Reflexões sobre o cenário econômico brasileiro na década de 1980

Reflexões sobre o cenário econômico brasileiro na década de 1980

X Semana de ensino, pesquisa e extensão do CH - UFCG

  • Leonardo Bruno Nascimento Nóbrega

  • Willyan D’ Angellis Aires Costa

  • Orientadora: Dr. Alunilda Januncio

    Transformações no cenário internacional e vulnerabilidade no Brasil

  • INFLAÇÃO;

  • DÉFICIT DO SETOR PÚBLICO;

  • ENDIVIDAMENTO EXTERNO;

  • I E II CHOQUE O PETRÓLEO;

  • ELEVAÇÃO DA TAXA DE JUROS NO MERCADO INTERNACIONAL;

  • SUSPENÇÃO DE NOVOS EMPRÉSTIMOS AO BRASIL

OS DESAFIOS ECONÔMICOS

  • Recessão econômica

  • Déficit do setor Público

  • Elevados Índices de inflação

  • Elevada divida interna

  • Divida externa e a sangria dos juros

A CRESCENTE DÍVIDA INTERNACIONAL

A CRISE PROVOCADA PELA DÍVIDA

O governo Figueiredo confrontou-se imediatamente com o dilema de como tratar das metas conflitantes de controlar a taxa de inflação crescente, como lidar com uma dívida externa cujos serviços (juros e amortização) já absorviam dois terços dos ganhos com exportações e como evitar a estagnação da taxa de crescimento do PIB.

Endividamento do setor público

  • As fontes principais de financiamento eram:

  • Endividamento externo

  • Investimentos estatais e subsídios de toda sorte concedidos pelo governo ao setor privado

Principais causas da falência do estado

  • Queda da receita tributária em torno de 4%

  • Transferência do setor público para o setor privado

  • Pagamentos de elevadas taxas de juros

  • Altas taxas de inflação

  • Aumento dos gastos correntes do setor público

Principais causas da falência do estado

  • Redução da taxa de poupança e investimento devido a:

- Cessação dos empréstimos externos e o aumento de transferências de recursos ao exterior para pagar o serviço da divida externa.

- Redução da capacidade de poupança do setor público provocada pela quebra da receita e o aumento das receitas com juros e funcionalismo.

O CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO NA DÉCADA DE 1980

No inicio dos anos 80, a crise da dívida e a recessão marcaram o cenário brasileiro. O crescimento econômico produzido pelo milagre acabou gerando pressões inflacionárias e problemas na balança comercial, em vários lugares do Brasil ressurgiram pressões por melhor distribuição de renda e melhores condições de vida, além do segundo choque do petróleo comprometeu ainda mais a situação brasileira.

INFLAÇÃO

A inflação é a perda de poder aquisitivo da moeda e normalmente acompanhada de aumento geral dos preços.

Antecedentes da inflação brasileira

  • A quintuplicação do preço do petróleo – 1974

  • A duplicação do preço do petróleo – 1979

  • O aumento exorbitante dos juros reais – 1980

  • Maxidesvalorização ocorridas em 1974 e 1983

  • Secas e enchentes que afetaram alguns preços essenciais dos produtos alimentícios

Mecanismos propagadores da inflação

  • 1 – Repassar o aumento dos custos

  • 2 -Indexação e a disposição monetária em expandir o crédito

OS PLANOS ECONOMICOS

PLANO CRUZADO

O Plano Cruzado foi um conjunto de medidas econômicas, lançado pelo governo brasileiro em 28 de fevereiro de 1986, sendo José Sarney o presidente da República e Dilson Funaro o ministro da Fazenda.

As principais medidas contidas no Plano eram:

  • Congelamento de preços de bens e serviços nos níveis do dia 27 de fevereiro de 1986;

  • Congelamento da Taxa de Cambio por um ano em 13,84 Cruzados = 1 Dólar e 20,58 Cruzados = 1 Libra

  • Reforma monetária;

  • Desindexação da economia

  • Congelamento dos salários;

  • Criação de uma espécie de seguro-desemprego para aqueles que fossem dispensados sem justa causa ou em virtude do fechamento de empresas;

  • Os reajustes salariais passaram a ser realizados por um dispositivo chamado "gatilho salarial" ou "seguro-inflação.

PLANO BRESSER

O Plano Bresser foi um plano econômico lançado em 16 de junho de 1987 pelo então Ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser Pereira. O plano Bresser seguiu o plano Cruzado, que havia fracassado na tentativa de controlar a inflação, ele objetivava, basicamente promover um choque deflacionário na economia, buscando evitar os erros do plano cruzado. “A inflação foi diagnosticada como inercial e de demanda e, em consequencia, o plano foi concebido como hibrido, contendo elementos heterodoxos e ortodoxos. Plano econômico criado através dos decretos de lei 2335/87, 2336/87, 2337/87

PLANO VERÃO

O Plano Verão, instituído em 16 de Janeiro de 1989, foi um plano econômico lançado pelo governo do José Sarney, realizado pelo ministro Maílson Ferreira da Nóbrega, que havia assumido o lugar de Bresser Pereira.

Assim como ocorreu no Plano Bresser, o Plano Verão também gerou grandes desajustes às cadernetas de poupança, em que as perdas chegaram a 20,37%. Nenhuma regra foi definida em relação a ajustes salariais. Atualmente, até dezembro de 2008, estas perdas podem ser reclamadas na justiça. Após o novo fracasso o governo brasileiro na tentativa de controlar a inflação lança o Plano Collor.

PLANOS DE ESTABILIZAÇÃO 1986-1989

Comentários