Educação Inclusiva - Libras II

Educação Inclusiva - Libras II

A Educação Especial é uma modalidade de Educação Escolar que perpassa todos os níveis, etapas e modalidades de ensino, realiza o atendimento educacional especializado, disponibiliza os serviços e recursos próprios desse atendimento e orienta os alunos e seus professores quanto à sua utilização nas turmas comuns do ensino regular.

  • A Educação Especial é uma modalidade de Educação Escolar que perpassa todos os níveis, etapas e modalidades de ensino, realiza o atendimento educacional especializado, disponibiliza os serviços e recursos próprios desse atendimento e orienta os alunos e seus professores quanto à sua utilização nas turmas comuns do ensino regular.

“Art. 58 . Entende-se por educação especial, para os efeitos desta lei, a modalidade de educação escolar, oferecida, preferencialmente, na rede regular de ensino, para educando portadores de necessidades especiais.”

  • “Art. 58 . Entende-se por educação especial, para os efeitos desta lei, a modalidade de educação escolar, oferecida, preferencialmente, na rede regular de ensino, para educando portadores de necessidades especiais.”

  • ..........................................................................................................................................

  • “Par. 2º O atendimento educacional será feito em classes, escolas ou serviços especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas classes comuns do ensino regular”.

“ Admitir a possibilidade de substituir o ensino regular pelo ensino especial não potencializa a adoção de uma política de educação inclusiva, pois está em confronto com o que dispõe a própria LDBEN em seu artigo 4º, inciso I e em seu artigo 6º e com a constituição Federal, que também determina que o acesso ao Ensino Fundamental é obrigatória ( art. 208, inc. I)”.

  • “ Admitir a possibilidade de substituir o ensino regular pelo ensino especial não potencializa a adoção de uma política de educação inclusiva, pois está em confronto com o que dispõe a própria LDBEN em seu artigo 4º, inciso I e em seu artigo 6º e com a constituição Federal, que também determina que o acesso ao Ensino Fundamental é obrigatória ( art. 208, inc. I)”.

A Educação Especial deve proporcionar, através do atendimento educacional especializado, o desenvolvimento pleno das potencialidades do educando com Necessidades Educacionais Especiais, complementando e/ou suplementando a formação desses alunos respeitando suas limitações, através de programas de enriquecimento curricular.

  • A Educação Especial deve proporcionar, através do atendimento educacional especializado, o desenvolvimento pleno das potencialidades do educando com Necessidades Educacionais Especiais, complementando e/ou suplementando a formação desses alunos respeitando suas limitações, através de programas de enriquecimento curricular.

São aqueles que, por alguma espécie de limitação: física, sensorial, cognitiva, ou por possuir altas habilidades ou transtornos do desenvolvimento, necessitam de certas modificações e/ou adaptações curriculares no programa educacional e recursos didáticos e equipamentos especiais para sua aprendizagem e desenvolvimento a fim de que possam atingir seu potencial máximo.

  • São aqueles que, por alguma espécie de limitação: física, sensorial, cognitiva, ou por possuir altas habilidades ou transtornos do desenvolvimento, necessitam de certas modificações e/ou adaptações curriculares no programa educacional e recursos didáticos e equipamentos especiais para sua aprendizagem e desenvolvimento a fim de que possam atingir seu potencial máximo.

Os alunos que têm necessidades educacionais especiais por conta de uma deficiência, de transtornos globais do desenvolvimento, de transtornos funcionais específicos e de possuir altas habilidades/superdotação.

  • Os alunos que têm necessidades educacionais especiais por conta de uma deficiência, de transtornos globais do desenvolvimento, de transtornos funcionais específicos e de possuir altas habilidades/superdotação.

  •  

São aqueles têm impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que em interação com diversas barreiras podem ter restringida sua participação plena e efetiva na escola e na sociedade.

  • São aqueles têm impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que em interação com diversas barreiras podem ter restringida sua participação plena e efetiva na escola e na sociedade.

São aqueles que apresentam alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e na comunicação um repertório de interesses e atividades restrito, esteriotipado e repetitivo. Exemplos: autismo e psicose infantil.

  • São aqueles que apresentam alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e na comunicação um repertório de interesses e atividades restrito, esteriotipado e repetitivo. Exemplos: autismo e psicose infantil.

  • São aqueles que apresentam dificuldades específicas de aprendizagem de origem neurológica.

São aqueles que demonstram potencial elevado em qualquer uma das diferentes áreas, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotricidade e artes. Também apresentam elevada criatividade, grande envolvimento na aprendizagem e realização de tarefas em áreas de seu interesse.

  • São aqueles que demonstram potencial elevado em qualquer uma das diferentes áreas, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotricidade e artes. Também apresentam elevada criatividade, grande envolvimento na aprendizagem e realização de tarefas em áreas de seu interesse.

  • *As definições do público-alvo não se esgotam na mera categorização e especificidades atribuídas a um quadro de deficiências, transtornos, distúrbios e aptidões.

Impedimento de longo prazo, de natureza física, intelectual e sensorial, que em interação com diversas barreiras podem ter restringida a participação plena efetiva na sociedade com as demais pessoas.

  • Impedimento de longo prazo, de natureza física, intelectual e sensorial, que em interação com diversas barreiras podem ter restringida a participação plena efetiva na sociedade com as demais pessoas.

  • Estado de redução notável do funcionamento intelectual significativamente inferior à média, associado a limitações pelo menos em dois aspectos do funcionamento adaptativo: comunicação, cuidados pessoais, competências domésticas, habilidades sociais, utilização dos recursos comunitários, autonomia, saúde e segurança, aptidões escolares, lazer e trabalho.

  •  

É a diferença existente entre a performance do indivíduo e a habilidade normal para a detecção sonora de acordo com os padrões estabelecidos pela ANSI, 1989. Perda auditiva bilateral total ou parcial, congênita ou adquirida, da capacidade de compreender a fala por meio do ouvido.

  • É a diferença existente entre a performance do indivíduo e a habilidade normal para a detecção sonora de acordo com os padrões estabelecidos pela ANSI, 1989. Perda auditiva bilateral total ou parcial, congênita ou adquirida, da capacidade de compreender a fala por meio do ouvido.

Comprometimento do aparelho locomotor que compreende o sistema ósseo articular, o sistema muscular e o sistema nervoso, produzindo quadros de limitações físicas de grau e gravidade variáveis, segundo os segmentos corporais afetados e o tipo de lesão ocorrida.

  • Comprometimento do aparelho locomotor que compreende o sistema ósseo articular, o sistema muscular e o sistema nervoso, produzindo quadros de limitações físicas de grau e gravidade variáveis, segundo os segmentos corporais afetados e o tipo de lesão ocorrida.

  •  

É a redução ou perda total da capacidade de ver com o melhor olho e após a melhor correção ótica. É uma limitação sensorial que pode atingir uma gravidade capaz de praticamente anular a capacidade de ver, abrangendo vários graus de acuidade visual.

  • É a redução ou perda total da capacidade de ver com o melhor olho e após a melhor correção ótica. É uma limitação sensorial que pode atingir uma gravidade capaz de praticamente anular a capacidade de ver, abrangendo vários graus de acuidade visual.

  • Alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e na comunicação como e um repertório de interesses e atividades restrito, esteriotipado e repetitivo.

Potencial elevado em qualquer uma das diferentes áreas, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotricidade e artes; elevada criatividade e grande envolvimento na aprendizagem.

  • Potencial elevado em qualquer uma das diferentes áreas, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotricidade e artes; elevada criatividade e grande envolvimento na aprendizagem.

  •  

Associação de duas ou mais deficiências de ordem física, sensorial, intelectual, emocional ou de comportamento social, com comprometimentos que acarretam atrasos no desenvolvimento global e na capacidade adaptativa.

  • Associação de duas ou mais deficiências de ordem física, sensorial, intelectual, emocional ou de comportamento social, com comprometimentos que acarretam atrasos no desenvolvimento global e na capacidade adaptativa.

  • *O que caracteriza uma deficiência não é ela em si mesma e sim o nível de desenvolvimento, as possibilidades funcionais, de comunicação, interação social e de aprendizagem que determinam as necessidades educacionais dessas pessoas.

  • As pessoas com alguma deficiência eram consideradas como degeneração da raça humana.

  • Deviam ser abandonadas ou eliminadas em função do incômodo que representavam aos seus familiares e à sociedade.

Com o predomínio da Igreja e seus dogmas as explicações relacionadas à questão da anormalidade estavam ligadas à crenças:

  • Com o predomínio da Igreja e seus dogmas as explicações relacionadas à questão da anormalidade estavam ligadas à crenças:

  • Na primeira metade da Idade Média estas pessoas eram perseguidas e exterminadas, pois eram consideradas “possuídas” por maus espíritos ou vítimas de sina diabólica ou feitiçaria.

  • Na segunda metade da Idade Média eram considerados dádivas divinas, portanto eram santificados, passando a ser vistos como merecedores de piedade.

Nessa época predominam as filosofias humanísticas, portanto há uma valorização do ser humano.

  • Nessa época predominam as filosofias humanísticas, portanto há uma valorização do ser humano.

  • Iniciam-se as primeiras observações, estudos e experiências relacionadas às pessoas com algum tipo de deficiência, focalizando as patologias, no contexto de um modelo predominantemente médico.

Houve uma preocupação com a educação das pessoas com deficiência.

  • Houve uma preocupação com a educação das pessoas com deficiência.

  • Essas pessoas eram atendidas em instituições especializadas voluntárias religiosas ou filantrópicas.

  • Não havia nenhum controle da qualidade da atenção que as pessoas com deficiência recebiam nas instituições.

  • Surgiram, também Escolas Especiais, Centros de Reabilitação e Oficinas de Trabalho, pois as pessoas começaram a admitir que as pessoas com deficiência poderiam ser produtivas se recebessem escolarização profissional.

A preocupação com a educação das pessoas com deficiência se traduz na tentativa de adaptação de ambientes comuns. Surgem, então, as classes especiais dentro das escolas comuns.

  • A preocupação com a educação das pessoas com deficiência se traduz na tentativa de adaptação de ambientes comuns. Surgem, então, as classes especiais dentro das escolas comuns.

  • Nesta fase os testes de inteligência desempenham um papel relevante, no sentido de identificar e selecionar apenas as crianças com potencial acadêmico.

Atualmente podemos participar de situações de ensino-aprendizagem em que se experimenta o convívio com expressões da diversidade humana, representando um desafio para os profissionais e pesquisadores da Educação.

  • Atualmente podemos participar de situações de ensino-aprendizagem em que se experimenta o convívio com expressões da diversidade humana, representando um desafio para os profissionais e pesquisadores da Educação.

  • O sistema educacional deve considerar e se estruturar para atender as necessidades educacionais especiais de todos os alunos.

Criação do Instituto dos Meninos Cegos, em 1854, atual Instituto Benjamin Constant.

  • Criação do Instituto dos Meninos Cegos, em 1854, atual Instituto Benjamin Constant.

  • Criação do Instituto dos Surdos- Mudos, em 1857, atual INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos.

  •  

  • Criação do Hospital Psiquiátrico da Bahia, hoje Hospital Juliano Moreira, para tratar as pessoas com deficiência intelectual.

  •  

É fundado o Instituto Pestalozzi, 1926 (especializada no atendimento às pessoas com deficiência intelectual).

  • É fundado o Instituto Pestalozzi, 1926 (especializada no atendimento às pessoas com deficiência intelectual).

  • É fundada a primeira Associação de Pais e amigos dos Excepcionais – APAE.

  • É criado o primeiro atendimento educacional especializado às pessoas com altas habilidades/Superdotação na Sociedade Pestalozzi.

Década de 90:

  • Década de 90:

  • a Declaração Mundial de Educação para todos, 1990 e a Declaração de Salamanca (1994) passam a influenciar a formulação das políticas públicas da educação inclusiva;

  • é implantada a Política Nacional de Educação Especial;

  • Em 2002:

  • são estabelecidas Diretrizes Curriculares Nacionais para formação de professores da educação básica, definindo que as instituições de nível superior devem prever em seu currículo conhecimentos sobre as especificidades dos alunos com necessidade educacionais especiais.

  • A LIBRAS é reconhecida como meio legal de comunicação.

Em 2004 o Ministério Público Federal divulga o documento O Acesso de Alunos com Deficiência às Escolas Classes Comuns da Rede Pública, com o objetivo de disseminar os conceitos e diretrizes mundiais para a inclusão. 

  • Em 2004 o Ministério Público Federal divulga o documento O Acesso de Alunos com Deficiência às Escolas Classes Comuns da Rede Pública, com o objetivo de disseminar os conceitos e diretrizes mundiais para a inclusão. 

  • Em 2005 é regulamentada a Lei de Libras pelo Decreto 5.626 .

  •  

  •  

  • Assegurar a inclusão escolar de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, orientando os sistemas de ensino para garantir:

A Educação Especial constitui oferta obrigatória dos sistemas de ensino e deve ser realizada em turno inverso ao da classe comum na própria escola, em salas de recursos, ou em centros especializados, portanto a “Educação Especial” não está vinculada à “Escola Especial” ou à “Classe Especial”.

  • A Educação Especial constitui oferta obrigatória dos sistemas de ensino e deve ser realizada em turno inverso ao da classe comum na própria escola, em salas de recursos, ou em centros especializados, portanto a “Educação Especial” não está vinculada à “Escola Especial” ou à “Classe Especial”.

O atendimento educacional especializado deve ser organizado em todas as etapas e modalidades da educação básica de forma articulada com o ensino comum, complementando e/ou suplementando a formação dos alunos, apoiando o desenvolvimento dos mesmos com vistas à autonomia e independência na escola e fora dela.

  • O atendimento educacional especializado deve ser organizado em todas as etapas e modalidades da educação básica de forma articulada com o ensino comum, complementando e/ou suplementando a formação dos alunos, apoiando o desenvolvimento dos mesmos com vistas à autonomia e independência na escola e fora dela.

  • Elaborar e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando duas necessidades específicas.

Dos tipos de Atendimento Educacional Especializado

  • Dos tipos de Atendimento Educacional Especializado

Atendimento educacional especializado, realizado preferencialmente na rede regular de ensino, em salas de recursos ou, extraordinariamente, em centros especializados para viabilizar o acesso e permanência, com qualidade, dos alunos com necessidades educacionais especiais na escola, disponibilizando programas de enriquecimento curricular.

  • Atendimento educacional especializado, realizado preferencialmente na rede regular de ensino, em salas de recursos ou, extraordinariamente, em centros especializados para viabilizar o acesso e permanência, com qualidade, dos alunos com necessidades educacionais especiais na escola, disponibilizando programas de enriquecimento curricular.

Constitui-se de atividades e recursos como: ensino e interpretação de Libras, sistema Braille, ensino de língua portuguesa escrita como 2ª língua, ensino de Sorobã, comunicação alternativa, tecnologias assistivas, educação física adaptada, enriquecimento e aprofundamento curricular, oficinas pedagógicas, realização de atividades para o desenvolvimento dos processos mentais superiores.

  • Constitui-se de atividades e recursos como: ensino e interpretação de Libras, sistema Braille, ensino de língua portuguesa escrita como 2ª língua, ensino de Sorobã, comunicação alternativa, tecnologias assistivas, educação física adaptada, enriquecimento e aprofundamento curricular, oficinas pedagógicas, realização de atividades para o desenvolvimento dos processos mentais superiores.

Alternativa de atendimento educacional especializado, ministrado a alunos com necessidades educacionais especiais temporárias ou permanentes, em razão de tratamento de saúde, que implique permanência prolongada em domicílio e impossibilite-os de freqüentar a escola.

  • Alternativa de atendimento educacional especializado, ministrado a alunos com necessidades educacionais especiais temporárias ou permanentes, em razão de tratamento de saúde, que implique permanência prolongada em domicílio e impossibilite-os de freqüentar a escola.

Alternativa de atendimento educacional especializado, ministrado a alunos com necessidades educacionais especiais temporárias ou permanentes, em razão de tratamento de saúde, que implique prolongada internação hospitalar e impossibilite-os de freqüentar a escola.

  • Alternativa de atendimento educacional especializado, ministrado a alunos com necessidades educacionais especiais temporárias ou permanentes, em razão de tratamento de saúde, que implique prolongada internação hospitalar e impossibilite-os de freqüentar a escola.

Atendimento educacional especializado a crianças com necessidades educacionais especiais do nascimento até os três anos de idade, caracterizado pelo emprego de estratégias de estimulação para o desenvolvimento físico, sensório-perceptivo, motor, sócio-afetivo, cognitivo e da linguagem.

  • Atendimento educacional especializado a crianças com necessidades educacionais especiais do nascimento até os três anos de idade, caracterizado pelo emprego de estratégias de estimulação para o desenvolvimento físico, sensório-perceptivo, motor, sócio-afetivo, cognitivo e da linguagem.

*As atividades desenvolvidas no atendimento educacional especializado diferenciam-se daquelas realizadas na sala de aula comum, não sendo substitutivas à escolarização.

  • *As atividades desenvolvidas no atendimento educacional especializado diferenciam-se daquelas realizadas na sala de aula comum, não sendo substitutivas à escolarização.

  • Para atuar na Educação Especial, o professor deve ter como base da sua formação, inicial e continuada, conhecimentos gerais para o exercício da docência e conhecimentos específicos da área.

  • Esta formação também deve contemplar conhecimentos acerca de Gestão de Sistema Educacional Inclusivo, tendo em vista o desenvolvimento de projetos em parceria com outras áreas, visando a acessibilidade arquitetônica, os atendimentos de saúde, a promoção de ações de assistência social, trabalho e justiça.

Processo que favorece a todos, indistintamente, o acesso ao meio comum; onde é dado a todos o direito de exercer a sua cidadania, independente de cor, idade, sexo, raça...”

  • Processo que favorece a todos, indistintamente, o acesso ao meio comum; onde é dado a todos o direito de exercer a sua cidadania, independente de cor, idade, sexo, raça...”

Fenômeno social, resultado de ações que são estabelecidas e mantidas por diferentes instituições, entre elas: o governo, a escola, instituições formadoras de educadores, pessoas com necessidade educativas especiais e suas famílias.

  • Fenômeno social, resultado de ações que são estabelecidas e mantidas por diferentes instituições, entre elas: o governo, a escola, instituições formadoras de educadores, pessoas com necessidade educativas especiais e suas famílias.

  •  

Os importantes avanços produzidos pela democratização da sociedade, em muito alavancada pelos movimentos de direitos humanos, apontam a emergência da construção de espaços sociais menos excludentes e de alternativas para o convívio na diversidade e a escola deve ser um dos espaços em que o exercício de uma política inclusiva contribua com a construção de uma sociedade mais justa.

  • Os importantes avanços produzidos pela democratização da sociedade, em muito alavancada pelos movimentos de direitos humanos, apontam a emergência da construção de espaços sociais menos excludentes e de alternativas para o convívio na diversidade e a escola deve ser um dos espaços em que o exercício de uma política inclusiva contribua com a construção de uma sociedade mais justa.

  •  

O movimento mundial pela Inclusão é uma ação política, cultural, social e pedagógica, desencadeada em defesa do direito de todos os alunos de estarem juntos aprendendo e participando, sem nenhum tipo de discriminação.

  • O movimento mundial pela Inclusão é uma ação política, cultural, social e pedagógica, desencadeada em defesa do direito de todos os alunos de estarem juntos aprendendo e participando, sem nenhum tipo de discriminação.

A educação inclusiva é um processo em que se amplia a participação de todos os alunos nos estabelecimentos de ensino regular, aprendendo e participando sem nenhum tipo de discriminação

  • A educação inclusiva é um processo em que se amplia a participação de todos os alunos nos estabelecimentos de ensino regular, aprendendo e participando sem nenhum tipo de discriminação

Implica na implementação de políticas públicas, na compreensão da inclusão como um processo que não se restringe à relação professor-aluno, mas que seja concebido como um princípio de educação para todos e valorização das diferenças.

  • Implica na implementação de políticas públicas, na compreensão da inclusão como um processo que não se restringe à relação professor-aluno, mas que seja concebido como um princípio de educação para todos e valorização das diferenças.

É aquela que garante a qualidade de ensino educacional a cada um de seus alunos, reconhecendo e respeitando suas potencialidades e necessidades.

  • É aquela que garante a qualidade de ensino educacional a cada um de seus alunos, reconhecendo e respeitando suas potencialidades e necessidades.

  •  

Uma escola somente poderá ser considerada inclusiva quando estiver organizada para favorecer a cada aluno, independentemente de etnia, sexo, idade, deficiência, condição social ou qualquer outra situação.

  • Uma escola somente poderá ser considerada inclusiva quando estiver organizada para favorecer a cada aluno, independentemente de etnia, sexo, idade, deficiência, condição social ou qualquer outra situação.

Comentários