar?

O conhecimento é conhecimento do outro, porque o outro o possui. Não aprendemos de qualquer um, aprendemos daquele a quem outorgamos confianca e direito de ensinar.

  • Aprendente

A partir desse conhecimento e/ou saber, vamos aprender e apoderar-se do processo do conhecimento TDAH/IMPULSIVIDADE – DISLEXIA

  • A partir desse conhecimento e/ou saber, vamos aprender e apoderar-se do processo do conhecimento TDAH/IMPULSIVIDADE – DISLEXIA

  • Aprender é coisa do

Cérebro

Psicolinguistica,psicomotricidade, inteligências múltiplas Etc,.

O cérebro é o maior órgão do sistema nervoso e o mais desenvolvido. Nele existem bilhões de neurônios. É ele que nos permite, por exemplo, aprender novas informações ou memorizá-las, pois é o centro da inteligência e do aprendizado.

O cérebro é o maior órgão do sistema nervoso e o mais desenvolvido. Nele existem bilhões de neurônios. É ele que nos permite, por exemplo, aprender novas informações ou memorizá-las, pois é o centro da inteligência e do aprendizado.

Quando vivenciamos alguma situação, alguns neurônios gravam informações, como se estivessem registrando em um caderno.

O cérebro coordena ações, como a fala, o pensamento, o movimento, além de perceber e decodificar as informações captadas pelos órgãos dos sentidos. Outras sensações, como a de dor, também são coordenadas pelo cérebro.

O cérebro coordena ações, como a fala, o pensamento, o movimento, além de perceber e decodificar as informações captadas pelos órgãos dos sentidos. Outras sensações, como a de dor, também são coordenadas pelo cérebro.

O cérebro está dividido em duas partes, chamadas hemisférios. O hemisfério cerebral direito controla algumas atividades específicas, como a criatividade, as habilidades artísticas e o lado esquerdo do corpo. O hemisfério esquerdo controla atividades relacionadas ao cálculo, ao raciocínio e o lado direito do corpo.

MAS, às vezes...

Apesar de o ambiente PARECER correto, e desse alimento ser delicioso... (pelo menos, pensamos que é...)

HÁ ALGUNS EDUCANDOS QUE DEIXAM SEUS PROFESSORES “LOUCOS”!

 30-60% dos alunos têm comprometimento acadêmico SEM ter dificuldade de aprendizagem.

 30-60% dos alunos têm comprometimento acadêmico SEM ter dificuldade de aprendizagem.

  • Somente 10% das crianças com dificuldades de aprendizagem atingem escolaridade

média.

É Consenso Internacional que a Educação ao longo da vida, está fundada nos Quatro PILARES

  • É Consenso Internacional que a Educação ao longo da vida, está fundada nos Quatro PILARES

Dificuldades de aprendizagem: UM DESAFIO PARA O PROFESSOR.

Dificuldade de aprendizagem, por vezes referida como desordem de aprendizagem ou transtorno de aprendizagem, é um tipo de desordem pela qual um indivíduo apresenta dificuldades em aprender efetivamente. A desordem afeta a capacidade do cérebro em receber e processar informação e pode tornar problemático para um indivíduo o aprendizado tão rápido quanto o de outro, que não é afetado por ela.

DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM

DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM

Já a DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM…

  • retraídos

  • agressivos

  • indisciplinados

(Como desculpa INCONSCIENTE para seu fracasso.)

Etimologia De acordo com o Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa, informação vem do latim informatio,onis, ("delinear, conceber idéia"), ou seja, dar forma ou moldar na mente, como em educação, instrução ou treinamento.

Informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe.

Informação enquanto conceito, carrega uma diversidade de significados, do uso cotidiano ao técnico. Genericamente, o conceito de informação está intimamente ligado às noções de restrição, comunicação, controle, dados, forma, instrução, conhecimento, significado, estímulo, padrão, percepção e representação de conhecimento.

É comum nos dias de hoje ouvir-se falar sobre a Era da Informação, o advento da "Era do Conhecimento" ou sociedade do conhecimento. Como a sociedade da informação, a tecnologia da informação, a ciência da informação e a ciência da computação em informática são assuntos e ciências recorrentes na atualidade, a palavra "informação" é freqüentemente utilizada sem muita consideração pelos vários significados que adquiriu ao longo do tempo.

Características gerais

  • Características gerais

  • A expressão é usada para referir condições sócio-biológicas que afetam as capacidades de aprendizado de indivíduos, em termos de aquisição, construção e desenvolvimento das funções cognitivas, e abrange transtornos tão diferentes como incapacidade de percepção, dano cerebral, disfunção cerebral mínima, autismo, dislexia e afasia desenvolvimental. No campo da Educação, as mais comuns são a Dislexia, a Disortografia e a Discalculia.

  • Um indivíduo com dificuldades de aprendizagem não apresenta necessariamente baixo ou alto QI: significa apenas que ele está trabalhando abaixo da sua capacidade devido a um fator com dificuldade, em áreas como por exemplo o processamento visual ou auditivo. As dificuldades de aprendizagem normalmente são identificadas na fase de escolarização, por profissionais como psicólogos, através de avaliações específicas de inteligência, conteúdos e processos de aprendizagem.

  • Embora a dificuldade de aprendizagem não seja indicativa do nível de inteligência, os seus portadores têm dificuldades em desempenhar funções ou habilidades específicas, ou em completar tarefas, caso entregues a si próprios ou se encarados de forma convencional. Estes indivíduos não podem ser curados ou melhorados, uma vez que o problema é crônico, ou seja, para toda a vida. Entretanto, com o apoio e intervenções adequados, esses mesmos indivíduos podem ter sucesso escolar e continuar a progredir em carreiras bem sucedidas, e mesmo de destaque, ao longo de suas vidas.

Definições oficiais

  • Definições oficiais

  • O termo "dificuldade de aprendizagem" (no original em língua inglesa, "learning disability") aparentemente foi usado pela primeira vez e definida por Kirk (1962, citado em Streissguth, Bookstein, Sampson, & Barr, 1993, p. 144). O autor referia-se a uma aparente discrepância entre a capacidade da criança em aprender e o seu nível de realização.

  • Nos Estados Unidos da América uma análise das classificações de Dificuldades de Aprendizagem em 49 dos 50 estados revelou que 28 dos estados incluíram critérios de discrepância de QI/realização em suas diretrizes para Dificuldades de Aprendizagem (Ibid., citando Frankenberger & Harper, 1987). No entanto, o Joint National Committee for Learning Disabilities (NJCLD) (1981; 1985) preferiu uma definição ligeiramente diferente:

  • "Dificuldades de Aprendizagem é um termo genérico que se refere a um grupo heterogêneo de desordens manifestadas por dificuldades significativas na aquisição e uso da audição, fala, leitura, escrita, raciocínio ou habilidades matemáticas. Esses transtornos são intrínsecos ao indivíduo e presume-se que devido à disfunção do Sistema Nervoso Central.

Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é freqüentemente estudado em conexão com as dificuldades de aprendizagem, mas atualmente não está compreendido nas definições padrão de dificuldades de aprendizagem. É verdade que indivíduos com TDAH debatem-se com a aprendizagem, mas com freqüência podem aprender adequadamente, uma vez que estejam adequadamente tratados/medicados. Uma pessoa pode ter TDAH mas não possuir dificuldades de aprendizagem, ou ter dificuldades de aprendizagem mas não apresentar TDAH.

  • Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é freqüentemente estudado em conexão com as dificuldades de aprendizagem, mas atualmente não está compreendido nas definições padrão de dificuldades de aprendizagem. É verdade que indivíduos com TDAH debatem-se com a aprendizagem, mas com freqüência podem aprender adequadamente, uma vez que estejam adequadamente tratados/medicados. Uma pessoa pode ter TDAH mas não possuir dificuldades de aprendizagem, ou ter dificuldades de aprendizagem mas não apresentar TDAH.

  • Também é comum a confusão entre dificuldades de aprendizagem e as chamadas Necessidades Educativas Especiais assim como com as chamadas Inadaptações por Déficit Socioambiental. De modo geral, a criança com dificuldades de aprendizagem:

  • Apresenta uma linha desigual em seu desenvolvimento;

  • As suas dificuldades de aprendizagem não são causadas por pobreza ambiental;

  • As suas dificuldades de aprendizagem não são causadas por atraso mental ou transtornos emocionais.

  • Dessa forma, só é procedente referir dificuldades de aprendizagem em relação a crianças que:

  • Apresentam um quociente intelectual normal, muito próximo da normalidade ou mesmo superior;

  • Possuem ambiente sócio familiar normal;

  • Não apresentam deficiências sensoriais e nem afecções neurológicas significativas;

  • O seu rendimento escolar é manifesto e reiteradamente insatisfatório.

Na década de 1980, a partir de novas investigações, passou-se a ressaltar aspectos cognitivos da definição de síndrome, principalmente o déficit de atenção e a impulsividade ou falta de controle, considerando-se, além disso, que a atividade motora excessiva é resultado do alcance reduzido da atenção da criança e da mudança contínua de objetivos e metas a que é submetida. É um transtorno reconhecido pela OMS (Organização Mudial da Saúde), tendo inclusive em muitos países, lei de proteção, assistência e ajuda tanto aos que têm este transtorno ou distúrbios quanto aos seus familiares. Há muita controvérsia sobre o assunto. Há especialistas que defendem o uso de medicamentos e outros que, por tratar-se de um Transtorno Social, o indivíduo deve aprender a lidar com ele sem a utilização de medicamentos.

Na década de 1980, a partir de novas investigações, passou-se a ressaltar aspectos cognitivos da definição de síndrome, principalmente o déficit de atenção e a impulsividade ou falta de controle, considerando-se, além disso, que a atividade motora excessiva é resultado do alcance reduzido da atenção da criança e da mudança contínua de objetivos e metas a que é submetida. É um transtorno reconhecido pela OMS (Organização Mudial da Saúde), tendo inclusive em muitos países, lei de proteção, assistência e ajuda tanto aos que têm este transtorno ou distúrbios quanto aos seus familiares. Há muita controvérsia sobre o assunto. Há especialistas que defendem o uso de medicamentos e outros que, por tratar-se de um Transtorno Social, o indivíduo deve aprender a lidar com ele sem a utilização de medicamentos.

Segundo Rohde e Benczick o TDAH é um problema de saúde mental que tem como características básicas a desatenção, a agitação (hiperatividade) e a impulsividade, podendo levar a dificuldades emocionais, de relacionamento, bem como a baixo desempenho escolar; podendo ser acompanhado de outros problemas de saúde mental. Os autores Rohde e Benczich, caracterizam o TDAH em dois grupos de sintomas.

O transtorno se caracteriza por sinais claros e repetitivos de desatenção, inquietude e impulsividade, mesmo quando o paciente tenta não mostrá-lo. Existem vários graus de manifestação do TDAH, os mais caracterizados são tratados com medicamentos, como o cloridrato de metilfenidato (Ritalina ou Concerta em sua versão comercial), Bupropiona, Modafinil e Antidepressivos Tricíclicos como a Imipramina. Recebe às vezes o nome DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção) ou SDA (Síndrome do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, as iniciais de Attention Deficit/Hyperactivity Disorder (ADHD.)

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, inicialmente relacionado a uma lesão cerebral mínima. Nos anos 1960, devido à dificuldade de comprovação da lesão, sua definição adquiriu uma perspectiva mais funcional, caracterizando-se como uma síndrome de conduta, tendo como sintoma primordial a atividade motora excessiva e o déficit de atenção(no entanto existe também o Distúrbio do déficit de atenção sem hiperatividade). O transtorno nasce com o indivíduo e já aparece na primeira infância, quase sempre acompanhando o indivíduo por toda a sua vida.

O que é TDAH?

Transtorno do desenvolvimento

  • Início na infância e acompanha o indivíduo por toda a sua vida

  • Características Clínicas Principais:

    • Desatenção,
    • Inquetação
    • Impulsividade

Atenção Professor

  • Atualmente, são três as categorias reconhecidas no TDAH: 1- TDAH predominantemente Desatento= 6 ou mais sintomas de desatenção : É caracterizado pela presença de seis ou mais sintomas de desatenção, mas menos dos seis sintomas de hiperatividade-impulsividade. (dificuldade de concentrar, desorganizado, sonhar acordado, prejuízo acadêmico; etc.).

  • 2- TDAH predominantemente Hiperativo/Impulsivo= 6 ou mais sintomas de hiperatividade/Impulsividade Caracterizado pela presença de seis ou mais sintomas de hiperatividade-impulsividade, mas menos de seis sintomas de desatenção.

(mexendo mãos e pés, inquieto, dificuldade de manter em silêncio, rejeição e impopularidade,eetc.).

  • 3- TDAH tipo Combinado= 6 ou mais sintomas de ambos

O TDAH pode apresentar-se no subtipo presente na maioria das crianças e adolescentes com o transtorno. Não se sabe se o mesmo vale para adultos. É caracterizado pela presença de seis ou mais sintomas de desatenção e seis ou mais sintomas de hiperatividade.

(prejuízo acadêmico e sintomas de conduta, de oposição e desafio);

CONSEQUÊNCIAS DO TDAH -baixo desempenho escolar; -dificuldades de relacionamento; -baixa auto-estima; -interferência no desenvolvimento educacional e social; -predisposição a distúrbios psiquiátricos

  • 1.DESATENÇÃO: -dificuldade em prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares e profissionais; -dificuldade em manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas; -parecer não escutar quando lhe dirigem a palavra; -não seguir instruções e não terminar tarefas escolares, domésticas ou deveres profissionais; -dificuldade em organizar tarefas e atividades; -evitar, ou relutar, em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante; -perder coisas necessárias para atividades ou tarefas; -ser facilmente distraído por estímulos alheios à tarefa; -apresentar esquecimento em atividades diárias;

TRANSTORNO DESAFIADOR OPOSITIVO

TDAH em meninas

  • 10 a 25% dos casos

  • Subdiagnosticadas?!!!!

  • Baixa taxa de transtorno de conduta

    • Incomodam mais e são menos encaminhadas para tratamento
  • Maior taxa de ansiedade e depressão

  • Idade de diagnóstico mais tardia quando comparadas aos meninos

Início dos Sintomas

Inicio da idade precoce:

        • Sono agitado,
        • Choro fácil,
        • Movimentação intensa,
        • Mães relatam intensa movimentação durante a gestação
        • Avidez ao mamar

DESATENÇÃO

  • Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola ou tarefas.

  • Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer

  • Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele

Hiperatividade

  • Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira

  • Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que se espera que fique sentado

  • Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é inapropriado

  • Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de lazer de forma calma.

  • Não pára ou freqüentemente está a “mil por hora”.

  • Fala em excesso

Atenção e Função Executiva

  • formulação de um objetivo

  • Atenção focalizada

  • Flexibilidade na realização de tarefas

  • Planejamento

  • Prever, antecipar (o plano de ação)

  • Monitoramento da informação e da emoção

  • Codificação do tempo e espaço

  • Resolução de problemas

  • Abstração – autoconsciência e conduta moral

  • Habilidade no discurso e comunicação

  • Controle motivacional

  • Habilidade cognitiva, inibir interferências e mudanças adaptativas

Funções Executivas

  • Processos

    • Focalizar
    • Regular
    • Gerenciar
    • Integrar

Sintomas em Adultos

Dificuldade em tomar iniciativas

Planejar e estabelecer prioridades

Organizar-se para o trabalho

Falta de monitoramento sobre tempo

Esquecer de pagar as contas

Dificuldade em relaxar quando tem tempo

Inconstância no trabalho

Declínio rápido da motivação

Interrupção das tarefas antes da conclusão

Dificuldades em antecipar as

Conseqüências no futuro

Problemas de memória

ATENÇÃO: o conjunto de mecanismos neurais que garantem estas escolhas

  • ATENÇÃO: o conjunto de mecanismos neurais que garantem estas escolhas

  • Situações diversas nas quais nossa atenção tem um papel muito variado...

  • Ora necessitamos nos concentrar de maneira intensa em um único estimulo (auditivo, visual, sensitivo, pensamento, memória)

- organização do SNC: desconsiderar os demais estímulos presentes, para que não se tornem conscientes.

  • Necessidade de focar a atenção em dois estímulos diferentes (por ex, dirigir e procurar o nome de uma rua próxima)

- Exige atenção a um estimulo, sem deixar de levar em conta algo diverso que esta ocorrendo e que, poderá se tornar mais importante, exigindo que mudemos rapidamente nosso foco de atenção.

Definição Coloquial

A atenção é um processo cognitivo multifacetado.

“ denota percepção direcionada e seletiva a uma fonte particular de informação, incluindo um aspecto semiquantitativo (“preste mais atenção”) e com duração definida”.

Importância de diagnosticar e tratar o TDAH/Impulsividade

Portanto, a palavra dislexia faz referência a dificuldades de aprendizado

  • Portanto, a palavra dislexia faz referência a dificuldades de aprendizado

relacionado com a linguagem sendo o seu significado denominado pela Associação

Brasileira de Dislexia como:

  • DIS – distúrbio, inabilidade

  • LEXIA – (grego) linguagem; (latim) leitura

  • ALEXIA – perda da capacidade já adquirida de ler

  • DISLEXIA – distúrbio de perda de capacidade de leitura

  • A dislexia é uma deficiência em um componente específico do sistema de linguagem no módulo fonológico que é a parte funcional do cérebro onde os sons da linguagem são reconhecidos e formam as palavras.

  • Antes que as palavras sejam identificadas, entendidas, armazenadas ou recuperadas, devem ser segmentadas em fonemas (unidades menores), para serem processadas pelo sistema lingüístico em linguagem que é o único código reconhecido pelo mesmo, ativando o código fonológico tanto da fala quanto da leitura.

http://www.educacaodefuturo.com.br/arquivos/DOC-Dominancia_Cerebral.pdf

Compreendendo melhor

COMPETÊNCIA

  • DESCRITORES DE HABILIDADES

  • C1: Dominar os conhecimentos e as capacidades que concorrem para a apropriação da tecnologia da escrita.

  • Fonte: PROALFA – Boletim Informativo pág. 9

  • D1: Identificar letras do alfabeto;

  • D2: conhecer as direções e o alinhamento da escrita na LP;

  • D3: Diferenciar letras de outros sinais gráficos, como números, sinais de pontuação ou outros sistemas de representação;

  • D4: Identificar o nº de sílabas (consciência sílaba):

  • D5: Identificar sons, sílabas e outras unidades sonoras (consciência fonológica e fonêmica)

  • D6: Identificar o conceito de palavra (consciência de palavras)

  • D7: Distinguir, como, leitor, diferentes tipos de letras

Parte A

TRAIL MAKING Parte B

Teste Stroop

Teste Stroop

QUEM É AFETADO PELA DISLEXIA PERCEPTUAL?

  • Por volta de 46-50% dos que apresentam dificuldades escolares ou problemas de leitura e compreensão.

  • Cerca de 33% de quem tem TDAH, dislexia ou problemas de comportamento.

  • Em torno de 12-14% da população em geral.

A DISLEXIA DE PERCEPÇÃO:

  • É um distúrbio vísuo-perceptual.

  • Afeta atividades de leitura e escrita.

  • Interfere em outras atividades da vida.

COMO OS INDIVÍDUOS AFETADOS VÊEM?

Medicamentos:

  • Medicamentos:

    • Estimulantes
    • Antidepressivos
    • Anti-hipertensivos
    • Estabilizadores do humor
    • Antipsicóticos
  • Terapias:

    • Psicoterapia
    • Abordagem psicopedagógica
    • Fonoaudiológica

Tratamento Medicamentoso

Alterações

Falha na Função Executiva

      • Atenção
      • Percepção
      • Planejamento
      • Organização
    • Falha na inibição comportamental
      • Hiperatividade
      • Impulsividade

ETIOLOGIA - complexa

  • Genética – não é clara, há correlação familiar, relação com a síndrome do X frágil, fenilcetonúria etc;

  • Ambiental – má nutrição, abuso e negligência;

  • Tóxica – chumbo e envenenamentos

  • Trauma – TCE;

  • Pré-natal – uso de drogas pela mãe, saúde precária, mãe jovem, infecção do SNC;

  • Outros – baixo peso ao nascer, infecção do SNC, etc.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

  • Psiquiátrico: TDO, TC, T. humor, Transtornos de ansiedade, tique, abuso de substâncias, T. global de desenvolvimento, de aprendizagem, TEPT, retardo mental e desempenho intelectual limítrofe;

  • Psicossociais: abuso e/ou negligência, má nutrição, violência na vizinhança, situação caótica na família, ser provocado nas escola;

  • Médicos: Surdez ou visão insuficiente, convulsões, Síndrome alcoólica fetal, Anormalidades genéticas, tireoideanas, medicamentos intoxicação por metal pesado.

Características positiva do problema

  • Simpáticos, extrovertidos, falantes

  • Comunicativos e inteligentes

  • Energia inesgotável

  • Temsempre idéias novas, brilhantes e criatigvos

  • Assumem e correm riscos

  • Defendem sus idéias

  • Gostam de novidades e coisas bonitas

  • Muitos descobrem um interesse especial onde conseguem “hiperconcentrar’’

Comentários