Manicômios –Instituições Totais

Instituições totais assim são chamados os estabelecimentos ou moradias que separam da comunidade perfeita social os indivíduos que são taxados de loucos e ameaçam o bem estar da comunidade. Nessas instituições existem divisões entre um grupo de controlados e u grupo de supervisor, os que controlam.

Quando o novato chega descobre que perdeu o contato com o mundo externo e ainda tem alguns dos seus direitos permanentes negados, enfrentam um processo de admissão mortificante, que se caracteriza como uma despedida e um novo começo.

Esse tipo de tratamento não é apenas em hospitais psiquiátricos, mas também em quartéis, penitenciárias, institutos religiosos, mas com algumas grandes diferenças, nos quartéis eles são pagos e é uma escolha pessoal, como em institutos religiosos, nas penitenciárias e cadeias são seres que causam intencionalmente um ato de perigo, mas os famosos conhecidos Sanatórios, são para pessoas especiais que agem sem intenção, ninguém pergunta se eles aceitam o papel de internado rotineiramente obediente, apenas os obrigam a seguir as normas do grupo supervisor.

Os presos e os doentes mentais não podem impedir que os visitantes os vejam em circunstâncias humilhantes.

Que tipo de sádicos são esses profissionais que mortificam sentimentos e imobilizam pela vergonha, não conseguem ter uma reação de amor.

No livro “O Alienista”, 80% da cidade, principalmente líderes da câmara foram internados na Casa Verde, pois Simão Bacamarte descobre que a loucura não é o desajuízo das faculdades e sim a perfeita harmonia, este comportamento de auto-exclusão social é que faz com que o ser humano sinta-se diferente.

Já no documentário, Exclusão e Violência Social, será que a razão consegue controlar o homem?.A sociedade quer eliminar tudo o que é diferente, um preconceito social, raças, doenças, idade e mais profundamente marginalizados que a própria sociedade cria. Uma exclusão, ser ou não ser, é necessário retirar das nossas vidas tudo aquilo que não queremos, que já perdeu o brilho, mesmo que contra a vontade e consciente que esta sendo retirado de seu ambiente legal, o ser em geral acaba se acostumando com o isolamento e preferindo estar só e seguindo regras que hoje no século XXI, são de normas diferentes, mesmo sendo um único modo dos familiares se livrarem de responsabilidades, mas hoje com a justificativa de entender o eu de cada ser rejeitado nessas instituições. Mesmo com o progresso e a conscientização ainda existem tipos de preconceitos banais como roupas adequadas, pessoas obesas, pobreza, etc...A sociedade ao executar este ato não dá a liberdade de expressão ao próximo, formado uma barreira de angústia, e causando violência entre eles. No filme “Um Estranho no ninho”, foi observado que o paciente McMurphy chegou acompanhado de policiais, 38 anos, consciente, estava sendo deixado em uma enfermaria para loucos, para que pudesse ser avaliado sobre suas condições mentais, foi preso por cometer um estupro. Saiu de uma penitenciária onde lá são delimitados e rejeitados de forma diferente, seguem uma rotina mas essa com tratamento de pessoas comuns e estão ali por terem cometido um ato intencional. Bom voltando à enfermaria à maioria dos internados estava ali por vontade própria, mas todos com o mesmo receio, o medo de voltar pra casa e não serem aceitos na sociedade. A uma grande diferença entre loucos e presidiários, os loucos sempre serão taxados como loucos, mesmo se houver recuperação, a própria família recebe ordem para que o paciente volte, mensalmente para exames, já com presidiários, pode haver uma condicional onde apenas tem que estar perto e afinal se não tiverem família conseguem até constituir uma, o diferente do ser louco pois a sociedade tem medo de uma aproximação. Na enfermaria existem regulamentos onde os pacientes rotineiramente fazem a mesma coisa, a única forma de terapia é um encontro entre eles todas as semanas, para que eles possam falar sobre o que os aflige. A comunicação de Mc.Com os pacientes se torna fácil, pois não são tão diferentes assim, estão apenas acostumados a uma rotina de um campo de concentração. Não existe uma interação entre enfermeiro-paciente, apenas obrigações e conceito de tensão. Também é observado o descaso dos médicos que os deixam a mercê de medicações, para que possam se sentir alucinados e acreditando em um tipo de recuperação, mas que para a equipe é um tipo de controle sobre eles. Aparentemente o internado deixa de dar atenção a acontecimentos que o cercam, tais condições permitem diferentes maneiras de adaptação. O sentimento de tempo morto provavelmente explica o alto valor dado ás chamadas atividades de distração. A única comparação que pode ser feita entre tempos passados e atuais é que atualmente foram banidos das instituições certos tipos de maus tratos e foi dada a garantia da integridade física, as marcas da Exclusão Social ainda continuam guardados em mentes de indivíduos que vivenciaram esta fase.

CONCEITO DE LOUCURA POR MACHADO DE ASSIS

A obra descreve a história de Simão Bacamarte, um doutor renomado nas universidades Européias do século XVIII. Este por motivos pessoais resolve abrir uma casa para internar mentecaptos para estudar os diversos tipos de loucura, o intuito era internar tal doidos que por sua vez viviam trancados em casa, até que por fim chegassem a morrer. No começo a idéia foi negada, mas como o Alienista assim o chamavam ia arcar com as despesas do hospício, assim foi aceita, com o intuito não de preservar a vida e sim para que o nome da cidade chegasse ao patamar da ciência. Bacamarte descobre afinal que a loucura é mais extensa que apenas uma simples mente confusa, o diagnóstico da loucura não é o desajuízo das faculdades mentais e sim a sua perfeita harmonia. Sendo assim acredita que a auto-exclusão é um meio de cura, a internação psiquiátrica da época era muito semelhante a presídios. A obsessão do Alienista em experimentar os seus excessos como um benefício para a ciência retrata o modo cruel do sistema da época. Porém Simão percebeu que seu método era falho e cada um tinha uma personalidade e ele era o único anormal no sentindo de querer a perfeição e enfim decide ficar só na Casa Verde. Resumindo, por querer tanto encontrar defeitos na personalidade das pessoas, principalmente em sua esposa, Simão descobriu que o único louco era ele mesmo pois via as pessoas como um objeto de seus estudos, sem perceber aparentemente seu próprio disparate.

Comentários