Exame Nacional do Ensino Médio

Exame Nacional do Ensino Médio

(Parte 1 de 8)

DO ENSINO MÉDIO (ENEM) Fundamentação Teórico-Metodológica

Diretoria de Avaliação para Certificação de Competências (DACC)Diretoria de Avaliação para Certificação de Competências (DACC)Diretoria de Avaliação para Certificação de Competências (DACC)Diretoria de Avaliação para Certificação de Competências (DACC)Diretoria de Avaliação para Certificação de Competências (DACC)

Equipe TécnicaEquipe TécnicaEquipe TécnicaEquipe TécnicaEquipe Técnica Ataíde Alves – Diretor de Avaliação para Certificação de Competências Dorivan Ferreira Gomes – Coordenador-Geral de Exames David de Lima Simões – Coordenador-Geral de Instrumentos e Medidas Educacionais Alberto Gustavo Brusa Gonzalez Alessandra Regina Ferreira Abadio Célia Maria Rey de Carvalho Fátima Deyse Sacramento Porcidônio Frank Ney Sousa Lima Gilberto Edinaldo Moura Irene Aparecida Braga Kelly Cristina Naves Paixão Jane Hudson de Abranches Marcio Andrade Monteiro Maria Cândida Muniz Trigo Mariana Ribeiro Bastos Migliari Maria Vilma Valente de Aguiar Milena Castro Amorim Suely Alves Wanderley Tereza Maria Abath Pereira

DO ENSINO MÉDIO (ENEM) Fundamentação Teórico-Metodológica

Inep Brasília | DF | 2005

COORDENADORA-GERAL DE LINHA EDITORIAL E PUBLICAÇÕES (CGLEP) Lia Scholze

COORDENADORA DE PRODUÇÃO EDITORIAL Rosa dos Anjos Oliveira

COORDENADOR DE PROGRAMAÇÃO VISUAL F. Secchin

EDITOR EXECUTIVO Jair Santana Moraes

REVISÃO Socorro Barbosa Eveline de Assis

NORMALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA Regina Helena Azevedo de Mello

DIAGRAMAÇÃO E ARTE-FINAL Raphael Caron Freitas

TIRAGEM 26.0 exemplares

EDITORIA Inep/MEC – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Esplanada dos Ministérios, Bloco L, Anexo I, 4º Andar, Sala 418 CEP 70047-900 – Brasília-DF – Brasil Fones: (61) 2104-8438, (61) 2104-8042 Fax: (61) 2104-9812 editoria@inep.gov.br

DISTRIBUIÇÃO Inep/MEC – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Esplanada dos Ministérios, Bloco L, Anexo I, 4º Andar, Sala 414 CEP 70047-900 – Brasília-DF – Brasil Fone: (61) 2104-9509 publicacoes@inep.gov.br http://www.inep.gov.br/publicacoes

A exatidão das informações e os conceitos e opiniões emitidos são de exclusiva responsabilidade dos autores.

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): fundamentação teórico-metodológica /

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. – Brasília : O Instituto, 2005. 121 p. : il.

1. Ensino médio. 2. Avaliação da educação. I. Título. CDU 373.2

APRESENTAÇÃO7
1EIXOS TEÓRICOS QUE ESTRUTURAM O ENEM1
uma reflexão pedagógica1313131313

Lino de Macedo

e como aprendizagem2929292929
a partir do Enem3737373737
1.4 Interdisciplinaridade e contextuação4141414141

Nílson José Machado

DO ENSINO MÉDIO5
no Enem5757575757

Zuleika de Felice Murrie

Matemática e suas Tecnologias no ensino médio6161616161
2.3O Enem, as Ciências Humanas e suas Tecnologias6565656565

2.2O Enem e os objetivos educacionais da área das Ciências da Natureza, Luiz Carlos de Menezes Raul Borges Guimarães

3 AS COMPETÊNCIAS DO ENEM6969696969
3.1 Competência I7171717171
3.2 Competência I7575757575

Maria Cecília Guedes Condeixa Zuleika de Felice Murrie Maria da Graça Bompastor Borges Dias Reginaldo Pinto de Carvalho Luiz Carlos de Menezes

Regina Cândida Ellero Gualtieri Raul Borges Guimarães Júlio César Foschini Lisboa

3.3 Competência I7979797979

Maria Regina Dubeaux Kawamura

3.4 Competência IV8989898989

Lino de Macedo Leny Rodrigues Teixeira Eduardo Sebastiani Ferreira Dalton Francisco de Andrade Nílson José Machado

3.5 Competência V9393939393

Márcio Constantino Martino Angela Correa Krajewski Valdir Quintana Gomes Júnior Fortunato Pastore

4 EIXOS METODOLÓGICOS DO ENEM9
4.1Erros e acertos na elaboração de itens para a prova do Enem101101101101101

Maria Eliza Fini

4.2Aspectos quantitativos da análise dos itens da prova do Enem107107107107107
4.3Metodologia de correção da Redação do Enem113113113113113

Dalton F. Andrade Ruben Klein Reginaldo Pinto de Carvalho

7ENEM – Fundamentação Teórico-Metodológica

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), criado em 1998 pelo

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação, é um exame individual e de caráter voluntário, oferecido anualmente aos concluintes e egressos do ensino médio, com o objetivo principal de possibilitar uma referência para auto-avaliação, a partir das competências e habilidades que o estruturam. Além disso, ele serve como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção para o acesso ao ensino superior e ao mercado de trabalho. Realizado anualmente, ele se constitui um valioso instrumento de avaliação, fornecendo uma imagem realista e sempre atualizada da educação no Brasil.

O modelo de avaliação do Enem foi desenvolvido com ênfase na aferição das estruturas mentais com as quais construímos continuamente o conhecimento e não apenas na memória, que, importantíssima na constituição dessas estruturas, sozinha não consegue fazer-nos capazes de compreender o mundo em que vivemos. Há uma dinâmica social que nos desafia, apresentando novos problemas, questiona a adequação de nossas antigas soluções e exige um posicionamento rápido e adequado ao cenário de transformações imposto pelas mudanças sociais, econômicas e tecnológicas com as quais nos deparamos nas últimas décadas. Este cenário permeia todas as esferas de nossa vida pessoal, mobilizando continuamente nossa reflexão acerca dos valores, atitudes e conhecimentos que pautam a vida em sociedade.

Apresentação

ENEM – Fundamentação Teórico-Metodológica8

O objetivo do Enem é medir e qualificar as estruturas responsáveis por essas interações.

Tais estruturas se desenvolvem e são fortalecidas em todas as dimensões de nossa vida, pela quantidade e qualidade das relações que estabelecemos com o mundo físico e social desde o nascimento. O Enem focaliza, especificamente, as competências e habilidades básicas desenvolvidas, transformadas e fortalecidas com a mediação da escola.

Para uma melhor compreensão desse processo, é importante ressaltar que, conforme definido no texto das Matrizes Curriculares de Referências do Saeb, de 1998, entendemos por

[...] competências cognitivas as modalidades estruturais da inteligência – ações e operações que o sujeito utiliza para estabelecer relações com e entre os objetos, situações, fenômenos e pessoas que deseja conhecer. As habilidades instrumentais referem-se, especificamente, ao plano do ‘saber fazer’ e decorrem, diretamente do nível estrutural das competências já adquiridas e que se transformam em habilidades (p. 9).

Desta forma, e segundo consta do documento Enem 2002 – Relatório Pedagógico,

[...] o Enem é estruturado a partir de uma matriz que indica a associação entre conteúdos, competências e habilidades básicas próprias ao jovem e jovem adulto, na fase de desenvolvimento cognitivo e social correspondente ao término da escolaridade básica. [...] Cada uma das cinco competências que estruturam o exame, embora correspondam a domínios específicos da estrutura mental, funcionam de forma orgânica e integrada. E elas expressam-se, especificamente no caso do Enem, em vinte e uma habilidades (p. 14).

A concepção de conhecimento subjacente a essa Matriz pressupõe colaboração, complementaridade e integração entre os conteúdos das diversas áreas do conhecimento presentes nas propostas curriculares das escolas brasileiras de ensino fundamental e médio [...]. O Enem busca verificar como o conhecimento assim construído pode ser efetivado pelo participante por meio da demonstração de sua autonomia de julgamento e de ação, de atitudes, valores e procedimentos diante de situações-problema que se aproximem, o máximo possível, das condições reais de convívio social e de trabalho individual e coletivo (idem, p. 17).

A análise dos resultados do desempenho dos participantes do Enem permite a identificação de lacunas em seu aprendizado e, também, das potencialidades que ele apresenta ao final da escolaridade básica.

A mobilização de conhecimentos requerida pelo exame manifesta-se por meio da estrutura de competências e habilidades do participante que o possibilita ler (perceber) o mundo que o cerca, simbolicamente representado pelas situações-problema; interpretá-lo (decodificando-o, atribuindo-lhe sentido) e, sentindo-se “provocado”, agir, ainda que em pensamento (atribui valores, julga, escolhe, decide, entre outras operações mentais) (idem, p. 38).

Desde sua primeira edição, o exame conta com a parceria das Secretarias Estaduais de

Educação, Secretarias de Segurança Pública e, em especial, com Instituição de Educação Superior que, desde então, vêm utilizando seus resultados como forma alternativa ou complementar aos seus processo de seleção. Inicialmente teve 150 mil participantes e, atualmente, conta com mais de um milhão e meio de jovens realizando a prova. Neste ano, com a instituição do Programa Universidade para Todos (Prouni) e a determinação da utilização do Enem como instrumento de seleção dos jovens que desejem concorrer às bolsas, a abrangência do exame deve aumentar ainda mais.

O Enem tem, ainda, papel fundamental na implementação da Reforma do Ensino Médio, ao apresentar, nos itens da prova, os conceitos de situação-problema, interdisciplinaridade e contextualização, que são, ainda, mal compreendidos e pouco habituais na comunidade escolar. A prova do Enem, ao entrar na escola, possibilita a discussão entre professores e alunos dessa nova concepção de ensino preconizada pela LDB, pelos Parâmetros Curriculares Nacionais e pela Reforma do Ensino Médio, norteadores da concepção do exame.

(Parte 1 de 8)

Comentários