(Parte 1 de 2)

7

Algoritmo

Tipos Primitivos de Dados

Todo dado a ser tratado num algoritmo deve pertencer a algum tipo, que irá determinar o domínio de seu conteúdo. Os tipos mais comuns de dados são conhecidos como tipos primitivos de dados, são eles: inteiro, real, caractere e lógico.

Inteiro: todo e qualquer dado numérico que pertença ao conjunto de números inteiros relativos (negativo, nulo ou positivo). Exemplos: 15, -5, 0, 234.

Real: todo e qualquer dado numérico que pertença ao conjunto de números reais (negativo, nulo ou positivo). Exemplos: 15,34 123,08 0,005 -12,0.

Caractere: todo e qualquer dado composto por um caractere alfanumérico (número, letra e caracteres especiais). Exemplos: ‘M’, ‘F’, ‘S’, ‘N’.

Texto: todo e qualquer dado composto por um conjunto de caracteres alfanuméricos (números, letras e caracteres especiais). Exemplos: “Aluno Aprovado”, “10% de multa”, “Confirma a exclusão ??”.

Lógico: todo e qualquer dado que só pode assumir duas situações (dados biestáveis, algo como verdadeiro ou falso).

Operadores (aritméticos, relacionais e lógicos).

Quando construímos algoritmos é comum trabalharmos com expressões matemáticas para a resolução de alguns problemas. As expressões matemáticas podem fazer uso de operadores aritméticos e relacionais.

Chamamos de operadores aritméticos o conjunto de símbolos que representa as operações básicas da matemática, conforme tabela a seguir:

Operações

Operadores

adição

+

subtração

-

multiplicação

*

divisão

/

potenciação

pot

radiciação

Rad

Um outro grupo importante de operadores é formado pelos operadores relacionais. Quando queremos fazer comparações entre valores, ou entre expressões (tanto matemáticas como lógicas), precisamos utilizar esta categoria de operadores. Os operadores relacionais são:

Comparações

Operadores

igual

=

diferente

< >

maior

>

menor

<

maior ou igual

>=

menor ou igual

<=

O resultado de uma relação é sempre um valor lógico (verdadeiro ou falso).

Exemplos:

a) 2 + 5 = 3 + 2 b) 3 * 5 < > 2 * 3

7 = 5 15 < > 6

Resultado: F (falso) Resultado: V (verdadeiro)

Uma terceira categoria de operadores que podemos utilizar na construção de algoritmos é chamada de operadores lógicos. Estes operadores funcionam como conectivos para a formação de novas proposições. Os principais operadores lógicos são:

Operações

Operadores

conjunção

e

disjunção (não-exclusiva)

ou

disjunção (exclusiva)

xou

negação

não

Os resultados das operações lógicas são sempre valores lógicos (verdadeiro ou falso).

Para trabalharmos adequadamente com operadores lógicos, temos que conhecer a tabela verdade para cada um dos operadores. Uma tabela verdade é o conjunto de todas as possibilidades combinatórias entre os valores das variáveis lógicas, conforme apresentado a seguir.

A

B

A e B

F

F

V

V

F

V

F

V

F

F

F

V

A

B

A ou B

F

F

V

V

F

V

F

V

F

V

V

V

A

B

A xou B

F

F

V

V

F

V

F

V

F

V

V

F

A

não A

F

V

V

F

Exemplos:

a) 3 > 6 ou 4 < 5

F ou V

Resultado: V

b) 4 < 7 e 5 > 9

V e F

Resultado: F

Na resolução das expressões aritméticas, lógicas e relacionais, os operadores e as funções matemáticas possuem uma hierarquia de prioridade.

parênteses mais internos

funções matemáticas

pot rad

* / resto

+ -

operadores relacionais

não

e ou

xou

Exemplo:

não 2 pot 3 < 4 pot 2 ou abs(int(15/-2)) < 10

não 8 < 16 ou abs(int(-7,5)) < 10

não 8 < 16 ou abs(-7) < 10

não 8 < 16 ou 7 < 10

não V ou V

F ou V

Resultado: V

Algoritmo

É o modelo da solução numa linguagem pré-programado, isto é, com a forma do Algoritmo Pseudocódigo consegue-se adequar qualquer linguagem que escolheres.

Sua forma geral é:

Algoritmo

Declaração de Variáveis

Comentários

Comandos e/ou estruturas

Fim Algoritmo

 

onde:

Algoritmo: É usado como um "Título", onde se dá o nome do programa.

 

EX:    Algoritmo “Soma”

 

Declaração de Variáveis: Nesta mesma é indicado o tipo de dado correspondente aos nomes de variáveis.

EX:    Declare Soma como Real

           Declare ID, I como Inteiro

          Declare NOME como Texto

Comentário: É geralmente o texto após ‘ (apóstrofe) com o objetivo de esclarecer o Algoritmo.

EX:    Declare Soma como Real; ‘Soma acumulada

 

Comandos: Indica os comandos a serem executados.

 

Comandos de Atribuição:   nome de variável  expressão

EX:    Produto  V1 * V2

Comandos de entrada: Leia  ou Ler (lista de variáveis)

EX:    Ler Idade

Idade = txtIdade.text

Comandos de Saída: Escreva  (lista de variáveis)

EX:    Escreva Área

Mensagem (Area)

 

Fim Algoritmo: Término do programa.

Para começar

O primeiro passo para a elaboração de um algoritmo é compreendê-lo.

Procure entender em detalhes o problema para então pensar em uma solução

Em seguida, elabore a tela (formulário) com os campos necessários

Pense nos passos para a solução (rabisque)

Por último elabore o algoritmo com a solução (variáveis, comandos, operações)

Exemplo 1) Fazer um Algoritmo que efetue a Soma de V1 com V2 e que imprima logo depois este resultado.                                                                                                                 

       Algoritmo  “Soma”                                 

       Declare V1, V2, Soma como Inteiro

       Início                                                     

V1 = txtValor1.text

V2 = txtValor2.text                                           

           Soma ß V1 + V2                                

            lblTotal.text = “Resultado: ” & Soma

       Fim Algoritmo                                         

Estruturas de Decisão

São seqüências de instruções, que determinam a execução ou não da condição dada. Logo esta é testada através dos operadores lógicos  ( Verdadeiro ou Falso).

 

1) Decisão Simples : Esta estrutura permite que uma condição seja testada. Quando esta for verdadeira, executa uma ou mais instruções. Quando a condição for Falsa, é executada, opcionalmente, uma ou mais instruções após a condição Senão. 

 

               Estrutura de Decisão Simples:

                    Para Condição Verdadeira:                       

                        Se < condição > então                     

                            < instrução 1 >                            

                            < instrução 2 >                            

                            < instrução n >                            

                        Fim se                                              

Para Condição Verdadeira ou Falsa:

     Se < condição > então

             < instrução 1 >

             < instrução 2 >

             < instrução n >

    Senão

            < instrução 1 >

             < instrução 2 >

             < instrução n >

    Fim se        

2) Decisão Composta: Esta estrutura permite que seja escolhida uma entre “n” condições possíveis. Sendo uma a escolhida, executará as instruções correspondentes.

 Estrutura de Decisão Composta:

 

           Selecione caso VARIAVEL

                caso < condição 1 >

                    < bloco de instruções 1 >

                caso < condição 2 >

                    < bloco de instruções 2 >

                caso < condição n >

                    < bloco de instruções n >

                caso contrário 

                     < bloco de instruções n+1 >

           Fim seleção

Exemplo 2)CASO Fazer um Algoritmo que leia dois valores V1 e V2 e escolha a operação a ser executada entre as seguintes.

 

                        1) Soma

                        2) Subtração

                        3) Produto

                        4) Divisão 

Algoritmo “Escolha”

Declare    R, V1, V2 como Real

                OP como inteiro

Início                                                                   

        OP = txtOP.text

(Parte 1 de 2)

Comentários