apostila forma espaço e ordem

apostila forma espaço e ordem

(Parte 1 de 6)

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

Professora: Elaine Garrido Vazquez e-mail: elaine@poli.ufrj.br

Monitora: Luciana de Oliveira Amancio e-mail: luciana_oliveira@poli.ufrj.br

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

1.1. FORMA ESPAÇO E ORDEM4
1.2. FORMA E ESPAÇO4
1.3. ANÁLISE GRÁFICA4
1.4. OBJETO ARQUITETÔNICO E QUALIDADES FORMAIS4
1.5.1. CONTEXTO – CONCEPÇÃO5
1.6. ELEMENTOS PRIMÁRIOS6
1.6.1. PONTO6
1.6.2. RETA6
1.6.3. PLANO7
1.6.3.1. PLANO DE BASE7
1.6.3.2. PLANO DAS PAREDES8
1.6.3.3. PLANO DE TETO8
1.6.4. VOLUME9
1.7. FORMA9
1.8. FORMATO10
1.9. FIGURAS PRIMÁRIAS10
1.9.2. SÓLIDOS PRIMÁRIAS1
1.10. FORMAS REGULARES E IRREGULARES12
1.10.1. TRANSFORMAÇÃO DA FORMA12
1.10.2. TRANSFORMAÇÃO13
1.10.3. COMENTÁRIOS DE LE CORBUSIER A RESPEITO DA FORMA13
1.10.4. COLISÕES FORMAIS DE GEOMETRIA13
1.1. FORMA E ESPAÇO14
1.1.1. FUNDO E FIGURA14
1.1.2. ARQUITETURA15
1.1.2.1. FORMA E ESPAÇO CIRCUNDANTE – FIGURA (+) E FUNDO (-)15
1.1.3. ELEMENTOS HORIZONTAIS DEFININDO O ESPAÇO16
1.1.3.1. PLANO DE BASE16
1.1.3.2. PLANO DE BASE ELEVADO16
1.1.3.3. PLANO DE BASE REBAIXADO17
1.1.3.4. PLANO SUPERIOR18
1.1.3. ELEMENTOS VERTICAIS DEFININDO O ESPAÇO18
1.1.3.1. ELEMENTOS RETILÍNEOS VERTICAIS19
1.1.3.2. PLANO VERTICAL ÚNICO19
1.1.3.3. PLANO EM FORMA DE L20
1.1.3.4. PLANOS PARALELOS20
1.1.3.5. PLANO EM FORMA DE U20
1.1.3.6. QUATRO PLANOS FECHAMENTO21
1.12. ABERTURAS EM ELEMENTOS DEFINIDORES DE ESPAÇO21
1.12.1. POSSIBILIDADES DE ABERTURA21
1.12.2. QUALIDADE DO ESPAÇO ARQUITETÔNICO2
1.12.3. GRAU DE DELIMITAÇÃO2
1.12.4. LUZ23
1.12.5. VISTA23

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

1.13.1. ORGANIZAÇÃO24
1.13.2. ORGANIZAÇÃO DA FORMA E DO ESPAÇO24
1.13.2.1. ABSORÇÃO - ESPAÇO DENTRO DE UM ESPAÇO24
1.13.2.2. INTERPENETRAÇÃO - ESPAÇOS INTERSECCIONAIS24
1.13.2.3. JUSTAPOSIÇÃO - ESPAÇOS ADJACENTES25
1.13.2.4. CONEXÃO - ESPAÇOS LIGADOS POR UM ESPAÇO COMUM25
1.13.3. TIPOS DE ORGANIZAÇÃO26
1.13.3.1. ORGANIZAÇÃO CENTRALIZADA26
1.13.3.2. ORGANIZAÇÃO LINEAR26
1.13.3.3. ORGANIZAÇÃO RADIAL27
1.13.3.4. ORGANIZAÇÃO AGLOMERADA27
1.13.3.5. ORGANIZAÇÃO MALHA27
1.13.3.6. ORGANIZAÇÃO ESPACIAL28
1.13.4. GÊNESE DA FORMA ARQUITETÔNICA28
1.13.5. DEMARCAÇÃO DO ESPAÇO:29
1.13.5.1. METRO PADRÃO29
1.13.5.1.1. OUTROS SISTEMAS DE REFERÊNCIA29
1.13.6. PRINCÍPIOS DA ORDEM29
1.13.6.1. EIXO30
1.13.6.2. SIMETRIA30
1.13.6.3. HIERARQUIA30
1.13.6.4. RITMO31
1.13.6.5. DADO31
1.13.6.6. TRANSFORMAÇÃO31
1.13.7. TRAÇADOS REGULARES32
1.13.8. ESCALA E PROPORÇÃO32
1.13.8.1. TEORIAS DA PROPORÇÃO32
1.13.8.1.1. SEÇÃO ÁUREA3
1.13.8.1.1.1. SEÇÃO ÁUREA E SÉRIE DE FIBONACCI34
1.13.8.1.2. ORDENS CLÁSSICAS34
1.13.8.1.3. TEORIAS RENASCENTISTAS34
1.13.8.1.4. MODULO35
1.13.8.1.5. KEN36
1.13.8.1.6. ANTROPOMETRIA37

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

1.1. FORMA ESPAÇO E ORDEM

Projeto de Arquitetura: Concepção em resposta a um conjunto de condições existentes.

• Natureza funcional; • Condicionante social política e econômica;

Estudo dos elementos e princípios essenciais. A forma e o espaço não são apresentados como fins, mais como meio para solucionar um problema em resposta às condições funcionais da arquitetura.

1.2. FORMA E ESPAÇO

É possível estabelecer uma analogia com a maneira como precisamos conhecer, e compreender o alfabeto antes que possamos formar palavras e desenvolver um vocabulário. De maneira semelhante temos que conhecer os elementos básicos da forma e do espaço e entendermos como podem ser manipulados no desenvolvimento de um projeto arquitetônico.

1.3. ANÁLISE GRÁFICA

Visão geral dos elementos, sistemas e organizações básicas que compõe uma obra arquitetônica. Os elementos se inter-relacionam para formarem um todo integrado.

• Sistema Espacial: Integração tridimensional dos elementos e espaços acomoda funções múltiplas da casa.

• Sistema Estrutural: As vigas e as lajes se apóiam numa malha de colunas.

• Sistema de Delimitação: Quatro planos de paredes externas definem um volume retangular.

• Sistema de Circulação: A escada e a rampa ligam os três níveis.

1.4. OBJETO ARQUITETÔNICO E QUALIDADES FORMAIS

Utilizados na forma de analise gráfica, estes desenhos visam decompor exemplos significativos de objetos arquitetônicos tendo como interesse principal a compreensão de suas qualidades formais;

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

A análise gráfica visa decompor objetos arquitetônicos, tendo como interesse principal a compreensão de suas qualidades formais. Aspectos fundamentais de uma edificação.

1.5.1. CONTEXTO – CONCEPÇÃO

1 - Forma externa simples.

2 - Organização interna complexa (formas e espaços).

3 - Elevação do pavimento principal (vista melhor e evita umidade do solo).

4 - Terraço jardim – distribui a luz do sol aos espaços ao seu redor.

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

“Toda forma pictórica começa com o ponto que se coloca em movimentoO ponto se
movee a reta nasce – a primeira dimensão. Se a reta se desloca para forma um plano,

1.6. ELEMENTOS PRIMÁRIOS obtemos um elemento bidimensional. No movimento do plano para espaços, o encontro de planos dá surgimento ao corpo (tridimensional)...”

Elementos primários da forma na ordem de seu desenvolvimento desde o ponto até uma reta unidimensional, e de um plano a um volume tridimensional.

Cada elemento é primeiramente considerado como um elemento conceitual e, a seguir, como um elemento visual no vocabulário do projeto arquitetônico.

Indica uma posição no espaço. Conceitualmente, não em comprimento, largura ou profundidade, e é, portanto estático, centralizado e sem direção.

Embora um ponto teoricamente não tenha formato, ele começa a se fazer sentir quando situado dentro de um campo visual.

Um ponto não tem dimensão. Qualquer elemento colunar é visto no plano como um ponto e, portanto, conserva a característica visual de um ponto.

Transladando-se um ponto obtém-se a reta com propriedades: comprimento, direção e sentido, porém não tem largura. Expressa direção, movimento e desenvolvimento.

Podemos observar elementos retilíneos verticais, como as colunas, os obeliscos e as torres.

Universidade Federal do Rio de Janeiro DCC - Departamento de Construção Civil

Disciplina: Arquitetura

Transladando-se uma reta obtém-se um plano com propriedades: comprimento, largura, formato, superfície, orientação e posição. Porém não tem profundidade.

Propriedades suplementares: cor, padrão e textura; Três tipos genéricos de planos – plano de base, plano das paredes e plano superior;

Plano de Base – Plano de Solo, Fundação Física

O edifício pode fundir-se como plano de solo, assentar-se firmemente sobre ele ou elevar-se acima dele.

Exemplos: Machu Picchu, templos e igreja. Um plano de solo pode ser manipulado para se estabelecer uma base para a edificação. • Elevado a fim de um significado (proteção e sagrado).

• Escavado a fim de proporcionar uma plataforma apropriada sobre a qual construir.

(Parte 1 de 6)

Comentários