Manual de praticas farmaceuticas

Manual de praticas farmaceuticas

(Parte 1 de 8)

Manual de praticas farmaceuticas

SUMÁRIO

SUMÁRIO 2

1. Conceitos Básicos 3

2. Características Diferenciais Entre Algumas Formas Farmacêuticas 4

3. Significado das Siglas nos Medicamentos 6

4. Abreviaturas Mais Encontradas nas Prescrições 7

5. Noções Básicas Para o Uso de Medicamentos 7

6. Horário Padrão Para Administração de Medicamentos 10

7. Receita Médica 10

8. Classes Terapêuticas 10

9. Interação Medicamentosa 21

10. Classificação das Interações Medicamentosas 21

11. Imunização 29

12. Noções Básicas Sobre Injetáveis 29

12.1 Vias de aplicação de injetáves 29

12.2. Formas de Apresentação da Medicação Injetável 32

12.3. Sala de Aplicação 32

12.4. Cuidados Gerais na Administração de Injetáveis 33

12.5. Termos Técnicos em Aplicações de Injeções 33

13. Descarte do Material Utilizado 33

14. Noções Básicas Sobre Portaria 344 34

14.1 – Notificação de Receita A 34

14.2 – Notificação de Receita B 35

14.3 - Receita Controle Especial 36

15. Procedimento do Balconista 36

1. Conceitos Básicos

Medicamento: Substância química capaz de promover no organismo ação preventiva, curativa, paliativa ou diagnóstica.

Medicamento Simples: É aquele que contém em sua fórmula um único sal.

Medicamento Composto: É aquele que contém em sua fórmula dois ou mais sais.

Princípio Ativo/Sal: Substância que irá exercer a ação terapêutica no organismo.

Dose: Quantidade do medicamento que deverá ser aplicada ou tomada, por vez.

Dosagem/Concentração: É a quantidade do princípio ativo no medicamento, ou seja, princípio ativo + excipiente/veículo.

Excipiente/Veículo: Substância que não possui ação terapêutica e que tem por função dar forma e volume ao medicamento.

Excipiente : Forma farmacêutica sólida

Veículo : Forma farmacêutica líquida

Forma Farmacêutica: São várias formas de industrialização do medicamento (comprido, pomada, xarope, etc)

Reações Adversas: Efeitos indesejados causados pelo medicamento em uso.

Efeitos Colaterais: Possíveis reações que poderão ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfico ou maléfico.

Uso Interno: Todo o medicamento que é engolido, ou seja, passa por todo o sistema digestivo.

Uso Externo: Todo o medicamento que não é engolido.

Ação Local: Região onde o medicamento fará efeito, sem cair na corrente sangüínea.

Ação Sistêmica: O medicamento precisa cair na corrente sangüínea para fazer efeito.

Apresentação: São as várias formas em que os medicamentos são embalados (envelope, ampola, blíster etc)

Medicamentos de Ação Rápida: São aqueles que após a sua administração apresentam efeitos rápidos.

Vias de Ação Rápida:

Sublingual – administração debaixo da língua.

Endovenosa – administração direto na veia.

Retal – administrados pelo reto (ânus).

Vaginal – administrado pelo canal vaginal.

Parenteral: É a administração do medicamento através dos injetáveis: Endovenosa, muscular, subcutânea e intradérmica.

2. Características Diferenciais Entre Algumas Formas Farmacêuticas

Loção: Medicamento composto por água, álcool, glicerina, sorbitol e o princípio ativo.

Creme: Forma farmacêutica de consistência mole destinada ao uso tópico e difere das pomadas por possuir grande quantidade de água em sua formulação, e por isso apresenta absorção mais rápida. Ideal para lesões úmidas.

Pomadas: Forma farmacêutica de consistência mole e oleosa destinada ao uso tópico. Devido a sua oleosidade, a absorção do princípio ativo pode ser mais lenta, porém de efeito local mais prolongado. Possui poder hidratante e é ideal para lesões secas.

Gel: Forma farmacêutica que possui grande quantidade de água em sua formulação, o que proporciona uma absorção mais rápida se comparar com creme e pomada. O Gel em si não é absorvido pela pele, sendo utilizado quando a pele do indivíduo for oleosa.

Pasta: Forma farmacêutica de consistência pastosa para uso externo.

Emulsão: Forma farmacêutica líquida com base aquosa e oleosa contendo o princípio ativo em uma delas.

Supositório: Forma farmacêutica sólida ou semi–sólida de formato cilíndrico ou ovulado destinado à aplicação retal.

Óvulo: Forma farmacêutica de uso vaginal, cujo os princípios ativos são incorporados à gelatina fundida e moldados em formas específicas.

Colutório: Forma farmacêutica líquida destinada à higiene bucal (anti-sépticos orais). Não devendo ser engolido.

Licor/Elixir: Misturas hidroalcoólicas açucaradas. O termo licor é utilizado quando ligado à frutas.

Tintura: Forma farmacêutica líquida à base de água e álcool. Processo de extração a partir da planta seca.

Alcoolatura: Processo de extração a partir de planta frescas.

Extratos: São alcoolaturas ou tinturas padronizadas utilizadas na concentração do fármaco.

Colírio: Forma farmacêutica líquida e estéril destinada ao uso oftálmico.

Enema: Forma farmacêutica líquida de uso retal. São divididos em medicamentoso e laxativo.

Laxativo/purgativo – utilizado para estimular a eliminação das fezes. O purgativo é o laxativo usado em maior quantidade.

Medicamentoso – utilizado para fazer tratamento de infecções a nível de intestino.

Pó: Forma farmacêutica em que o princípio ativo encontra-se pulverizado, podendo ser destinado ao uso interno ou externo.

Adesivo Tópico: Adesivo de material poroso que libera lentamente o medicamento através da pele.

Xarope: Forma farmacêutica líquida resultante da mistura de água e açúcar, podendo conter também edulcorantes (morango, framboesa).

Suspensão: Forma farmacêutica heterogênea, resultante da mistura de líquidos ou líquidos e sólidos.

Solução: Forma farmacêutica líquida homogênea, resultante da mistura de líquidos ou líquidos sólidos.

Injetáveis: Formas farmacêuticas estéreis para uso parenteral.

Comprimido Simples: Forma farmacêutica sólida resultante da compressão de vários pós (princípio ativo + excipiente). Apenas os comprimidos sulcados poderão ser cortados.

Comprimido Mastigável: Forma farmacêutica absorvida pela mucosa bucal, não reagindo com o suco gástrico.

Comprimido Sublingual: Comprimido de ação rápida.

Comprimido Vaginal: Comprimido revestido por uma película de gelatina glicerinada para uso na vagina.

Comprimido Tamponado: Comprimido laqueado por uma película protetora de hidróxido de alumínio ou hidróxido de magnésio, permitindo a utilização deste medicamento por pessoas que sofram de gastrite ou úlcera.

Comprimido Fervescente: Composto por talco, amido, lactose e bicarbonato de sódio ou carbonato de cálcio + princípio ativo.

Comprimido Revestido: Comprimido que passou por um processo de revestimento com açúcar.

Drágea: Forma farmacêutica sólida cujo o núcleo é um comprimido que passou por um processo de revestimento com açúcar e corante (drageamento).

Cápsulas: Forma farmacêutica constituída de um invólucro de gelatina, que contém em seu interior os excipientes + princípios ativos. Podendo ser:

Moles: contém medicamento oleoso

Duras: Contém medicamentos granulados ou pós.

Oros: Sistema oral de liberação osmótica. É umas cápsulas não absorvíveis, contendo um pequeno orifício que libera gradativamente a substância e que no final é eliminado pelas fezes.

Comentários: O encapsulamento e o drageamento tem por finalidade mascarar o sabor, odor, proteger a mucosa gástrica de substâncias irritantes e, ainda, evitar que o princípio ativo seja destruído pelo suco gástrico.

3. Significado das Siglas nos Medicamentos

CR: Liberação Controlada

D: Disperssível

(Parte 1 de 8)

Comentários