Resumo da Educação Física no Brasil

Resumo da Educação Física no Brasil

Resumo da Educação Física no Brasil Cyro Domingues Martins de Sanders*

HIGIENISTA (ATÉ 1930):

?Corpo forte e saudável. ?Disciplinarização do físico e do intelecto.

?Multiplicar os indivíduos brancos e nacionalistas.

?Introdução da Ginástica nas escolas. ?1851 - Introduzida oficialmente nas escolas com a reforma de Couto Ferraz.

?Os pais não queriam (TRABALHO FÍSICO = ESCRAVO). ?1882 - Mesmo com o preconceito, torna-se obrigatória a EF no Brasil

(sob forte influência militar).

?Rui Barbosa o “Paladino na Educação Física no Brasil”. ?A reforma inicialmente foi implantada somente no Rio de Janeiro e em Escolas Militares.

MILITARISTA (1930 – 1945):

?Professor assumia o papel de instrutor e o aluno de recruta. ?Disciplina, obediência e subordinação às ordens por parte dos alunos.

?Homens e mulheres sadios e fortes geram filhos saudáveis, e se gerassem filhos saudáveis estes estariam mais aptos a defenderem e construírem a Pátria. ?Fortalecer o trabalhador.

?Mulher = MÃE.

?Constituição de 1937 – EF nos programas de ensino.

?No Plano Nacional de Educação é dada ênfase ao ensino cívico e à educação física. ?Sugeriu a esterilização de doentes.

FASE DA PEDAGOGIZAÇÃO (1945 - 1964)

?Educação Física meramente educativa. ?Curso secundário e tinha a duração de dois anos

?Níveis: técnicos, especialistas, monitores e professores.

?1945 - 2 para 3 anos.

?1950 - Exige a prestação do vestibular.

FASE COMPETITIVISTA (1964)

? Pensamento desportivo. ?Educação Física = Desporto de alto nível.

?Atleta herói

?Talentos ou prodígios esportivos.

*Discente do curso de Educação Física da Universidade Federal do Ceará (UFC)

?Indivíduos “comuns” eram excluídos. ? Caráter tecnicista.

?Auge nos anos 70.

?Esporte + Nacionalismo.

NA DÉCADA DE 1980:

? Desenvolvimento psicomotor. ?Desenvolvimento da inteligência por meio da atividade física.

?Autonomia, a sociabilidade, a cooperação, o espírito de equipe, etc.

?Crise de identidade.

?Forma espontânea de trabalhar.

Afirma Gonçalves (1997, p.135) que:

[...] na sociedade brasileira, por exemplo, a Educação Física escolar assumiu funções com tendências militaristas, higienistas, de biologização e de psicopedagozização, tendências ligadas a momentos históricos e que, ainda hoje permeiam sua prática.

Segundo Mattos & Neira (2000, p.25):

[...] para inserir a Educação Física dentro do currículo escolar e coloca-la no mesmo grau de importância das outras áreas conhecimento é através da fundamentação teórica, da vinculação das aulas com os objetivos do trabalho, da não improvisação e, principalmente, da elaboração de um plano que atenda às necessidades, interesses e motivação dos alunos.

Comentários