atençao farmaceutica a idosos: reflexões sobre a intervenção do farmaceutico no uso de medicamentos por idosos

atençao farmaceutica a idosos: reflexões sobre a intervenção do farmaceutico no...

(Parte 1 de 3)

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

UNIDADE DE NANUQUE

SIDNEY NUNES COSTA

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA AO IDOSO: INTERVENÇÃO DO FARMACÊUTICO - UMA REVISÃO

Nanuque - MG

2009

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

UNIDADE DE NANUQUE

SIDNEY NUNES COSTA

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA AO IDOSO: INTERVENÇÃO DO FARMACÊUTICO - UMA REVISÃO

Projeto de Monografia apresentado ao Centro Universitário de Caratinga - UNEC, Campus Nanuque, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Farmácia.

Área Temática: Assistência Farmacêutica

Linha de pesquisa: Atenção Farmacêutica aplicada a idosos

Orientadora: Professora Esp. Renata Campos Moreira

NANUQUE

2009

COSTA, Sidney Nunes

Assistência farmacêutica ao idoso: intervenção do farmacêutico - uma revisão

Nanuque: UNEC, 2009

Páginas

Monografia/Graduação

CURSO DE FARMÁCIA / CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

RESUMO

Este trabalho de monografia é uma revisão de literatura sobre a assistência farmacêutica ao idoso e a intervenção do farmacêutico no intuito de se evitar problemas com o uso de medicamentos. Para a realização desta pesquisa os dados foram obtidos em sites de conteúdo científico e livros e periódicos de informações na área da saúde humana. Os tópicos tratados são o uso de medicamentos pelos idosos, principais reações adversas a medicamentos apresentadas por esta população, intervenção do farmacêutico no uso de medicamentos por pacientes idosos e implementação da intervenção farmacêutica adaptada ao paciente idoso como parte do processo de minorar ou mesmo evitar os problemas com medicamento.

Palavras chave: Assistência farmacêutica. Idosos. Medicamentos.

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA-UNEC

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE CARATINGA - FUNEC

CURSO FARMÁCIA

ATA DE DEFESA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Aos ___________dias do mês de novembro do ano de 2009, no Campus de Nanuque, do Centro Universitário de Caratinga – UNEC, compareceu o candidato SIDNEY NUNES COSTA que apresentou ao Curso de Graduação em Farmácia o trabalho de Conclusão de Curso com o título: ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA AO IDOSO: INTERVENÇÃO DO FARMACÊUTICO - UMA REVISÃO, aprovado pela Banca Examinadora composta pelos professores:

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Nanuque- MG, ____de novembro de 2009.

___________________________________________________

Profª

___________________________________________________

Profª

___________________________________________________

Profª

___________________________________________________

Profª

SUMÁRIO

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Gráfico 1 - medicamentos mais prescritos em quatro unidades da Estratégia da Família no município de Marília – SP, conforme Oliveira et alli (2008)

Quadro 1 - Principais reações adversas a medicamentos em idosos

Quadro 2 – Tipos de intervenções, Farré et al (2000) apud por Amaral et alli (2008)

LISTA DE ABREVIATURAS

IBGE Instituto - Brasileiro de Geografia e Estatística

PNAD -Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

RAM - Reações adversas a medicamentos

INTRODUÇÃO

A assistência farmacêutica na concepção de Melo et alli (2008) pode ser entendida como uma prática centrada no paciente e que requer trabalho conjunto do farmacêutico com o paciente e demais profissionais de saúde para promover a saúde e cuidar da prevenção de doenças. Segundo eles devido ao fácil acesso, o farmacêutico também exerce um papel vital nas informações de saúde. Ainda citando Melo et alli (2008), por ser uma fonte de informações para pacientes, médicos e profissionais de saúde, o farmacêutico tem a oportunidade de influenciar direta ou indiretamente a escolha e o uso das terapias com medicamentos.

O IBGE Instituto - Brasileiro de Geografia e Estatística, citando informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD, diz que a população de 60 anos ou mais era de cerca de 17 milhões de pessoas e representava aproximadamente 10% da população total do País, os idosos alcançavam, aproximadamente, 19 milhões de pessoas, evidenciando o acelerado processo de envelhecimento da sociedade brasileira. A expectativa de vida a partir dos 60 anos aumentou, no período de 1999 a 2003, em todas as faixas de idade, Em 2006, no País como um todo, a expectativa de vida das pessoas de 60 anos era de 19,3 anos para os homens e de 22,4 anos para as mulheres. (TÁBUAS..., 2008 apud IBGE, 2009).

O Brasil envelhece rapidamente. A expectativa média de vida se amplia de tal forma que grande parte da população atual irá alcançar a velhice. Os grandes centros urbanos, embora já apresentem um perfil demográfico semelhante ao dos países mais desenvolvidos, ainda não dispõem de uma infraestrutura de serviços que dê conta das demandas decorrentes das transformações demográficas vigentes. (IBGE, 2009).

Gordilho et al, (2000) citado pelo IBGE, (2009) dizem que além das modificações populacionais, o Brasil tem experimentado uma transição epidemiológica, com alterações relevantes no quadro de morbimortalidade. As doenças infecto-contagiosas, que representavam 40% das mortes registradas no País em 1950, hoje são responsáveis por menos de 10%. O oposto ocorreu em relação às doenças cardiovasculares que em 1950, eram causa de 12% das mortes e, atualmente, representam mais de 40%. Ainda segundo Gordilho, em menos de 40 anos, o Brasil passou de um perfil de mortalidade típico de uma população jovem para um desenho caracterizado por enfermidades complexas e mais onerosas, próprias das faixas etárias mais avançadas.

Em 2003, segundo as informações da PNAD, os percentuais de doenças crônicas entre os idosos atinge 75,5% do grupo. Outro fato que chama a atenção é que as doenças crônicas e patologias degenerativas levam a uma demanda maior por medicamentos, sendo que a maioria dos idosos utiliza mais de um medicamento periodicamente e na hospitalização utiliza de oito a quinze. (Romano-Lieber et alli, 2002).

Fries, (2002); Schoeni et al, (2005) apud IBGE (2009), dizem que a demonstração de que políticas de promoção e prevenção de saúde estão provando eficácia em todo o mundo confirmam essas tendências e indicam redução do declínio funcional entre os idosos, o que aponta na direção de uma população mais saudável.

A atenção farmacêutica surge neste contexto como uma alternativa, coadjuvante ao tratamento médico, visando assegurar ao paciente idoso a segurança no uso de medicamentos e no restabelecimento da saúde.

1.2 justificativa

A população idosa no Brasil aumenta consideravelmente a cada ano, fruto da longevidade que vem alcançando e a assistência farmacêutica está se implementando de forma crescente, o que requer dos futuros profissionais de farmácia um conhecimento mais específico da farmacoterapia aplicada na população idosa.

Neste contexto este trabalho pode ajudar a entender como se processa a assistência farmacêutica ao idoso e como esta atenção pode contribuir para se evitar acidentes com medicamentos, além de fornecer informações aos acadêmicos e farmacêuticos que pretendem atuar na assistência farmacêutica direcionada aos idosos.

1.3 objetivos

1.3.1 Objetivo geral

Realizar levantamento de literatura sobre a prestação de assistência farmacêutica ao idoso.

1.3.2 Objetivos específicos

Realizar estudo nas literaturas consultadas sobre a atenção farmacêutica ao idoso;

Verificar possíveis problemas causados por medicamentos nos idosos na literatura consultada;

Verificar como a assistência farmacêutica pode contribuir para minorar os problemas com medicamentos na população idosa na percepção dos autores estudados.

(Parte 1 de 3)

Comentários