(Parte 1 de 4)

Faculdade integrada Aparício Carvalho “FIMCA”

Anti-inflamatório não esteróides E glicocorticoides

Alunos: Mariana Martins Thiago Tavares

Professora: Tatiana Machado Matéria: Farmacodinâmica I

Porto Velho, Agosto de 2007.

Faculdade Integrada Maria Coelho Aguiar - FIMCA

Mariana Martins Chaves Thiago dos Santos Tavares

Anti-inflamatório não esteróides E glicocorticoides.

Trabalho apresentado como

parte do processo avaliativo da disciplina de Farmacodinâmica I do Curso de Farmácia, sob orientação do professor Tatiana..

Porto Velho, Agosto de 2007.

Anti-inflamatórios não esteróides Os AINEs ou Anti-Inflamatórios Não Esteróides, são um grupo de fármacos com funções de inibição da inflamação e anestesia locais. A grupo pertencem alguns dos fármacos mais conhecidos, como a Aspirina e o Paracetamol.

Os AINEs têm três efeitos benéficos principais: diminuem a resposta inflamatória; reduzem a dor de causa inflamatória e baixam a febre.

Resposta periférica e central à dor e à inflamação: LESÃO TISSULAR PERIFÉRICA:

• Liberação de neuromediadores (citocinas, bradicininas, serotonina, prostaglandinas, leucotrienos e radicais livres); • Estes promovem e facilitam a transmissão dolorosa;

• Hiperalgesia;

• Alterações inflamatórias: edema, calor e vermelhidão (rubor);

• Liberação de neurotransmissores excitatórios (aspartato, glutamato e substância P).

• Os neurotransmissores acima citados são liberados no corno dorsal da medula espinhal; • Ativam receptores NMDA (N-Metil-D-Aspartato);

• Provocam a atuação de 2° mensageiros [Fosfolipase C, AMP cíclico, fosfatidilinositol (IP-3)];

• Promovem a abertura dos canais de cálcio aumentando o influxo destes íons para o interior das membranas celulares;

• O aumento do cálcio estimula a produção de outros mediadores químicos (óxido nítrico e metabólitos do ácido aracdônico); • Além da formação de ONCOGENES (cfos, fos B, C jun, jun B e D);

• Estes alteram a transmissão do potencial de ação, sensibilização medular e fenômeno wind up (aumento da duração da resposta de certos neurônios);

• Quanto maior a intensidade do estímulo agressivo, maior a quantidade de receptores acionados.

• A transmissão dolorosa ascende através da medula espinhal e faz conexões com:

• Formação reticular, hipotálamo, tálamo, núcleos da base, sistema límbico, córtex motor e somestésico;

• Transporte de substância P para as fibras nociceptivas periféricas, promovendo:

• Ativação de fibras adrenérgicas, espasmos musculares reflexos, alterações imunes e neuroendócrinas, que provocam aumento da permeabilidade vascular, a atração de células fagocitárias e aumento da sensibilidade das fibras nociceptivas à ação dos neuromediadores.

São enzimas essenciais para a síntese de prostaglandinas a partir do ácido aracdônico (A) liberado pelas fosfolipases A2 da membrana celular.

Classificação das Ciclooxigenases

Classificação Essencial nos processos fisiológicos

Induzida por processo inflamatório e Interleucinas (IL1, IL2 e TNF-α)

Vasos Sanguíneos Relaxamento vascular

(PGE1, PGI), e contração, aumento da permeabilidade capilar (PGF, TXA)

Brônquios Contração (PGF2, LTC,

LTD, TXA) ou relaxamento (PGE)

Rins (PGE1, PGI) Mantém o fluxo sanguíneo renal em pacientes com ICC, insuficiência renal ou cirrose. Regula metabolismo de sódio e potássio.

Aumentam na privação do sal. Aumentam a formação de PGI2 e PGE2, que estimulam a secreção de renina.

Plaquetas Indução da agregação plaquetária (TXA2) ou inibição (PGI).

Não é detectável.

Gestação/Parto Induz a contração uterina

Possui expressão no epitélio uterino em diferentes períodos da gestação inicial e é importante na implantação do embrião e na angiogênese necessária para o estabelecimento da placenta.

SNC Modulação do sistema neurovegetativo e do processo sensorial (PGE2, PGD2, PGH2).

Presente apenas no córtex, hipocampo, hipotálamo e medula espinhal.

Febre Há produção de PGE2 que ativa o centro termorregulatório hipotalâmico.

Aumenta COX-2 no endotélio dos vasos cranianos e micróglia.

Hiperalgesia Potencializa a ação dos mediadores da dor e sensibiliza os nociceptores.

Aumenta a imunorreatividade para RNAm da COX-2.

Núcleo Induz apoptose. Fonte: Livro de Farmacologia H.P. Rang Dale.

Todos os AINES (exceto Paracetamol) são ácidos fracos facilmente absorvidos no estômago e intestino. A velocidade de absorção está aumentada com o uso de comprimidos de rápida dissolução ou efervescente; Ligam-se extensivamente às proteínas plasmáticas (95 – 9%); São metabolizados pelo fígado e excretados pelos rins.

MECANISMO DE AÇÃO: Os AINEs são inibidores específicos da enzima ciclooxigenase (COX). As

(Parte 1 de 4)

Comentários