CLP - Controladores Lógicos Programáveis

CLP - Controladores Lógicos Programáveis

CLP - Controladores Lógicos Programáveis

Apresentação

  • Disciplina: Redes industriais

  • Professor: Cleber Pigosso

  • Curso: Técnico em Informatica

  • Módulo: 4°

Introdução

  • Dispositivos mecânicos, hidráulicos, pneumáticos e elétricos passaram a ser utilizados em máquinas, proporcionando algum automatismo.

  • Estes sistemas , no decorrer dos tempos trouxe alguns inconvenientes:

Problema

  • Tempos extensos entre projeto e execução;

  • Falta de flexibilidade e expansibilidade;

  • Grandes tempos de parada de máquina por dificuldade de manutenção;

  • Grandes espaços físicos para instalação dos painéis;

Resultado

  • Em vista dos problemas a GM em 1968, lançou um pré projeto de um CLP. Suas especificações:

  • Simplicidade para programar e reprogramar;

  • Fácil manutenção e expansão;

  • Maior confiabilidade operacional;

  • Dimensões reduzidas;

  • Capacidade de envio de informações a um sistema central;

  • Baixo custo;

  • Capacidade de acionar diretamente válvulas e solenóides;

Resposta

      • Em 1969 surgiram os primeiros PLC. Construídos pela GM;
      • O equipamento pode ser ainda chamada de PC ( Bibliografias alemães) ou CLP ( Bibliografia Brasileira);
      • 1976 sua arquitetura passou a ser descentralizada;
      • 1977 surgiu o primeiro CLP baseado em um microcontrolador; desenvolvido pela Allen Bradley Corporation, esta utilizou um 8080 da Intel Corporation;

O que faziam?

  • Interagiam com as máquinas enviando e recebendo informações, ou seja, liga/desliga;

  • Somente em 1985 os CLPs começaram a ser conectados em PCs, através de redes, possibilitando a supervisão do chão de fábrica;

  • A década de 90 trouxe controle de variáveis contínuo descentralizado; (Entradas analógicas)

Recursos dos CLPs: - Arquitetura de hardware modular; - Grande disponibilidades de módulos para aplicações específicas; Controle centralizado e distribuído; Linguagem de programação de fácil assimilação; Composto de operações lógicas, aritméticas, temporização, contagem, comparação, conversão de sistemas, etc...

Recursos

  • Facilidade para criação e depuração dos dados;

  • Suporte facilitado para conexão de IHMs;

  • Possibilidade em conexão em redes com outros CLPs da mesma família;

Fabricantes

  • Allen Bradley; Altus;

  • Atos; General Eletric;

  • Hitachi; Klockner Moeller;

  • Mitsubishi Eletric; Siemens ;

  • Telemecanique; WEG;

  • Pro Gimos; Coel;

Arquitetura Genérica de um CLP

Funcionamento

  • I/S: Submete o tratamento e encaminha aos atuadores;

  • Atuadores: Interferem no sistema controlado, efetivando ações determinadas pelo processador;

  • EX: Motores, eletroválvulas, banco de resistências, etc...

Funcionamento

  • Elementos de Comando: Permite o operador enviar informações para o processador de forma a interferir no controle;

  • EX: Botões, chaves, teclados alfanuméricos, etc...

  • Elementos de monitoração: Permite ao operador acompanhar o estado de elemento do sistema de controle:

  • Ex: IHM, monitores, Leds, etc...

Módulos de Entrada

Módulo de Entrada

Módulos de Saída

      • Recebe informações do processador e encaminha aos atuadores;
      • O Latch recebe e mantém a informação até a próxima recepção;
      • O Driver amplifica o sinal da saída do Latch;
      • O driver pode ser relês, transistores, tiristores, etc...

Módulo de saída

Módulo CPU

  • Interface com módulos de entrada e saída;

  • Interface com terminal de programação IHM;

  • Memória ROM: Armazena um programa imutável gravado na fábrica... Sistema operacional.

  • Memória RAM ( usuário): memória destinada a armazenar código de máquina das instruções relativas ao programa de aplicação; e armazena dados utilizados durante o processamento;

Módulo CPU

  • A capacidade de armazenamento desta memória, limita o tamanho de aplicação do CLP;

  • Memória RAM ( sistema): armazena informações durante o processo de operação;

  • memória dos TMR;

  • memória dos CNT;

  • memória para data hora, etc...

  • Processador: Cérebro da máquina do CLP e divide seu tempo entre a execução do sistema operacional e o programa do usuário.

Módulo CPU

  • Memória externa: Memórias tipos EPROM EEPROM, FLASCH, etc...

  • Memórias não voláteis, onde o usuário pode gravar seu programa;

  • São conhecidos como cartuchos de memória;

  • IHM: Interface Homem Máquina;

  • Fonte de alimentação: Converte VCA em VCC; Possui barramento de alimentação que forma os slots da arquitetura dos CLPs;

Comentários