Comandos Eletricos

Comandos Eletricos

(Parte 1 de 3)

CONTATOR 1. Objetivo 2 2. Introdução Teórica 2 2.1. Contator 2 2.2. Contatos 3 2.3. Botoeira ou Botoeira – botão liga e desliga 3 2.4. Relé Bimetálico 4 3. Material Utilizado 5 4. Parte Prática 5 4.1. Diagrama Principal 5 4.2. Diagrama de Comando 6 4.3. Diagrama Multifilar 6 4.4. Diagrama Unifilar 7 4.5. Simbologia Elétrica 7 5. Conclusão 8 6. Questões 8

CARGA TRIFÁSICA EM ESTRELA E TRIÂNGULO 1. Objetivo 9 2. Introdução Teórica 9 3. Material Utilizado 9 4. Parte Prática 10 4.1. Carga Trifásica Triângulo 10 4.2. Carga Trifásica Estrela 10 4.3. Tabela 1 4.4. Triângulo 1 5. Conclusão 12 6. Questões 12

MOTOR MONOFÁSICO 1. Objetivo 13 2. Introdução Teórica 13 2.1. Esquema motor monofásico em 110 V 14 2.2. Esquema motor monofásico em 220 V 14 3. Material Utilizado 14 4. Parte Prática 15 4.1. Diagrama Principal 15 4.2. Diagrama de Comando 15 4.3. Diagrama de inversão do motor monofásico 16 5. Conclusão 18 6. Questões 18

LIGAÇÃO SUBSEQUENTE AUTOMÁTICA DE MOTORES 1. Objetivo 19 2. Introdução Teórica 19 3. Material Utilizado 20 4. Parte Prática 20 4.1. Diagrama Principal 20 4.2. Diagrama de Comando 20 4.3. Teste do Relé 21 5. Conclusão 21 6. Questões 21

INVERSÃO DO SENTIDO DE ROTAÇÃO 1. Objetivo 2 2. Introdução Teórica 2 3. Material Utilizado 2 4. Parte Prática 2 4.1. Diagrama Principal 2 4.2. Diagrama de Comando 23 5. Conclusão 23 6. Questões 23

LIGAÇÃO DE UM MOTOR TRIFÁSICO EM ESTRELA E TRIÂNGULO 1. Objetivo 24 2. Introdução Teórica 24 2.1. Partida de Motores com Chave Estrela-Triângulo 24 3. Material Utilizado 26 4. Parte Prática 27 4.1. Diagrama Principal 27 4.2. Diagrama de Comando 27 4.3. Diagrama de Comando 28 4.2. Diagrama: utilizando uma carga trifásica com lâmpadas 28 5. Conclusão 28 6. Questões 28

1. Objetivo 29 2. Introdução Teórica 29 2.1. Partida por Auto-transformador 29 3. Material Utilizado 30 4. Parte Prática 31 4.1. Diagrama Principal 31 4.2. Diagrama de Comando 31 5. Conclusão 31 6. Questões 31

COMANDO AUTOMÁTICO PARA DUAS VELOCIDADES (DAHLANDER) 1. Objetivo 32 2. Introdução Teórica 32 3. Material Utilizado 3 4. Parte Prática 3 4.1. Diagrama Principal 3 4.2. Diagrama de Comando 34

COMANDO AUTOMÁTICO PARA COMPENSADOR COM REVERSÃO 1. Objetivo 35 2. Introdução Teórica 35 3. Material Utilizado 35 4. Parte Prática 35 4.1. Diagrama Principal 35 4.2. Diagrama de Comando 36 5. Conclusão 36 6. Questões 36

COMANDO AUTOMÁTICO ESTRELA-TRIÂNGULO COM REVERSÃO 1. Objetivo 37 2. Introdução Teórica 37 3. Material Utilizado 37 4. Parte Prática 37 4.1. Diagrama Principal 37 4.2. Diagrama de Comando e Auxiliar 38 5. Conclusão 38 6. Questões 38

1. Objetivo 39 2. Introdução Teórica 39 3. Material Utilizado 39 4. Parte Prática 39 4.1. Diagrama Principal 39 4.2. Diagrama de Comando e Auxiliar 40 5. Conclusão 40 6. Questões 40

Hoje, com a atual tecnologia disponível para automação a nível industrial, o comando e o controle dos motores elétricos passaram a ser conhecimentos básicos indispensáveis para o uso dos CLPs. Estranhamente, esta área sempre apresentou falhas por não termos, no mercado, publicações que pudessem complementar os estudos iniciais daqueles que se interessassem pelo assunto. Com isso, esta apostila vem minimizar esta falha servindo assim de material importantíssimo para a introdução aos estudos de Comandos Elétricos de Motores. O professor José Antônio Alves Neto é um engenheiro que já tem vasta experiência em transmitir seus conhecimentos na área e por isso, reuniu aqui, toda a sua experiência prática e didática para que esse material pudesse ser utilizado por professores e alunos da área técnica em seus dias de trabalho. É muito gratificante saber que temos profissionais dedicados ao aprimoramento de outros profissionais para que possamos conquistar um maior nível de desenvolvimento tecnológico.

1. Objetivo

- Comandos através do contator; - Diagrama de Comando.

2. Introdução teórica 3. Contator

Contator é um dispositivo eletromagnético que liga e desliga o circuito do motor. Usado de preferência para comandos elétricos automáticos à distância. É constituído de uma bobina que quando alimenta cria um campo magnético no núcleo fixo que por sua vez atrai o núcleo móvel que fecha o circuito. Cessando alimentação da bobina, desaparece o campo magnético, provocando o retorno do núcleo através de molas, conforme figura 01.

4. Contatos

No contator temos os contatos principais e auxiliares. Os principais do contator são mais robustos e suportam maiores correntes que depende da carga que esse motor irá acionar, quanto maior a carga acionada, maior será a corrente nos contatos. (figura 02).

Os contatos auxiliares, utilizados para sinalização e comandos de vários motores, existem o contato NF (normalmente fechado) e NA (normalmente aberto). (figura 03).

5. Botoeira - botão liga e desliga

Fig. 04 6. Relé bimetálico

São construídos para proteção de motores contra sobrecarga, falta de fase e tensão. Seu funcionamento é baseado em dois elementos metálicos, que se dilatam diferentemente provocando modificações no comprimento e forma das lâminas quando aquecidas.

Colocação em funcionamento e indicações para operação:

1. Ajustar a escala à corrente nominal da carga. 2. Botão de destravação (azul): Antes de por o relé em funcionamento, premer o botão de destravação. O contato auxiliar é ajustado pela fábrica para religamento manual (com bloqueio contra religamento automático). Comutação para religamento automático: premer o botão de destravação e girá-lo no sentido anti-horário, até o encosto, da posição H (manual) para A (automático). 3. Botão "Desliga" (vermelho). O contato auxiliar abridor será aberto manualmente, se for apertado este botão. 4. Indicador Lig./Desl - (verde). Se o relé estiver ajustado para religamento manual, um indicador verde sobressairá da capa frontal se ocorrer o disparo (desligamento) do relé. Para religar o relé, premer o botão de destravação. Na posição "automático", não há indicação. 5. Terminal para bobina do contator, A2. 6. Dimensões em m. - com contato auxiliar 1F ou 1A;

- com contatos auxiliares 1F + 1A ou 2F + 2A;

- para fixação rápida sobre trilhos suporte conforme DINEN 50022;

- neste lado do relé, distância mínima de partes aterradas.

1. Material Utilizado 2. Parte Prática 3. Diagrama Principal

4. Diagrama de Comando 5. Diagrama Multifilar

6. Diagrama Unifilar

7. Simbologia Elétrica Denominação para os aparelhos nos esquemas elétricos:

b0 Botão de comando - desliga b1 Botão de comando - liga b2 – b22 Botão de comando - esquerda/direita K1 – K2 - K3 - K4 - K5 Contator principal d1 – d2 - d3 Contator auxiliar-relé de tempo relê aux. F1 – F2 - F3 Fusível principal F7 – F8 - F9 Relé bimetálico F21 - F22 Fusível para comando h1 Armação de sinalização - liga h2 Armação de sinalização direita/esquerda M1 Motor, trafo - principal M2 Auto - trafo R S T Circuito de medição-corrente alternada

CARGA TRIFÁSICA EM ESTRELA E TRIÂNGULO 1. Objetivo

- Sistema trifásico - Potência trifásico

2. Introdução Teórica:

Um sistema trifásico ( 3 ) é uma combinação de três sistemas monofásicos. O gerador ou alternador produz três tensões iguais, mas defasadas 120º com as demais. As três fases de um sistema 3 podem ser ligados de duas formas: em estrela (Y) ou triângulo (T). Uma carga equilibrada tem a mesma impedância em cada enrolamento. No sistema 3 equilibrado o fasor soma as tensões das linhas é zero e o fasor da soma das correntes das três linhas é zero. A corrente IN não será nula, quando as cargas não forem iguais entre si.

3. Material Utilizado

- 3 soquetes - 3 lâmpadas 150W - 220V

- 1 amperímetro AC - 0 - 5A

- 1 voltímetro AC - 0 - 250V

- caixa de ferramentas

4. Parte Prática: 5. Carga trifásica Triângulo VL = VF

PT = 3 . VF . IF . COS PT3 . VL . IL . COS VF = R . IF R = V²/P

6. Carga Trifásica Estrela

IL = IF PY = 3 . VF . IF . COS PY = 3 . VL . IL . COS VF = R . IF R = V2 / P

7. Tabela

VF
IL
IF

ESTRELA Y TRIÂNGULO T MED. CALC. MED. CALC. VL 220V 220V POTÊNCIA Y POTÊNCIA T

8. Triângulo

No sistema trifásico temos o triângulo de potência e determinamos a potência aparente, potência reativa e potência total real. P = 3 . VL . IL . COS S = 3 . VL . IL Q = 3 . VL . IL . SEN

P = potência total real W S = potência total aparente , VA Q = potência total reativa, VAR VL = tensão da linha VF = tensão de fase IL = corrente da linha IF = corrente da fase ângulo de fase da carga

(Parte 1 de 3)

Comentários