PDF: Aula Morfologia das Aves

PDF: Aula Morfologia das Aves

(Parte 1 de 4)

Unidade 9A

Classe Aves

Morfologia e Anatomia

Prof. Marcio Frazão

Introdução

Diápsidas Cerca de 9000 espécies maior classe de tetrápodes

Ocorrem em todos os continentes, incluindo o litoral da Antártida, e mesmo nas ilhas mais remotas.

Grupo mais especializado dos vertebrados (mais que os mamíferos) 1. vôo; 2. metabolismo alto (esforço muscular intenso); 3. temperaturas corporais elevadas; 4. sistema respiratório único (não há mistura do ar que entra com o que sai dos pulmões)

O vôo apareceu cedo em sua história evolutiva, mesmo as espécies que perderam a capacidade de vôo ainda possuem muitas estruturas residuais e forte condicionamento morfológico/fisiológico.

O vôo consome grande quantidade de energia.

Capacidade de vôo e endotermia propiciaram altíssima mobilidade que refletiu na ampla distribuição das aves.

Sinapomorfias

penas (presentes em alguns dinosauros)

apêndices peitorais em forma de asas (asas de pterosauros e morcegos possuem estrutura diferente).

ossos pneumáticos (presentes em pterosauros e alguns dinosauros).

fúrcula (osso da sorte) formada pela fusão das clavículas e interclavícula. (ossos não fundidos em aves que não voam e presentes em dinosauros?)

crânio diapsida modificado (avidiapsida): fenestras temporais unidas às órbitas.

Características gerais

Características derivadas (apomorfias) compartilhadas com Mamíferos:

– endotérmicos;

–vilosidades presentes no intestino delgado; Plesiomorfias (características primitivas dos répteis):

–escamas córneas retidas nos pés, –ovíparas. Somente um ovário e um oviduto.

–glândulas cutâneas ausentes (exceto uropigeana); Características ausentes nas primeiras aves:

–vértebras caudais fundidas (pigóstilo);

–mandíbulas formam um bico, sem dentes; Características perdidas em aves que não voam:

–Esterno grande e geralmente em forma de quilha, para inserção dos músculos peitorais.

Tegumento

pele fina e móvel, flexível, frouxamente presa à musculatura;

sem glândulas epidérmicas (lubrificantes), somente glândula uropígeana (secreção oleosa impermeabiliza penas e evita bico quebradiço);

escamas nas partes distais da pernas (metatarso e dedos),

penas:

–Originadas a partir das escamas dos répteis. Não há estruturas intermediárias entre escamas e penas nas espécies atuais. Evidências:

penas são formadas, como as escamas de répteis, nas papilas dérmicas.

penas e escamas possuem beta queratina.

Nos pés de galinhas, o bloqueio da BMP (Bone

Morphogenetic Protein) causa o desenvolvimento de penas ao invés de escamas.

função original das penas: captura de alimento, locomoção ou isolamento térmico?

Penas Estruturas da pena:

a pena se divide em:

–cálamo (base), –ráquis (eixo), e

–vexilo (lâmina da pena).

Na lâmina da pena encontramos:

–barbas, –bárbulas e

–hâmulos (ganchos de fixação entre bárbulas, que as mantém unidas).

Penas Tipos de penas:

Penas de contorno (bárbulas interligadas) revestimento externo e vôo. Existem subtipos:

aerodinâmica

–Remiges penas da borda da asa função

aerodinâmica.

Primárias presas aos dedos

(Parte 1 de 4)

Comentários