PCI - Método Térmico

PCI - Método Térmico

(Parte 1 de 3)

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 1 de 8

Este guia foi escrito por Lucas Zampar Bernardi.

Maiores informações podem ser obtidas em w.zampar.com.br ou ainda se quiserem podem entrar em contato diretamente com o autor, o e-mail é lucas@zampar.com.br

Ele pode ser distribuído livremente total ou parcial, sem a necessidade de autorização por parte do autor, desde que sejam publicados o nome do autor e o endereço dasua página na Internet em local visível.

Este guia que irei apresentar, foi compilado por mim após inúmeras pesquisas na Internet, e exaustivos testes na minha oficina.

A principal vantagem que vocês irão perceber é a facilidade de aplicação quando comparado a outros métodos, por exemplo, o fotográfico; e também o resultado: uma placa com acabamento profissional, mas com um custo de produção reduzido. Tornando-o ideal para a fabricação de protótipos em pequenas quantidades.

Uma outra grande diferença que este guia irá apresentar é o método de corrosão. No Brasil os protótipos, quando feitos à mão (caso da maioria dos hobbistas), são corroídos em um banho de percloreto de ferro. Esse método é muito barato, porém tem as suas desvantagens:

• Micro-imperfeições na placa após a corrosão, que pode gerar mau contatos, e em alguns casos nas placas de RF pode causar o não funcionamento total do circuito.

• Grande sujeira e manchas nas roupas para os descuidados (Como eu!).

• Para uma corrosão mais profissional, necessidade de um agitador e um aquecedor (a temperatura ideal do banho em percloreto é em torno de 45°C).

O método de banho para corrosão usado neste guia também é químico, porém bem mais eficiente no quesito tempo e qualidade final, porém traz suas desvantagens como o custo, que é relativamente maior; e a toxidade, já que estaremos usando alguns produtos químicos perigosos. Maiores detalhes serão dados posteriormente.

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 2 de 8

Primeiro passo:

Imprima o layout que deseja em papel Glossy com uma impressora a laser.

Lembre-se de colocar como opções de impressão:

(A impressora aplica mais toner na folha com uma resolução superior)

• Folha de alta gramatura ou transparência. (A folha passa na velocidade ideal sem ficar empenada)

Se não tiver uma impressora a laser, pode tentar imprimir o layout em uma máquina de xerox, porém a qualidade não irá ficar muito boa, devido à resolução da máquina.

Em meus testes, só obtive resultados satisfatórios usando o toner original da impressora. Os pós usados em toners recondicionados são de qualidade inferior, ou o seu ponto de fusão é maior, tornando a placa cheia de defeitos ao transferir.

Ter que imprimir a folha em modo espelhado ou não, depende da saída do programa que você usa. No meu caso não precisei espelhar (Uso o software Proteus).

É só você imprimir em uma folha sulfite normal e testar.

Segundo passo:

Com álcool isopropílico e palha de aço, limpe a placa de cobre virgem. Procure fazer movimentos circulares com a palha, mantendo-a sempre bem umedecida com álcool.

Logo após que terminar a limpeza, enxágüe a placa com água, seque-a com um pano macio (uma toalha limpa é perfeita para esse serviço) e guarde-a fora da sujeira e da poeira. Tenha certeza que não haja nenhum resquício de gordura na placa, senão o toner não irá se fixar perfeitamente, surgindo falhas.

Para não surgirem impressões digitais na placa e para sua própria segurança, recomendo que use luvas durante todo o processo. Uma luva que não incomoda muito é a de látex, usada em procedimentos cirúrgicos.

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 3 de 8

Terceiro passo:

Iremos agora preparar a solução para o banho de corrosão da placa.

Tome muito cuidado com essas substancias químicas, principalmente com o ácido clorídrico a 45%. Se quiser ter uma idéia do estrago que ele poderia fazer a você, tente derrubar um pouco no chão e veja o que acontece!

Primeiro separe os componentes de acordo com as quantidades dadas a seguir:

350 mL Água 100 mL HCl - 45% de pureza

Com os nomes dados acima, ficará difícil você encontrá-los no comércio, mas:

• O HCl pode ser encontrado facilmente em casas de construção como ácido muriático. (limpa pedras) mortais como água oxigenada, pode ser encontrado nessa concentração em casas que vendem produtos para banhos em bijuterias.

Se tiver que mudar a concentração de algum desses produtos, siga a proporção dada na tabela acima.

Ao misturar todos os componentes lembre-se da regra que aprendemos no colegial:

Sempre dissolva o ácido na água e nunca a água no ácido!

Coloque o ácido previamente medido na água, depois coloque o peróxido de hidrogênio e agite bem a mistura.

Cuidado ao manejar essas substâncias, use equipamentos de proteção!

Se você gostar de química, aí vai a reação que ocorre durante o banho:

Enfim! Tudo está preparado, vamos agora começar a fazer a aplicação do papel glossy na placa de circuito impresso.

H2O2 Î H2O + O Cu + O Î CuO

CuO + 2 Hcl Î CuCl2 + H2O

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 4 de 8

Quarto passo:

Primeiramente posicione o papel glossy com a impressão no mesmo lado da face da placa de cobre.

Aqueça o ferro de passar roupa à temperatura suficiente para derreter o toner. No meu ferro coloco na posição “Poliéster”, que está quase no máximo do termostato.

(Parte 1 de 3)

Comentários