Tecnologia das argamassas

Tecnologia das argamassas

Tecnologia das argamassas

Definições

Argamassa

Misturas homogêneas de um ou mais aglomerantes, agregados miúdos e água, podendo ter adicionado à esta materiais (aditivos) com a finalidade de melhorar determinadas propriedades. Tem a propriedade de aderir a materiais porosos e de endurecer após certo tempo.

Pasta Mistura de aglomerantes com água.

Componentes das argamassas

Cimento Cal Gesso Agregado miúdo (areia) Aditivos

Funções das argamassas

As argamassas de revestimento ou de assentamento possuem funções características, compatíveis com o seu uso. As funções mais comuns a serem comentadas são:

Distribuir uniformemente as cargas atuantes nas paredes por toda a área resistente dos componentes das alvenarias. Unir solidariamente as unidades das alvenarias e ajudalas a resistir aos esforços laterais. Absorver deformações naturais a que a alvenaria estiver sujeita Selar as juntas contra a penetração de água Proteger os elementos da base

Aplicação das argamassas

São utilizadas para assentamento de tijolos, blocos cerâmicos e de concreto, cerâmicas de revestimento de piso e parede, revestimento de paredes e tetos (emboço e reboco), regularização de pisos e reparos em peças de concreto.

Os componentes das argamassas possuem características próprias (particulares) que irão se manifestar quando utilizadas em conjunto, formando as argamassas.

Tecnologia das argamassas

Cada componente, isoladamente tem algumas propriedades físicas e químicas que irão influenciar no desempenho do conjunto.

As argamassas de assentamento são elos entre as unidades (tijolos) e tem as funções de distribuir as tensões, acomodar as deformações e promover uma boa aderência na interface unidade/argamassa.

Na escolha da argamassa, deve-se considerar os seguintes fatores:

Função da argamassa; Condições de exposição; Tipo de superfície de aderência; Equipamentos utilizados para aplicação.

As utilizações mais comuns das argamassas são para assentamentos em alvenarias e para revestimentos.

Revestimento de argamassa

“É o cobrimento de uma superfície com uma ou mais camadas superpostas de argamassa, apto a receber acabamento decorativo ou constituir-se e, acabamento final” NBR 13529/1995

Partes dos revestimentos argamassados:

Chapisco – é uma camadas de preparo da superfície, aplicado de forma contínua ou não e possui a finalidade de uniformizar a superfície quanto à absorção de água e melhorar a aderência do revestimento

Emboço – É a camada mais espessa do revestimento e tem a função de regularizar a superfície da base ou chapisco, proporcionando uma superfície capara de receber a camada de reboco ou constituir-se no acabamento final

Reboco - Camada de revestimento utilizada para cobrimento do emboço e permite receber o acabamento decorativo ou constituir-se no acabamento final.

Classificação dos revestimentos

Número de camadas:

Reverstimento em camada única

Constituido por um único tipo de argamasssa aplicado sobre a base, em uma ou mais demãos

Revestimento em duas camadas

Constituido por emboço e reboco aplicados sobre a base, em uma ou mais demãos

Ambiente de exposição

Revestimento em contato com o solo Revestimento externo Revestimento interno

Tecnologia das argamassas

Comportameto à umidade

Revestimento comum

Não apresenta propriedades diferenciadas quanto às propriedades específicas como umidade ou calor.

Revestimento de permeabilidade reduzida

Reduz a passagem de água por capilaridade ou por pressão, alterando-se sua composição, espessura ou número de camadas

Revestimento hidrófugo

Revestimento que inibe quase que totalmente a absorção de água por capilaridade, sem dificultar a difusão do vapor de água.

Comportamento à radiações Revestimento de proteção radiológica

Comportamento ao calor Revestimento Termoisolante

Acabamento de superfície

Camurçado Chapiscado Desempenado Sarrafeado Imitação travertino Lavado Raspado

Classificação das argamassas

As argamassa podem pussuir diversos tipos de classificação. Quanto ao uso:

Argamassa de assentamento Argamassa de revestimento de paredes Argamassa de revestimento de piso Argamassas colantes

Argamassa de recuperação de estruturas

Argamassa aérea Preparada com aglomerantes aéreos

Argamassa hidráulica Preparada com aglomerantes hidráulicos

Argamassa de cal Preparada com a cal como aglomerante

Argamassa de cimento

Tecnologia das argamassas

Preparada com o cimento como aglomerante

Argamassa de cimento e cal Preparada com o cimento e a cal como aglomerantes

Argamassa simples Argamassa preparada com um único aglomerante

Argamassa mista Argamassa preparada com dois ou mais aglomerantes

Argamassa aditivada

Possui características no estado fresco ou endurecido melhoradas pelo uso de algum aditivo

Adições Materiais inorgânicos, finamente divididos, adicionados às argamassas para modificar algumas propriedades e cuja quantidade é levada em consideração no proporcionamento

Aditivo Produto adicionada à argamassa em pequena quantidade que tem a função de melhorar alguma propriedade no estado fresco ou endurecido. Sua quantidade não é levada em consideração no proporcionamento.

Argamassa de aderência melhorada

Argamassa colante

Argamassa na qual são adicionados polímeros que modificam as características quando da adição de água, formando uma massa viscosa, plástica e aderente

Argamassa redutora de permeabilidade

Argamassa radiológica

Argamassa de cimento que contém barita (sulfato de bário) ou outro tipo de agregado que impeça a passagem de radições.

Argamassa termoisolante

Possui caracteristicas de elevada aeração ou com uso de agregado leve que confere menor condutividade térmica em relação à argamassa comum.

Argamassa de chapisco Argamassa de emboço Argamassa de reboco Argamassa dosada em central Argamassa preparada em obra

Tecnologia das argamassas

Argamassa industrializada

Argamssas especiais

Quanto à composição química básica

Argamassas inorgânicas Argamassa orgânicas Argamassas poliméricas Argamassas de base epóxi Argamassas de base fenólica

Argamassas Poliméricas São também denominadas como argamassas de base mineral, cujo processo de endurecimento está baseado na reação do cimento com a água de amassamento e brita com granulometria contínua. Apresentam retração compensada e propriedades tixotrópicas, ou seja, permitem sua aplicação com colher de pedreiro e utilização em superfícies inclinadas ou verticais.

Argamassas Orgânicas São materiais preparados com resinas orgânicas puras, por meio de reações de polimerização e endurecimento em ausência de água, obtendo-se aglomeração e resistências mecânica e química, quando expostas a ambientes agressivos. Também mantêm alto desempenho dos reparos e reforços com adequada aderência ao substrato

Argamassas à Base Epóxi É um dos materiais mais utilizados em reparos e reforços de estruturas de concreto, que podem ser fornecidas em dois ou rês componentes: - - resina epóxi;

- - endurecedor a base de amina ou poliamidas;

- agregados selecionados.

Apresentam boa aderência e resistência a mecanismos físicos e mecânicos. Porém, expostas a temperaturas maiores do que 70 °C, sua resistência é diminuída, sendo esta sua principal desvantagem (CÁNOVAS, 1988).

Argamassas à Base Fenólica Segundo CÁNOVAS (1988), estas argamassas são constituídas de resina fenolformaldeído, com adição de filleres a base de sílica-carbono, coque pulverizado ou barita e catalisador ácido. Apresentam resistência elevada a ácidos minerais e sais inorgânicos, bem como soluções levemente oxidantes e temperaturas elevadas (em torno de 175 °C).

Argamassas à Base de Poliéster Estas argamassas podem ser definidas como argamassas de base éstervinílica, sendo consideradas como um produto tri-componente de resina em solução, catalisador e filleres inertes com modificadores de solução. Apresentam excelente

Tecnologia das argamassas resistência mecânica e química frente a ácidos, mas não toleram produtos cáusticos e/ou alvejantes e temperatura superior a 115 °C.

Argamassas à Base Furânica são constituídas por resina líquida, catalisador e filler de composição idêntica à argamassa de base fenólica. Apresentam resistência a ácidos não oxidantes, álcalis e solventes como gases, óleos, graxas e detergentes, e toleram temperaturas de até 200 °C.

Argamassas inorgânicas As argamassas inorgânicas são as mais utilizadas na construção civil convencional e sãos aquelas normalmente produzidas em obra e são constituidas por areia, cimento, cal, gesso e água e podem conter algum aditivo para melhorar suas características.

Bibliografia utilizada e sugerida como leitura complementar:

1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.NBR 13279: Argamassa para assentamento de paredes e revestimento de paredes e tetos – Determinação da resistência à compressão. Rio de janeiro, Abril. 1995.

2. BAUER, L. A. F. Materiais de construção.

3. CÁNOVAS, M. Patologia e Terapia do Concreto armado. 1 ed. São Paulo: Pini, 1988. 522p.

4. HELENE, P. Manual para Reparos, Reforço e Proteção de Estruturas de Concreto. 2. ed. São Paulo: Pini, 1992. 213p.

5. NEVILLE, A. M. Propriedades do concreto. 6. PINTO, J. A do N. Elementos para a dosagem de argamassas.

7. SOUZA, V.C.M, RIPPER, T. Patologia, recuperação e reforço de estruturas de concreto, -São Paulo, Pini, 1998

Comentários