Ksb - manual de treinamento

Ksb - manual de treinamento

(Parte 1 de 8)

Visando o aprimoramento de pessoal interno, bem como de nossa Rede Nacional de Distribuidores Autorizados e de nossos Clientes, a KSB Bombas Hidráulicas S/A, implementou o treinamento técnico dos profissionais com atuação na área de bombas centrífugas,válvulasesistemasdebombeamento. ÉcomesteenfoquequeaKSB mantém um moderno CentrodeTreinamentodoProduto, com instalações e equipamentos apropriados, onde são ministrados cursos, palestras e treinamentos teóricos e práticos, por especialistas em cada área de atuação. Para essa finalidade, foi elaborado o presente , que serve de baseparaoacompanhamentodotreinamentogeralministrado. EstetrabalhofoidesenvolvidoporumaequipedaKSBcomsólidaexperiêncianestecampo e tem como objetivo apresentar de maneira concisa e de forma clara e simples, os conceitos, informações e dados essenciais à atividade do profissional que atua com bombas centrífugas e sistemas de bombeamento, fornecendo uma base sólida para desenvolvimentoeaperfeiçoamentonestaárea. Não é objetivo deste Manual, aprofundar-se em alguns temas específicos, para os quais deveráoleitor,emcasodenecessidade,recorreraliteraturatécnicaespecializada. Para maior facilidade de utilização, o Manual foi ordenado e dividido convenientemente em módulos,queabordamosprincipaistemasrelacionadoscomoassunto. Apreciaremos receber seus comentários, observações e sugestões, visando o aprimoramentodoManual,osquaisanalisaremospara incorporaçãonapróximarevisãoeedição.

KSBBombasHidráulicasS/A

Setembro1991(3 Edição) FrankLambertoLengsfeld RonaldoDuarte ClaudioAltieri

Maio2003(5 Edição) MarcosAntoniodaSilva

MÓDULO 1 Princípios Básicos de Hidráulica

Introdução Símbolos e Denominações Fluido

eso específico, massa específica, densidade

Viscosidade Pressão

Escoamento

Vazão e velocidade

Equação da continuidade Energia

Fluido Ideal Fluido Incompressível Líquido Perfeito P Peso específico Massa específica Relação entre peso específico e massa específica Densidade

Lei de Newton Viscosidade dinâmica ou absoluta Viscosidade cinemática Outras escalas de viscosidade

Lei de Pascal Teorema de Stevin Carga de pressão/Altura de coluna de líquido Influência do peso específico, na relação entre pressão e altura da coluna de líquido Escalas de pressão Pressão absoluta Pressão atmosférica Pressão manométrica Relação entre pressões Escalas de referência para medidas de pressão Pressão de vapor

Regime permanente Regime laminar Regime turbulento Experiência de Reynolds Limite do número de Reynolds para tubos

Vazão volumétrica Vazão mássica Vazão em peso Relação entre vazões Velocidade

Princípio da conservação de energia Energia potêncial, de posição ou geométrica Energia de pressão Energia cinética ou de velocidade

Teorema de Bernouilli

Perdas de carga em tubulações Adaptação do teorema de Bernouilli para líquidos reais

Introdução Tipos de perdas de carga Distribuída Localizada Total Fórmulas para cálculo de perda de carga distribuída Fórmula de Flamant Fórmula de Fair-Whipple-Hsiao Fórmula de Hazen-Willians Fórmula de Darcy-Weisback Determinação do coeficiente de atrito utilizando o diagrama de Moody-Rouse Exemplo de determinação do coeficiente de atrito por Moody Limitações quanto ao emprego das fórmulas apresentadas Fórmulas de perda de carga localizadas Expressão geral Método do comprimento equivalente Comprimentos equivalentes a perdas localizadas Comprimentos equivalentes a perdas localizadas Tabelas de leitura direta

1 INTRODUÇÃO

Neste módulo, abordaremos as definições básicas, as propriedades dos fluidos e os conceitosfundamentaisdaMecânicadosFluidos. Estestemasserãoabordados deformaobjetivaeconcisa,semdesenvolvimentosteóricos, visando facilitar o estudo do comportamento dos fluidos e sua compreensão é fundamental paraoprosseguimentoeentendimentodosmódulosseguintes.

SímboloDenominação 1.1 - Símbolos e Denominações

Unidade

Altura estática Altura geométrica Altura geométrica de sucção positiva Altura geométrica de sucção negativa Altura manométrica diferencial Altura manométrica total Altura manométrica na vazão ótima Altura manométrica na vazão zero (shut-off) Altura de sucção negativa Altura de sucção positiva Área Coeficiente de fricção Coeficiente para perda de carga Coeficiente de Thoma Aceleração da gravidade Densidade Diâmetro nominal Diâmetro do rotor Distância entre linhas de centro Fator de correção para altura manométrica Fator de correção para rendimento Fator de correção para vazão Força Massa Massa específica Momento de inércia Net Positive Suction Head NPSH disponível NPSH requerido Número de Reynolds Perda de carga Peso Peso específico Potência consumida Pressão absoluta Pressão atmosférica Pressão na descarga da bomba Pressão na sucção da bomba Pressão manométrica Pressão no reservatório de descarga Pressão no reservatório de sucção Pressão de vapor Rendimento m m m m m m m m m m m/s -m m m -

-kgf kg kg/dm kg/m m m m -m kgf kgf/dm CV

Hest Hgeom Hgeos (+) Hgeos (-)

H Hótm H0 Hs (-) Hs (+) A g d DN D Zsd fH f fQ F m

J NPSH NPSHdisp NPSHreq Re Hp G

P Pabs Patm Pd Ps Pman Prd Prs Pv

(lambda) (ksi)

(sigma)

(rô) (gama)

(eta) kgf/cm2 kgf/cm2 kgf/cm2 kgf/cm2 kgf/cm2 kgf/cm2 kgf/cm2

SímboloDenominação Unidade

Rotação Temperatura do fluido bombeado Vazão Vazão no ponto de melhor rendimento Vazão diferencial Vazão máxima Vazão mínima Velocidade específica Velocidade específica de sucção Velocidade do fluido Velocidade do fluido na descarga Velocidade do fluido na sucção Velocidade do fluido no reserv. de descarga Velocidade do fluido no reserv. de sucção Viscosidade cinemática Viscosidade dinâmica Volume rpm C rpm rpm m/s m/s m/s m/s m/s m/ s Pa.s n t Q Qótm Q

Qmáx Qmín nq S v vd vs vrd vrs

V (mü)

(nü)

1.2 FLUIDO

1.2.1 FLUIDOIDEAL 1.2.2 FLUIDOINCOMPRESSÍVEL

1.2.3 LÍQUIDOPERFEITO

Fluido é qualquer substância não sólida, capaz de escoar e assumir a forma do recipiente queocontém. Osfluidospodemserdivididosemlíquidosegases. De uma forma prática, podemos distinguir os líquidos dos gases da seguinte maneira: os líquidosquandocolocadosemumrecipiente,tomamoformatodeste,apresentandoporém, uma superfície livre, enquanto que os gases, preenchem totalmente o recipiente, sem apresentarqualquersuperfícielivre.

Emnossosestudos,daremosmaiordestaqueàscaracterísticasdoslíquidos.

Fluido ideal é aquele na qual a viscosidade é nula, isto é, entre suas moléculas não se verificamforçastangenciaisdeatrito.

Éaqueleemqueseuvolumenãovariaemfunçãodapressão.Amaioriadoslíquidostemum comportamento muito próximo a este, podendo, na prática, serem considerados como fluidosincompressíveis.

Em nossos estudos, consideraremos de uma forma geral os líquidos como sendo líquidos perfeitos, isto é, um fluido ideal, incompressível, perfeitamente móvel, contínuo e de propriedadeshomogêneas. Outrosaspectoseinfluências,comoaviscosidade,porexemplo,serãoestudadosaparte.

líquido gás superfície livre

1.3 PESOESPECÍFICO,MASSAESPECÍFICA,DENSIDADE 1.3.1 PESOESPECÍFICO

1.3.2 MASSAESPECÍFICA

(Parte 1 de 8)

Comentários