Eficiência de uso de fontes de fósforo em diferentes sistemas de cultivo

Eficiência de uso de fontes de fósforo em diferentes sistemas de cultivo

(Parte 1 de 8)

EFICIÊNCIA DE USO DE FONTES DE FÓSFORO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO

Monografia apresentada ao Departamento de Ciência do Solo da Universidade Federal de Lavras como parte das exigências da disciplina DCS-530 Fertilidade do Solo.

ADRIANA MARIA DE CASTRO

ALANO XAVIER DE SOUZA FILHO

CLEBER LÁZARO RODAS

ISABELA VOLPI FURTINI

JORGE HENRIQUE CHAGAS

JOSÉ LUIZ SANDES DE CARVALHO FILHO

LUIZ GUSTAVO FERNANDES JULIÃO

VICO MENDES PEREIRA LIMA

Professor

Dr. Carlos Alberto Silva

Lavras- MG

2007

SUMÁRIO

LISTA DE FIGURAS..................................................................................i

LISTA DE TABELAS..............................................................................iii

1. INTRODUÇÃO......................................................................................1

2. DINÂMICA DO FÓSFORO NO SOLO................................................3

2.1. Fósforo e matéria orgânica do solo......................................................5

2.1.2. Formas de fósforo orgânico..............................................................7

3. FONTES DE FERTILIZANTES FOSFATADOS.................................9

3.1. Reservas e origem................................................................................9

3.2. Caracterização das fontes...................................................................14

3.2.1. Ácido fosfórico...............................................................................16

3.2.2. Superfosfato simples.......................................................................17

3.2.3. Superfosfato triplo..........................................................................19

3.2.4. Fosfato monamônio (MAP)............................................................20

3.2.5. Fosfato diamônio (DAP).................................................................20

3.2.6. Nitrofosfatos...................................................................................22

3.2.7. Termofosfatos.................................................................................22

3.2.8. Fosfato natural pouco reativo (Apatitas)........................................24

3.2.9. Fosfato natural reativo (Fosforitas).................................................25

3.3. Solubilidade e eficiência das fontes...................................................26

4. MANEJO E EFICIÊNCIA DAS FONTES NOS DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO......................................................................34

4.1. Plantio direto......................................................................................34

4.2. Consórcio...........................................................................................42

4.3. Sistemas convencionais: Plantas anuais............................................43

4.4. Sistemas agroflorestais......................................................................59

4.5. Culturas perenes (Café e Citros)........................................................65

4.5.1. Café.................................................................................................66

4.5.2. Citros...............................................................................................70

4.6. Pastagens cultivadas..........................................................................71

4.6.1. Adubação fosfatada de estabelecimento.........................................78

4.6.2. Adubação fosfatada de manutenção...............................................81

4.6.3. Eficiência e recomendação de fontes de fósforo no sistema de pastagens...................................................................................................84

4.7. Cultivo protegido, hidroponia e fertirrigação....................................96

4.8. Agricultura orgânica........................................................................101

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS.............................................................104

6. BIBLIOGRAFIA................................................................................105

LISTA DE FIGURAS

Figura 2.1. Formas de fósforo no sistema solo-planta; interdependências e equilíbrios...................................................................................................3

Figura 3.1.1.Reservas economicamente exploráveis de rochas fosfáticas em alguns Estados do Brasil, em um total de 2,77 bilhões t (225 milhões t de P2O5).....................................................................................................10

Figura 3.1.2.Reservas aprovadas de rocha fosfática em alguns Estados do Brasil, em um total de 4,04 bilhões de toneladas...................................................................................................11

Figura 3.1.3.Produção de rochas fosfáticas por alguns países (média para 200 a 2002), com 100% = 131,1 milhões de toneladas............................12

Figura 3.3.1.Isotermas de solubilidade para diversos fosfatos, em atividade de cálcio de pCa = 2,50.............................................................29

Figura 4.3.1. Produção de matéria seca (MS) da parte aérea de plantas de milho em função de doses e duas fontes de fósforo SPT (Superfosfato triplo) Fosfato de Arad..............................................................................44

Figura 4.3.2. Índice de eficiência agronômica (IEA) das fontes fosfatadas tendo como fonte padrão o superfosfato simples. SPT- superfosfato triplo; MGN- multifosfato magnesiano; TF- termofosfato; FGASF- fosfato importado Gasaf; FARAXÁ- fosfato nacional de Araxá..........................51

Figura 4.6.1. Resposta da Brachiaria decumbens cv Basilisk à adubação fosfatada em um LR dos Cerrados, na fase de estabelecimento (cinco cortes iniciais) 1978/79 e na fase de manutenção (três últimos cortes) 1983/84, e respectivos níveis críticos (80% da produção máxima)..........76

Figura 4.6.3.1. Produção acumulada de matéria seca total em Brachiaria brizantha cv Marandu, avaliação de sete cortes, abril / 1996 a maio de 1998, em um LE argiloso, Campo Grande, MS.............................................................................................................87

Figura 4.6.3.2. Produção de matéria seca total em Brachiaria brizantha cv Marandu, em AQ, LE argiloso e LR, Campo Grande, MS, em função de fontes de P e níveis de calagem................................................................88

Figura 4.6.3.3. Produção de matéria seca total em Brachiaria brizantha cv Marandu, em um LE argiloso, Campo Grande, MS, em função de diferentes combinações de fontes de P: fosfato de Arad e superfosfato triplo, em níveis crescentes de calagem. Dose de fósforo utilizada de 120 kg de P2O5 total.........................................................................................91

LISTA DE TABELAS

Tabela 3.2.1.Fertilizantes minerais fosfatados.........................................16

Tabela 3.2.8.1. Composição de alguns fosfatos naturais apatíticos brasileiros..................................................................................................25

Tabela 3.2.9.1.Composição de alguns fosfatos naturais presentes no mercado brasileiro.....................................................................................26

Tabela 4.3.1. Índices de eficiência de fosfatos naturais em latossolos vermelho-escuros distróficos (LEd) e roxo distrófico (LRd), fase cerrado......................................................................................................46

Tabela 4.3.2. Produção de matéria seca (MS) da parte aérea (g vaso-1), estimada pela equação de regressão da soma de seis colheitas, e Índice de Eficiência da alfafa e da centrosema, em relação às diferentes fontes e doses de fósforo........................................................................................47

Tabela 4.3.3. Eficiência de utilização de fósforo, considerando as fontes e modos de aplicação de fósforo na cultura do milho (total de três cultivos)....................................................................................................49

Tabela 4.3.4. Concentrações de fósforo na solução de um Planossolo adubado com três fontes de fosfato, na dosagem de 22 mg Kg-1 de P total no solo, em condições de sequeiro e após um período de alagamento................................................................................................53

(Parte 1 de 8)

Comentários