Exercicios de Hitoria Geral

Exercicios de Hitoria Geral

(Parte 1 de 3)

d) ao expansionismo resultante da aliança militar chamada

Liga de Delos. e) ao fim da escravidão por dívidas, estabelecido por Drácon na Lei das Doze Tábuas.

3. (UFTM-MG) As civilizações antigas costumam ser divididas em dois grupos: Antiguidade oriental, com destaque para Egito e Mesopotâmia, e ocidental, com Grécia e Roma. Comparando as características desses grupos, é correto afirmar que: a) enquanto as civilizações orientais tinham a sociedade baseada na riqueza do indivíduo, as ocidentais dependiam dos privilégios de nascimento. b) tanto as civilizações orientais quanto as ocidentais seguiam religiões monoteístas, acreditando em um deus antropozoomórfico e na vida após a morte. c) enquanto as civilizações orientais inovaram com o direito à cidadania, nas ocidentais apareceu a teocracia, sendo o monarca considerado um deus vivo. d) tanto as civilizações orientais quanto as ocidentais fundamentavam sua economia na agricultura de regadio, constituindo sociedades hidráulicas. e) enquanto nas civilizações orientais desenvolveu-se a servidão coletiva, nas ocidentais o escravismo foi o sistema de trabalho predominante.

4. (UFPel-RS)

Esse mapa se refere à: a) centralização política, na fase inicial da Idade Moderna. b) divisão do Império Romano, no final da Idade Antiga. c) formação dos Estados Nacionais, no século XV. d) Europa ocidental, na Idade Antiga. e) organização dos reinos francos, na Idade Média Ocidental.

Divisão do Império Carolíngio pelo Tratado de Verdun

1. (UFPel-RS) No esquema a seguir, os algarismos I, I, II e IV correspondem às civilizações da Antiguidade.

CivilizaçõesLocalizaçãoBase econômica Organização político- administrativa Religião

INordeste da ÁfricaPredomi nância da agricultura

Monarquia teocrática

Predominância do politeísmo antropozoo mórfico

IIAtual Líbano Comércio Talassocracia Politeísmo

IIIÁsia Menor e Ásia Central

Agricultura e comércioDivisão do império em satrapias

Zoroastrismo

IVAtual IsraelPastoril e agrária

Governo dos patriarcas, juízes e reis, sucessivamente

Monoteísmo

Assinale a alternativa que denomina corretamente as civilizações indicadas, respectivamente, por I, I, II e IV. a) Fenícia, Hebraica, Egípcia e Persa. b) Egípcia, Fenícia, Persa e Hebraica. c) Persa, Fenícia, Hebraica e Egípcia. d) Egípcia, Persa, Fenícia e Hebraica. e) Hebraica, Egípcia, Fenícia e Persa.

A constituição dessa área de colonização deveu-se: a) aos conflitos entre Atenas e Esparta, denominados Guerra do Peloponeso. b) aos conflitos entre gregos e persas, denominados Guerras

Médicas. c) aos problemas derivados do crescimento demográfico e da escassez de terras.

Grécia antiga: principais cidades e territórios colonizados (séculos VIII a VI a. C.)

História Geral

A imagem é de uma das cenas do filme Cruzadas, que aborda alguns episódios do conflito entre cristãos e muçulmanos ocorrido entre os séculos XI e XIII. A respeito dessas cruzadas, todas as afirmativas estão corretas, exceto: a) Representaram a reconquista definitiva dos lugares santos e de Jerusalém, o que permitiu a adoção dos preceitos do Alcorão pelos cristãos. b) Iniciaram-se com a reconquista cristã da Península Ibérica, já que, desde o século VII, grande parcela de seu território havia sido ocupada pela expansão muçulmana. c) Contribuíram para a revitalização comercial e urbana da

Europa ocidental, destacando-se a importância econômica adquirida por cidades como Gênova e Veneza. d) Ficaram marcadas pelas violações, saques e pilhagens promovidos pelos cruzados; um exemplo foi a tomada de Jerusalém em julho de 1099. e) Foram operações militares de reconquista dos lugares santos de Jerusalém, configurando-se, conforme discurso cristão, como guerra santa prescrita aos cruzados em troca de remissão de seus pecados.

6. (Fatec-SP) A sociedade feudal era formada por três ordens divididas da seguinte forma: a) a burguesia industrial, responsável pela produção dos produtos manufaturados e sua exportação, o clero, responsável pela manutenção da fé cristã e pela perseguição aos infiéis, e, abaixo dessas duas, os servos, responsáveis pelo sustento de toda a sociedade. b) a nobreza feudal, responsável pela produção dos grãos que alimentavam a toda a sociedade, o clero, responsável pela salvação das almas dos cristãos, e, abaixo dessas duas, os escravos, responsáveis pelos afazeres domésticos, pelas plantações e pelas frentes de batalhas quando fosse necessário. c) a burguesia comerciante, responsável pelo controle europeu do comércio com o Oriente, o clero, responsável pelos ritos religiosos e pela preservação da moral e dos bons costumes, e, abaixo dessas duas, os camponeses, responsáveis pelo sustento de toda a sociedade. d) o clero, responsável por zelar e manter os princípios cristãos, os nobres, responsáveis pela segurança militar dessa sociedade, e, abaixo dessas duas, todos os trabalhadores, responsáveis por manter a sua sobrevivência e o sustento da nobreza e do clero.

e) a aristocracia rural, senhora e responsável pelas terras dessa sociedade, seguida pelo clero, também senhor das terras, porém portador dos segredos da fé católica, e, abaixo dessas duas, a burguesia comerciante, que detinha o controle sobre as rotas comerciais, criadas após as cruzadas.

7. (UFTM-MG)

A população das cidades queria liberdade. Queria ir e vir quando lhe aprouvesse. Um velho provérbio alemão, aplicável a toda a Europa ocidental, “Stadtluft macht frei” (O ar das cidades torna um homem livre), prova que obtiveram o que almejavam.

O contexto a que o autor se refere está relacionado: a) ao fortalecimento das relações servis nas cidades europeias. b) à formação do sistema feudal, a partir do êxodo urbano. c) à desagregação das guildas e das corporações de ofício. d) às fugas servis para as cidades, que se desenvolviam. e) ao declínio das atividades mercantis após as Cruzadas.

8. (UFTM-MG) O mercantilismo, conjunto de princípios e práticas econômicas de Estados europeus na Época Moderna, pode ser caracterizado: a) pelo controle estatal da economia e pela ideia de que a terra e a agricultura são fonte de riqueza do país. b) pela extinção dos monopólios e pela balança comercial favorável com o estímulo às exportações. c) pelo intervencionismo estatal e pela ideia de que a riqueza do país dependia da acumulação de ouro e prata. d) pelo estímulo às atividades manufatureiras e marítimas e pela liberdade de comércio e produção. e) pela adoção do protecionismo alfandegário e pela defesa da divisão do trabalho como meio de riqueza do país.

O mercantilismo é entendido como um conjunto de práticas, adotadas pelo Estado absolutista na época moderna, com o objetivo de obter e preservar riqueza. A concepção predominante parte da premissa de que a riqueza da nação é determinada pela quantidade de ouro e prata que ela possui.

Disponível em: <w.historianet.com.br>. Acesso em: 3 mar. 2008.

Na busca de tais objetivos, os Estados europeus, na época moderna: a) adotaram políticas intervencionistas, regulando o funcionamento da economia, como o protecionismo. b) suprimiram por completo a propriedade privada da terra, submetendo-a ao interesse maior da nação. c) ampliaram a liberdade de ação dos agentes econômicos, vistos como responsáveis pela prosperidade nacional. d) determinaram o fim da livre-iniciativa, monopolizando as atividades econômicas rurais e urbanas. e) buscaram a formação de uniões alfandegárias que levassem a prosperidade aos países envolvidos.

10. (Unesp-SP) Observe a foto da Catedral de Notre Dame de Paris, construída entre 1163 e 1250.

Sobre o contexto histórico que levou ao surgimento das catedrais, pode-se afirmar: a) O papel dos monarcas foi decisivo, financiando a sua construção para glorificar o poder real. b) Sua construção está associada ao reflorescimento e à prosperidade do mundo urbano. c) Financiadas com os recursos do clero romano, ampliaram a influência do Papa no Oriente. d) Surgiram como resposta do papado ao Cisma do Oriente, glorificando a Igreja Romana. e) Eram templos destinados à alta nobreza, que assim evitava o contato com o povo da cidade.

1. (UEM-PR) A arte barroca originou-se na Itália e difundiu-se pela Europa Católica e pela América Latina. Uma de suas características mais significativas era o predomínio das emoções e dos sentimentos sobre a racionalidade. Assinale a(s) al ter nativa(s) correta(s) a respeito desse fenômeno cultural. (01) Caravaggio e Bernini foram representantes expressivos da pintura e da arquitetura barrocas na Itália. (02) A pintura barroca foi fundamentalmente elitista, pois se dedicava a retratar a vida cotidiana da aristocracia e da burguesia mercantil. (04) O Barroco desenvolveu-se no Brasil durante o século

XVIII, quando, na Europa, os artistas estavam voltando aos modelos clássicos. (08) Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi um expoente da música sacra barroca nas Minas Gerais. (16) Leonardo da Vinci e Michelângelo expressaram a transição do Barroco ao Humanismo renascentista.

12. (UEM-PR) Sobre a expansão ultramarina dos séculos XV e

XVI e o desenvolvimento das ciências verificado nesse período, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). (01) Ao longo do século XV, ao realizarem o périplo africano, os portugueses fizeram um reconhecimento metódico e um mapeamento da costa da África, possibilitando, assim, um desenvolvimento da Cartografia. (02) As viagens de navegação realizadas naquele período tornaram necessário o desenvolvimento de estudos de Astronomia.

(04) A conquista e a colonização do “Novo Mundo” colocaram os europeus em contato com plantas e com animais até então desconhecidos, obrigando-os a reverem conceitos e explicações que, até então, eram correntes. (08) A descoberta, a conquista e a colonização da América, decorrentes da expansão ultramarina, não se relacionam com o desenvolvimento das ciências verificado na Europa naquela época. (16) Em razão da expansão ultramarina, as técnicas de navegação e de construção náutica se desenvolveram naquele período.

13. (UEM-PR) O processo de secularização que caracteriza a modernidade a partir do Renascimento tem, na filosofia dos iluministas franceses, uma das principais fontes de crítica à teocracia e à monarquia absoluta, atingindo, dessa maneira, os fundamentos ideológicos das sociedades organizadas por estamentos. Assinale o que for correto. (01) O Iluminismo foi uma corrente filosófica exclusivamente francesa que não encontrou aceitação alguma em outros países, tais como Inglaterra e Alemanha. (02) O Iluminismo irá configurar o novo ideário sociopolítico da burguesia, classe emergente a partir da modernidade. (04) Os enciclopedistas franceses, entre eles Diderot e D’Alembert, defenderam os princípios da filosofia iluminista. (08) Voltaire não concordou com o caráter anticlerical do

Iluminismo francês, retornando às antigas concepções teocráticas da sociedade estamental do feudalismo. (16) Os princípios iluministas preconizavam que, pelo uso da razão, o homem poderia alcançar a emancipação, tornando-se livre de qualquer tutela, seja política, econômica ou moral.

14. (Unesp-SP) Observe a gravura, produzida na época da Revolução Francesa de 1789.

Gravura popular de 1789, anônima.

Pode-se afirmar que os personagens da gravura representam: a) o ideal que caracterizava o estado absolutista, segundo o qual o poder do monarca não conhecia limites.

b) os interesses da nobreza que, em aliança com a Igreja e os trabalhadores urbanos, assegurou os privilégios feudais. c) a exploração do terceiro estado pelo clero e pela nobreza, cuja contestação desencadeou o processo revolucionário. d) a insegurança durante a fase do Terror jacobino, que ocasionou o êxodo da população civil para o campo, em busca de proteção. e) a tentativa de unir a sociedade francesa para superar as dificuldades econômicas enfrentadas nas vésperas da revolução.

15. (Fatec-SP)

O que é o Terror? O Terror, que se tornou oficial durante certo tempo, é o instrumento usado para reprimir a contrarrevolução.

VOVELLE, Michelle. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Ed. da Unesp, 2007. p. 74.

(Parte 1 de 3)

Comentários