Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas

Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde Módulo Promovendo a...

(Parte 1 de 4)

Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde

Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas

Brasília, 2005

Brasil. Fundação Nacional de Saúde.

Formação inicial para agentes indígenas de saúde: módulo promovendo a saúde e prevenindo doenças endêmicas / Fundação Nacional de Saúde. - Brasília : Fundação Nacional de Saúde, 2005. 4 p.

1. Saúde dos Povos Indígenas. 2. Capacitação em serviço. 3. Doenças Endêmicas. I. Título.

É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte.

Impresso no Brasil Printed in Brazil

Copyright © 2005 Fundação Nacional de Saúde (Funasa) Ministério da Saúde

Editor Assessoria de Comunicação e Educação em Saúde Núcleo de Editoração e Mídias de Rede/Ascom/Presi/Funasa/MS Setor de Autarquias Sul, Quadra 4, Bl. N. 5º andar - sala 511 70.070-040 - Brasília/DF

Distribuição e Informação Departamento de Saúde Indígena Setor de Autarquias Sul, Quadra 4, Bl. N, Telefone: 0XX61 314-6527/314-6340 70.070-040 - Brasília/DF

Tiragem 5.0 exemplares

Apresentação

O Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo as Doenças Endêmicas busca qualificar os Agentes Indígenas de Saúde (AIS), para atuarem em suas comunidades identificando os problemas de saúde relacionados às doenças endêmicas, decorrentes das mudanças do perfil epidemiológico nas comunidades indígenas.

O período de concentração, caracterizado pela reunião dos AIS das diversas aldeias em local estratégico que possibilite momentos de reflexão/teorização, tem uma carga horária de 120 horas e o período de dispersão, momento em que os AIS retornam às suas aldeias para a realização das atividades previstas como parte de seu próprio trabalho, conta com 60 horas a serem supervisionadas pelos instrutores/supervisores, que são os profissionais de nível superior das equipes de saúde que atuam na área indígena. Nesse momento, ele supervisiona as ações dos AIS previstas nas avaliações curriculares, assim como a organização e funcionamento dos serviços de saúde da área.

Os conteúdos a serem trabalhados nesse módulo curricular estão centrados nas mudanças ambientais, culturais e econômicas e seus impactos no meio ambiente, nos modos de viver e estratégias de sobrevivência das populações indígenas, na cadeia de transmissão, na atenção básica às doenças endêmicas prevalentes, seus procedimentos e tratamentos padronizados, no controle de endemias, no sistema de informação sobre a saúde indígena – SIASI e na educação em saúde enfocando orientação e acompanhamento nas ações de vigilância à saúde e ao meio ambiente.

A presente proposta curricular, implantada a partir de 1999, está sendo avaliada por especialistas, com vistas a sua reformulação em consonância com a Política de Atenção Básica aos Povos Indígenas, para que efetivamente possa se constituir em um dos pilares desse modelo de atenção. Pretende-se com isto uma nova orientação ao processo de formação dos AIS, na perspectiva de fortalecimento dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas.

Alexandre Rocha Santos Padilha Diretor do Departamento de Saúde Indígena (Desai/Funasa)

Sumário

I - Módulo: promovendo a saúde e prevenindo doenças endêmicas7
I - Formação inicial para agentes indígenas de saúde – Proposta modular8
I - Seqüências de atividades9
- Percebendo nossa realidade9
- Entendendo o processo saúde-doença1
- Promovendo a saúde e intervindo no processo saúde-doença12
- Dispersão21
IV - Carga horária sugerida23
V - Texto de apoio25
VI - Texto interativo26
VII - Materiais utilizados29
VIII - Fichas30

Apresentação IX - Referências bibliográficas ................................................................................42

Formação Inicial para Agentes Indígenas de Saúde - Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas7

I – Módulo: promovendo a saúde e prevenindo doenças endêmicas

1. Objetivos a) geral:

Capacitar os agentes indígenas de saúde para identificarem os problemas de saúde relacionados às doenças endêmicas decorrentes das mudanças no perfil epidemiológico das comunidades indígenas, visando à resolução precoce e livre de riscos para a população.

b) específicos:

• identificar nas comunidades indígenas os fatores ambientais e alimentares que predispõem à ocorrência de doenças;

• reconhecer como as comunidades indígenas utilizam estrategicamente os recursos de que dispõem, elaborando esquemas de sobrevivência e adaptação ao meio ambiente e à sociedade envolvente;

• reconhecer as doenças endêmicas (tuberculose, malária, doença de Chagas, dengue, febre amarela, leishmaniose visceral) pelos sinais e sintomas mais característicos, seus modos de transmissão, tratamentos padronizados e medidas de vigilância, prevenção e controle;

• acompanhar a aplicação de tratamentos padronizados para tuberculose e malária;

• reconhecer a importância e implementar práticas educativas relacionadas ao meio ambiente e aos hábitos alimentares, com a participação da comunidade;

• participar da organização do Dsei enquanto Sistema Local de Saúde;

• participar da implementação do Sistema de Informação da esfera local;

• identificar situações e proceder encaminhamentos para serviços de referência em casos de tracoma.

* As doenças: chagas, tracoma, oncocercose, leishmaniose visceral, etc. serão trabalhadas conforme o perfil epidemiológico regional. ** As doenças hanseníase e leishmaniose tegumentar serão trabalhadas conforme o perfil epidemiológico regional.I – Formação Inicial para agentes indígenas de saúde – Proposta modularCarga horária total: 1.080 horas; Carga horária: Concentração: 700 horas/Carga horária: Dispersão: 380 horas

Eixos T emáticos

Módulo Introdutório

Módulo Doenças Endêmicas

Módulo DST/Aids

Módulo Parasitoses Intestinais e Doen

-ças de Pele

Módulo Saúde da Mulher

, da Criança e Saúde Bucal

Módulo Saúde do Adulto e Atendimento de Urgências

Per cebendo nossa realidade

H i s t ória d os p o v os i d í g e nas e da relaçã inter cultural.

• Território indígena:

ocu - pação e transformações.

• Mudanças a mbientais, culturais, e c o n ô micas d os m o d os de viver dos povos indígenas.• Impacto sobre o meio ambiente e saúde.• Estratégia de sobrevivência dos povos indígenas.

• Aspectos do entorno e riscos da relação inter cultural.

• Relação inter cultural e conse qüências para a saúde.

• Saúde e meio ambiente.• Mudanças culturais e nos modos de vida das popula ções indígenas.• Formas de relação entre os seres vivos.

• Papéis sociais nas comu nidades indígenas.• Família indígena.• Ciclo biológico.• Padrões culturais de a l i - mentação indígena.

Modos de vida e trabalho da população adulta e idosa nas comunidades indígenas.

Entendendo o processo saúde/doença

O processo saúde/doença e seus determinantes.

• Conceitos de trans missibilidade e cadeia de transmissão.• Conceitos de ambiente e adap tação.

• Conceitos de risco e vulnera bilidade, ambiente saudável e contaminação.•

C a deia de tra n s m i s s ã o das doenças.

• Conceito de trans m i s s i b i l i - dade das doenças e sua relação com o meio ambiente.•

Relação entre os seres vivos e o meio ambiente.

• Conceitos de vulnerabili dade e de risco no ciclo biológico.• Conceitos de i munidade e resistência.• R e l a ç ões e ntre h á b i t os alimentares e doenças.

Conceito de vulnerabilidade e de risco aplicado à popu lação adulta e idosa.• Conceito de cronicidade

Promovendo a saúde e intervindo no processo saúde/doença

Introdução aos conceitos de tra n s m i s s i b i l i d a de, p r e v e n ç ã o e i n t e r v e ção.• Atenção básica em IRA, diarréia e desidratação.•

P r o c e d i m e n t os e trata- mentos padronizados.• Ações de vigilância e m saúde.

• Atenção básica e m tuberculose, malária e dengue. *• Controle de endemias.•

P r o c e d i m e n t os e trata m e n t os padronizados.• Ações de vigilância em saúde.

• Atenção básica nas DST/Aids

H e patites de tra n s m i s s ã hematogênica e sexual.• A l c o o l i s mo co mo fator de risco para as DST/Aids.• P r o c e d i mentos e trata mentos padronizados.•

P r o c e d i m e n t os de li m peza, d e s i n f e c ç ã o, e s t e r i l i z a ç ã o e biossegurança.

Atenção básica nas parasitoses intestinais,

Hepatite A e doenças que a c o m e t e m a pele. **• Procedimentos e tratamen tos padronizados.• Noções básicas de higiene e saneamento.•

A ç ões de v i g i l â ncia e m saúde.

• Atenção básica à mulher e criança indígena.•

P r o c e d i m e n t os e trata- mentos padronizados.• m u n i z a e m á r eas indígenas.• Ações básicas de saúde bucal.

• Agravos à saúde do adulto i n d í g e na d e c o r r e ntes das mudanças culturais e da ali - mentação (hipertensão arte - rial, diabetes, alcoolismo).• Conceito de risco de vida, ur gência e emer gência.

• Atendimento de ur gências.

Conhecendo e or ga - nizando os serviços de saúde

• L e v a n t a mento de dados demográficos e epidemi ológicos.•

Contexto cultural e político das comunidades in - dígenas.• Papel do AIS.•

C a d a s t r o e c e n s o das famílias.• Proposta dos Dseis.•

Or ganização do local de trabalho do AIS.• Educação em saúde.

• Discussão do papel do AIS.•

I mportância da vigilância e m saúde.• õ es d e c o n t r o l e d e demias.• Educação em saúde.•

Or ganização do Dsei.

• Sistema de In fo rmação da Aten ção à Saúde Indígena (Siasi).

• Sistema de referência e contra

- referência.• Notificação de doenças.• Trabalho na Casa de Saúde do

Índio.• Educação em saúde.

• Processo de trabalho.• Educação em saúde.• Vigilância do meio a m b i - ente.

• Ações de imunização.• Vigilância nutricional.•

A c p a h a m e n t d o c r e s c i mento e desenvolvi- mento.• Educação em saúde.

• P a r t i c i p a ç ã o de p l a n e j a - mento e avaliação das ações de saúde.• Remoção de pacientes.• Mobilização social.• Educação em saúde.

Car ga horária sugerida

C o n c e n t r horas• Dispersão: 60 horas• Total: 180 horas

• Concentração: 120 horas.• Dispersão: 60 horas.• Total: 180 horas.

• Concentração: 104 horas.• Dispersão: 60 horas.• Total: 164 horas.

• Concentração: 120 horas.• Dispersão: 60 horas.• Total: 180 horas.

C o n c e n t r horas.• Dispersão: 80 horas.• Total: 196 horas.

• Concentração:120 horas.• Dispersão: 60 horas.• Total: 180 horas.

Formação Inicial para Agentes Indígenas de Saúde - Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas9

I – Sequências de atividades

Concentração: Percebendo nossa realidade Seqüência de atividades 1

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

1 - Conte histórias das mudanças que aconteceram com o seu povo e como ele tem convivido com estas mudanças.

2 - De acordo com as histórias contadas, elabore duas listas: uma relacionada às mudanças ocorridas no meio ambiente e a outra relacionada às formas de obtenção de alimentos.

3 - Observe fotos sobre situações antigas e atuais relacionadas aos povos indígenas. Analise e compare as situações apresentadas nas fotos, apontando as diferenças e discuta por que elas ocorreram.

4 - Participe da plenária sobre as mudanças que ocorreram com os povos indígenas.

5 - Assista ao vídeo sobre o meio ambiente.

1 - Trabalhe com pequenos grupos. Identifique com antecedência uma pessoa idosa da comunidade que possa participar dos relatos das histórias. Ressalte as diferentes estratégias de sobrevivência adotadas pelos povos indígenas ao longo dos anos.

2 - Acompanhe os trabalhos nos grupos. Discuta as possíveis práticas de preservação do meio ambiente e de obtenção de alimentos.

3 - Selecione fotos para o exercício, retratando as seguintes situações: • casa antiga – casa moderna;

• pessoa de tanga – pessoa vestida;

• pessoa gorda – pessoa magra;

• mata virgem – área desmatada;

• roças diversas – monocultura;

• aldeia na mata - aldeia na periferia da cidade.

Divida a turma e oriente a atividade. Ofereça aos grupos as fotos comparativas, estimulando a análise e discussão sobre as situações retratadas. Na impossibilidade de se trabalhar com fotos, oriente os alunos para fazerem pesquisas/entrevistas nas aldeias e representarem as situações por meio de desenhos.

4 - Apóie na sistematização das discussões, enfocando as mudanças e conseqüências nos aspectos econômico, social e cultural (principalmente os relacionados ao modo de vida, alimentação, meio ambiente e saúde). Trabalhe com o grupo o conceito de risco ambiental decorrente de: destruição das florestas, extinção de espécies animais e vegetais, escassez de recursos naturais básicos e alimentos, poluição/contaminação ambiental (garimpos). Enfatize os impactos da deterioração ambiental para a saúde.

5 - Selecione filme sobre o tema e elabore roteiro de discussão para facilitar a atividade, chamando a atenção para a destruição do meio ambiente e suas conseqüências para o modo de viver dos povos indígenas, especialmente para a saúde. Na impossibilidade de se trabalhar com filme, selecione texto ou prepare uma palestra sobre o assunto.

Atividades do alunoOrientações para o instrutor Continuação

6 - Participe da plenária sobre propostas de solução para os problemas de saúde relacionados ao meio ambiente.

6 - Coordene a plenária, apoiando na elaboração de propostas para a vigilância ambiental. Estimule o debate sobre a viabilidade das propostas e o papel do agente neste trabalho junto à equipe de saúde. Destaque a importância das ações educativas e da mobilização e participação da comunidade. Lembre que haverá momentos posteriores para aprofundar a discussão e encaminhar as propostas.

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

1 - Discuta as seguintes questões: • qual é a alimentação tradicional de seu povo?

• os alimentos que são à base da alimentação de seu povo são produzidos na própria aldeia ou são trazidos de fora?

2 - Discuta as seguintes questões: • o que é alimentar-se bem?

• o que acontece quando uma pessoa não se alimenta bem?

3 - Leia o texto interativo e responda às questões sobre desnutrição.

4 - Participe da plenária sobre alimentação e desnutrição.

5 - Participe da palestra: Alimentação e saúde.

Concentração: Entendendo o processo saúde-doença Seqüência de atividades 2

1 - Divida a turma em grupos por comunidade, solicitando a listagem dos alimentos mais consumidos. Apóie na elaboração de um calendário anual com os períodos de safra e entressafra dos alimentos. Estimule o debate sobre as conseqüências da dependência de alimentos produzidos fora da aldeia.

2 - Mantenha as atividades em grupos, estimulando a discussão e esclarecendo dúvidas. Enfatize a importância para a saúde de se consumir alimentos variados e em quantidade adequada à idade e ciclo biológico. Oriente na listagem de sinais, sintomas e doenças relacionados à deficiência no consumo de alimentos, levando aos conceitos de nutrição e desnutrição.

3 - Divida a turma em três grupos e apóie as atividades.

4 - Coordene a sistematização das discussões, apoiando no agrupamento dos sinais e sintomas da desnutrição. Explore a relação entre alimentação, vulnerabilidade às doenças e o aparecimento de desnutrição e anemia, enfatizando suas conseqüências no organismo.

5 - Prepare a palestra destacando a dieta tradicional e enfatizando a importância de uma alimentação variada. Explore a classificação dos nutrientes, dando exemplos de alimentos tradicionais que contenham vitaminas, sais minerais, proteínas, etc.

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

Concentração: Promovendo a saúde e intervindo no processo saúde-doença Seqüência de atividades 3

1 - Desenhe uma história sobre o que você conhece da tuberculose.

2 - Participe da montagem um painel com os desenhos e a história da tuberculose.

3 - Participe da apresentação da história da tuberculose.

4 - A partir das histórias apresentadas, responda às seguintes perguntas: • como se “pega” tuberculose?

(Parte 1 de 4)

Comentários