Vantagens da Inspeção Termográfica

Vantagens da Inspeção Termográfica

    • O que é Termografia?

  • Técnica que possibilita o registro gráfico de Radiação Infravermelha (IR);

  • Sensoriamento Remoto (sem contato);

  • Estimativa sobre a condição operacional do equipamento ou componente.

  • Alguns Conceitos sobre Termografia

    • A Radiação Infravermelha

  • Infravermelho – onda eletromagnética da mesma família dos raios gama, X, ultravioleta, ondas de rádio, por exemplo;

  • Por definição (Física), todos os corpos acima do Zero Absoluto emitem radiação infravermelha;

  • Comprimento de Onda do Infravermelho é inversamente proporcional à Temperatura;

    • IR Próximo (0,75 a 3 mm);
    • IR Médio (3 a 6 mm);
    • IR Distante (6 a 15 mm);
    • IR Extremo (15 a 1000 mm).

    • Transferência de Calor

  • Condução: a energia é transferida de molécula para molécula (ou átomo para átomo). Exemplo: calor que circula através de uma frigideira sendo aquecida ao fogo;

  • Convecção: a energia térmica cria uma corrente no meio, que a ajuda a mover-se mais rapidamente do que a simples condução. As correntes ajudam a transferir o calor da fonte mais quente para as partes mais frias .Exemplo: ato de “assoprar” a xícara de café quente para “esfriá-lo”.

  • Radiação: transferência direta de energia através de radiação (onda) eletromagnética, onde nenhum meio é necessário para a transferência. Exemplo: calor emitido no Sol e irradiado para a Terra.

    • A Inspeção Termográfica

  • Ferramenta da Manutenção Preditiva;

  • Diagnóstico precoce de falhas;

  • Técnica Não-Destrutiva e Não-Invasiva (sem contato direto com o componente inspecionado);

  • Resultados são apresentados já no momento da inspeção (no local);

  • Ações corretivas tomadas antecipadamente à falha (ou parada) do equipamento;

  • Identificação e Documentação da falha.

    • Critérios para Identificação de Defeitos

  • Limite Máximo de Temperatura (LMT) – próprio de cada componente ou equipamento (dados de fabricantes). Valores mais comuns são 70°C em baixa tensão e 40°C em média e alta tensão;

  • Pré-análise no instante da inspeção;

  • Se temperatura do alvo (spot) estiver acima de 50% do LMT intervenção e posterior emissão de Relatório de Diagnóstico e Prognóstico!!

  • Se temperatura do alvo estiver até o patamar de 50% do LMT intervenção programada segundo Relatório de Diagnóstico e Prognóstico!!

    • Observação:
    • Se um componente elétrico apresentar um desequilíbrio de temperaturas entre suas fases, mesmo estando abaixo do LMT, é feito o registro e emissão de Relatório!!

    • O Relatório de Inspeção Termográfica

  • Relatório Gerencial

  • Nesta parte temos indicadores gráficos da situação geral dos equipamentos medidos na inspeção atual, o número de falhas encontradas e o acumulado de falhas durante um processo periódico de inspeção;

  • Relatório Geral da Planta (RGP)

  • Nesta parte temos um indicador escrito dos equipamentos inspecionados, quanto a localização setor, área, prazo para intervenções e situação dos equipamentos descritos no mesmo;

  • Relatório Diagnóstico e Prognóstico

  • Nesta parte encontramos o termograma, ao lado de uma foto do equipamento em falha, temperatura em que se encontra, limite de temperatura, prazo para intervenções, ação a ser tomada e provável causa do defeito encontrado.

    • Anomalias mais Comuns em Sistemas Elétricos

  • Conexões folgadas ou deterioradas;

  • Emendas oxidadas ou corroídas;

  • Curto circuito;

  • Sobrecarga elétrica em transformadores e conexões;

  • Cargas desbalanceadas em circuitos tri-fásicos;

  • Componentes defeituosos ou instalados impropriamente;

  • Base de fusíveis danificadas ou com baixa pressão de mola de contato;

  • Resistência elevada de chaves e /ou relés;

  • Fugas de corrente em cabos de aterramento;

  • Conexões com camada de óxido entre componentes;

  • Conexões de linhas de transmissão de altas, médias e baixas tensões.

  • Vantagens da Inspeção Termográfica

  • Não necessidade de desligamento do equipamento (monitoramento a distância);

  • Não ocorre qualquer dano ao equipamento;

  • Maior disponibilidade de equipamentos;

  • Redução de corretivas;

  • Fornecimento de informações para os planos de manutenção;

  • Aumento da confiabilidade e segurança dos equipamentos.

    • Exemplos de Imagens Termográficas

    • Elaborado por:
    • Alexandre Bonon Fadel
    • Engenheiro Eletricista – Univ. Federal de Itajubá/MG
    • fadel@semeq.com.br

  • FIM

Comentários