apostila solidworks 2008

apostila solidworks 2008

(Parte 1 de 6)

Unidade Operacional (CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL “JOSE IGNACIO PEIXOTO”)

Presidente da FIEMG Robson Braga de Andrade

Gestor do SENAI Petrônio Machado Zica

Diretor Regional do SENAI e Superintendente de Conhecimento e Tecnologia

Alexandre Magno Leão dos Santos

Gerente de Educação e Tecnologia Edmar Fernando de Alcântara

Elaboração MARCIO PEREIRA BEDENDO RODRIGO VILELA DA SILVA

Unidade Operacional CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL “JOSE IGNACIO PEIXOTO”

APRESENTAÇÃO5
1. AMBIENTAÇÃO COM O SOLIDWORKS6
BREVE HISTÓRICO6
O QUE É SOLIDWORKS?7
INICIANDO O SOFTWARE8
COMO DESENHAR NO SOLIDWORKS?9
2. BARRAS DE FERRAMENTAS E MENUS1
BARRA DE FERRAMENTAS STANDART12
BARRA DE FERRAMENTAS VIEW12
3. CRIANDO SKETCHS13
DESENHANDO ENTIDADES14
FERRAMENTAS DE SKETCH16
CRIAÇÃO DE POLÍGONOS17
4. EDIÇÃO DE SKETCHES18
POWER TRIM18
EXTEND19
COPY20
MOVE21
ROTATE21
OFFSET2
LINEAR PATTERN (REPETIÇÃO LINEAR)23
CIRCULAR PATTERN (REPETIÇÃO CIRCULAR)24
MIRROR (CRIAÇÃO DE ESPELHAMENTO)26
5. CRIAÇÃO DE SÓLIDOS (FEATURES)27
COMO ACESSAR A BARRA DE FERRAMENTAS FEATURES27
EXTRUDED BOSS BASE (EXTRUSÃO COM ADIÇÃO DE MATERIAL)30
CRIANDO MAIS DE UMA EXTRUSÃO EM UM MESMO SÓLIDO32
EDITANDO A FEATURE3
EXTRUDED CUT (EXTRUSÃO COM REMOÇÃO DE MATERIAL)34
REVOLVED BOSS BASE (REVOLUÇÃO COM ADIÇÃO DE MATERIAL)35
REVOLVED CUT (REVOLUÇÃO COM REMOÇÃO DE MATERIAL)39
FILLET E CHANFER41
SHELL42
4. FERRAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO43
5. MONTAGEM DE PEÇAS (ASSEMBLY)4
INTRODUÇÃO4
INSERINDO COMPONENTES4
INSERINDO ELEMENTOS DE MÁQUINAS45
CRIAÇÃO DE MATES (LIGANDO AS PEÇAS)45
MOVENDO E ROTACIONANDO COMPONENTES46
6. DESENHO EM 2D DE COMPONENTES EM 3D47
INTRODUÇÃO47
CARREGANDO COMPONENTES47
INSERINDO VISTAS E CONFIGURANDO-AS48
INSERINDO DIMENSÕES DO COMPONENTE49
CONFIGURANDO FOLHA DO DESENHO50
IMPRESSÃO DE DESENHOS50

Apresentação

“Muda a forma de trabalhar, agir, sentir, pensar na chamada sociedade do conhecimento.” Peter Drucker

O ingresso na sociedade da informação exige mudanças profundas em todos os perfis profissionais, especialmente naqueles diretamente envolvidos na produção, coleta, disseminação e uso da informação.

O SENAI, maior rede privada de educação profissional do país, sabe disso, e, consciente do seu papel formativo, educa o trabalhador sob a égide do conceito da competência: “formar o profissional com responsabilidade no processo produtivo, com iniciativa na resolução de problemas, com conhecimentos técnicos aprofundados, flexibilidade e criatividade, empreendedorismo e consciência da necessidade de educação continuada”.

Vivemos numa sociedade da informação. O conhecimento, na sua área tecnológica, amplia-se e se multiplica a cada dia. Uma constante atualização se faz necessária. Para o SENAI, cuidar do seu acervo bibliográfico, da sua infovia, da conexão de suas escolas à rede mundial de informações – internet- é tão importante quanto zelar pela produção de material didático.

Isto porque, nos embates diários, instrutores e alunos, nas diversas oficinas e laboratórios do SENAI, fazem com que as informações, contidas nos materiais didáticos, tomem sentido e se concretizem em múltiplos conhecimentos.

O SENAI deseja, por meio dos diversos materiais didáticos, aguçar a sua curiosidade, responder às suas demandas de informações e construir links entre os diversos conhecimentos, tão importantes para sua formação continuada!

Gerência de Educação e Tecnologia

1Ambientação com o SOLIDWORKS

A origem dos sistemas CAD remonta dos primórdios dos sistemas de computação gráfica ao desenvolvimento dos sistemas de computação gráfica interativa. Dois projetos destes sistemas foram desenvolvidos no Massachusetts Institute of Technology (MIT) e em Suthernland (1963).

Durante este mesmo período, surgiram de modo coincidente o NC (Numerical Control) e o APT (Automatically Programmed Tool).

No início, os sistemas CAD eram apenas editores gráfico com alguns símbolos.

As entidades geométricas eram limitadas a linhas, arcos circulares e combinações destes dois.

O desenvolvimento de curvas livres e superfícies (como Bezier e

BSpline) permitiram a utilização dos sistemas CAD em projetos com curvas e superfícies complexas.

Os sistemas CAD 3D permitiram ao projetista trabalhar com a terceira dimensão.

O modelo tridimensional (modelo é uma abstração dos dados em um computador, também são conhecidos como protótipos virtuais) possui informação suficiente para a geração do programa da ferramenta de corte NC.

Possibilitou-se o desenvolvimento de sistemas CAD/CAM sob este conceito, tornara-se popular entre os anos 1970 e 1980.

Os anos 1970 corresponderam ao início de uma nova era para os sistemas CAD, a partir da invenção da modelagem sólida tridimensional.

No início, os modelos tridimensionais eram representados em wireframe, constituindo-se de um modelo de linhas.

Esta representação era ambígua, pois um mesmo modelo poderia representar várias peças distintas.

Informações como, volume do produto não podiam ser obtidas.

Modelos sólidos contêm informações completas, por isto estes podem ser utilizados desde a geração de desenhos bidimensionais a análises de engenharia.

Modeladores sólidos como PADL-1 e PADL-2 (Voelcker e Requicha, 1977), Synthavision, BUILD-1 e BUILD-2 (Braid, 1973), COMPACT, EUCLID, GLIDE, dentre outros, foram desenvolvidos nos anos 1970.

Enfim, muitos sistemas comerciais e acadêmicos foram desenvolvidos.

Somente nos anos 1980, os modeladores sólidos foram incorporados em ambientes de projeto.

Nos anos 90 a implementação do CAD em computadores pessoais possibilitou a massificação de seu uso (CHANG, 1998).

AutoCAD, Microestation, Solid Edge, I-deas, Catia, etc

Atualmente, temos uma grande variedade desses softwares no mercado, com diferentes aplicações. Podemos citar: SOLIDWORKS,

O SOLIDWORKS é uma ferramenta computacional de projetos, que permite acelerar o processo de desenvolvimento de produtos.

Trata-se de um CAD tridimensional para construção de peças, montagens e geração de desenhos bidimensionais de maneira integrada.

Isto significa que os três tipos de arquivo que são gerados pelo software podem ser relacionados, e se mudarmos qualquer característica da peça, automaticamente os arquivos associados a esta mudarão.

Isso possibilita uma velocidade maior no processo de criação, desenvolvimento de produtos e modelamento 3D de quaisquer componentes.

Ao iniciar o SOLIDWORKS pode-se iniciar um novo desenho ou simplesmente abrir um desenho já existente Para criar um novo desenho basta clicar no menu FILE e escolher a opção NEW. Feito isso, aparecerá uma janela com três opções de trabalho e apenas uma pode ser escolhida, o que não impedirá a mudança de tipo de tarefa durante a execução do software.

Veja abaixo o significado de cada uma das três opções para criação de um novo documento:

PART: Criação de peças. ASSEMBLY: Montagem de Peças criadas no módulo PART.

DRAWING: Criação das vistas de um sólido, seja ela criado no módulo ASSEMBLY ou no módulo PART.

Caso seja necessário abrir um projeto já existente, ao invés de escolher a opção NEW do menu file, escolha a opção OPEN. A janela que se abrirá é semelhante a dos aplicativos Microsoft.

O SOLIDWORKS tem seu padrão de desenvolvimento de projetos usando o princípio de modelagem em três dimensões. Essa opção permite ao projetista visualizar o projeto “pronto”, percebendo detalhes que nem sempre são facilmente notáveis em desenhos em duas dimensões (técnicos).

Toda criação de peças no SOLIDWORKS utiliza dois critérios básicos, que são SKETCH e FEATURE. As duas ferramentas estão intimamente ligadas. Podemos dizer que uma feature só existirá de houver antes uma sketch.

SKETCH: São desenhos em duas dimensões, que servirão para criação de um modelo 3d.

FEATURE: São as características que uma SKETCH possuirá para formar o desenho em 3d.

Veja adiante um exemplo de SKETCH e FEATURE, formando um sólido:

Observação: Durante a elaboração de um desenho você poderá e criará várias sketches e features. Veja a figura abaixo:

(Parte 1 de 6)

Comentários