(Parte 1 de 3)

Universidade de Mogi das cruzes

Darciano P. Santos

Edna Borges ribeiro

Eliane Viana

Naila da silva felisbino

Regiane de Souza dias

Silvia de Souza Araújo

Wayra glícia da silva franco

Empreendedorismo

São Paulo, SP.

2009

Universidade de Mogi das cruzes

Darciano P. santos Rgm: 61659

Edna Borges ribeiro Rgm: 62528

Eliane Viana Rgm: 62794

Naila da silva felisbino Rgm: 65216

Regiane dias Rgm: 65096

Silvia de Souza Araújo Rgm: 60974

Wayra glícia da silva franco Rgm: 62872

As ferramentas da qualidade

Trabalho de empreendedorismo do curso superior de tecnologia de gestão de recursos humanos da universidade de Mogi das Cruzes como parte dos requisitos de avaliação.

Prof orientador. José pereira castro

São Paulo, SP.

2009

Sumário

  1. Introdução......................................................................................................1

  1. Árvore de decisão..........................................................................................2

  1. Ciclo P.D.C. A ................................................................................................4

  1. Ponto de equilíbrio.........................................................................................6

  1. Teorema de Ishikawa......................................................................................7

  1. Diagrama de Pareto........................................................................................9

  1. Análise do campo de força...........................................................................10

  1. Ponderação de critérios...............................................................................17

  1. Conclusão......................................................................................................18

Referências.........................................................................................................19

1

1. Introdução

A melhoria da qualidade implica decisões baseadas em fatos reais.

A obtenção desses fatos reais só será possível, mediante a utilização de ferramentas que permitam quantificar a qualificar a informação, tendo se com isso uma imagem abrangente do problema.

A lógica presente nesta temática é que o produto final corresponde à soma total de diversos processos distribuídos pelo ciclo de vida do produto.

O objetivo principal é atingir níveis mais altos na qualidade do produto, é ter um foco mais rápido na identificação do problema exigindo assim um contínuo acompanhamento, controle e melhoria dos respectivos processos.

2

2. Árvore de decisão

A árvore de decisão é uma ferramenta bastante conhecida e simples de utilizar no processo de tomada de decisão. É especialmente eficaz para problemas do dia-a-dia, onde se quer escolher rapidamente a melhor alternativa. Ela funciona como uma lousa para desenvolver e documentar a compreensão sobre o problema.

Sendo assim ela deve ser simples e objetiva contendo apenas informações desejada sem complicações para que as estratégias a serem analisadas podem ser todas entendidas de maneira clara, para que se possam discutir os resultados.

As árvores de decisão são apresentadas por quadrados e podem ser variáveis tendo se um controle da decisão. Os pontos de decisão são apresentados por círculos, onde são eventos não controlados pelo tomador.

As estruturas da árvore são representadas por ramos que correspondem a cada possibilidade lógica levando em consideração a uma ação a ser tomada. As saídas são ações a serem tomadas compondo probabilidades, ou seja, os resultados.

Numa construção de uma árvore de decisão são usados como base algoritmos que ajudam no processo de construção o mais usado é o ID3 (inductive decision tree), existem outros, mas esse foi o primeiro a usar sistemas de interferência e conceitos de aprendizagem.

O funcionamento destas estruturas pode ter alguma desvantagem com relação ao desempenho, quando são mal elaboradas, é, portanto necessário utilizar técnicas de compactação da árvore para “podar” situações desnecessárias. Tomando os cuidados necessários esse método se torna uma excelente ferramenta para obter informações que ajudam as organizações identificar alguns pontos que a organização não sabe, e com isso torna-se informações importante para os níveis táticos e gerenciais. A principal vantagem da árvore de decisão tem sobre as outras técnicas é que ela transmite os resultados possíveis, o assunto que está sendo

3

tratado, as alternativas que podem ser consideradas e qual a probabilidade de cada solução, apresentando-se fácil até mesmo para leigos.

Exemplo de uma árvore de decisão da partição dos espaços dos atributos:

Representação de uma árvore de decisão:

  • Cada nó de decisão contém um atributo.

  • Cada ramo descendente corresponde a um possível valor deste atributo.

  • Cada folha está associada a uma classe.

  • Cada percurso na árvore (da raiz a folha) corresponde a uma regra de classificação.

4

3. Ciclo P.D.C. A

O ciclo P.D.C.A é uma ferramenta de qualidade que facilita uma verificação de tomadas de decisões e metas a serem cumpridas, tendo uma maior eficácia do trabalho em equipe. Tendo, porém algumas etapas são elas:

Planejar (PLAN)

  • Definir as metas a serem alcançadas;

  • Definir o método para alcançar as metas propostas.

Executar (DO)

  • Executar as tarefas exatamente como foi previsto na etapa de planejamento;

  • Coletar dados que serão utilizados na próxima etapa de verificação do processo;

  • Nesta etapa são essenciais à educação e o treinamento no trabalho.

Verificar, checar (CHECK).

5

  • Verificar se o executado está conforme o planejado, ou seja, se a meta foi alcançada, dentro do método definido;

  • Identificar os desvios na meta ou no método.

Agir corretivamente (ACTION)

(Parte 1 de 3)

Comentários