O processo de Enfermagem como processo comunicacional: Bases conceituais e considerações históricas

O processo de Enfermagem como processo comunicacional: Bases conceituais e...

E S E F A P

Bacharelado em Enfermagem

ERIKA DORETTO BLAQUES

O processo de Enfermagem como processo comunicacional: Bases conceituais e considerações históricas

TUPÃ-SP

2007

E S E F A P

Bacharelado em Enfermagem

ERIKA DORETTO BLAQUES

O processo de Enfermagem como processo comunicacional: Bases conceituais e considerações históricas

Resumo apresentado à ESEFAP como requisito parcial à conclusão da disciplina de Semiologia e Semiotécnica e o processo de cuidar sob a orientação do Professor Ms. Faustino Correia de Oliveira Neto

TUPÃ-SP

2007

O processo de Enfermagem como Processo Comunicacional: Bases conceituais e considerações históricas

O processo de Enfermagem é entendido como um conjunto de fenômenos, de etapas, que interagem entre uma ou mais pessoas, sendo estas etapas adotadas de modo que se haja organização e execução do cuidado de enfermagem com a finalidade de identificar ou avaliar as condições em que se encontra o cliente e com base nesta identificação se estabelece então um plano de ação que deve ser implementado e avaliado, a fim de que se alcance resultados que são de responsabilidade da Enfermagem para a promoção da saúde, restabelecimento e reabilitação da mesma e prevenção de agravos. Segundo o texto o cuidado com os doentes aparece a partir da Era Cristã, no qual a Enfermagem era vista como uma atividade religiosa, caridade e auto-sacrifício.Com o passar dos anos, e séculos, com a influência de Florence Nightingale no século XIX, a Enfermagem passa do “cuidado do paciente” para o “cuidado com ambiente”, passando a ser compreendida como uma arte. Florence preconizou que era importante o conhecimento na formação e preparação dos enfermeiros, estabeleceu períodos adequados de trabalho e reivindicou remuneração. Ocorrendo dessa forma uma mudança estrutural do cuidar em Enfermagem. Promoveu-se uma melhora da imagem da profissão perante a sociedade, valorizando o registro das condições de saúde dos doentes e dos cuidados prestados. Com o surgimento de outras escolas de administração com a das relações humanas e sob influência das Ciências Sociais a Enfermagem passa a incorporar o trabalho em equipe, onde realizava-se o levantamento de informações para identificar as condições que necessitavam de cuidados de enfermagem e eram então traçados planos de ações para alcançar os objetivos pelos quais a Enfermagem era responsável, onde a assistência era realizada e registrada e feita a avaliação dos cuidados prestados. A autora ressalta a importância da comunicação como um dos componentes básicos para o cuidado, pois é a partir do ato de comunicar-se com os outros que se expressa emoções, necessidades, temores e opiniões. Cinco etapas são definidas como operacionais para o processo de Enfermagem, a comunicação na coleta de dados-e um processo que engloba as fontes de dados, como paciente, família, membro de equipe, registro e outros, sendo necessário habilidades de comunicação por parte do profissional, domínio de diferentes técnicas e métodos de avaliação a fim de que se consiga identificar com clareza essas fontes de dados, para que se organize e registre estes dados, podendo destacar a aquisição de informações a entrevistas com o cliente e/ou grupo, a consulta em prontuários, relatórios e planilhas e consolidados estatísticos, exame clínico, observação de micro e macro ambiente, observação de comportamento, etc. Onde espera-s que o profissional seja capaz de colher informações fidedignas em aspectos psicológicos, sociais e biológicos a fim de se estimar o estado de saúde do cliente. Na fase diagnóstica são identificadas as condições que requerem intervenções de enfermagem. A elaboração de diagnósticos de enfermagem envolve raciocínio, análise e síntese dos dados identificados na coleta, onde todo resultado obtido deste conjunto de tarefas constituirá a forma de expressão do quadro que o paciente apresenta. Na comunicação na fase de planejamento o enfermeiro escolhe entre os diagnósticos formulados os prioritários, elabora quais os objetivos que devem ser percorridos a fim de que se atinja as metas, ou seja, as condições ou comportamentos observados no cliente. É a partir do conhecimento adquirido que vai se eleger qual o melhor meio para alcançar o objetivo desejável, devendo levar em conta as habilidades do enfermeiro e a aceitação do paciente. Após a escolha do melhor meio o próximo passo é a elaboração da prescrição, que nada mais é do que ordens do enfermeiro para a realização de ações de enfermagem para o cliente, essa prescrição deve ser escrita no prontuário e muitos profissionais farão uso e terão contato e alguns executarão os passos estipulados nesta prescrição. Na comunicação na fase de implementação da assistência de Enfermagem o cuidado se dirige a um individuo através de uma relação interpessoal definida através da interação entre duas pessoas, por mensagens verbais e não-verbais, por isso, o profissional deve estar sempre atento à comunicação e a percepção, sendo de grande importância o conhecimento de teorias de comunicação e domínio de habilidades interpessoais. Esta fase engloba a preparação do ambiente desejável, do material e das pessoas envolvidas, a realização da ação e a documentação, o registro da ação realizada, as suas prioridades e as respostas obtidas. A fase de avaliação compreende as comparações das condições do paciente antes e após a intervenção de enfermagem, levando em consideração como o paciente respondeu a ação que foi executada. Na avaliação relacionada à estrutura, a comunicação se faz pelos dados de registros dos procedimentos, diagnósticos terapêuticos e de cuidados, levando em conta os recursos humanos, físicos e financeiros; na avaliação relacionada ao processo o foco é a assistência de todo à equipe de enfermagem, compreendendo as relações interpessoais e na avaliação relacionada ao resultado a partir da documentação existente busca-se identificar mudanças no comportamento do cliente e em seu estado de saúde. Conclui-se que o processo de Enfermagem pode ser compreendido como um processo de comunicação ocorrido de forma interpessoal, intrapessoal, grupal, organizacional e de massa. Para que o processo de Enfermagem seja valorizado, buscando habilidades para cumprir os objetivos de sua aplicação deve se ter à compreensão da complexidade comunicacional que o envolve.

Referência Bibliográfica

CARVALHO, Emilia Campo de. STEFANELLI, Margarida Costa. A comunicação nos diferentes contextos da Enfermagem: Comunicação e o Processo de Enfermagem. Barueri, SP: Manole, 2005. p 138-156.

Comentários