Modificado pela Lei nº 11.638/07: “Ao final de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício”.

  • Modificado pela Lei nº 11.638/07: “Ao final de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício”.

    • I – BP;
    • II – DLPA;
    • III – DRE;
    • IV – DFC;
    • V – DVA (Se companhia aberta).

Esta denominação seria a mais correta???

  • Esta denominação seria a mais correta???

  • Vamos observar a seguinte situação:

A rigor, a intitulação DFC não é a mais correta, uma vez que englobamos as contas CAIXA e BANCOS;

  • A rigor, a intitulação DFC não é a mais correta, uma vez que englobamos as contas CAIXA e BANCOS;

  • Seria mais adequado denominar Demonstração do Fluxo do Disponível;

  • E os equivalentes de caixa? (Investimentos a curto prazo que têm alta liquidez);

  • Todavia, para efeito de DFC, entenderemos o termo Caixa como Disponível (Caixa + Bancos).

“Evidencia as modificações ocorridas no saldo de disponibilidades (caixa e equivalentes de caixa) da entidade em um determinado período, através do fluxo de recebimentos e pagamentos”.

  • “Evidencia as modificações ocorridas no saldo de disponibilidades (caixa e equivalentes de caixa) da entidade em um determinado período, através do fluxo de recebimentos e pagamentos”.

  • “É uma das demonstrações obrigatórias, exigidas pela Lei nº 11.638/07, que evidencia e vem tornar transparente a situação financeira da entidade”.

  • “A DFC visa focar o regime de caixa, não lhe sendo aplicável o princípio da competência”.

Entrou em vigor – 01.01.2008 pela Lei nº 11.638/07;

  • Entrou em vigor – 01.01.2008 pela Lei nº 11.638/07;

  • CPC – 03/2008 – CPC e a CVM ofereceram audiência pública;

  • Ibracon – Já havia emitido uma norma, comentários (NPC 20 – 1999);

  • Ofício-circular CVM/SNC/SEP nº 01/2005 – comentou e resumiu a IAS 7;

  • IAS 7 – Base do CPC 03;

  • Lei nº 11.101/2005 (Lei das Falências) – as entidades devem apresentar o “Relatório do Fluxo de Caixa”;

A DFC é composta dos fluxos de caixas provenientes (Combinação do artigo 1º da Lei nº 11.638/07 e o artigo 188 da Lei nº 6.404/76):

  • A DFC é composta dos fluxos de caixas provenientes (Combinação do artigo 1º da Lei nº 11.638/07 e o artigo 188 da Lei nº 6.404/76):

    • Das atividades operacionais;
    • Das atividades de investimentos;
    • Das atividades de financiamentos.

Operacional: surge a partir das decisões de investimento que possibilitam a empresa gerar recursos com suas operações. Estão vinculadas a demonstração do resultado;

  • Operacional: surge a partir das decisões de investimento que possibilitam a empresa gerar recursos com suas operações. Estão vinculadas a demonstração do resultado;

  • Investimento: decidir onde aplicar os recursos. Estão ligadas ao ativo da empresa;

  • Financiamento: busca e seleção de fontes de recursos para entidades, ao pagamento de juros e dividendos e à subscrição de capital. Estão ligadas ao passivo e patrimônio líquido da empresa;

Método Direto: recebimentos (entradas) e pagamentos (saídas).

  • Método Direto: recebimentos (entradas) e pagamentos (saídas).

  • Método Indireto: saldos apresentados na DRE, iniciando-se pelo Lucro Líquido.

Qual é o modelo mais adequado em termos de DFC: Direto ou Indireto?

  • Qual é o modelo mais adequado em termos de DFC: Direto ou Indireto?

  • Por que se diz que a empresa deu lucro contábil e não tem caixa para pagar suas contas?

  • Qual o papel da DFC para os seus usuários?

  • Qual a forma de apuração da DFC?

Comentários