Regulagem e calibração de pulverizadores agrícolas

Regulagem e calibração de pulverizadores agrícolas

(Parte 1 de 5)

COMAM Comercial Agrícola Mineira Ltda.

Este material faz parte da apostila do Curso de Tecnologia de Aplicação da Comam Ltda

Carlos Alberto Magalhães Cordeiro Paulo Otavio Coutinho Fabiano de Matino Motta Engs Agrônomos

1 – CONCEITOS :

Regulagem , é preparar o pulverizador para atender o desejado , ou seja, produzir as gotas de uma determinada classe de tamanho, e aplicar uma determinada taxa de aplicação (l/ha) da calda do defensivo.

Calibração , é verificar se o desempenho do pulverizador está como o previsto pela regulagem, e fazer os ajustes finos na pressão para deixá-lo pronto . Na calibração, também é feito o diagnóstico do estado das pontas.

2 – EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS

Pela importância econômica e ambiental deste procedimento, torna-se claro que os proprietários e empresas devem adotar rotinas e critérios sistemáticos de freqüência e metodologia para as regulagens e calibrações dos pulverizadores.

Com a gama de conhecimentos já adquiridos sobre a qualidade de pulverização torna-se importante a verificação de todos os parâmetros possíveis da pulverização, ao contrário da mentalidade vigente até o presente de apenas se preocupar com a taxa de aplicação.

Devemos assim nos preocupar em acertar numa regulagem o conjunto de parâmetros citados no quadro 01:

COMAM Comercial Agrícola Mineira Ltda.

Quadro 01 : Parâmetros passíveis de serem avaliados em uma regulagem de pulverizador:

Parâmetro Equipamento

Velocidade de deslocamento Trena e relógio

Distância entre pontas ou largura de trabalho da ponta Trena

Vazão de Pontas Proveta graduada, relógio, 4 recipientes plásticos 2 pares de Luvas

Pressão nas pontas Kit Manômetro Velocidade do vento Temperatura do Ar Umidade relativa

Termohigroanemômetro

Densidade de gotas Tamanho de gotas Amplitude Relativa Potencial de Deriva

Papel sensível e Lupa ou

Software E-sprinkle

Scaner de mesa PC ou Notebook

Distribuição na barra Mesa de checagem de distribuição

Quadro 02 : Equipamentos utilizados na Regulagem e Calibração de Pulverizadores

Mesa de checagem de distribuição Software E-Sprinkle Papel Sensivel

Jarra e Proveta

Manômetro de Bico

““Kit Manômetro”” Termohigro- anemômetro Kestrel 3000

Termohigroanemômetro Kestrel 4000

COMAM Comercial Agrícola Mineira Ltda.

3 – FÓRMULAS E FATORES DE CONVERSÃO ÚTEIS :

Fatores de Conversão :

1 m/seg= 3,6 km/h

Um BAR = 14,2 Libras/pol2 ( PSI ) 1 Galão (USA) = 3,785 l/min 1 Ha = 10.0 m2

Fórmulas para pulverizadores terrestres de barra :

60.0

l/min (por bico) = l/ha x km/h x E l/ha = 60.0 x l/min(por bico) km/h x E (cm) l/min = litros por minuto l/ha = litros por hectare km/h = velocidade do trator em km/h

E= Espaçamento entre pontas em cm na barra para aplicação em área total
= Faixa de aplicação em cm para bicos únicos , aplicação em faixas ou
= Espaçamento entre as linhas em cm dividido pelo número de bicos por rua
para aplicação dirigida.

ou pulverização sem barra ou 4 - REGULAGEM E CALIBRAÇÃO DE PULVERIZADORES DE ARRASTO/TRES PONTOS

1º Passo: Definir a ponta de pulverização

definição das gotas será em função :

A definição da ponta será em função do tamanho de gotas que necessitamos, e esta

√ Do modo de ação do produto:

- Herbicidas sistêmicos e de solo podem ser aplicados com gotas muito grossas ou grossas, a partir de 20 gotas/cm2;

- Produtos de contato (herbicidas, fungicidas e inseticidas), vão exigir gotas médias ou finas, com mais de 40 gotas/cm 2;

COMAM Comercial Agrícola Mineira Ltda.

- Os fungicidas de inverno , do grupo dos Triazóis, que embora sistêmicos somente se deslocam pela planta de baixo para cima, exigem que o produto atinja as partes inferiores da planta, exigindo assim gotas médias ou finas, mais de 40 gotas/cm2.

√ Das condições climáticas:

- Em condições mais favoráveis à evaporação e deriva (mais ventos, maiores temperaturas e menores umidades relativas) – evitar produzir gotas finas ou médias

- Quando a cultura ou o mato estiver mais alto e fechado, enecessitarmos

√ Da situação do nosso alvo: de penetração na folhagem (herbicidas, inseticidas e fungicidas de contato) devemos produzir gotas finas ou médias .

- Às vezes na própria dessecação com glifosato, se existir o “Efeito Guarda

médias ou finas para atingir o alvo
Para a definição da ponta, será necessário o uso das informações do
fabricante, como as contidas no quadro 03 abaixo :

Chuva” (mato maior ou a própria palha dificultando a pulverização de chegar no mato pequeno que fica por baixo) , necessitaremos de gotas

Pressão

FinaMédia Grossa Muito Grossa Extremamente Grossa

Quadro 03 – Características das Pontas ULD - Hypro.

COMAM Comercial Agrícola Mineira Ltda.

Seguir a instrução do fabricante do defensivo

2º Passo : Definição da Taxa de Aplicação – L/Ha 3º Passo : Checar a velocidade de deslocamento do pulverizador

(Parte 1 de 5)

Comentários