Transporte e movimentação de grãos

Transporte e movimentação de grãos

(Parte 1 de 3)

Prof. Adilio Flauzino de Lacerda Filho Departamento de Engenharia Agrícola Universidade Federal de Viçosa Fones: (31)3899-1872 e 3899-2729 E- mail: alacerda @ufv. br co mponentes: . cabeça; . corpo; . correia; . caçambas; . sistemas de aciona mento

1) CABEÇA: . é o componente onde se realiza a descarga; . nos transportadores de grande capacidade a polia é vulcanizada para minimizar deslizamentos; . suporta o sistema de acionamento, na maioria dos modelos comerciais; . o acionamento é feito por sistemas redutores de força e velocidade, por meio de correias e polias, acoplamento elástico ou caixa de redução.

2) MÓDULO OU CORPO

. construído de chapas metálicas moldadas na forma quadrangular ou circular; . é a estrutura de sustentação da cabeça do elevador; . em um dos módulos intermediários deve existir uma janela que possibilite os serviços de manutenção.

3) PÉ DO ELEVADOR:

. é composto por: polia inferior, esticador de correia, recebimento de carga e janela de inspeção

4) CORREIA

. devem suportar o peso do material e a centrifugação, sem se desprenderem das caça mbas; . devem resistir ao ambiente úmido, quente e à ação de produtos abrasivos; . permitem maior velocidade de operação em relação às correntes.

5) CAÇAMBAS:

. o ângulo de inclinação do topo e a forma arredondada do fundo influenciam o enchimento e a descarga; . o espaçamento entre caçambas varia entre duas e três vezes a profundidade.

COMPONENTES: 5) CAÇAMBAS: tipos

COMPONENTES: 6) FREIOS: tipos

1)DESCARGA POR CENTRIFUGAÇÃO . A força centrífuga se iguala ao peso do produto . Fc –força centrífuga; . P –peso do produto; . r' e r" –distância do centro à parte externa e interna da caçamba; . R –raio efetivo da polia motora

CARACTERÍSTICAS QUANTO À DESCARGA DE GRÃOS: 1) DESCARGA POR CENTRIFUGAÇÃO

PFc =

P m

F c nD v

D g

RgP v

Rvg P gD n nDD g

1) DESCARGA POR CENTRIFUGAÇÃO:

em que

D –diâmetro efetivo da polia do transportador, m; Fc –força centrífuga, kgf; P –peso, kgf; v –velocidade linear, m s - 1 ; g –aceleração da gravidade, m s - 2 ; e n –rotação, rpm

1) DESCARGA POR CENTRIFUGAÇÃO CÁLCULO DA POTÊNCIA:

em que

P = potência do motor, cv;

Q = capacidade do transportador, kg min - 1 ;

H = altura de elevação, m; v = velocidade da correia, m min - 1 ;

N = número de caçambas por metro, q = capacidade de cada caçamba, kg; = rendimento mecânico, (0,6 a 0,9).

2) DESCARGA POR GRAVIDADE

. as caçambas são montadas em um par de correntes;

. baixa velocidade das caçambas -aproximadamente 30 m min - 1 ;

. as sementes, pela ação da gravidade, caem sobre uma calha de descarga;

. as caçambas devem ser escolhidas, conforme cada projeto, para o atendimento da eficiência máxima de operação.

2) DESCARGA POR GRAVIDADE:

. menor velocidade;

. o produto é lançado para fora das caçambas devido a ação da gravidade;

. o produto é lançado sobre um anteparo antes de cais no duto distribuidor;

. as caçambas são fixadas em correntes

3) DESCARGA INTERNA:

. carga e descarga podem ser feitas pela parte interna;

. as caçambas são desenhadas e posicionadas para serem alimentadas continuamente, por uma moega;

. é indicado para sementes por ser de fácil limpeza; . requer maior área para instalação

1)COMPONENTES PRINCIPAIS

1.1) CARRO DE CARGA:

. pode ser utilizado em diferentes pontos ao longo da fita;

. possibilita a alimentação simétrica em relação ao centro da correia, evitando o derrame de produto.

1)COMPONENTES PRINCIPAIS

1.2) CARRO DE DESCARGA OU TRIPPER:

. executa a descarga lateral ao longo da fita;

(Parte 1 de 3)

Comentários