Material para Estudo -Resumo Contabilidade Básica

Material para Estudo -Resumo Contabilidade Básica

(Parte 1 de 9)

Resumão Contabilidade Básica

RESUMO

BÁSICO

DE

CONTABILIDADE

BÁSICA

Conteúdo

  1. Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade pag. 02

  2. Patrimônio pag. 05

  3. Conceitos de Capital pag. 08

  4. Escrituração Contábil pag. 09

  5. Receitas e Despesas pag. 20

6. Tratamento dos Estoques pag. 43

7. Contabilização de algumas contas específicas pag. 49

8. Depreciação e Amortização pag. 53

9. Tratamento de Receitas e Despesas Antecipadas pag. 58

10. Demonstrações Contábeis Obrigatórias pag. 62

11. Fatos que Modificam Compras e Vendas pag. 69

Alexandre José Granzotto Julho a Outubro / 2002

RESUMÃO - CONTABILIDADE BÁSICA

1. ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE

Conceitos

Contabilidade: é um instrumento da função administrativa que tem por finalidade controlar o patrimônio, apurar o resultado e prestar informações sobre o patrimônio das empresas.

Patrimônio: é o conjunto de elementos necessários à existência de uma entidade (empresa), ou seja, é o conjunto de bens, direitos e obrigações

Objeto da Contabilidade: é o patrimônio das empresas (entidades)

Aziendas: entidades econômico-administrativas (pessoas físicas ou jurídicas) que para atingirem seu objetivo, seja ele econômico ou social, utilizam bens patrimoniais e necessitam de um órgão administrativo que pratique atos de natureza econômica necessários a seus fins. Os elementos constitutivos das aziendas são: pessoas e bens.

Campo de Aplicação da Contabilidade: as Aziendas

Empresa ou Entidade: é qualquer pessoa física ou jurídica detentora de um patrimônio. Resulta da combinação de 3 fatores de produção: Natureza, Capital e Trabalho.

Gestão: é o conjunto de eventos ocorridos na entidade, consentidos ou não pela administração.

  • Gestão de natureza técnica: realiza o objetivo social da entidade, como a produção de bens e serviços.;

  • Gestão de natureza administrativa procura orientar a utilização dos recursos humanos disponíveis em busca dos objetivos sociais da entidade;

Rédito: é o resultado da atividade econômica que provoca variação patrimonial (lucro ou prejuízo)

Regime de Caixa: regime pelo qual o rédito é apurado pelo confronto entre os recebimentos e os pagamentosno decorrer do período administrativo. É o regime utilizado pelas entidades sem fins lucrativos.

Regime de Competência: regime pelo qual o rédito é apurado pelo confronto entre as receitas e as despesas incorridas durante o exercício social. É o regime utilizado pelas entidades com fins lucrativos.

Funções da Contabilidade:

  • Administrativa: objetiva controlar o patrimônio das entidades e prestar informações;

  • Econômica: objetiva apurar o Rédito (Lucro ou Prejuízo)

Técnicas Contábeis

  • Escrituração: registro dos fatos patrimoniais de forma contínua e metódica, tendo como apoio a documentação relativa a estes fatos;

  • Demonstração: processo de prestação de informações úteis, oportunas e adequadas, conforme a necessidade do usuário;

  • Auditoria ou revisão: é a inspeção que se realiza sobre a escrituração contábil com a finalidade de verificar a exatidão dos fatos administrativos;

  • Análise de Balanços: processo de transformação dos dados em informações úteis aos diversos usuários da informação contábil.

Princípios Contábeis Fundamentais

São os preceitos fundamentais em que se baseiam a doutrina e a técnica contábil.

Princípio da Entidade:

reconhece o patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, onde não se pode confundir o patrimônio da entidade com o patrimônio de seus proprietários;

Princípio da Continuidade:.

 a continuidade ou não da entidade, bem como sua vida estabelecida ou provável, devem ser considerados quando da classificação e avaliação das mutações patrimoniais, quantitativas e qualitativas

Princípio da Oportunidade:

 refere-se, simultaneamente, à tempestividade e à integridade do registro das mutações patrimoniais (deve ser feito no tempo certo e com a extensão correta);

Princípio do Registro pelo Valor Original:;

 os componentes do patrimônio devem ser registrados pelo valor original das transações, expressos em valor presente na moeda do País

Princípio da Atualização Monetária:

 os efeitos da alteração do poder aquisitivo da moeda nacional devem ser reconhecidos nos registros contábeis através do ajustamento da expressão formal dos valores; não representa nova avaliação, mas tão somente o ajustamento dos valores originais;

Princípio da Competência:

 as receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do resultado do período em que ocorrem, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independente de recebimento ou pagamento;

Princípio da Prudência:

 determina a adoção do menor valor para os componentes do ativo e do maior valor para os componentes do passivo, ou seja, o Princípio da Prudência impõe a escolha da hipótese de que resulte o menor patrimônio líquido.

Exercício Social: é o espaço de tempo (12 meses), findo o qual as pessoas jurídicas apuram seus resultados; ele pode coincidir, ou não, com o ano-calendário, de acordo com o que dispuser o estatuto ou o contrato social.

2. PATRIMÔNIO

2.1. Conceito contábil e componentes patrimoniais

Patrimônio: é o conjunto de bens, direitos e obrigações.

BENS: tudo que pode ser avaliado economicamente e que satisfaça as necessidades humanas;

  • Tangíveis: têm existência física, existe como coisa ou objeto. Ex.: Dinheiro, mercadoria p/ revenda, imóveis, máquinas, veículos, móveis, equipamentos, etc.

  • Intangíveis: Exs.: Marcas e patentes, ações ou Quotas de Capital.

DIREITOS:são bens de nossa propriedade que se encontram em poder de terceiros. (valores a receber). Ex.: duplicatas a receber, títulos a receber, notas promissórias a receber, aluguéis a receber, clientes, dinheiro em banco, aplicações financeiras, etc.

OBRIGAÇÕES: são bens de propriedade de terceiros que se encontram em nosso poder. (valores a pagar). Ex.: duplicatas a pagar, títulos a pagar, notas promissórias a pagar, aluguéis a pagar, fornecedores, impostos a recolher, etc.

Propriedade Plena - quando uma entidade tem posse e domínio sobre determinado bem.

2.2. itens Patrimoniais

ATIVO: conjunto de bens e direitos (parte positiva). Chamado de Patrimônio Bruto

PASSIVO: conjunto de obrigações (parte negativa). Também chamado de Capital de Terceiros ou Passivo Exigível.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO :diferença entre o Ativo e o Passivo. Representa as obrigações da entidade para com os sócios ou acionistas. É a parte do Patrimônio que vai medir ou avaliar a situação ou condição da entidade; é chamado, também, de Passivo não exigível ou Situação Líquida.

2.3. Equação Patrimonial e suas variações

PATRIMÔNIO LÍQUIDO = ATIVO - PASSIVO

Situações Patrimoniais
  1. ATIVO > PASSIVO Patrimônio Líquido é POSITIVO / SUPERAVITÁRIO

  • Situação Favorável PL + ou SL +

  • Ocorre quando os bens e direitos (Ativo) excedem o valor das obrigações com terceiros (Passivo Exigível)

  1. ATIVO < PASSIVO Patrimônio Líquido é NEGATIVO / DEFICITÁRIO

  • Situação Desfavorável PL (-) ou SL (-) ou Passivo a Descoberto

  • Ocorre quando os bens e direitos (Ativo) forem menores que as obrigações com terceiros (Passivo Exigível)

  1. ATIVO = PASSIVO Patrimônio Líquido é NULO / EQUILIBRADO

  • Situação NULA, Equilíbrio Aparente A = PE, logo PL = 0

  • Ocorre quando os bens e direitos (Ativo) forem iguais às obrigações com terceiros (Passivo Exigível); nessa hipótese o patrimônio líquido será nulo.

  1. ATIVO = PATRIMÔNIO LÍQUIDO

  • Situação Plena ou Propriedade Total A = PL, logo PE = 0

  • Ocorre quando os bens e direitos (Ativo) forem iguais ao patrimônio líquido; nessa hipótese , as obrigações com terceiros (Passivo Exigível) serão nulas.

  1. PASSIVO EXIGÍVEL = PATRIMÔNIO LÍQUIDO

  • Situação de Inexistência de Ativos PE = ( PL ) , logo A = 0

  • Ocorre quando as obrigações com terceiros (Passivo Exigível) for igual ao patrimônio líquido negativo; nessa hipótese, o ativo será nulo.

2.4. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ESTADOS PATRIMONIAIS

PATRIMÔNIO

BENS

DIREITOS

OBRIGAÇÕES

 Na representação gráfica apresentada temos, de um lado, os Bens e os Direitos, que formam o grupo dos elementos positivos; e, do outro lado, as Obrigações, que formam o grupo dos elementos negativos.

  • Na maioria das empresas comerciais, o Ativo suplanta o Passivo Exigível (obrigações). Assim, a representação mais comum do patrimônio de uma empresa comercial assume a forma:

Ativo = Passivo Exigível + Patrimônio Líquido

  • Diz-se que a:

    • Situação Líquida é Negativa quando o Ativo Total é:

      • menor que o Passivo Exigível.

    • Situação Patrimonial inconcebível quando a:

      • Situação Líquida maior que o Ativo.

    • Aumenta o patrimônio líquido quando há:

      • Recebimento de duplicatas com juros.

    • Diminui o patrimônio líquido quando há:

      • Pagamento de duplicatas com juros.

3. CONCEITOS DE CAPITAL

CAPITAL SOCIAL é a obrigação da empresa para com os sócios originária da entrega de recursos para a formação do capital da entidade. Corresponde ao patrimônio líquido (PL)

CAPITAL PRÓPRIO são os recursos originários dos sócios ou acionistas da entidade ou decorrentes de suas operações sociais.

CAPITAL DE TERCEIROS representam recursos originários de terceiros utilizados para a aquisição de ativos de propriedade da entidade. Corresponde ao passivo exigível (PE)

CAPITAL REALIZADO corresponde ao valor dos recursos entregues pelos sócios e à disposição da entidade (em caixa, nos bancos, em imóveis, etc).

CAPITAL A REALIZAR é o capital com que a entidade foi registrada mas que por algum motivo ainda não foi colocado totalmente à disposição da entidade. Com o desenrolar dos negócios, este capital será posto à disposição da entidade, seja através de dinheiro ou outros bens.

CAPITAL TOTAL A DISPOSIÇÃO DA EMPRESA corresponde à soma do capital próprio com o capital de terceiros. É também igual ao total do ativo da entidade.

DIFERENÇA ENTRE CAPITAL E PATRIMÔNIO

Capital: é o conjunto de elementos que o proprietário da empresa possui para iniciar suas atividades. Ex.: Lúcia vai abrir uma papelaria. Ela possui, para esse fim, R$ 10.000 em dinheiro. Logo, esses R$ 10.000 em dinheiro constituem o seu Capital Inicial.

O Capital Inicial pode ser composto por:

  • Dinheiro

  • Móveis

  • Veículos

  • Imóveis

  • Promissórias a Receber etc.

PATRIMÔNIO: é o conjunto que compreende os bens da empresa (dinheiro em caixa, contas a receber, imóveis, veículos., etc), seus direitos (contas a receber) e suas obrigações para com terceiros (contas a pagar)

4. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL

4.1. CONCEITO DE DÉBITO E CRÉDITO

 um alerta para não confundir termos da linguagem comum, quando usados na terminologia contábil.

Débito:na linguagem comum, significa:

  • dívida

  • situação negativa

  • estar em débito com alguém

  • estar devendo para alguém etc.

 Quando falarmos na palavra débito, procure não ligar o seu significado do ponto de vista técnico com o que ela representa na linguagem comum.

  • Na terminologia contábil, essa palavra tem vários significados, os quais raramente correspondem aos da linguagem comum. Enquanto não se conscientizar disso, dificilmente aceitará que débito pode representar elementos positivos, o que prejudica sensivelmente a aprendizagem. Portanto, muito cuidado com a terminologia.

Crédito: na linguagem comum, significa:

— ter crédito com alguém, em uma loja etc.

— situação positiva

— poder comprar a prazo etc.

  • Na terminologia contábil, a palavra crédito também possui vários significados. As mesmas observações que fizemos para a palavra débito aplicam-se à palavra crédito. Portanto é importante memorizar :

a. No gráfico das Contas Patrimoniais, o lado direito é o lado do Crédito, exceto para as Contas Retificadoras.

b. No gráfico das Contas de Resultado, o lado direito é o lado do Crédito.

Portanto:

débito é uma situação de dívida ou de responsabilidade da conta para com entidade;

crédito é uma situação de direito ou de haver da conta em relação à entidade;

saldo é a diferença entre o total dos débitos e o total dos créditos efetuados numa conta; O saldo pode ser:

  • devedor - quando a soma dos débitos for maior do que a soma dos créditos;

  • credor - quando a soma dos débitos for menor do que a soma dos créditos;

  • nulo - quando a soma dos débitos for igual a soma dos créditos;

4.2. CONTAS CONTÁBEIS: SUA NATUREZA E SUA MOVIMENTAÇÃO

Razonete

Nome da Conta

Débitos

( D )

Créditos

( C )

Devedor

Credor

Saldo

Mecanismo de Débito e Crédito

Contas

NATUREZA

Aumentos

Diminuições

ATIVO

Dv

D

C

PASSIVO

Cr

C

D

DESPESAS

Dv

D

C

RECEITAS

Cr

C

D

SITUAÇÃO LÍQUIDA

Cr

C

D

Dv - conta de natureza devedora; D -debitar

Cr - conta de natureza credora; C -creditar

Contas - são denominações contábeis que identificam e controlam os elementos contábeis de natureza semelhante.

Teoria das Contas

ATIVO

PASSIVO

CONTAS

DE RESULTADO

Teoria das Contas

BENS

DIREITOS

OBRIGAÇÕES

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

RECEITAS

&

DESPESAS

Teoria Personalista

Contas Pessoas Débito/Crédito Entidade

Contas dos Agentes Consignatários

Contas dos Agentes Correspondentes

Contas dos Proprietários

Teoria Materialista

Contas Material Entidade

Contas Integrais

Contas Diferenciais

Teoria Patrimonialista

Objeto Patrimônio

Finalidade controle, apuração dos resultados e prestação de informações

Contas Patrimoniais

Contas de Resultado

  • Teoria Personalista as contas representam pessoas que se relacionam com a entidade em termos de débito e crédito;

  • Teoria Materialista· as contas e a entidade mantêm uma relação material, e não pessoal;

(Parte 1 de 9)

Comentários