Mata Atlântica

Mata Atlântica

O bioma de Mata Atlântica é o mais ricos em biodiversidade do mundo.

A Mata Atlântica originalmente percorria o litoral brasileiro de ponta a ponta.

Estendia-se do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, e ocupava uma área de 1,3 milhões de quilômetros quadrados. Tratava-se da 2º maior floresta úmida do Brasil, só comparável à Floresta Amazônica.

Atualmente, da segunda grande floresta brasileira restam apenas cerca de 5% de sua extensão original.

O desmatamento e as queimadas geram a destruição da biodiversidade eliminando de uma só vez grande contingente de espécies muitas vezes desconhecidas. Além de homogeneíza o ecossistema quando se implanta a monocultura.

Clima: Equatorial ao norte e quente temperado sempre úmido ao sul, tem temperaturas médias elevadas durante o ano todo e não apenas no verão.

Pluviosidade: Alta pluviosidade devido à barreira que a serra constitui para os ventos que sopram do mar.

Umidade: Os ventos úmidos que sopram do mar em direção ao interior do continente ao subirem resfriam-se e perdem umidade que possuem; o excesso condensa-se e se precipita, principalmente nas partes mais altas da serra, em forma de nevoeiro ou chuvas.

Solo: Pobre em minerais e sua natureza é granítica. A maior parte dos minerais está contida nas plantas em vez de estar no solo. Como há no solo muita serrapilheira que origina abundante húmus, existem microorganismos de vários grupos os quais decompõem a matéria orgânica que se incorpora ao solo.

As árvores do interior da mata são adaptadas à sombra, desenvolveram grande área foliar a fim de captar o máximo de luminosidade possível nessas condições.

Muitas árvores são esguias, sem ramos, a não ser na parte superior devido ao sombreamento, os ramos inferiores foram eliminados.

Sobre os troncos das árvores encontram-se varias espécies de epífitas ( bromélias, orquídeas, cactáceas etc.), plantas que sobrevivem a vida longe do solo em busca de luz. São adaptadas a reterem água somente da chuva. (Ex. Bromélias possuem folhas que formam um reservatório de água.)

Presença de fungos, as micorrizas, formam-se junto às raízes das árvores onde auxiliam na absorção de nutrientes.

Comum presença de raízes escoras, que são dispositivos para se coletar oxigênio do ar, uma vez que a taxa de oxigênio do solo é pequena. Além disso solos muito úmidos não proporcionam boa fixação.

As folhas são muitas vezes brilhantes, recobertas de cera, tendo a superfície lisa e pontas em forma de goteira. Características que facilitam o escoamento da água das chuvas impedindo sua permanência prolongada, o que seria inconveniente sobre a superfície foliar, pois pode obstruir estômatos, além de evitar que em suas gotas, se desenvolvam microorganismos que possam determinar doenças.

Na floresta temos plantas que emitem odores atraentes com a função de atrair polinizadores, tais como abelhas, vespas, borboletas etc.

Há plantas que abrem ao entardecer no mesmo período de atividades de seu polinizadores, tais como pequenos morcegos.

Segundo os botânicos, a Floresta Atlântica é a mais diversificada do planeta, com mais de 25 mil espécies de plantas. O elevado índice de chuvas ao longo do ano permite a existência de uma vegetação rica, densa, com árvores que chegam de 20 a 30 metros de altura.

Destacam-se o pau-brasil, o jequitibá, as quaresmeiras, o jacarandá, o jambo e o jabolão, o xaxim, o palmito, a paineira, a figueira, a caviúna, o angico, a maçaranduba, o ipê-rosa, o jatobá, a imbaúba, o murici, a canela-amarela, o pinheiro-do-paraná, e outras. Em um curto espaço, pode-se encontrar mais de 50 espécies vegetais diferentes.

O sub-bosque, composto por árvores menores, abriga numerosas epífitas, gravatás, bromélias, orquídeas, musgos e líquens, samambaias, begônias e lírios de várias espécies. Na Floresta Atlântica, o índice de endemismo entre as palmeiras, bromélias e algumas epífitas chega a mais de 70%.

Ombrófila

Pau-Brasil Embaúba

Manacá de cheiro

Ipê Roxo

Biodiversidade de animais;

Em conjunto os mamíferos , aves, répteis e anfíbios que ocorrem na Floresta Atlântica somam 1.810 espécies, sendo 389 endêmicas. Este bioma abriga, aproximadamente, 7% de todas as espécies do planeta;

Ameaças de extinção;

A Mata Atlântica é considerada atualmente um dos mais importantes conjuntos de ecossistemas do planeta, e um dos mais ameaçados.

Em alguns lugares, como o Rio Grande do Norte, nem vestígios a da Mata, resultando no agravamento da seca no nordeste, Sem floresta, a umidade é insuficiente para provocar as chuvas. E os ventos que sopram do mar, não encontrando a barreira da floresta, levam o sal natural para a região do agreste, prejudicando a vegetação.

A retirada da floresta rompe com o sistema natural de ciclagem de nutriente. A remoção da cobertura vegetal fará com que a superfície do solo seja mais aquecida. Esse aquecimento aumentará as oxidações da matéria organica que se transformará rapidamente em materiais inorgânicos, solúveis ou facilmente solubilizados.

Comentários