Resumo histologia sistema digestório

Resumo histologia sistema digestório

ANTÔNIO PONTES MEDICINA – P2

Resumo Histologia Digestório

Estrutura geral dos órgãos do trato digestório

MUCOSA (revestimento interno)

Epitélio Lamina própria ou córion (é tecido conjuntivo frouxo) Muscular da mucosa

SUBMUCOSA (tecido conjuntivo frouxo) MUSCULAR

Circular interna Longitudinal externa

SEROSA OU ADVENTÍCIA (revestimento externo)

Serosa se possuir uma última camada de células pavimentosas chamadas de mesotélio. A serosa corresponde ao peritônio.

Adventícia se não possuir a camada de mesotélio, é formada por tec. conjuntivo frouxo com presença de células adiposas e se continua com a adventícia do outro órgão, corresponde às regiões não cobertas pelo peritônio.

Papila filiforme: queratinizada ou paraqueratinizada, ausência de botões gustativos, formato cônico alongado, são as mais abundantes no dorso da língua, possui um núcleo central de lâmina própria (tecido conjuntivo frouxo).

Papila circunvalada ou valada: Grandes e arredondadas (formato circular com superfície achatada), não queratinizada, presença de botões gustativos lateralmente, estão presentes no V lingual (não projetam para além da superfície da lingua), possuem um sulco que circunda a papila, a vala lateral, pequenas glândulas serosas (Von Ebner) liberam seu conteúdo na base da vala.

Papila fungiforme: não queratinizada em humanos (obs: as de rato são queratinizadas), presença de botões gustativos, podem ser encontrados sobre a superfície da papila, formato de cogumelo, estão entre as filiformes.

Esôfago

MUCOSA: Epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado, lamina própria ou córion (é tecido conjuntivo frouxo), muscular da mucosa.

SUBMUCOSA: Glândulas esofágicas mucosas (Gl. acinosa composta mucosa). MUSCULAR: Circular interna, longitudinal externa.

ANTÔNIO PONTES MEDICINA – P2

SEROSA OU ADVENTÍCIA: porção superior do esôfago: adventícia, porção inferior: serosa

Obs: no terço superior do esôfago a musculatura é estriada esquelética, no terço médio há fibras musculares estriadas esqueléticas e lisas, e no terço inferior a musculatura é lisa.

Estômago

MUCOSA: Epitélio cilíndrico simples, lamina própria ou córion, (tecido conjuntivo frouxo), muscular da mucosa;

MUSCULAR: oblíqua interna (alguns autores consideram mais essa camada), circular intermédia, longitudinal externa

SEROSA: Mesotélio última camada de células pavimentosas simples, corresponde ao peritônio.

Intestino Delgado

Duodeno

MUCOSA epitélio: cilíndrico simples lamina própria ou córion (é tecido conjuntivo frouxo) muscular da mucosa

SUBMUCOSA: aqui estão às glândulas de brünner (importantes para identificação do órgão), são acinosas compostas mucosas.

MUSCULAR: circular interna, longitudinal externa SEROSA: Serosa que corresponde ao peritônio.

Nos intestinos ocorre absorção, por isso as células de revestimento são chamadas de células absortivas

O intestino delgado possui: vilosidades, criptas O intestino grosso possui: somente criptas

Os órgãos do tubo digestivo onde encontramos glândulas na submucosa são: ESÔFAGO (gl esofágicas) e DUODENO (gl de Brünner)

Nos intestinos são visíveis as glândulas de Lieberkühn na mucosa – tubulosas simples ou tubulosas ramificadas

Jejuno-Ileo

ANTÔNIO PONTES MEDICINA – P2

MUCOSA: epitélio: cilíndrico simples, lamina própria ou córion (é tecido conjuntivo frouxo), muscular da mucosa

SUBMUCOSA MUSCULAR: circular interna, longitudinal externa SEROSA: serosa que corresponde ao peritônio

No jejuno-íleo é possível encontrar nódulos linfóides, ou pequenos aglomerados de linfócitos, tanto na região da mucosa quanto na submucosa e que recebem a denominação de placas de Peyer (são regiões mais roxas no meio do tecido). São estruturas de defesa devido à grande população bacteriana do intestino.

Intestino Grosso

MUCOSA: epitélio: cilíndrico simples, lamina própria ou córion, (tecido conjuntivo frouxo), muscular da mucosa

MUSCULAR: circular interna, longitudinal externa. Entre a circular interna e a longitudinal externa se encontra o plexo mioentérico (ou de Auerbach)

SEROSA: serosa que corresponde ao peritônio

Para fixar: O intestino delgado possui vilosidades e criptas, enquanto no grosso existem somente as criptas. O grosso não possui vilosidades. As criptas são também conhecidas como glândulas de Lieberkühn e estão presentes em todo o intestino.

Glândulas Anexas ao Sistema Digestório

Glândula Sublingual - Gl. tubuloacinosa (serosa e mucosa), prediminio de cel. mucosas enquanto as serosa representam apenas as semiluas serosas secretoras de lisoenzimas.Predominam ácinos mucosos, (céls são mais claras e luz visível), muitos são ácinos mucosos e outros são mistos com ácinos mucosos e semiluas serosas. Também podem existir ácinos serosos em menor número. É classificada como glândula tubuloacinosa composta mucoserosa. Há cortes de canais excretores (os maiores, no conjuntivo entre os lóbulos), ductos estriados (entre os ácinos, dentro dos lóbulos, são esses rosados vistos na lâmina) e intercalares (saem dos ácinos, são os menores). No tecido conjuntivo interlobar estão vasos e fibras nervosas.

Glândula Submandibular (Submaxilar): Predominam ácinos serosos (com núcleos esféricos e citoplasma basófilo). É classificada como glândula tubuloacinosa composta seromucosa, os ductos estriados também são visíveis (há muitos ductos) em humanos, 90% da glândula são ácinos serosos e 10% são mucosos com semiluas serosas (secretam lisozima, que destrói a parede celular de certas bactérias).

Glândula Parótida - é uma glândula puramente (100%) serosa, contendo grânulos de secreção ricos em proteínas e elevada atividade da amilase, que inicia a digestão dos carboidratos, é classificada como glândula acinosa composta serosa, os ductos estriados também são visíveis (há

ANTÔNIO PONTES MEDICINA – P2 poucos ductos), o tecido conjuntivo contém muitos plasmócitos (secretam anticorpos, como um mecanismo de defesa imunológica) e linfócitos. As outras glândulas também fazem isso.

OBS – Há uma dificuldade de diferenciar a submandibular da parótida. Deve-se prestar atenção na quantidade de ductos e na coloração em geral, perceber que a submandibular possui mais ductos e é mais clara do que a parótida.

Pâncreas: Glândula mista, parte endócrina – ilhotas de Langerhans, exócrina – ácinos serosos, revestido por t. c. denso que projeta septos para o interior (lóbulos).

PÂNCREAS ENDÓCRINO: Apresenta as Ilhotas de Langerhans que egulam o metabolismo da glicose, células e capilares fenestrados sustentados por rede de fibras reticulares. Principais células: Beta – produtoras de insulina e Alfa – produtoras de glucagon.

PÂNCREAS EXÓCRINO: Presença de ácinos serosos, enzimas digestivas (zimógenos), bicarbonato – secretina, Células centroacinares – células dos dutos que penetram nos dutos.

Ácinos serosos: Sustentados por uma lâmina basal apoiado em t. c. Com fibras reticulares e capilares, Duto intralobular (simples cúbico; não estriado), duto interlobular ou excretor (simples cilíndrico), duto pancreático (de Wirsung), ampola de Vater – hepatopancreática (duodeno).

Interface entre s. digestório e sangue, função de Captar, transformar e acumular metabólicos, neutralizar substâncias tóxicas, produção da bile (emulsificador), produção de proteínas (albumina). Caracterizados por quatro lobos pouco definidos, envolto pela cápsula de Glisson e revestido pelo peritôneo Maior no hilo

Hilo hepático: Veia porta, Artéria hepática, Dois dutos hepáticos – duto hepático comum + duto cístico (vesícula) – duto colédoco, Vasos linfáticos.

LÓBULO HEPÁTICO: Unidade funcional do fígado, placas de hepatócitos e capilares sinusóides, possui uma veia central (centrolobular), separadas por tecido conjuntivo e contendo o espaço porta - (tríade) Veia porta (ramos) Artéria hepática (ramos) Duto bilífero interlobares.

Se for perguntado o nome da estrutura, a resposta pode ser de acordo com o que estiver apontado:

Ramo da veia porta Conducto ou ducto biliar Ramo da artéria hepática

Onde se localiza:

Espaço porta

Identifique o órgão: Fígado

ANTÔNIO PONTES MEDICINA – P2

HEPATÓCITOS: São radiais à veia centrolobular, se anastomosam livremente, formam canais sinusóides (capilares fenestrados), mantidos por uma rede de fibras reticulares,

HEPATÓCITOS (domínios celulares) Apical: Possui micorvilos, limita os canalículos bilíferos (exócrino).

Basolateral: Microprojeções – absorção e secreção (albumina, fatores de coagulação, fibrinogênio, protrombina), espaço de Disse (trocas entre capilares e hepatócitos, células de Ito que armazenam vitamina A)

Célula de Kupffer: células dendríticas (fagócitos), eliminam hemácias velhas, hemoglobina, bactérias, síntese de citocinas e células apresentadoras de antígeno (sistema imune), presentes na parede dos capilares sinusóides

Fluxo do sangue: Veia porta – capilares – veia centrolobular

Fluxo da bile: Hepatócitos – canalículos biliares – canais de Hering – duto biliar (esquerdo e direito) – duto biliar comum

Órgão oco; armazena bile Mucosa

Epitélio simples cilíndrico Possui pregas

Lâmina própria

Presença de glândulas mucosas próximas ao duto cístico

Camada muscular lisa Serosa/ adventícia

Comentários