Estudo de Métodos de Processamentos de Projetos de Edifícios

Estudo de Métodos de Processamentos de Projetos de Edifícios

(Parte 1 de 7)

Dissertação apresentada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo para obtenção do título de Mestre em Engenharia

São Paulo 2006

Dissertação apresentada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo para obtenção do título de Mestre em Engenharia

Área de concentração: Engenharia de Construção Civil Orientador: Prof. Dr. Silvio Burrattino Melhado

São Paulo 2006

Dedicatória

Manzione, Leonardo

Estudo de métodos de planejamento do processo de projeto de edifícios / L. Manzione. -- São Paulo, 2006. 250 p.

Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Departamento de Engenharia de Construção Civil.

1.Planejamento de projetos 2.Edifícios I.Universidade de São

Paulo. Escola Politécnica. Departamento de Engenharia de Construção Civil I.t.

Dedico esta dissertação às pessoas mais importantes e amadas de minha vida: Sonia, Flora e Raul e aos meus pais, Idaracy e Enzo (in memoriam)

Ao Prof. Silvio Melhado, por toda sua dedicação e atenção na orientação de meu trabalho, feita de maneira correta. Seu trabalho como professor e pesquisador mostrou-me um exemplo profissional a ser seguido, e abriu-me para um amplo campo de conhecimento a ser pesquisado e desenvolvido na área da Gestão do Processo de Projeto. Sua orientação foi paciente, precisa, rigorosa, segura, e soube respeitar meu tempo de amadurecimento e entendimento das questões principais do trabalho. Ele mostrou ser um excelente professor por me ensinar a organizar minhas idéias e despertar meu interesse e vocação pela pesquisa científica. Muito obrigado pelas inúmeras e inesquecíveis sessões de debates sobre essa pesquisa, que muito me fizeram refletir e amadurecer meu conhecimento.

Ao Prof. Francisco Cardoso, colega de turma e professor, por ter me introduzido novamente no ambiente acadêmico e me motivado a esse desafio.

A todos os colegas e, em particular, à Ana Bertezini, por suas dicas.

À Fátima, da Secretaria, sempre prestimosa para auxiliar nos trâmites administrativos.

Às Bibliotecárias e, em particular, à Sarah, pela revisão das minhas referências.

À Andreia, pela colaboração na revisão do texto.

À Flora, pelo auxílio na revisão do abstract.

Aos Arquitetos Patricia e Edison, pela inestimável colaboração no estudo de caso.

Aos Professores Marcio Fabricio e Eduardo Toledo, que muito me auxiliaram com seus importantes questionamentos, no meu exame de qualificação.

À Sonia, minha esposa, e aos meus filhos, Flora e Raul, pelo apoio e carinho que muito me incentivaram no decorrer desse trabalho.

Estudo de métodos de planejamento do processo de projeto de edifícios

Na construção de edifícios, o cumprimento dos prazos dos projetos é um problema recorrente, pois, freqüentemente, os contratantes reclamam que os projetos atrasam. O processo de projeto é gerido de maneira informal, com técnicas de planejamento inadequadas e com a subutilização dos recursos da Tecnologia da Informação. Pelo lado dos profissionais de projeto, também são grandes as reclamações causadas pelo retrabalho, fator responsável por perda de rentabilidade. Com base nessas justificativas, foi desenvolvida a presente pesquisa com o objetivo principal de estudar o planejamento do processo de projeto e propor formas de melhorar a sua eficácia.

O método de pesquisa adotado consistiu em uma revisão bibliográfica sobre os principais modelos gerenciais e técnicas de planejamento adequados ao processo de projeto, e que possam ser aplicadas em nosso mercado. Uma survey com os usuários das extranets de projeto avaliou o estágio atual da utilização dessas ferramentas como suporte à gestão do processo de projeto. Foi realizado um estudo de caso em uma importante empresa de São Paulo, no qual foram analisados seus métodos de planejamento e, a partir do uso da DSM (Design Structure Matrix) como ferramenta de planejamento, foram feitas sugestões para a redução de prazos e simplificações em seu processo de projeto.

Como resultado final, foi levantado um amplo quadro diagnóstico e identificadas as causas dos problemas que constituem as principais barreiras atuais à melhoria da eficácia do processo de planejamento do processo de projeto de edifícios.

Palavras-chaves: planejamento de projetos, coordenação de projetos, processo de projeto, engenharia simultânea, projeto simultâneo.

Study of planning methods of the building design process

When talking about building construction, the accomplishment of stated schedules is a constant problem, therefore there is a constant claim of the developers about design delivery being late. The design process is informally managed, with inappropriate planning techniques and the low utilization of the Information Technology resources. There are also claims from the design professionals because of the rework, which is responsible for the profit loss. Based on these justifications, the following research was developed in order to study the design process planning and to come up with ways to improve its efficacy.

The research method consisted in doing a bibliographic review about the main management models and planning techniques which are adequate to the design process and can be applied in our market. A survey with the design extranets users evaluated the current stage of these tools utilization as a support to the design process management. A case study in an important company from São Paulo was developed, where its planning techniques were analyzed, and from the use of the DSM (Design Structure Matrix) as a planning tool, suggestions for the reduction of stated schedules and simplifications in its design process were made.

As a final result, a great diagnosis was brought out and the causes of the problems which consist the main obstacles to the efficacy’s improvement of the design building planning were identified.

Key-words: design planning, design co-ordination, design process, concurrent engineering, concurrent design.

Figura 1 : Método da pesquisa7
Figura 2: Processo e suas divisões (Fonte: Cruz, 1998)19
Figura 3: Ciclo de Planejamento e Controle (Fonte: Laufer e Tucker, 1987)21
Figura 4: A natureza variável do processo de projeto (Fonte: Austin et al., 2002)2
Tzortzopoulos e Formoso (2001)23
Figura 6: Processo sócio-técnico do Projeto (Fonte: Fabricio, 2002)25
Figura 7: Principais transformações no processo de projeto (Fonte: Fabricio, 2002)30
Figura 8: Projeto como conversão (Fonte: Huovila, Koskela e Lautanala, 1997)31
Figura 9: Projeto como fluxo (Fonte: Huovila, Koskela e Lautanala, 1997)32
36
Figura 12: Modelos de planejamento e técnicas de modelagem pesquisadas39
Figura 13: Modelo do processo de projeto (Fonte: Melhado, 1994)41
Figura 14: Modelo do processo segundo Fabricio (Fonte: Fabricio, 2002)4
Figura 15: Modelo do processo de projeto segundo CTE (Fonte: Souza e Silva, 2003)45
Figura 16: Modelo do processo GPPIE ( Fonte: Romano, 2003)47
Figura 17: Modelo Norie mostrando o fluxo geral e o anteprojeto50
Figura 18: Metodologia ADePT. (Fonte: Austin et al., 1999)53
Figura 19: Visão geral do modelo (Fonte: Austin et al.,1998)5
et al.,1998)56

LISTA DE FIGURAS Figura 5: Níveis de planejamento: graus de detalhamento x horizonte de prazo, conforme Figura 10: Projeto como gerador de valor (Fonte: Huovila, Koskela e Lautanala, 1997)...34 Figura 1: Interfaces do processo de desenvolvimento de produto (Fonte: Fabricio, 2002). Figura 20: Estrutura principal do modelo genérico do projeto de Arquitetura (Fonte: Austin

al.,1998)56

Figura 21: Estrutura principal do modelo genérico do projeto de Estrutura (Fonte: Austin et

projeto60
Figura 24: Ex. diagrama de processo: A3 → A34 → A342 (Fonte: Austin et al., 1998)62
Figura 25: DSM inicial de um projeto hipotético (Fonte: Browning, 1998)67
J68
Figura 27: Atividades sucessoras, que recebem os dados de saída da atividade J68
laranja69

Figura 23: Convenções adotadas na representação IDEF0 do fluxo das informações de um Figura 26: Atividades predecessoras, que fornecem os parâmetros de entrada da atividade Figura 28: DSM destacando a região de alimentação em azul e a de retroalimentação em

esperadas (Fonte: Souza et al., 2005)71
Figura 30: DSM otimizada (Fonte: Browning, 1998)73
Figura 31: DSM com representação sintética74
Figura 32: Programação do projeto75
Figura 3: Modelo Beacon (Fonte: Khalfan; Anumba; Carrilo, 2002)83
Figura 34: Comunicação em um empreendimento com extranet de projeto86
Figura 35: Caracterização das empresas respondentes95
Figura 36: Principais dificuldades na implementação das extranets105
Figura 37: Comparação entre a versão inicial e a versão revisada do pavimento tipo112
Figura 38: Nomenclaturas de arquivo adotadas113
Figura 39: Planta do pavimento tipo120
Figura 40: Planta do pavimento térreo121
Figura 41: Corte122
Figura 42 Matriz de responsabilidades da Construtora123
Figura 43 : Processo de Projeto da empresa (Fonte: Souza et al., 2005)136
Figura 4 : Agentes do processo - etapa de anteprojeto e projeto de prefeitura138
138
Figura 46: Cronograma da fase de anteprojeto e projeto de prefeitura140
Figura 47: Diagrama IDEF0 do anteprojeto e projeto prefeitura154

Figura 29: Diagrama de controle do processo de projeto exemplificando interações Figura 45: Agentes do processo – etapa de projetos pré-executivo, executivo e produção. Figura 48: DSM com a entrada de dados antes do processamento...................................155

Figura 51: DSM condensada, etapa de anteprojeto e projeto de prefeitura159
Figura 52: Cronograma do projeto após o processamento da DSM160
Figura 53: Cronograma padrão com visão geral e resumida das atividades162
Figura 54: Cronograma padrão com atividades do pavimento tipo, (continua)164
Figura 5: Cronograma padrão com atividades do pavimento tipo, (conclusão)165
Figura 56: DSM processada com as atividades do pavimento tipo167
da DSM (continua)170

Figura 49 : DSM processada mostrando o particionamento das atividades......................156 Figura 50: Fluxograma indicando os blocos onde ocorrem atividades interdependentes..157 Figura 57: Cronograma reorganizado do projeto do pavimento tipo após o processamento

da DSM (conclusão)171
Figura 59: Cronograma do pavimento tipo após a simplificação do processo174
Figura 60: Cronograma padrão dos pavimentos atípicos , (continua)176
Figura 61: Cronograma padrão dos pavimentos atípicos, (conclusão)177
Figura 62: Sugestão de organização das atividades de Arquitetura179
Figura 63: Sugestão de organização das atividades de hidráulica180
Figura 64: Sugestão de organização das atividades de elétrica181
(continua)184

Figura 58: Cronograma reorganizado do projeto do pavimento tipo após o processamento Figura 65: DSM processada com as mudanças feitas no cronograma dos atípicos,

(conclusão)185

Figura 6: DSM processada com as mudanças feitas no cronograma dos atípicos,

(continua)187

Figura 67: Cronograma dos atípicos com as simplificações introduzidas – parte 1 –

(conclusão)188
Figura 69: Cronograma final, prazo de 126 dias - parte 1- (continua)190
Figura 70: Cronograma final, prazo de 126 dias - parte 2 – (conclusão)191
Figura 74: Cronograma com atualização final – (continua )198
Figura 75: Cronograma com atualização final – (continua)199
Figura 76: Cronograma com atualização final – (continua)200
Figura 7 : Cronograma com atualização final – (continua)201
Figura 78 : Cronograma com atualização final – (continua)202
Figura 79 : Cronograma com atualização final – (continua)203
Figura 80 : Cronograma com atualização final – (conclusão)204
Tabela 1: Questões do Planejamento, segundo Laufer e Tucker (1987)17
ES27

LISTA DE TABELAS Tabela 2: Características da Construção Civil que interferem na aplicação de métodos da

adaptado de Koskela e Huovila (1997) apud Tzortzopoulos (1999)35
Tabela 4: Estágios da metodologia ADePT52
Tabela 5 : Tabela de dependência de informações (Fonte:Austin et al., 1998)58
Tabela 6: Dados representáveis em matrizes (Fonte: Browning, 1998)64
Matrizes e Grafos (Fonte: Oloufa et al., 2004)6
Tabela 8: Atividades precedentes e sucessoras da atividade J69
Tabela 9: Tabela de atribuição de pesos para dependências (Fonte: Browning, 1998)74
Tabela 10: Similaridades e diferenças entre Internet, intranets e extranets81
Tabela 1: Princípios chaves da ES x Extranets de projeto (Fonte: Kamara, 2003)84
Tabela 12: Diferentes níveis de suporte para a ES x extranets (Fonte: Kamara, 2003)84
Tabela 13: Métodos e ferramentas para a comunicação no projeto9
Tabela 14: Métodos de comunicação, características e graus de riqueza100
Tabela 15: Facilidades percebidas pelos usuários no uso das extranets103
Tabela 16: Etapas do processo de projeto (Fonte: Souza et al., 2005)131
Tabela 17: Tabela de Dependência de Informações142
Tabela 18: Mudanças efetuadas no cronograma dos pavimentos atípicos182
Tabela 19: Datas de atualização do cronograma194
Tabela 20: Atividades em atraso x fatores de atraso195

Tabela 3: Quadro comparativo entre os modelos de conversão, fluxo e geração de valor, Tabela 7: Tipos de relações entre elementos de um sistema e suas representações por Tabela 21: Análises das atividades com mais de 5 dias em atraso no cronograma final...207 Tabela 2: Principais causas da ineficácia do planejamento............................................218

ABNTAssociação Brasileira de Normas Técnicas
ABECEAssociação Brasileira de Engenharia e Consultoria
ABRASIPAssociação Brasileira de Engenharia de Sistemas

Estrutural

ADePTAnalytical Design Planning Technique
ADSLAssymmetric Digital Subscriber Line
AsBEAAssociação Brasileira de Escritórios de Arquitetura
BEACONBenchmarking and readiness assessment for
CADComputer Aided Design
CConstrução Civil
CPMCritical Path Method
CTECentro de Tecnologia de Edificações
DFDData Flow Diagram
DSMDesign Structure Matrix
ESEngenharia Simultânea
FPTFunctional Primitive Tasks
GPPIEGerenciamento do Processo de Projeto Integrado
IDEF0Integration Definition for Function Modeling
IFCIndustry Foundation Classes
IPTUImposto Predial e Territorial Urbano
ISOInternational Standards Organization
MITMassachusetts Institute of Technology
NBRNorma Brasileira

Prediais concurrent engineering tool de Edificações NGI Núcleo de Gestão e Inovação

PCPersonal Computer
PERTProgram Evaluation and Review Technique
PMBOKProject Management Body of Knowledge
PPCPorcentagem do Plano Completada
PSProjeto Simultâneo
QFDQuality Function Deployment
RIBARoyal Institute of British Architects
SADTStructured Analysis and Design Technique
SECOVI-SPSindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e

NORIE Núcleo Orientado para a Inovação da Edificação

Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo

TCP/IPTransmission Control Protocol / Internet Protocol
TITecnologia da Informação
UFRGSUniversidade Federal do Rio Grande do Sul
USPUniversidade de São Paulo
WAPWireless Application Protocol
WBSWork Breakdown Structure

SINDUSCON-SP Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo XML eXtensible Markup Language

RESUMOI
ABSTRACTI
LISTA DE FIGURASI
LISTA DE TABELASVII
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLASVIII
1. INTRODUÇÃO1
1.1 Justificativa3
1.2 Objetivos6
1.3 Metodologia6
1.3.1 Pesquisa teórica – revisão bibliográfica8
1.3.2 Survey – extranets de projeto9
1.3.3 Estudo de caso – projeto de um edifício para o mercado imobiliário10
1.4 Estruturação do trabalho12
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA14
2.1 Planejamento do Processo de Projeto14
2.1.1 Sistema de Planejamento – terminologia16
2.1.2 Natureza e características do Processo de Projeto2
2.1.3 O processo gerencial do Projeto26
2.1.4 Engenharia Simultânea26
2.1.5 O conceito de projeto simultâneo e as diretrizes para sua implementação29
2.1.8 O projeto como gerador de Valor34
2.1.9 Estudo de Modelos de Processo do Projeto36
2.1.9.1 Interfaces do processo de desenvolvimento de produtos36
2.1.9.2 Categorização dos modelos37
2.1.9.3 Delimitação dos principais modelos estudados38
2.1.9.4 MELHADO, 199440
2.1.9.5 FABRICIO, 20024
2.1.9.6 CTE, 200345
2.1.9.7 GPPIE - ROMANO, 200346
2.1.9.8 AsBEA, 199248
2.1.9.9 NBR 13531 / 1353249
2.1.9.10 UFRGS / NORIE, 200149
2.1.10 Estudo de metodologia para planejamento de projetos51
2.1.10.1 Estágios 1 e 2: Modelagem do processo de projeto53
2.1.10.2 Estágio 3: DSM (Design Structure Matrix)63
2.1.10.3 Estágio 4: Programação do Projeto75
2.1.10.4 Conclusões a respeito dos modelos e das técnicas76
2.2 Extranets de Projeto78
2.2.1 Conceituação79
2.2.2 As Extranets e o Projeto Simultâneo82
2.2.3 Funcionalidades85
2.2.4 Gerenciamento de documentos87
2.2.5 Gerenciamento das comunicações90
2.2.6 Gerenciamento do workflow90
2.2.7 Novas tecnologias92
3. PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DAS EXTRANETS94
3.1 Infra-estrutura de hardware e software97
3.2 Uso da Extranet, e-mail e comunicações97
3.3 Facilidades e dificuldades na operação das Extranets103
3.4 Controle de qualidade, atas, prazos e tarefas109
3.5 Falhas, revisões, conteúdo, rastreabilidade, nomenclatura e controle de cópias1
3.6 Pesquisa e busca de informações, visualização, relatórios, interface, satisfação114
4.1 Caracterização dos Agentes119
4.2 Estudo do sistema de planejamento do projeto130
4.2.1 Estudo do processo de projeto da empresa - etapas131
4.2.2 Agentes envolvidos137
4.2.3 Etapa de anteprojeto e projeto de Prefeitura139
4.2.4 Etapa de projetos pré-executivos e executivos161
4.2.4.1 Pavimento tipo – análise crítica163
4.2.4.2 Pavimentos atípicos – análise crítica175
4.2.5 Controle do Planejamento194
4.3 Discussão sobre os resultados do estudo de caso211
5. CONCLUSÕES216
5.1 Atendimento aos objetivos da pesquisa216
5.2 Levantamento das causas da ineficácia do planejamento217
5.3 Melhorias e necessidades de avanços220
5.3.1 Recomendações aos Contratantes de Projetos e Projetistas220
5.3.2 Recomendações aos Coordenadores de Projeto223
5.3.3 Recomendações aos pesquisadores224
5.4 Sugestões para trabalhos futuros226
REFERÊNCIAS227
ANEXOS236
Anexo I - Questionário da pesquisa das Extranets236

4. ESTUDO DE CASO: PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE PROJETO.....119

CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO 1

1. Introdução

(Parte 1 de 7)

Comentários