Umidade de grãos

Umidade de grãos

(Parte 1 de 3)

•Os grãos agrícolas são materiais higroscópicos higroscópicose contêm água no estado líquido, em contato íntimo com a estrutura celular.

•O conteúdo de água existente nos produtos de origem vegetal exerce grande influência sobre suas propriedades físicas, principalmente durante o manuseio, processamento e armazenagem destes produtos.

•Parte desta água, denominada água livre , é facilmente evaporada pela ação do calor. A outra porção, denominada água de constituição, faz parte da estrutura celular e é quimicamente presa ao material.

Ma = massa de água

M ms = massa de matéria seca

M t = massa total

M t

U = umidade em base úmida U’ = umidade em base seca

1)Direto –ocorre a evaporação direta da água 1.1. estufa 1.2. destilação

2)Indireto –utiliza de uma propriedade dos grãos que varie diretamente com a água 2.1. resistência elétrica 2.2 . capacitância

Método direto

•a escolha do método depende da umidade inicial e da natureza física do produto;

•os resultados dependem da metodologia de obtenção da amostra, do tempo de permanência da amostra na estufa, e da temperatura e pressão atmosférica sob a qual a secagem é realizada ;

•é difícil afirmar que foi removida toda a água contida no produto, pela aplicação do calor, sem que outras substâncias tenham sido evaporadas ou, até mesmo destruídas.

Estufa com circulação natural de ar um estágio -procedimentos operacionais (MAA):

•ligar, previamente, a estufa até que a temperatura se estabilizeem 105 ±2°C; •homogeneizar e dividir a amostra composta até obter a amostra de trabalho;

•medir a massa da amostra de trabalho –sugere-se que, de cada amostra de trabalho, sejam obtidas três sub amostras, com aproximadamente50 g cada; •colocar as sub amostras na estufa durante 24 horas;

•após este tempo, as subamostrasdevem ser retiradas da estufa e deixadas e m dessecador para que se esfriem naturalmente; •após atingirem a temperatura ambiente, mede-se, novamente, a massa das suba mostras; •a razão obtida a partir da diferença entre a massa inicial e final, com a massa inicial, fornecerá o resultado da umidade, em base úmida; e •a umidade será o resultado da média obtida entre as três subamostras colocadas inicialmente na estufa.

primeiro estádio:

•obter amostras com tamanho entre 25 e 30 g de grãos inteiros e colocá-las na estufa durante 14 a 16 horas, à temperatura de 130 °C, garantindo que a umidade destas amostras será igual ou inferior a 16 % bu;

•retirar as amostras da estufa e colocá-las em dessecador até que atinjam a temperatura a mbiente;

•medir a massa das amostras frias.

segundo estádio:

•moer as amostras e retirar, da parte moída, subamostrasde 2 a 3 g;

•colocar as subamostrasem estufa, à temperatura de 130 °C, durante 1 hora;

•retirar as subamostrasda estufa e coloca-lasem dessecador, até que se esfriem à temperatura a mbiente;

•medir a massa das subamostrasfrias e calcular a massa de água removida.

dois estágios –procedimentos operacionais

Destilação evaporação e condensação de água

Evaporação direta de água em banho de óleo

•medir 100 g de grãos (balança com precisão decimal) e colocar a amostra em um recipiente cujo volume meça aproximadamente meio litro;

•colocar óleo sobre a amostra até que a mesma fique completamente coberta (1 cm acima da massa ou aproximadamente 150 ml de óleo);

•medir a massa do conjunto composto pela amostra, óleo e recipiente;

•colocar o bulbo do termômetro (escala até 250 °C) dentro da mistura de óleo e grãos;

•fornecer calor ao conjunto, até que a mistura de óleo e grãos atinja a temperatura indicada na Tabela 2;

•ao acusar a temperatura indicada, cessar o fornecimento de calor;

•esperar que o óleo pare de borbulhar;

•pesar, novamente, o conjunto;

•calcular a diferença entre a massa inicial e final do conjunto;

•repetir a operação por três vezes e fornecer, como resultado final, a média obtida entre as três repetições.

•este resultado médio será o valor da umidade do produto, já em porcentagem.

200Arroz em casca e amendoim descascado 195. Milho, aveia, sorgo e café em coco

. Café beneficiado, cevada, milho pipoca, raspa de mandioca, trigo e sabugo de milho

185. Centeio 175. Feijão, soja, girassol, linhaça Te mperaturas - ° CProdutos

Tabela de temperatura para diferentes produtos

MÉTODOS INDIRETOS Resistência elétrica

MÉTODOS INDIRETOS Capacitância elétrica

PRINCIPAIS ERROS OBSERVADOS DURANTE AS MEDIÇÕES DE UMIDADE: • a mostrage m

• pesagens

• aparelho

(Parte 1 de 3)

Comentários