Abordagem Clínica e Preventiva

Abordagem Clínica e Preventiva

(Parte 1 de 7)

Abordagem Clínica e Preventiva

2a edição Realização:

Em parceria com:

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

COPYRIGHT © SALUS PAULISTA, 2004

COLEÇÃO VENCENDO A DESNUTRIÇÃO (3) Abordagem Clínica e Preventiva

Organizadores da Coleção: Gisela Maria Bernardes Solymos e Ana Lydia Sawaya

Coordenação Editorial: Isabella Santana Alberto

Projeto Gráfico e Diagramação: Estúdio 39 e D’Lippi Arte Editorial

Ilustrações: Raffaella Zardoni e Anna Formaggio Fotos: Ana Paula Sawaya MacArthur

Todos os direitos reservados à

Salus Associação para a Saúde – Núcleo Salus Paulista

Rua das Azaléas, 244 – Mirandópolis 04049-010 – São Paulo – SP

Tel/Fax: (1) 5071-7890 e (1) 5584-6674 e-mail: crenprojetos@cren.org.br w.cren.org.br w.desnutricao.org.br

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Vencendo a desnutrição: abordagem clínica e preventiva / Benedito Scaranci

Fernandes...[et al.] ; [ilustrações Raffaella Zardoni e Anna Formaggio ; fotos Ana Paula Sawaya MacArthur]. -- 2. ed. -- São Paulo ; Salus Paulista, 2004. -- (Coleção vencendo a desnutrição / organizadoras da coleção Gisela Maria Bernardes Solymos e Ana Lydia Sawaya)

Outros autores: Maria Teresa Bechere Fernandes, Elizabeth Maria Bismarck-Nasr,

Maria Paula Albuquerque. Bibliografia.

1. Antropometria 2. Desnutrição 3. Desnutrição – Prevenção 4. Desnutrição infantil 5. Desnutrição infantil – Prevenção 6. Saúde pública I. Fernandes, Benedito Scaranci. I. Fernandes, Maria Teresa Bechere. II. Bismarck-Nasr, Elizabeth Maria. IV. Albuquerque, Maria Paula. V. Zardoni, Raffaella. VI. Formaggio, Anna. VII. MacArthur, Ana Paula Sawaya. VIII. Solymos, Gisela Maria Bernardes. IX. Sawaya, Ana Lydia. X. Título. XI. Série.

04-2718CDD-614

Índices para catálogo sistemático: 1. Desnutrição infantil : Abordagem clínica e preventiva : Saúde pública 614

Abordagem

Clínica e Preventiva

Autores:

Benedito Scaranci Fernandes

Pediatra, Doutor em Medicina, Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, Professor Assistente da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, Coordenador do Serviço de Pediatria do Hospital Universitário São José da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

Maria Teresa Bechere Fernandes Pediatra, Mestre em Pediatria, Universidade Federal de São Paulo.

Elizabeth Maria Bismarck-Nasr Nutricionista, Centro de Recuperação e Educação Nutricional.

Maria Paula Albuquerque Pediatra, Centro de Recuperação e Educação Nutricional.

Colaboradores:

Juliana Dellare Calia: Nutricionista, Centro de Recuperação e Educação Nutricional.

Marco Antonio Mattos Bragança: Pediatra, Cooperação para o Desenvolvimento e Morada Humana/Associação Voluntários para o Serviço Internacional – Belo Horizonte (MG).

Maria Helena do Nascimento Souza: Enfermeira, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Miriam Izabel Simões Ollertz: Nutricionista, Centro de Recuperação e Educação Nutricional. Paula Andréa Martins: Nutricionista, Universidade Federal de São Paulo.

Índice◗ PREFÁCIO – UM TRABALHO EM REDE 8 A Palavra do BNDES 8

◗ PARTE 1 – IMPORTâNCIA DA PREvENÇÃO E DO CONTROLE DA DESNUTRIÇÃO ENERgéTICO-PROTéICA PARA A SAúDE INFANTIL – SUA PREvALêNCIA E SUAS CONSEqüêNCIAS 15

◗ PARTE 2 – UMA qUESTÃO DE

MéTODO: AgIR NA PREvENÇÃO E NO CONTROLE DA DESNUTRIÇÃO ENERgéTICO-PROTéICA PARTINDO DA REALIDADE ENCONTRADA 21

Índice

◗ PARTE 3 – DIAgNóSTICO E

AvALIAÇÃO DA DESNUTRIÇÃO ENERgéTICO-PROTéICA 27

2. Anamnese alimentar 49

3.3 Alterações hormonais na criança desnutrida 59 a) Eixo hormônio do crescimento-somatomedina-c b) Somatomedina-c como marcador do estado nutricional c) Hormônios Tireoidianos d) Metabolismo da glicose e insulina e) Função adrenocortical f) Hormônios reprodutivos

4. Quadro laboratorial 60 4.1 Avaliação protéica 61 a) Albumina sérica b) Transferrina sérica c) Pré-albumina d) Índice Creatinina – Altura e) Balanço nitrogenado f) IGF-1 (fator de crescimento insulinasímile tipo 1) 4.2 Testes Laboratoriais 64

◗ PARTE 4 – PREvENÇÃO E CONTROLE

DA DESNUTRIÇÃO ENERgéTICO-PROTéICA 71

d) Mutirões antropométricos (ou censos

Nutricional 1 A abordagem ambulatorial 112 O atendimento em regime de semi-internato 118 A ajuda da equipe interdisciplinar no trabalho de cada profissional de saúde 120 8.5 Hospitalização 121

Índice

Prefácio Um trabalho em rede

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, através da Área de Desenvolvimento Social, vem aplicando parte dos recursos de seu Fundo Social em projetos da área da saúde materno-infantil. Nesse contexto, o do Programa de Apoio a Crianças e Jovens em Situação de Risco Social, vem Banco apoiou a difusão do Método Canguru de tratamento de prematuros e, no âmbito financiando instituições que prestam atenção extra-hospitalar a crianças com câncer e outras patologias graves.

O primeiro contato do Banco com a problemática da desnutrição infantil deu-se através da demanda por recursos do Fundo Social de algumas instituições que lidam com o assunto. Os técnicos do Banco passaram, então, a buscar maior con- hecimento sobre o tema e entender o contexto no qual se insere a doença, para então definir qual seria sua melhor contribuição. Nesta fase, foram visitadas várias instituições com atendimento relevante nas respectivas regiões. Observou-se neste processo a complexidade dessa doença e as diversas formas de encam- inhar seu tratamento, além de sua pouca visibilidade, uma vez que raramente ela é diagnosticada como tal, e sim como outras doenças mais conhecidas, como pneumonia, etc. Aprendeu-se, ainda, sua correlação com a pobreza e seus reflexos na vida adulta, que torna a pessoa mais propensa à hipertensão, diabetes e cardiopatias, entre outras perturbações.

(Parte 1 de 7)

Comentários