apostila solidworks 2008

apostila solidworks 2008

(Parte 5 de 6)

Existem casos onde o perfil é fechado e não tem uma de suas linhas como eixo de simetria. Nesses casos é necessário desenhar com uma CENTER LINE a linha que representa o eixo de simetria. Essa linha ajuda o software a identificar o perfil e a posição correta para revolução. Essa alternativa economiza tempo na construção de peças com furos passantes centrados no eixo de simetria do sólido.

O desenho de uma bucha, por exemplo, pode ser feito com apenas um retângulo e uma linha de centro. Modificando o valor do àngulo de rotação podemos determinar se a peça será mostrada em seção ou não.

Perfil em 2d e linha de centro Ângulo de Revolução = 360º

Ângulo de Revolução = 180º Ângulo de Revolução = 90º

REVOLVED CUT ((Revolução com Remoção de

Material))

Assim como temos a função EXTRUDED CUT para o EXTRUDED

BOSS BASE, temos a função REVOLVED CUT para a função REVOLVED BOSS BASE. O princípio de funcionamento é o mesmo:

1. Crie o sólido base 2. Crie a sketch que será o perfil da revolução 3. Desenhe a linha de simetria 4. Execute o comando REVOLVED CUT

Um pouco menos usada, a ferramenta de remoção de material por revolução permite a criação de um perfil e a partir de uma linha de centro cria um sólido que será removido da peça original. Veja o exemplo abaixo:

Existem situações onde um perfil é simples precisa sofrer extrusão não linear, ou seja, o caminho para extrusão pode ser uma curva ou até mesmo um misto de retas e curvas. Veja o exemplo:

Esta peça tem um perfil simples, um círculo, mas possui uma extrusão complexa, algo que não poderia ser feito com a extrusão simples, pois essa ferramenta permite apenas extrusões lineares e com inclinação em graus. Por trabalhar com esses “caminhos” complexos o comando SWEPT BOSS / BASE possui duas configurações: Perfil e Caminho.

Perfil: normalmente o perfil é um sketch que se vai repetir.

Caminho: é um sketch 3d que define o conjunto de linhas e curvas que definirão o sólido. O sketch 3d é semelhante ao sketch convencional, apenas diferenciando-se na possibilidade de se desenhar em três dimensões.

FILLET e CHANFER

Existem ainda ferramentas que alteram as características do sólido criado, como chanfros e arredondamentos. Essas ferramentas são importantes para o acabamento. Veja os exemplos:

O chanfro é formado basicamente por uma medida de comprimento e ângulo. É necessário clicar sobre a aresta que será chanfrada.

A ferramenta SHELL permite remover a área de interna de sólidos. Um exemplo dessa aplicação é a criação de frascos de perfume, onde é necessária uma área interna vaga para depósito do produto.

O arredondamento é de característica mais simples, bastando apenas e informação do raio. É necessário clicar na aresta que será arredondada.

Durante a utilização do SHELL é necessário clicar na face superior à área que se quer remover e informar a espessura da parede que se formará. No exemplo ao lado o frasco teve criada uma parede com espessura de 5 m. Quando um sólido é criado e várias extrusões são criadas no mesmo, pode ser que o comando não entenda o volume total do sólido e não consiga

determinar uma parede interna.

4FERAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO

Durante a construção de um sólido sempre é necessária à visualização por determinados pontos de vista, o que facilita a criação de sketchs e criação de features. O SOLIDWORKS possui uma barra de ferramentas exclusiva com recursos de visualização, que vão desde a forma com que as linhas são representadas até as formas de visualização do objeto. A principal ferramenta que facilita a visualização do sólido é ROTATE VIEW. Ela permite girar livremente o objeto. Todas as ferramentas de visualização estão descritas anteriormente nessa apostila. Outro destaque deve ser feito à ferramenta SECTION VIEW que permite cortar um sólido em duas partes para visualização de detalhes internos.

Peça sem SECTION VIEW Peça com SECTION VIEW

5MONTAGEM DE PEÇAS ((ASEMBLY))

Esse módulo do SOLIDWORKS permite o relacionamento entre peças criadas separadamente no módulo PART. Quando criamos um conjunto mecânico formado, por exemplo, por eixo, bucha e um acoplamento, as peças têm requisitos de montagem que devem ser observados (posição dos furos, concentricidade das peças, entre outros). Além de montar peças criadas no SOLIDWORKS podemos fixar elementos de máquina como parafusos, porcas, arruelas, rolamentos, engrenagens e outros.

Para acessar o módulo ASSEMBLY é preciso ir ao menu FILE e escolher a opção ASSEMBLY.

Normalmente uma montagem é composta por mais de uma peça, e a inserção é uma tarefa simples. Através do menu INSERT e da opção COMPONENTE / PART.

Ao iniciar o comando é necessário informar a pasta onde está salvo a peça. Para a inserção de outras peças o procedimento é o mesmo.

Durante a utilização do módulo PART também é possível migrar para o módulo ASSEMBLY, clicando no menu FILE, escolhendo a opção MAKE ASSEMBLY FROM PART, ou seja, criar uma montagem para a peça.

Ao realizar a montagem pode haver a necessidade de corrigir falhas em algumas peças. Isso é possível clicando no nome da peça na árvore de projeto e escolhendo a opção EDIT PART. Após o SOLIDWORKS atualiza a peça automaticamente na montagem.

É possível inserir parafusos, porcas, rolamentos e outros elementos de máquinas usando a DESIGN LIBRARY. Essa ferramenta fica disponível no canto superior direito da área de trabalho do SOLIDWORKS, em uma barra lateral chamada TASK PANE. Caso ela não esteja ativa, basta acessar o menu VIEW e clicar na opção TASK PANE.

Expandindo a opção Toolbox é possível acessar os elementos de máquinas que estão em pastas classificadas primeiramente a nível de normas internacionais e fabricantes e depois por tipos de elementos de máquinas. Após encontrar o elemento desejado basta arrasta-lo para a área de trabalho do SOLIDWORKS e então será aberta uma janela para customização do componente. Esta janela permite configurar algumas características como dimensões de diâmetro e comprimento, entre outras. É importante lembrar que a unidade de medida padrão de trabalho no SOLIDWORKS é o milímetro.

A qualquer momento as características dos elementos de máquina podem ser modificadas, basta clicar com o botão direito no elemento desejado e escolher a opção EDIT TOOL BOX DEFINITION.

Esta é uma tarefa crucial para determinar o comportamento do conjunto mecânico a ser projetado. Ao determinar o relacionamento de cada peça com outra podemos permitir ou inibir movimentação, fixar ou deixar flutuante uma peça. De acordo com o objetivo do projeto os MATES deverão ser criados de formas diferentes, sempre objetivando tornar o mais realista possível o projeto.

O termo MATE significa determinar como uma peça se relaciona com a outra. Um exemplo disso é o encaixe de uma bucha em um furo qualquer. É importante antes de mais nada, ter a certeza do diâmetro do furo e do diâmetro da bucha que ser encaixar. Pode-se levar em consideração a tolerância de usinagem para facilitar uma montagem, mas para o SOLIDWORKS a medida exata tem um efeito igual.

Na figura ao lado vemos o encaixe de um rolamento em um eixo. Para que o rolamento fique fixo no eixo são necessárias duas operações: a primeira é determinar que o final do eixo (cilíndrico) e o diâmetro interno do rolamento são concêntricos para que ambos fiquem alinhados. A segunda operação é determinar que a face externa do rolamento está coincidindo com a face externa do final do eixo.

Se apenas e primeira operação fosse feita o rolamento ficaria “solto” podendo deslocar-se apenas ao longo o eixo, o que em termos práticos não pode acontecer. Determinado a coincidência das duas faces ele não pode mais se mover ao longo do eixo.

As possibilidades de MATES são as seguintes: COINCIDENT

CONCENTRIC A utilização de cada uma vai depender da montagem que se quer fazer.

MOVENDO e ROTACIONANDO COMPONENTES

Durante a montagem é possível movimentar qualquer um dos componentes na área de trabalho. Clicando no componente e arrastando é possível movimenta-lo livremente. Caso você tenha inserido apenas uma peça no modo ASSEMBLY, por padrão esta peça sendo única não poderá ser movimentada. Essa configuração se chama FIX / FLOAT, onde a primeira trava a peça e a segunda liberada a peça para movimentação. Para acessar essa configuração clique com o botão direito no componente e escolha FLOAT ou FIX.

Quando é necessária a rotação de um sólido, o comando ROTATE

COMPONENT é a ferramenta a ser usada. Ela permite girar livremente o componente ou através de uma tríade (eixos X, Y e Z).

Ainda falando de movimentação existe a opção PHYSICAL DYNAMICS que movimenta o conjunto calculando as colisões entre os componentes. Essa modalidade de movimentação é mais visual, pois permite ver o sistema em funcionamento.

6DESENHO EM 2D DE COMPONENTES EM 3D

Na verdade nós não desenhamos nada, acredite! Todo o trabalho é realizado pelo próprio SOLIDWORKS! Esse é um dos grandes diferenciais desse software que facilita a tradução da representação do sólido em linguagem técnica. A única tarefa do desenhista é filtrar as dimensões que são inseridas no desenho e configurar a folha do desenho, que são tarefas simples se comparado ao esforço do desenho em duas dimensões, visto que toda a tarefa de modelagem já foi realizada.

Para começar a gerar as vistas dos sólidos acesse o menu FILE e escolha NEW DRAWING. O visual do ambiente lembra em muito os dois ambientes anteriores.

Assim que o módulo é aberto é solicitado ao usuário que escolha o tipo de papel a ser usado. Ao clicar sobre os vários tipos de papel é possível visualizar uma prévia de como é a folha de desenho e abaixo suas medidas em milímetros.

Após escolher o tipo de papel mais apropriado basta clicar em OK para trabalhar no ambiente, agora com a folha de desenho incluída.

A primeira coisa a fazer é carregar as vistas do componente. Para carrega-las é necessário informar em qual arquivo o sólido está guardado.

Clique em “browse” para apontar o local onde seu arquivo está salvo. Selecione o arquivo e clique em OK. Note que ao movimentar o mouse sobre a folha de desenho aparecerão retângulos. Neles estão as vistas.

Cada vista é inserida por vez. Escolha o melhor lugar para cada vista e clica na folha para que a mesma seja inserida. Repare que ainda é possível escolher outros pontos na folha e clicar para inserir mais vistas do mesmo componente. É possível inserir as quatro projeções normais (superior, inferior, lateral direita e esquerda) e ainda quatro vistas em três dimensões. Ao inserir todas as vistas que desejar pressione ESC para cancelar o comando e partir para a configuração das vistas do desenho.

(Parte 5 de 6)

Comentários